Resumo sobre Fungos – Características Gerais e Exercícios

Os Fungos

O organismos que integram o reino dos fungos que também podem ser chamados de micófitos são bastante familiares, como o bolor, a orelha-de-pau e os cogumelos. Seus representantes são muito diversos, apresentando uma grande variedade morfológica com cores, formas e tamanhos diferentes.

exemplos de tipos de fungos
A e B cogumelos, C orelha-de-pau e D bolor.

Características Gerais dos Fungos

Apesar da enorme diversidade dos fungos eles apresentam várias características em comum:

  • São organismos eucariontes. A presença do núcleo facilita diferenciá-los das bactérias e cianobactérias.  
  • São heterótrofos. Os fungos não apresentam clorofila, ou seja, não são capazes de realizar fotossíntese e isto os os diferencia das plantas terrestres e das algas.
  • Não possuem tecidos ao contrário das plantas.
  • Podem apresentar respiração aeróbica ou anaeróbica. 
  • Os tamanhos podem variar muito. Alguns fungos são microscópicos como as leveduras e outros são macroscópicos como os cogumelos e as orelhas-de-pau.
  • Podem ser encontrados em uma variedade de ambientes, mas se desenvolvem melhor em locais ricos em matéria orgânica e com umidade elevada.
  • Armazenam glicogênio como substância de reserva energética. As plantas por sua vez armazenam amido.
  • Podem ser unicelulares como as leveduras utilizadas na fabricação de pães e cerveja ou pluricelulares como os cogumelos. 

Os fungos pluricelulares apresentam filamentos chamados de hifas que podem ser septadas ou asseptadas: 

fungos - tipos de hifas asseptadas e septadas

Hifas septadas: apresentam paredes transversais chamadas de septos, que separam as células que podem apresentar um ou dois núcleos haploides, como poder visto na hifas A e B da imagem acima.

Hifas asseptadas: também podem ser chamadas de hifas cenocíticas. Elas não apresentam os septos que separam as células e os núcleos ficam dispersos por um mesmo citoplasma (Hifa C).

O conjunto com as hifas de um fungo é denominado de micélio. No micélio existem hifas que são responsáveis pela absorção de nutrientes que recebe o nome de micélio vegetativo e hifas especializadas na reprodução, que é denominado de micélio reprodutivo. Os fungos realizam digestão extracorpórea, sendo que para a absorção de nutrientes as hifas liberam enzimas capazes de digerir o substrato que posteriormente é absorvido. 

 Quando o micélio de um fungo está bem desenvolvido, algumas hifas emergem para a superfície do substrato formando o corpo de frutificação, que é responsável pela reprodução.

Ciclo de desenvolvimento dos fungos

Reprodução dos fungos

Quanto a reprodução nos fungos ela pode ocorrer de forma sexuada ou assexuada, sendo que em ambos os casos quase sempre ocorre através dos esporos. 

A reprodução assexuada ocorre principalmente através dos esporos presentes no corpo de frutificação. Sob o chapéu existem várias lamelas com protuberâncias chamadas de Esporângios, que produzem os esporos que são liberados e transportados para outros locais.

corpo de frutificação: chapéu e esporângio

Alguns esporos são pequenos e secos sendo facilmente transportados por longas distâncias através do ar, já outros são pegajosos e grudam no corpo de insetos e outros animais que os transportam para outros lugares. Alguns fungos aquáticos apresentam os zoósporos, que são esporos dotados de flagelo que permitem que eles nadem em busca de um substrato ideal. 

Outras formas de reprodução assexuada dos fungos são a fragmentação das hifas e o brotamento. Na fragmentação um conjunto de hifas se separa do fungo principal e ao entrar em contato com o substrato se multiplica formando um novo micélio. O brotamento também denominado de gemulação é comum em leveduras, nesta reprodução ocorre o crescimento de um pequeno broto a partir da célula-mãe que pode ou não vir a se separar.

esquema de brotamento nos fungos
Reprodução assexuada por brotamento. Neste tipo de reprodução a célula forma brotos que pode se separar formando uma célula-Filha ou permanecer unidas formando pseudo-hifas.

A reprodução sexuada ocorrem em três fases distintas: plasmogamia, cariogamia e meiose.

  • Plasmogamia: Nesta fase ocorre a fusão dos protoplastos (células livres de parede celular) de duas hifas, formando uma célula dicariótica (com dois núcleos). 
  • Cariogamia: Nesta etapa ocorre a fusão dos núcleos haploides. 

Em algumas espécies a fusão dos núcleos pode ocorrer logo após a plasmogamia, já em outras os núcleos podem permanecer separados por dias, meses ou anos. Estas células são chamadas de dicário que significa “dois núcleos”. Estas células podem continuar se dividindo formando novas células dicarióticas. 

  • Meiose: Logo após a fusão dos núcleos a célula diploide sofre meiose originando esporos e restabelecendo a haploidia.

reprodução sexuada nos fungos: plasmogamia, cariogamia e meiose

Classificação dos Fungos

A classificação mais atual dos fungos sugere a existência de seis grupos: 

 

  • Filo Microsporidia

Os Microsporídios são fungos unicelulares, formadores de esporos e parasitas de animais.

Existem aproximadamente 1.500 espécies conhecidas neste grupo, que por muito tempo foram considerado como protozoários, mas através de análises de DNA foram classificados no Reino Fungi.

 

  • Filo Chytridiomycota

O grupo dos Quitrídios engloba aproximadamente 790 espécies que são predominantemente aquáticas ou vivem em ambientes úmidos. Seus integrantes variam bastante em forma e tipos de reprodução, sendo o único grupo dos fungos que apresenta células reprodutivas móveis, os zoósporos. Algumas espécies de Quitrídios podem ser parasitas podendo causar patógenos em plantações enquanto outras podem ser sapotróficos se alimentando de matéria orgânica.  

 

  • Filo Zygomycota

No grupo dos Zigomicetos existem aproximadamente 1.000 espécies sendo que a maioria  vivem em plantas ou em animais em estado de decomposição no solo. Também existem espécies de zigomicetos que são fungos parasitas de plantas, insetos e pequenos animais, podendo vir a causar patógenos em seus hospedeiros.

A maioria das espécies deste grupo apresentam hifas cenocíticas que são numerosas e de crescimento rápido. Existem certas condições em que o crescimento dos Zigomicetos pode ser unicelular na forma de levedura. A reprodução neste grupo pode ser sexuada ou assexuada. 

O bolor negro é o integrante mais conhecido deste grupo.  

 

  • Filo Glomeromycota

Os glomeromicetos embora sejam um grupo pequeno com aproximadamente 200 espécies apresentam um importante papel ecológico, pois seus integrantes se associam a raízes de cerca de 80% das plantas vasculares formando as micorrizas, que auxiliam na absorção de nutrientes e água destas plantas. 

As hifas dos glomeromicetos são principalmente cenocíticas e reproduzem-se apenas de forma assexuada através de esporos multinucleados produzidos sob a superfície da terra. 

 

  • Filo Ascomycota

O grupo dos ascomicetos é formado por bolores, cogumelos, trufas e leveduras. É o grupo de fungos que apresenta o maior número de espécies conhecidas, com cerca de 32.000 integrantes. 

Algumas espécies de ascomicetos podem formar hifas, já outras como as leveduras são unicelulares. Dependendo da espécie a reprodução pode ser de forma assexuada ou sexuada e em algumas podem ocorrer ambas as formas de reprodução. 

Os ascomicetos em conjunto com algas ou cianobactérias formam importantes associações simbióticas mutualistas, os líquens.

 

  • Filo basidiomycota

Os basidiomycota são um grupo bem vasto de fungos, com aproximadamente 22.300 espécies, sendo que alguns integrantes são muito familiares, como as orelhas-de-pau, as bolotas-da-terra, os cogumelos comestíveis e venenosos e alguns fitopatógenos como as ferrugens e os carvões. Seus integrantes apresentam um papel importante na decomposição do substrato vegetal. 

 

Que tal testar o que você acabou de aprender resolvendo alguns exercícios? Confira nossos simulado com gabarito sobre os fungos:

Gostou desta lista de Exercícios? Não esqueça de compartilhar com seus amigos:

Deixe um comentário