Exercícios sobre Investimentos em Coligadas e Controladas

01. Investimentos em Coligadas e Controladas: (SRF – 2003) Fomos chamados a calcular os dividendos a distribuir, no segundo semestre, da empresa Rentábil. A empresa é uma sociedade anônima e os seus estatutos determinam que os dividendos devem ser o mínimo obrigatório de acordo com a lei, mas não estabelecem o valor percentual sobre o lucro líquido. Os valores que encontramos para montar a base de cálculo foram:

Reserva estatutária de R$ 6.500,00,

Participação de administradores no lucro de R$ 7.000,00,

Participação de empregados no lucro de R$ 8.000,00,

Provisão para o Imposto de Renda e CSLL de R$ 95.000,00 e lucro líquido, antes do imposto de renda, de R$ 180.000,00.

Ficamos com o encargo de calcular o valor da reserva legal e do dividendo mínimo obrigatório. Feitos os cálculos corretamente, podemos afirmar com certeza que o dividendo será no valor de:

a) R$ 15.000,00

b) R$ 16.625,00

c) R$ 30.000,00

d) R$ 33.250,00

e) R$ 35.000,00

 

 

02. (Prefeitura do Recife – 2003) Uma companhia aberta que tenha apurado o lucro líquido no valor de R$ 250.000.000, tenha feito a destinação para a formação da reserva legal na base de 5% do lucro líquido e tenha constituído reserva de contingências no valor de 50% do saldo remanescente do lucro líquido. Desconsiderando outros registros, o lucro líquido ajustado, base de cálculo do dividendo mínimo obrigatório, seria de:

a) inferior a R$ 100.000.000

b) entre R$ 100.000.000 e R$ 110.000.000

c) entre R$ 110.000.001 e R$ 120.000.000

d) entre R$ 120.000.001 e R$ 130.000.000

e) superior a R$ 130.000.000

 

 

03. Investimentos em Coligadas e Controladas: (RFB – 2009) Em fevereiro de 2008 a empresa Calcedônia Minerais S.A. investiu R$ 350.000,00 em ações de outras companhias, contabilizando a transação em seu ativo permanente. Desse investimento, R$ 200.000,00 deverão ser avaliados por “Equivalência Patrimonial” e R$ 150.000,00, pelo Método do Custo. Durante o exercício em questão, as empresas investidas obtiveram lucros que elevaram seus patrimônios líquidos em 4%, tendo elas distribuído dividendos de tal ordem que coube à Calcedônia o montante de R$ 6.000,00, sendo metade para os investimentos avaliados por Equivalência Patrimonial e metade para os investimentos avaliados pelo método do custo. Com base nessas informações, podemos afirmar que, no balanço patrimonial da empresa Calcedônia Minerais S.A. relativo ao exercício de 2008, deverá constar contabilizado um investimento no valor de:

a) R$ 350.000,00.

b) R$ 355.000,00.

c) R$ 358.000,00.

d) R$ 361.000,00.

e) R$ 364.000,00.

 

 

04. (SEFAZ-SP – 2009) A empresa Atos & Atitudes S/A tinha um saldo bancário de R$ 600.000,00 e resolveu aplicá-lo em ações de outras Companhias, sendo um terço a curto prazo, outro terço representando uma coligação acionária com influência na administração, e ainda, outro terço em investimentos não relevantes. Durante o ano, as empresas investidas apuraram lucro líquido de R$ 15.000,00 cada uma e distribuíram 1/3 desse lucro aos acionistas, como dividendos. No fim do exercício social, após a contabilização dos fatos cabíveis, vamos encontrar o saldo contábil dessas ações no valor de:

a) R$ 645.000,00.

b) R$ 610.000,00.

c) R$ 620.000,00.

d) R$ 630.000,00.

e) R$ 615.000,00.

 

 

05. Investimentos em Coligadas e Controladas: (STN – 2008) A empresa Alfa Beta S/A comprou 10 mil ações de Delta Ômega S/A ao custo unitário de R$ 14,00, quando o valor patrimonial dessas ações era avaliado em apenas R$ 10,00. Entretanto, em 31 de dezembro de 2007, a empresa Delta Ômega mostrou sua capacidade de negócios apresentando um lucro líquido da ordem de 70% do capital, tendo dele distribuído, como dividendos aos acionistas, o equivalente a 20% do capital social. As operações, na empresa Alfa Beta, são avaliadas e contabilizadas pelo método da equivalência patrimonial. Em 15 de janeiro de 2008, ao vender essas ações a R$ 15,00 por unidade, Alfa Beta terá computado um lucro efetivo de:

a) R$ 70.000,00.

b) R$ 50.000,00.

c) R$ 30.000,00.

d) R$ 10.000,00.

e) R$ 0,00.

 

Exercícios sobre Demonstrações Contábeis.

 

06. Investimentos em Coligadas e Controladas: (AFRFB – 2003) A Cia. ABC adquire 2% do total de ações da Cia. Lavandisca. Na ocasião da operação, o preço acordado envolvia o valor das ações e dividendos adquiridos, relativos a saldos, de Reservas e Lucros Acumulados, pré-existentes e ainda não distribuídos. No momento em que ocorrer o efetivo pagamento dos dividendos referentes a esses itens, o tratamento contábil dado a esse evento deverá ser:

a) creditar o valor correspondente a esse dividendo em conta de receita não operacional em contrapartida do registro do ingresso do recurso no caixa.

b) ajustar o resultado do exercício e creditar o valor correspondente a esse dividendo em conta de deságio em aquisição de investimentos permanentes em contrapartida do registro do ingresso do recurso no caixa.

c) lançar o valor correspondente a esse dividendo a crédito da conta participação societária em contrapartida do registro do ingresso do recurso no caixa.

d) registrar os dividendos recebidos como receita operacional em contrapartida ao lançamento de débito na conta caixa.

e) considerar o valor recebido como receita não operacional e debitando em contrapartida da conta ágio em investimentos societários.

 

 

07. (SRF – 2002) A Cia. XAVANTE, detentora de 60% do capital ordinário da Cia. CARIRI, ao final do exercício contábil de 1999, evidencia em seu Balanço Patrimonial o valor de 900.000 reais para este investimento societário.

Por ocasião do encerramento do exercício de 2000, a contabilidade da investida forneceu os valores a seguir para os itens:

Itens identificados na Contabilidade da Investida: Patrimônio Líquido Ajustado R$ 2.150.000,00

Vendas de Estoques para a Investidora R$ 2.500.000,00

Margem de Lucro das Vendas Inter-companhias 20%

Se ao final do exercício de 2000 restassem, na Cia. Xavante, R$ 500.000,00 dos estoques adquiridos da Cia. Cariri e o valor contábil da participação societária registrada na mesma data fosse R$ 900.000,00, de acordo com a Instrução CVM 247/96, o valor a ser registrado pela investidora como resultado de equivalência patrimonial seria uma:

a) despesa de R$ 390.000,00

b) despesa de R$ 330.000,00

c) receita de R$ 330.000,00

d) despesa de R$ 290.000,00

e) receita de R$ 290.000,00

 

 

08. Investimentos em Coligadas e Controladas: (SRF – 2002) A Cia. XAVANTE, detentora de 60% do capital ordinário da Cia. CARIRI, ao final do exercício contábil de 1999, evidencia em seu Balanço Patrimonial o valor de 900.000 reais para este investimento societário. Por ocasião do encerramento do exercício de 2000, a contabilidade da investida forneceu os valores a seguir para os itens:

Itens identificados na Contabilidade da Investida: Patrimônio Líquido Ajustado R$ 2.150.000,00

Vendas de Estoques para a Investidora R$ 2.500.000,00

Margem de Lucro das Vendas Inter-companhias 20%

Se o estoque adquirido pela investidora tivesse sido repassado integralmente a terceiros, o valor ao final dessa participação seria:

a) R$ 1.190.000,00

b) R$ 1.230.000,00

c) R$ 1.290.000,00

d) R$ 1.309.000,00

e) R$ 1.390.000,00

 

 

09. (PM Niteroi – 1999) Quando os investimentos de participação societária são avaliados pelo método da equivalência patrimonial, os dividendos declarados pela investida serão considerados na investidora como:

a) redução do investimento (ativo permanente)

b) aumento do resultado operacional

c) aumento do investimento (ativo permanente)

d) redução do resultado operacional

e) aumento do resultado não operacional

 

 

10. Investimentos em Coligadas e Controladas: (RFB – 2012) A Empresa Controladora S.A., companhia de capital aberto, apura um resultado negativo de equivalência patrimonial que ultrapassa o valor total de seu investimento na Empresa Adquirida S.A. em R$ 400.000,00. A Empresa Controladora S.A. não pode deixar de aplicar recursos na investida, uma vez que ela é a única fornecedora de matéria-prima estratégica para seu negócio. Dessa forma, deve a investidora registrar o valor da equivalência:

a) a crédito do investimento, ainda que o valor ultrapasse o total do investimento efetuado.

b) a crédito de uma provisão no passivo, para reconhecer a perda no investimento.

c) a crédito de uma provisão no ativo, redutora do investimento.

d) a débito do investimento, ainda que o valor ultrapasse o total do investimento efetuado.

e) a débito de uma reserva de capital, gerando uma cobertura para as perdas.

 

🔵 >>> Não deixe de ver nossa lista completa de atividades de Ciências Contábeis.

 

Gabarito com as respostas das atividades de Ciências Contábeis sobre Investimentos em Coligadas e Controladas:

01. D; 02. C; 03. B; 04. B; 05. C; 06. C; 07. E; 08. C; 09. A; 10. B