Atividades de Geografia sobre a Produção Industrial 2017 –

1) Produção Industrial: (UERJ/2015)

As diferenças observadas entre a fábrica fordista e a fábrica pós-fordista são explicadas, principalmente, pela introdução da estratégia de organização produtiva denominada:

a) regulação

b) terceirização

c) padronização

d) hierarquização

 

 

2) (UPE/2015) Assinale a alternativa que completa CORRETAMENTE a frase transcrita a seguir:

“Durante muito tempo, o _____________________ predominou na produção. A inflexibilidade deste modelo, no qual cada operário deve entrar no ritmo repetitivo e na rotina da esteira de montagem, acarretou problemas como defeitos em alguns produtos, obrigando a serem despendidas enormes somas com fiscalização e controle de qualidade.”

a) Modelo de Capitais Voláteis

b) Modelo Neoliberal

c) Modelo Fordista

d) Modelo Socialista

e) Modelo do Estado Mínimo

 

 

3) Produção Industrial 2017 – (UERJ/2014)

As consequências do processo de globalização e da atual crise econômica nos Estados Unidos têm levado norte-americanos a procurar oportunidade de trabalho em outros países, como o Canadá. Na charge, a pergunta irônica do empresário expõe a seguinte contradição da atuação das empresas globais nos E.U.A.:

a) criação de rede planetária de transportes − limite à exportação de capitais

b) expansão de produção terceirizada − consumo dependente de empregabilidade

c) prioridade de investimento no setor industrial de base − concentração financeira na Ásia

d) política de ampliação dos benefícios trabalhistas − restrição à mobilidade espacial de imigrantes

 

 

4) (UFSJ/2013) Observe a imagem abaixo.

atividades e perguntas sobre a Produção Industrial com gabarito

A montadora ford, de capital norte-americano, anunciou hoje (04/01/2012) a produção global de um modelo de utilitário esportivo, o EcoSport, projetado por cerca de 1,2 mil engenheiros brasileiros e argentinos no centro de desenvolvimento da companhia em Camaçari, na Bahia. O carro, que deverá ser vendido em 100 países, será produzido nas fábricas da Ford na Bahia, na Tailândia e na Índia.

Fonte:http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2012-01-04/modelo-de-carro-concebido-no-brasil-vira-produto-global. Acesso em 27/08/2012.

 

Assinale a alternativa que apresenta características da produção industrial atual representada pelo lançamento do Novo Ecosport.

a) Estreita relação entre pesquisa e tecnologia e desconcentração industrial na produção de produtos globais.

b) Rígida padronização (estandartização) dos produtos com o objetivo de atender o gosto dos clientes.

c) Produção baseada no modelo just in time, que exige grandes almoxarifados no interior das fábricas.

d) Linha de produção fordista, com eliminação da terceirização na produção e na incorporação de mão de obra pouco qualificada de países em desenvolvimento.

 

 

5) Produção Industrial: (UERJ/2013)

A crítica feita nos quadrinhos se relaciona com uma contradição do capitalismo globalizado, o qual se caracteriza simultaneamente por:

a) elitização do acesso digital – popularização das mídias alternativas.

b) requinte dos sistemas produtivos – declínio dos regimes democráticos.

c) manipulação dos padrões técnicos – simplificação dos métodos de gestão.

d) consumo de produtos sofisticados – exploração da força de trabalho fabril.

 

Os Sistemas Capitalista e Socialista.

 

6) Produção Industrial: (UERJ/2013)

3ª do plural (engenheiros do Hawaii)

Corrida pra vender cigarro

Cigarro pra vender remédio

Remédio pra curar a tosse

Tossir, cuspir, jogar pra fora

Corrida pra vender os carros

Pneu, cerveja e gasolina

Cabeça pra usar boné

E professar a fé de quem patrocina

Querem te matar a sede, eles querem te sedar

Eles querem te vender, eles querem te comprar (…)

Corrida contra o relógio

Silicone contra a gravidade

Dedo no gatilho, velocidade

Quem mente antes diz a verdade

Satisfação garantida

Obsolescência programada

Eles ganham a corrida antes mesmo da largada

(…)

letras.terra.com.br

 

Os diferentes modelos produtivos de cada momento do sistema capitalista sempre foram o resultado da busca por caminhos para manter o crescimento da produção e do consumo. A crítica ao sistema econômico presente na letra da canção está relacionada à seguinte estratégia própria do atual modelo produtivo toyotista:

a) aceleração do ciclo de renovação dos produtos.

b) imposição do tempo de realização das tarefas fabris.

c) restrição do crédito rápido para o consumo de mercadorias.

d) padronização da produção dos bens industriais de alta tecnologia.

 

 

7) Produção Industrial: (UFPR/2012) Comparando os dois textos a seguir, aborde as implicações dos conceitos de flexibilidade, internacionalização e terceirização.

texto 1:

“A Inditex, um dos maiores grupos de distribuição de moda em nível mundial, conta com mais de 5000 lojas em 77 países na Europa, América, Ásia e África. Para além da Zara, a maior das suas cadeias comerciais, a Inditex conta com outros formatos: Pull&Bear, Massimo Dutti, Bershka, Stradivarius, Oysho, Zara Home e Uterque. O seu singular modelo de gestão, baseado na inovação e na flexibilidade, e a sua forma de entender a moda […] permitiram-lhe uma expansão internacional rápida e uma excelente aceitação dos seus diferentes conceitos comerciais.”

Fonte: http://www.joinfashioninditex.com/joinfashion/, acesso em 22/08/2011.

 

texto 2:

“Fiscais do Ministério do Trabalho flagraram fornecedores da marca de roupas Zara explorando bolivianos em condições análogas à escravidão em três confecções no Estado de São Paulo. De acordo com a SRTE/SP (Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de São Paulo), três fornecedoras foram alvo da investigação – duas na capital paulista e uma em Americana (127 km de SP). As duas oficinas da capital – de propriedade de bolivianos, mas que, segundo a SRTE, era de responsabilidade da Zara – tinham, ao todo, 15 funcionários e foram fechadas pela SRTE. Os 15 trabalhadores receberam uma indenização conjunta no  valor de R$ 140 mil. Em uma das oficinas, os fiscais chegaram a encontrar uma adolescente de 14 anos trabalhando. Ela só podia sair da oficina, que também servia como moradia, após autorização da chefa do local.”

Fonte:http://www1.folha.uol.com.br/mercado/961047-zara-reconhecetrabalho-irregular-em-3-confeccoes-de-sp.shtml,acesso em 22/08/2011.

 

 

8) (UESPI/2012) Nos primórdios do século XX, surgiram, nos Estados Unidos, o “Taylorismo” e o “Fordismo”, que são assuntos amplamente estudados pela Geografia. Esses assuntos se referem diretamente à:

a) repressão aos movimentos sindicais nas grandes indústrias do país.

b) adoção de uma rígida política de substituição de importações.

c) implantação de novos métodos de organização do trabalho.

d) política de utilização da máquina a vapor na indústria de tecidos.

e) política de abolição da rotatividade de trabalhadores frequente nas indústrias.

 

 

9) Produção Industrial: (UEM/2012) Na virada do milênio ocorreu uma onda de desemprego estrutural. O desemprego conjuntural é provocado por crises localizadas e temporárias, enquanto que o estrutural está relacionado à estrutura produtiva que sofreu modificações e gera um desemprego massivo, mesmo em países ricos. A OIT estimou em 1 bilhão de desempregados, no ano de 1998. Sobre as transformações no mundo do trabalho, conforme a ordem da estrutura econômica do Período Técnico Científico, é correto afirmar:

(01) O sistema de organização científica do trabalho consiste em controlar os tempos e os movimentos dos trabalhadores e fraciona as etapas do processo produtivo. Esse sistema, que possibilita um enxugamento do quadro da empresa, é denominado taylorismo.

(02) Henry Ford desenvolveu a linha de montagem no processo produtivo, o que trouxe inovações. A produção em massa exige consumo em massa, com isso criou um novo arranjo socioespacial que gerou desemprego estrutural.

(04) O desenvolvimento tecnológico exigiu novos métodos de organização da produção, como o just-in-time e a flexibilização, em contraposição à rigidez do fordismo. A crescente automação das fábricas levou muitos operários a perderem seus postos de trabalho.

(08) A crise econômica mundial levou a mudanças bruscas do processo produtivo. O consumo de massa foi reduzido e milhares de operários perderam seus postos, gerando desemprego apenas nos países desenvolvidos.

(16) As mudanças no processo produtivo, como a produção enxuta, ou toyotismo, e a flexibilização da mão de obra tiveram como suporte o avanço da robótica, da automação e de todo aparato tecnológico, o que implicou, no entanto, a redução do número de empregados na produção.

 

 

10) Produção Industrial: (UERJ/2012) Quando os auditores do Ministério do Trabalho entraram na casa de paredes descascadas num bairro residencial da capital paulista, parecia improvável que dali sairiam peças costuradas para uma das maiores redes de varejo do país. Não fossem as etiquetas da loja coladas aos casacos, seria difícil acreditar que, através de uma empresa terceirizada, a rede pagava 20 centavos por peça a imigrantes bolivianos que costuravam das 8 da manhã às 10 da noite. Os 16 trabalhadores suavam em dois cômodos sem janelas de 6 metros quadrados cada um. Costurando casacos da marca da rede, havia dois menores de idade e dois jovens que completaram 18 anos na oficina.

Adaptado de Época, 04/04/2011.

 

A comparação entre modelos produtivos permite compreender a organização do modo de produção capitalista a cada momento de sua história. Contudo, é comum verifcar a coexistência de características de modelos  produtivos de épocas diferentes. Na situação descrita na reportagem, identifica-se o seguinte par de características de modelos distintos do capitalismo:

a) organização fabril do taylorismo – legislação social fordista

b) nível de tecnologia do neofordismo – perfil artesanal manchesteriano

c) estratégia empresarial do toyotismo – relação de trabalho pré-fordista

d) regulação estatal do pós-fordismo – padrão técnico sistêmico-flexível

 

🔵 >>> Veja também a nossa lista completa de Questões sobre Geografia.

 

Gabarito com as respostas das questões de Geografia sobre Produção Industrial:

1) b; 2) c; 3) b; 4) a; 5) d; 6) a;

7) Flexibilidade, internacionalização e terceirização são termos usualmente associados ao contexto da globalização e da 3ª revolução industrial que substitui a produção fordista pelo modelo pós-fordista ou de acumulação flexível, gerando transformações nas relações trabalhistas e nos sistemas de produção. Enquanto o fordismo é marcado pela rigidez no processo do trabalho e da produção, o pós-fordismo implanta o conceito de flexibilidade no trabalho, na produção e no consumo, cujas implicações podem ser observadas no texto 2 que salienta a subcontratação gerando o aspecto escravista da relação e a terceirização da produção, definida como a decomposição do processo produtivo. No texto 1 essa flexibilidade aplicada à produção, caracteriza a mobilidade geográfica dos investimentos ou a internacionalização dos fluxos de capitais – produtivos e especulativos – em forma de empresas que se estabelecem em diversos países, intensificando a circulação global de capitais.

8) c; 9) 9) 04 + 16 = 20.; 10) c

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.