O Trabalho e a Economia no Brasil Questões com Gabarito

Resolver listas de exercícios é excelente maneira de testar seus conhecimentos ao mesmo tempo em que aprende coisas novas. Pensando nisso selecionamos um Lista com 10 Questões sobre O Trabalho e a Economia no Brasil para você tirar nota máxima nas avaliações!

Questão 01. (Cesgranrio). Segundo dados do “Jornal do Brasil”, a mulher brasileira tem hoje, em média, 3 filhos contra 4,35 nos anos 1980, e 6,28 na década de 1960. A redução da taxa de natalidade verificada no Brasil está relacionada à(ao):

a) participação crescente da mulher no mercado de trabalho, inviabilizando o tradicional instituto do casamento.

b) mudança da população, que deixou, em cerca de 30 anos, de ser rural, passando a majoritariamente urbana.

c) sucesso de políticas de controle da natalidade, impostas pelos governos militares, no final dos anos 1960.

d) processo de envelhecimento rápido da estrutura demográfica, motivada pela elevação da expectativa de vida da população.

e) legalização do aborto e da laqueadura de trompas, derivadas do novo texto da Constituição de 1988.


Questão 02. (FAAP) Assinale a falsa.

a) A população brasileira é, hoje, predominantemente urbana e a força de trabalho concentra-se nos setores terciário e secundário da economia.

b) O censo de 1980 mostrou que a população brasileira vem crescendo mais rapidamente, a taxas elevadas.

c) O mercado de trabalho sofreu importantes mudanças nos últimos tempos em razão do crescimento demográfico menor, da participação mais intensa da mulher, da redução do tamanho das famílias com a participação de um número maior de seus membros.

d) Os salários no Brasil continuam baixos porque o trabalho, principalmente o menos qualificado, que é o mais abundante, tem pouco valor econômico.

e) Os trabalhadores necessitam de uma organização sindical livre e forte, apoiada em uma legislação trabalhista democrática, para poderem defender eficientemente os seus direitos.


Questão 03. (FATEC). As frequentes notícias de trabalho infanto-juvenil em atividades agrícolas, carvoarias, minas ou olarias colaboram para afirmar que

a) a acentuação da pobreza em grandes camadas da população impele milhares de jovens ao trabalho, para complementar a renda familiar.

b) o trabalho infanto-juvenil passa a ser imprescindível a uma população da qual mais de 50% têm menos de vinte anos.

c) a falta de perspectiva de ascensão social, via frequência à escola, leva os jovens ao trabalho precoce.

d) como esse tipo de trabalho é fato recente, as várias legislações trabalhistas e de amparo à juventude ainda não se adequaram à situação.

e) boa parte das denúncias de trabalho infanto-juvenil têm caráter isolado e, portanto, não representam a realidade nacional.


Questão 04. (PUC Minas)

população economicamente ativa no brasil

Legenda:
1) Analfabetos
2) Alfabetizados, mas sem preparo escolar
3) Preparados para produzir em sociedade tecnológica moderna
4) Primeiro grau completo sem preparo específico
5) Alfabetizados com primeiro grau incompleto
6) Não trabalham
7) Subempregados
8) Integrados no mercado formal de trabalho
9) Desempregados

Refere-se à qualificação da mão-de-obra brasileira.
I. O Brasil afasta mais de 70% da sua população economicamente ativa do efetivo processo produtivo, por não proporcionar a ela um bom nível educacional.
II. Os desequilíbrios estruturais da sociedade não prejudicam a estabilização econômica e a viabilidade financeira do País.
III. Pouco mais de 10% dos trabalhadores têm qualificação adequada para produzir em uma sociedade tecnologicamente moderna.

a) se apenas as afirmativas I e II estiverem corretas.
b) se apenas as afirmativas I e III estiverem corretas.
c) se apenas as afirmativas II e III estiverem corretas.
d) se todas as afirmativas estiverem corretas.
e) se todas as afirmativas estiverem incorretas.


Questão 05. (PUC Minas). O trabalho e a Economia no Brasil: Camelôs Abençoado seja o camelô dos brinquedos de tostão

O que vende balõezinhos de cor […].
[…] Alegria das calçadas
Uns falam pelos cotovelos […]
Outros, coitados, têm a língua atada.
Todos porém sabem mexer nos cordéis com o tino
ingênuo de demiurgos de inutilidades.
Manuel Bandeira

O mercado de trabalho formal urbano, como se sabe, não tem sido capaz de absorver os contingentes de desempregados. O trecho acima serve para ilustrar tal realidade.
Assinale a alternativa que melhor retrate o problema do desemprego e subemprego atual.
a) A modernização das atividades produtivas, nos setores primário e secundário, tem deixado como única alternativa o emprego no setor terciário da economia.

b) Como vendem inutilidades, os camelôs ou marreteiros possuem baixa remuneração pelo seu trabalho.

c) A crise econômica aliada à reestruturação de vários ramos da economia tem contribuído para a expansão das atividades informais.

d) Ao fechar postos de trabalho no setor formal, as inovações tecnológicas e gerenciais estimulam a geração de formas criativas de emprego.


Questão 06. (PUC Minas). O trabalho e a Economia no Brasil: Observe os dados a seguir.
Trabalho escravo no Brasil: casos registrados

tabela Trabalho escravo no Brasil: casos registrados

A partir da análise das informações, estão corretas as seguintes conclusões sobre o trabalho escravo ou peonagem no Brasil, exceto.
a) A ocorrência de trabalho escravo está relacionada à necessidade de mão-de-obra em grandes projetos agropecuários na Amazônia Legal.

b) Embora concentrada, a ocorrência de trabalho escravo não se limita a uma região ou Estado.

c) O “gato” ou empreiteiro é figura central no aliciamento de trabalhadores, principalmente sulistas, mediante promessa de trabalho e salários compensadores.

d) A escravidão do peão se explica pela inexistência de contratos escritos, o que acaba por torná-lo prisioneiro na fazenda pelas dívidas contraídas.


Questão 07. (PUCRS) Responder à questão com base no gráfico referente à distribuição da PEA por setor de atividades.
BRASIL: distribuição da PEA por setor de atividade

distribuição da PEA por setor de atividade no brasil

Pela análise do gráfico referente à População Economicamente Ativa (PEA), é correto afirmar que:

a) o menor número da população ativa concentra-se no setor primário, pois gradualmente a mecanização do campo transfere o antigo camponês para o trabalho nas indústrias tradicionais e carentes de mão-de-obra.

b) a maior concentração da população ativa está no setor terciário; assim como nos países ricos, profissionais especializados dividem esse setor com prestadores de serviço de pouca ou nenhuma qualificação profissional.

c) o trabalho informal distribuído pelas diferentes atividades do setor secundário está sempre vulnerável a diversos fatores, como variação cambial, questões de fronteiras e represálias policiais.

d) a abertura de pequenos negócios em espaços mais carentes dos grandes centros urbanos, reflexo da desorganização socioeconômica do país, tem inchado o setor terciário.

e) o quadro apresentado reflete a realidade vivenciada pelos países de economia planificada existentes no chamado Mundo Bipolar.


Questão 08. (PUC-SP). A tabela a seguir mostra que as mulheres brasileiras estão ampliando sua participação no comando das famílias nas Regiões Nordeste, Sudeste, Centro-Oeste e Sul. Porém, não é este o caso da Região Norte onde os índices são mais baixos. O Estado de Rondônia, por exemplo, apresentava o índice de 11,7% em 1991.

tabela número de mulheres chefes de família em %

Examine com atenção as alternativas a seguir e assinale a afirmação falsa.

a) Os elevados índices de participação das mulheres enquanto chefes de família, no Nordeste brasileiro, se explica em função da continuidade das emigrações de homens para a Região Norte, Centro-Oeste e Sudeste.

b) Ampliação da participação das mulheres como chefes de família, nas regiões assinaladas na tabela, é o resultado de conquistas obtidas pelo movimento feminista que possibilitou às mulheres as mesmas condições no mercado de trabalho que os homens.

c) Rondônia tem um baixo índice de participação de mulheres enquanto chefes de família, por ser uma área de imigração recente e, neste caso, como acontece geralmente, predomina a população masculina.

d) Em vista dos níveis salariais mais baixos que as mulheres obtêm no mercado de trabalho, a elevação do número de mulheres como chefes de família indica uma elevação da miséria social, ampliando o fenômeno conhecido como feminização da pobreza.

e) A desestruturação das famílias tem como uma de suas causas principais o intenso movimento migratório que atinge uma grande parte da população brasileira. Uma quantidade expressiva de brasileiros não vive onde nasceu e ainda não tem seu paradeiro definitivo.


Questão 09. (UERJ) Observe a exposição de um vendedor ambulante: “Nunca contribuí para a Previdência. Às vezes, me sinto como se não fizesse parte do Brasil, é como se a gente vivesse em outro país. Acho que ninguém tem registro do que eu faço. Desisti de procurar emprego há anos, pois o mercado me excluiu. E não me sinto empregado. Se eu ficar doente de uma hora pra outra? Não sei – diz ele, exibindo uma bandeirinha do país do qual se sente excluído.”
(O Globo, 19 abr. 1998.)

Depoimentos como esse traduzem a ideia de que existem duas modalidades de absorção do trabalhador pelo mercado: uma, na qual as atividades econômicas são formalizadas e os trabalhadores contribuem para a Previdência e têm carteira assinada; e outra, na qual predomina o vínculo informal com grande instabilidade e mobilidade entre as diversas ocupações dos trabalhadores. Considerando a coexistência entre os setores formal e informal, a melhor caracterização do mercado de trabalho no Brasil está relacionada com a:

a) separação entre o campo e a cidade, dominando o emprego informal no primeiro e o formal na segunda.

b) divisão social entre empregados e desempregados, evidenciando nos últimos a falta de experiência no mercado de trabalho.

c) situação de exclusão da população das regiões mais ao norte, predominando os empregos no setor primário da economia.

d) oscilação da população trabalhadora entre o emprego formal e informal, marcando uma tendência ao crescimento da informalidade.


Questão 10. (UERJ). O trabalho e a Economia no Brasil:

gráfico o mercado de trabalho nas favelas do rio

O gráfico representa um dos resultados de pesquisa realizada pela Secretária Municipal do Trabalho da cidade do Rio de Janeiro, revelando que o índice de desemprego nas favelas cariocas supera em muito a média geral do Rio de Janeiro.

A partir da análise do gráfico anterior, pode-se concluir que:
a) a população carente e com menos acesso à instrução é a mais atingida pelo desemprego.
b) a Zona Sul do Rio de Janeiro é a mais beneficiada pela atividade turística geradora de empregos.
c) os setores sociais mais marginalizados estão sendo atingidos pela repressão policial a suas atividades.
d) os trabalhadores do subúrbio são atingidos pela desatenção do governo quanto à política industrial.


🔵 >>> Veja também a nossa lista completa de Questões sobre Geografia.


Gabarito com as respostas da lista de questões sobre O trabalho e a Economia no Brasil:

01. B;
02. B;
03. A;
04. B;
05. C;

06. C;
07. D;
08. B;
09. D;
10. A

Deixe um comentário