Simulado sobre Hidrografia: Hidrosfera, Oceanos e Mares

01. Hidrografia: Hidrosfera, Oceanos e Mares: (Enem–2005) Segundo a análise do Prof. Paulo Canedo de Magalhães, do Laboratório de Hidrologia da COPPE, UFRJ, o projeto de transposição das águas do Rio São Francisco envolve uma vazão de água modesta e não representa nenhum perigo para o Velho Chico, mas pode beneficiar milhões de pessoas. No entanto, o sucesso do empreendimento dependerá do aprimoramento da capacidade de gestão das águas nas regiões doadora e receptora, bem como no exercício cotidiano de operar e manter o sistema transportador.
Embora não seja contestado que o reforço hídrico poderá beneficiar o interior do Nordeste, um grupo de cientistas e técnicos, a convite da SBPC, numa análise isenta, aponta algumas incertezas no projeto de transposição das águas do Rio São Francisco. Afirma também que a água por si só não gera desenvolvimento e será preciso implantar sistemas de escoamento de produção, capacitar e educar pessoas, entre outras ações.
CIÊNCIA HOJE. vol. 37, n. 217, jul. 2005 (Adaptação).

Os diferentes pontos de vista sobre o megaprojeto de transposição das águas do Rio São Francisco quando confrontados indicam que:
A) as perspectivas de sucesso dependem integralmente do desenvolvimento tecnológico prévio da região do semiárido nordestino.
B) o desenvolvimento sustentado da região receptora com a implantação do megaprojeto independe de ações sociais já existentes.
C) o projeto deve limitar-se às infraestruturas de transporte de água e evitar induzir ou incentivar a gestão participativa dos recursos hídricos.
D) o projeto deve ir além do aumento de recursos hídricos e remeter a um conjunto de ações para o desenvolvimento das regiões afetadas.
E) as perspectivas claras de insucesso do megaprojeto inviabilizam a sua aplicação, apesar da necessidade hídrica do semiárido.

 

 

02. (FEPECS-DF–2010) Leia o seguinte trecho:
Argumentos dos ambientalistas
Os movimentos ambientalistas estão entre os principais críticos ao projeto da transposição do Rio São Francisco. Eles apresentam diversos argumentos, tais como: existem soluções menos custosas e mais sustentáveis para sanar o problema da falta de água no semiárido, como a construção de poços e cisternas; o regime fluvial e a vazão do Rio São Francisco já estão bastante comprometidos pelo desmatamento em suas cabeceiras e a retirada de mais água seria um golpe mortal à vida do rio; a transposição comprometeria a vazão do Rio à jusante, aumentando a salinidade em sua foz, o que afeta a vida nos manguezais; a transferência das águas do São Francisco, com os seres vivos que nelas vivem, para os rios do Nordeste Setentrional, poderia afetar seriamente os ecossistemas fluviais do semiárido.
Disponível em: <www.ig.ubn.br/Desafios TranposicaoSaoFrancisco> (Adaptação).

Apesar das críticas, o projeto de transposição do Rio São Francisco continua sendo defendido pelo governo.
Com base nas informações apresentadas anteriormente e nos seus conhecimentos sobre o assunto, a opção que analisa de forma mais ADEQUADA essa situação é:
A) A localização das principais áreas irrigadas à montante do Rio São Francisco cria o risco de que a expansão da irrigação, associada à transposição, possa competir com a geração de energia.
B) O aumento da área irrigada no vale, conjugada com a demanda de água para a transposição, não irá comprometer os empreendimentos econômicos localizados à jusante do desvio.
C) A transposição do Rio São Francisco só irá beneficiar o estado da Bahia, comprometendo ainda mais o processo de desenvolvimento da Paraíba e do Rio Grande do Norte.
D) Os ambientalistas apresentam críticas pouco relevantes diante do grande número de pessoas pobres que serão beneficiadas diretamente com a implantação do projeto.
E) O projeto de transposição tornaria o Rio São Francisco intermitente, assim como os outros rios da Bacia do Nordeste.

 

 

04. (UFRB-BA–2009)
A água é a fonte da vida e do desenvolvimento. Trata-se de um recurso estratégico por questão de segurança nacional e por seus valores sociais, econômicos e ecológicos. Esse bem natural é um patrimônio da humanidade que serve para tudo e para todos, sendo, portanto, um mineral que deve ser compartilhado com as gerações atuais e futuras que habitam nas bacias hidrográficas e suas fronteiras. […]
[…] a água é fator de produção e de proteção à saúde pública, sendo um patrimônio do planeta essencial à vida humana, animal e vegetal pela alta relevância ao desenvolvimento sustentável em benefício da sociedade. Sem água não poderíamos conceber como seria a atmosfera, o clima, a vegetação, a cultura ou a agricultura. Água com boa qualidade e suficiência gera riquezas e propicia vida saudável.
MAIA NETO, 1977. p. 21-22.

A análise do texto e os conhecimentos sobre a água e sua importância como recurso natural para a vida do planeta permitem afirmar:
01. A crescente demanda para a produção de alimentos, para as indústrias e para a geração de energia, aliada ao gerenciamento precário, ao desperdício, à falta de conservação e à poluição, vem gerando a escassez de água em várias áreas do planeta.
02. As doenças de veiculação hídrica – cólera, hepatite, febre tifoide, leptospirose, verminoses e gastroenterites, entre outras – representam um alto percentual das enfermidades no mundo, provocando, a cada ano, centenas de milhares de mortes, em sua maioria de crianças nas regiões subdesenvolvidas.
04. O saneamento básico – abastecimento de água potável, rede de esgoto e coleta de lixo – é de fundamental importância para a saúde, constituindo uma necessidade a fim de se evitarem óbitos e / ou despesas de alto custo para a recuperação da qualidade dos cursos-d’água, caracterizando-se o valor social da água pela proteção à saúde pública.
08. A crescente demanda de água nas áreas urbanas – associada à diminuição de recursos hídricos aproveitáveis, em virtude de os cursos-d’água serem, geralmente, canalizados e poluídos – tem levado à captação de água em mananciais cada vez mais distantes, o que onera os custos de extração e tratamento e, consequentemente, aumenta os preços para o consumidor.
16. As atividades econômicas sempre respeitaram os limites impostos pela oferta dos recursos hídricos – localização, quantidade e qualidade –, evitando os conflitos de uso e de escassez, principalmente quando situadas à montante dos cursos-d’água.
32. O uso intensivo das técnicas de irrigação aliado aos baixos índices pluviométricos e às altas taxas de evaporação, nas regiões semiáridas, aumenta o risco de salinização dos solos, contribuindo para o processo de desertificação.
64. O Mar de Aral, situado na África Central e considerado um dos maiores lagos do mundo, vem sofrendo uma drástica redução de sua área em função do desvio dos rios Zambeze e Níger para irrigação de culturas de arroz, na região semiárida.
Soma ( )

 

 

04. Hidrografia: Hidrosfera, Oceanos e Mares: (Enem–2004) O Aquífero Guarani se estende por 1,2 milhão de km2 e é um dos maiores reservatórios de águas subterrâneas do mundo. O Aquífero é como uma “esponja gigante” de arenito, uma rocha porosa e absorvente, quase totalmente confinada sob centenas de metros de rochas impermeáveis. Ele é recarregado nas áreas em que o arenito aflora à superfície, absorvendo água da chuva. Uma pesquisa realizada em 2002 pela Embrapa apontou cinco pontos de contaminação do Aquífero por agrotóxico, conforme a figura:


Fonte: IBGE
Considerando as consequências socioambientais e respeitando as necessidades econômicas, pode-se afirmar que, diante do problema apresentado, políticas públicas adequadas deveriam:
A) proibir o uso das águas do Aquífero para irrigação.
B) impedir a atividade agrícola em toda a região do Aquífero.
C) impermeabilizar as áreas onde o arenito aflora.
D) construir novos reservatórios para a captação da água na região.
E) controlar a atividade agrícola e agroindustrial nas áreas de recarga.

 

Exercícios de Geografia e Biodiversidade.

 

05. Hidrografia: Hidrosfera, Oceanos e Mares: (Enem–2006)O Aquífero Guarani, megarreservatório hídrico subterrâneo da América do Sul, com 1,2 milhão de km2, não é o “mar de água doce” que se pensava existir. Enquanto em algumas áreas a água é excelente, em outras, é inacessível, escassa ou não potável. O Aquífero pode ser dividido em quatro grandes compartimentos. No compartimento Oeste, há boas condições estruturais que proporcionam recarga rápida a partir das chuvas e as águas são, em geral, de boa qualidade e potáveis. Já no compartimento Norte-Alto Uruguai, o sistema encontra-se coberto por rochas vulcânicas, a profundidades que variam de 350 m a 1 200 m. Suas águas são muito antigas, datando da Era Mesozoica, e não são potáveis em grande parte da área, com elevada salinidade, sendo que os altos teores de fluoretos e de sódio podem causar alcalinização do solo.


SCIENTIFIC AMERICAN BRASIL n.º 47, abr. 2006. (Adaptação).
Em relação ao Aquífero Guarani, é CORRETO afirmar que:
A) seus depósitos não participam do ciclo da água.
B) águas provenientes de qualquer um de seus compartimentos solidificam-se a 0 °C.
C) é necessário, para utilização de seu potencial como reservatório de água potável, conhecer detalhadamente o Aquífero.
D) a água é adequada ao consumo humano direto em grande parte da área do compartimento Norte-Alto Uruguai.
E) o uso das águas do compartimento Norte-Alto Uruguai para irrigação deixaria ácido o solo.

 

 

06. (PUC Minas) O ciclo hidrológico é a circulação contínua da água entre a terra, o mar e a atmosfera. Nesse ciclo, inclui-se a água potável, essencial à vida. Entre os condicionantes e as interferências da existência de água potável no planeta, é INCORRETO afirmar que:
A) a água potável é cada vez mais escassa no globo, devido ao seu uso crescente para irrigação, atividade industrial e abastecimento urbano.
B) as águas subterrâneas constituem os lençóis que alimentam os cursos-d’água, impedindo o escoamento superficial.
C) a contaminação da água por substâncias tóxicas, como resíduos industriais ou agrotóxicos, agrava o quadro de escassez de água continental na superfície.
D) a emissão de resíduos poluentes é prejudicial à capacidade de regeneração da água, interferindo no controle de qualidade ambiental.

 

 

07. (UFSC–2010) A água é essencial para nossas vidas e para a de milhares de espécies existentes no mundo.

Hidrografia: Hidrosfera, Oceanos e Mares exercícios resolvidos para alunos e professores de geografia

COIMBRA, Pedro J; TIBÚRCIO, José Arnaldo M. Geografia: uma análise do espaço geográfico. São Paulo: Harbra 2002. p. 135 (Adaptação).

Com o auxílio das informações anteriores sobre o tema água, assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S).
01. A figura representa o ciclo hidrológico e demonstra a movimentação e as mudanças do estado físico de parte da água estocada na superfície terrestre.
02. Como a água é um recurso natural renovável, significa que toda a água disponível na Terra é potável.
04. Quando a condensação do vapor-d’água atinge um determinado volume e as gotículas de água não mais conseguem se manter em suspensão no ar, ocorre sua precipitação.
08. Oceanos, mares, geleiras e lençóis freáticos são classificados como águas continentais e formam a hidrosfera.
16. Conforme a figura, parte da água que se precipita infiltra-se no solo, formando o lençol freático, camada de água subterrânea situada sobre um terreno ou rocha impermeável.
32. A distribuição espacial dos reservatórios de água doce é bastante irregular, com locais pobres em recursos hídricos, como o Oriente Médio, e outros mais ricos, como o Brasil.
64. O consumo per capita de água nos países do Eixo Sul é o mesmo que nos países do Eixo Norte.
Soma ( )

 

 

08. Hidrografia: Hidrosfera, Oceanos e Mares: (UFOP-MG) A figura apresenta áreas de ocorrência de água doce.

Fonte: Unesco
Considerando os dados da legenda e seus conhecimentos sobre a questão da água como fator estratégico para a humanidade, assinale a opção CORRETA.
A) A figura mostra que há grande disponibilidade mundial de água nos continentes e que não há fundamento para as preocupações sobre uma crise futura em relação à sua oferta.
B) As regiões onde há escassez de água são também as regiões onde se verifica que a população desperdiça mais os recursos hídricos disponíveis.
C) As zonas polares apresentam maior ocorrência de água, facilmente utilizável por ser água de superfície disponível na forma de gelo.
D) O Brasil apresenta 14% do recurso hídrico mundial, sendo que a distribuição dos mananciais de água doce se situam predominantemente na região amazônica.

 

🔵 >>> Veja também a nossa lista completa de Questões sobre Geografia.

Gabarito com as respostas das atividades de Geografia sobre Hidrografia: Hidrosfera, Oceanos e Mares:

01. D;
02. A;
03. Soma = 47;
04. E;
05. C;
06. B;
07. Soma = 53;
08. D

Deixe um comentário