Exercícios sobre Nazifascismo com Gabarito

01. Nazifascismo: (Fatec-SP–2009) Considere atentamente o cartaz de propaganda política a seguir.

O cartaz apresenta símbolos de dois grupos políticos que, no poder:

A) implementaram medidas baseadas nos fundamentos do liberalismo econômico, por acreditarem que isso alavancaria o processo industrial de seus países.

B) defenderam a ideia de que o Estado deveria atuar minimamente no domínio econômico, deixando o mercado regular livremente a produção e o consumo.

C) adotaram medidas radicalmente opostas em relação à questão fundiária, pois um deles defendia interesses de proprietários enquanto o outro defendia a coletivização.

D) criaram obstáculos aos grandes fazendeiros e à burguesia nacional, uma vez que realizaram uma abertura na economia favorecendo o capital estrangeiro.

E) estavam de lados antagônicos, uma vez que um deles instaurou uma monarquia parlamentar enquanto o outro preferiu adotar o regime republicano.

 

 

02. (UFJF-MG–2006) Sobre o contexto de emergência do nazifascismo na Europa, marque a alternativa CORRETA.

A) Período marcado pela descrença na democracia, em diversas nações europeias.

B) Período de declínio do nacionalismo, principalmente nos países que foram derrotados na 1ª Grande Guerra.

C) Período de grande prosperidade das economias nacionais, especialmente nos países que compunham a aliança vitoriosa na 1ª Guerra Mundial.

D) Período marcado pelo chamado “fm das ideologias” e pela expansão do liberalismo.

E) Período de paz entre as nações e tolerância racial e étnica nos países ocidentais.

 

 

03. Nazifascismo: (FAAP-SP) Sobre os movimentos fascistas, afirma-se:

I. Os movimentos fascistas se enquadram nos totalitarismos de direita, que visam garantir a propriedade privada contra o avanço político dos comunistas.

II. Como o avanço eleitoral dos comunistas foi maior em época de crise econômica e social, o período posterior à 1ª Guerra Mundial foi propício aos extremismos políticos.

III. Na Itália, onde primeiramente se definiu o totalitarismo de direita, constituiu-se um Estado corporativista, uma ideologia militarista, expansionista e de exaltação nacional.

IV. Na Alemanha, os azares da guerra e a depressão dos anos 1930 propiciaram a tomada do poder por Hitler, que definiu um Estado totalitário, monopartidário intervencionista, militarista, nacionalista, expansionista e, acima de tudo, racista.

V. Outros países europeus experimentaram regimes de direita no mesmo período, como a Espanha e Portugal. São CORRETAS as afirmações:

A) I, III e V, apenas. D) III e IV, apenas.

B) II e IV, apenas. E) Todas são corretas.

C) I, II e III, apenas.

 

 

04. (UFES) A Guerra Civil Espanhola (1936-1939), em que perderam a vida mais de 1 milhão de pessoas, terminou com a derrota dos republicanos e com a subida ao poder de Francisco Franco, militar espanhol. O Estado espanhol, após a vitória de Franco, caracterizou-se como:

A) democrático com tendências capitalistas.

B) democrático com tendências socialistas.

C) populista de esquerda.

D) totalitário de direita.

E) totalitário de esquerda.

 

 

05. Nazifascismo: (PUC Minas–2010) Ao contrário do historiador contemporâneo ao fascismo – como Franz Neumann, Theodor Adorno ou Ângelo Tasca –, nós sabemos, através de Auschwitz, o que é o fascismo ou, ao menos, sabemos qual é a sua prática, ao contrário, ainda, dos historiadores que escreveram no imediato Pós-Guerra,  como Trevor-Hopper, G. Barraclough ou Eric Hobsbawm (até algum tempo), não podemos tratar o fascismo como um movimento morto, pertencente à história e sem qualquer papel político contemporâneo. Encontramo-nos, desta forma, numa situação insólita: sabemos qual a prática e as consequências do fascismo e sabemos, ainda, que não é um fenômeno puramente histórico, aprisionado no passado. Assim, torna-se impossível escrever sobre o fascismo histórico – o que é apenas uma distinção didática – sem ter em mente o neofascismo e suas possibilidades.

REIS FILHO, Daniel Aarão. O século XX. p. 111-112.

Assinale a opção que sintetiza CORRETAMENTE a ideia contida no trecho anterior:

A) O fascismo é um fenômeno definido conceitualmente, cuja prática é identificada pelos historiadores que coexistiram com ele historicamente.

B) O fascismo não é um fenômeno histórico ligado ao passado, ele se insere na política contemporânea atual sob outras formas de atuação.

C) O fascismo não pode ser tratado sem qualquer relação com a política contemporânea, já que hoje sabemos sua prática e suas consequências.

D) O fascismo, conforme os historiadores, é um fenômeno que não pode ser escrito, já que se circunscreve na história contemporânea como passado e presente.

 

Imperialismo Exercícios com Gabarito – 02.

 

06. Nazifascismo: (FGV-SP) Atrás do jovem, a guerra, em frente a ele a ruína social, à sua esquerda ele está sendo empurrado pelos comunistas, à direita, pelos nacionalistas, e por toda a sua volta não existe um só traço de honestidade, de racionalidade, e todos os seus bons instintos estão sendo distorcidos pelo ódio.

Apud GAY, P. A cultura de Weimar. Rio: Paz e Terra, 1978. p. 160.

A análise anterior foi feita pelo novelista alemão Jakob Wassermann e diz respeito à situação social durante a República de Weimar, quando a Alemanha:

A) presenciou a derrocada do nazismo e o estabelecimento da democracia tutelada pelas principais potências ocidentais e pela União Soviética.

B) vivenciou uma experiência democrática marcada pelos sucessivos governos de centro-esquerda, encabeçados pelo Partido Democrata Alemão.

C) passou por uma experiência democrática abalada por graves crises econômicas e pelas investidas de partidos e grupos extremistas de esquerda e de direita.

D) assistiu à consolidação no poder do grupo espartaquista liderado por Rosa de Luxemburgo, que questionava duramente as concessões ideológicas feitas pelos social-democratas.

E) enfrentou a guerra contra a Tríplice Aliança, mantendo o regime democrático a partir de uma coalizão de centro-esquerda liderada pelos social-democratas.

 

 

07. Nazifascismo: (UERJ) O que é exatamente o fascismo que o senhor fundou?

O fascismo é antes de tudo uma fé. O fascismo é uma grande mobilização de forças morais e materiais.

O que é mais importante, o arado ou a espada?

O arado abre o sulco na terra, mas é a espada que o protege.

Quando as massas pensam, elas não se opõem às políticas imperialistas?

O raciocínio jamais será o motor das multidões.

A multidão ama os homens fortes. A multidão é mulher.

O que os fascistas pensam sobre a violência?

A violência é imoral quando é fria e calculada, mas não quando é instintiva e impulsiva.

Então a violência fascista não deve ser planejada?

A violência fascista deve ser pensante, racional, cirúrgica.

Não me parece muito coerente, mas vamos adiante.

O capitalismo na Itália não precisa da democracia?

É possível que no século XIX o capitalismo tenha precisado da democracia. Hoje, pode muito bem passar sem ela.

KONDER, Leandro. Jornal do Brasil, maio 2003. (Adaptação).

 

No texto anterior, o filósofo brasileiro Leandro Konder produziu uma entrevista fictícia com Mussolini. Ele inventou as perguntas, mas as respostas foram retiradas de escritos desse líder fascista italiano. A partir do trecho da “entrevista”, pode-se caracterizar o fascismo pelo seguinte traço:

A) Apoio ao expansionismo militarista

B) Estímulo à participação política reflexiva

C) Descrença no sistema capitalista de produção

D) Valorização dos interesses das massas populares

 

 

08. Nazifascismo: (UFRRJ) Leia o texto a seguir, sobre fascismo.

O fascismo é, por isso, oposto a toda a abstração individualista baseada no materialismo do século XVIII, e é oposto às utopias e inovações do jacobinismo. […] O fascismo, de um modo geral, não acredita na possibilidade nem na utilidade de uma paz perpétua. Nestas condições, ele rejeita o pacifismo, como manto de covardia, supina renúncia, em contradição com o auto-sacrifício. Somente a guerra desenvolve todas as energias humanas para seu máximo de tensão e marca com selo de nobreza os povos que têm coragem de enfrentá-la […] Igualmente estranhos ao espírito fascista, mesmo quando aceitas por serem úteis em certas reuniões políticas, são as superestruturas internacionais ou ligas que, como prova a história, desmoronam, quando o coração das nações é profundamente comovido por considerações sentimentais, idealistas ou práticas.

MUSSOLINI, Benito. A Doutrina Fascista. In: História Documental Moderna e Contemporânea. Rio de Janeiro: Record, 1986. p. 316.

 

O texto anterior apresenta algumas características centrais do pensamento fascista, de grande importância para a Europa e o mundo, no período entre as duas guerras mundiais do século XX. Segundo Mussolini:

A) a Liga das Nações era ineficaz frente aos interesses nacionais da época, cujas contradições acabavam por gerar, quase inevitavelmente, conflitos internacionais.

B) o individualismo burguês deveria ser substituído pelo coletivismo marxista, e o pacifismo não passava de manifestação de covardia.

C) as práticas fascistas baseavam-se na organização militarizada da sociedade e na ativa solidariedade internacional.

D) as ideias fascistas representavam o rompimento com a tradição da Revolução Francesa, levando ao afastamento da Itália em relação à Organização do Tratado do Atlântico Norte.

E) o fascismo combatia a existência da Organização das Nações Unidas (ONU) e defendia as guerras como forma de afirmação de um povo.

 

 

09. Nazifascismo: (UFRN) O filósofo alemão Theodor Adorno, refletindo sobre aspectos da sociedade ocidental do século XX, chegou à conclusão de que pessoas que se enquadram cegamente em coletividades transformam-se em algo análogo à matéria bruta e omitem-se como seres auto-determinantes. Isso combina com a disposição de tratar os outros como massa amorfa. […] Aquilo que exemplificava apenas alguns monstros nazistas poderá ser observado hoje em grande número de pessoas, como delinquentes juvenis, chefes de quadrilha e similares, que povoam o noticiário dos jornais, diariamente. […] As pessoas dessa índole equiparam-se de certa forma às coisas. Depois, caso o consigam, elas igualam os outros às coisas. A expressão “acabar com eles”, tão popular no mundo dos valentões, como no dos nazistas, revela muito bem essa ideia.

COHN, Gabriel (Org.).Theodor Adorno. São Paulo: Ática, 1986. p. 40.

O acontecimento da história da Alemanha que, no século XX, serviu de base para as reflexões de Adorno no fragmento anterior foi:

A) a ascensão política dos junkers – grandes proprietários, conservadores, protestantes – que tinham se beneficiado com a alta dos preços, após a Guerra Franco-prussiana.

B) a agressiva política externa do III Reich, reivindicando territórios da Polônia, que acabaria sendo invadida por Hitler.

C) a política de manutenção da “pureza da raça” ariana, com a eliminação das raças ou dos elementos considerados inferiores, sobretudo os judeus.

D) a tomada do poder pelo Partido Comunista Alemão, que pregava a revolução socialista como alternativa para sair da crise econômica decorrente do Tratado de Versalhes.

 

 

10. Nazifascismo: (PUC-Campinas-SP) Leia o texto.

Se não fcarmos atentos para os aspectos psicológicos envolvidos, seremos tentados a superestimar o papel da propaganda como elemento catalisador de apoio, de persuasão das massas. O apoio das massas aos fascistas não pode ser explicado apenas em função da eficácia da máquina propagandística, mas pelas próprias condições mentais e econômicas dessas massas.

FARIA, Ricardo de Mouraet al.História. Belo Horizonte: Lê, 1993. p. 295.

 

Os autores do texto defendem a ideia de que:

A) a propaganda consistiu no mecanismo exclusivo de dominação das massas nos regimes fascistas.

B) a política de marketing do fascismo foi a única responsável pela manipulação das mentes das massas nos regimes fascistas.

C) as condições econômicas das massas foram responsáveis pela proliferação dos regimes fascistas.

D) o regime fascista tornou-se vitorioso em razão da mentalidade autoritária das massas populares.

E) as condições materiais e espirituais, assim como os efeitos da publicidade, explicam a ascensão dos regimes fascistas.

 

🔵 >>> Confira todas as nossas questões sobre a História Mundial.

 

Gabarito com as respostas do simulado de História sobre Nazifascismo:

01. C; 02. A; 03. E; 04. D; 05. C; 06. C; 07. A; 08. A; 09. C; 10. E