Lista de Exercícios sobre o Absolutismo e o Mercantilismo

01. Absolutismo e o Mercantilismo: (Mackenzie-SP–2007) Fundamental para a estruturação do sistema colonial português na Idade Moderna, o chamado “exclusivo colonial” visava, sobretudo, a:

A) estimular, nas colônias, uma política de industrialização que permitisse à metrópole concorrer com suas rivais industrializadas.

B) reservar a grupos ou a companhias privilegiadas – ou mesmo ao Estado – o comércio externo das colônias, tanto o de importação quanto o de exportação.

C) restringir a tarefa de doutrinação dos indígenas americanos exclusivamente aos membros da Companhia de Jesus, assegurando, dessa forma, o poder real entre os povos nativos.

D) impedir, nas colônias, o acesso de fidalgos mazombos a cargos administrativos importantes, reservados a fidalgos reinóis.

E) orientar a produção agrícola conforme as exigências da população colonial, evitando, por esse meio, crises de abastecimento de alimentos nos centros urbanos.

 

 

02. (UFPel-RS–2006) A causa principal, quase única, da alta dos preços (que ninguém até agora mencionou) é a abundância do ouro e da prata existente hoje em dia neste reino, em escala bem maior do que há quatrocentos anos. Mas, diria alguém, de onde pode ter vindo, desde então, assim tanto ouro e tanta prata? […] Os castelhanos, submetendo ao seu poder as novas terras ricas em ouro e prata, abarrotaram a Espanha. Ora, a Espanha que só vive graças à França, vendo-se inevitavelmente forçada a vir buscar aqui cereais, linhos, tecidos, papel, corantes, livros, artefatos de madeira e todos os tipos de manufaturas, vai procurar para nós, nos confins do mundo, o ouro e a prata.

BODIN, Jean. Da República.

As afirmações de Bodin apontam para:

A) uma crítica ao mercantilismo metalista (bulionismo) e seus malefícios sobre as manufaturas, assim como sobre o valor monetário, no início da Idade Moderna.

B) uma explicação da valorização monetária, com o afluxo de metais preciosos para a Europa, e da autonomia econômica ibérica, durante a Revolução Comercial.

C) a importância do ouro e da prata no crescimento das manufaturas espanholas, com consequente prejuízo para a agricultura.

D) a eficiência maior do protecionismo francês, em relação ao ibérico, devido à precedência dos gauleses no colonialismo moderno.

E) o início da Revolução Industrial de 1760, na França, provocada pela exploração e pela comercialização de metais preciosos pelos ibéricos, na América.

 

 

03. UFR-RJ

“A monarquia absolutista, com uma longa gestação no espírito da realeza, tornou-se a realidade dominante em França apenas durante o reinado de Luiz XIV (1643 – 1715). A Fronda de 1648 – 1653 representou a última vez que seções da nobreza territorial pegaram em armas contra a realeza centralizadora.”

SKOCPOL, Theda. Estados e Revoluções Sociais. Lisboa, Editorial Presença, 1985. p. 62.

O Antigo Regime estendeu-se em França até a Revolução Francesa de 1789. Um dos impedimentos à consolidação do poder monárquico era justificado pela tenaz resistência da nobreza. Uma vez dominada a nobreza, consolidava-se a monarquia absoluta.

a) Cite duas características do Absolutismo.

b) Estabeleça uma relação entre o reinado de Luiz XIV e o Absolutismo.

 

 

04. (UFMG) Todas as alternativas apresentam medidas que expressam formas através das quais o mercantilismo se exerceu, EXCETO:

A) abolição das aduanas internas.

B) balança comercial favorável.

C) incentivo ao crescimento demográfico.

D) política tarifária protecionista.

E) tributação exclusivamente colonial.

 

 

05. Absolutismo e o Mercantilismo: (Unifor-CE–2007) Considere a ilustração.

dependência externa

ALENCAR, Francisco et al. História da sociedade brasileira. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1981. p. 25.

Com base no conhecimento do processo histórico da América Portuguesa, é POSSÍVEL afirmar que a ilustração refere-se:

A) à estrutura política e social da colonização de povoamento.

B) ao sistema colonial de produção de manufatura algodoeira.

C) à estrutura administrativa autônoma da colônia portuguesa.

D) ao poder dos senhores feudais na organização das colônias.

E) ao sistema de colonização baseado no monopólio comercial.

 

Lista de Exercícios sobre o Brasil Colônia Açúcar e Pecuária.

 

06. Absolutismo e o Mercantilismo: PUC-PR – A Revolução Francesa foi um movimento que liquidou com o absolutismo real na França e refletiu-se no Ocidente. Sobre o tema, analise as afirmações.

I. Sua última fase, de menor radicalismo e grande corrupção, denominou-se Convenção.

II. O Diretório foi substituído pelo Consulado, no qual se destacou Napoleão Bonaparte.

III. A Revolução teve por causa intelectual influência da filosofia iluminista.

IV. O Terceiro Estado declarou-se transformado em Assembléia Nacional Constituinte e que não reconhecia o poder do Clero ou da Nobreza.

São afirmações corretas:

a) I, II e III.

b) II, III e IV.

c) I e IV.

d) apenas III.

e) apenas I.

 

 

07. (UFU-MG–2006) Com o objetivo de aumentar o poder do Estado diante dos outros Estados, [o mercantilismo] encorajava a exportação de mercadorias, ao mesmo tempo em que proibia exportações de ouro e de prata e de moeda, na crença de que existia uma quantidade fixa de comércio e riqueza no mundo.

ANDERSON, Perry. Linhagens do Estado absolutista. São Paulo: Brasiliense, 1998. p. 35.

O trecho anterior refere-se aos princípios básicos da doutrina mercantilista, que caracteriza a política econômica dos Estados Modernos dos séculos XVI, XVII e XVIII.

Com base nessa doutrina, marque a alternativa CORRETA:

A) A doutrina mercantilista pregava que o Estado deveria se concentrar no fortalecimento das atividades produtivas manufatureiras, não se envolvendo em guerras e em disputas territoriais contra outros Estados.

B) Uma das características do mercantilismo é a competição entre os Estados por mercados consumidores, cada qual visando fortalecer as atividades de seus comerciantes, aumentando, consequentemente, a arrecadação de impostos.

C) Os teóricos do mercantilismo acreditavam na possibilidade de conquistar mercados por meio da livre-concorrência, de modo que era essencial desenvolver produtos competitivos, tanto no que diz respeito ao preço como em relação à qualidade.

D) A conquista de áreas coloniais na América é a base de qualquer política mercantilista. Tanto que o ouro e a prata, de lá provenientes, possibilitaram ao Estado espanhol figurar como o mais poderoso da Europa após a Guerra dos Trinta Anos.

 

 

08. Absolutismo e o Mercantilismo: (UFTM-MG) Durante a Idade Moderna, na Europa, a vida econômica, social e política foi marcada:

A) pelo liberalismo econômico, pela sociedade estamental de privilégios e pela formação das monarquias nacionais.

B) pelo intervencionismo do Estado na economia, pelos privilégios do clero e da nobreza e pelos Estados absolutistas.

C) pela acumulação de metais para indicar a riqueza do país, pela divisão em classes sociais e pela repartição do poder em três.

D) pela liberdade de produção e de comércio, pela ampla mobilidade entre as classes sociais e pelos Estados liberais burgueses.

E) pelo controle estatal da economia, pela liberdade de expressão e pelas monarquias absolutistas de direito divino.

 

 

09. Unifor-CE Bossuet destacou-se como um dos principais teóricos do absolutismo. Em seu livro procurou:

a) fundamentar suas explicações sobre o absolutismo em princípios racionais, sem interferência religiosa.

b) defender a idéia de que somente a autoridade do monarca, limitada pelo legislativo, poderia manter a ordem interna de uma nação.

c) demonstrar que o alcance da plenitude política e do poder absoluto dependia da virtude e da fortuna dos reis.

d) justificar o absolutismo monárquico sob o ponto de vista religioso, elaborando a teoria do direito divino dos reis.

e) definir o absolutismo como um poder centralizado na pessoa do rei com auxílio de ministros, escolhidos pelo parlamento.

 

 

10. Absolutismo e o Mercantilismo: (UFMG–2007) O objetivo das colônias é o de fazer o comércio em melhores condições [para as metrópoles] do que quando é praticado com os povos vizinhos, com os quais todas as vantagens são recíprocas. Estabeleceu-se que apenas a metrópole poderia negociar na colônia; e isso com grande razão, porque a finalidade do estabelecimento foi a constituição do comércio, e não a fundação de uma cidade ou de um novo império […]

MONTESQUIEU. Do espírito das leis (1748). São Paulo: Martin Claret, 2004. p. 387.

Considerando-se as informações desse trecho, é INCORRETO afirmar que as colônias europeias, na Época Moderna:

A) deveriam levar ao estabelecimento e ao incremento do comércio, regulando-se em função dos interesses recíprocos entre as colônias.

B) deveriam oferecer às metrópoles melhores condições de comércio que as verificadas entre os países europeus e seus vizinhos.

C) estariam sujeitas ao exclusivo comércio das metrópoles, cujos negócios essas colônias deveriam incrementar.

D) foram estabelecidas com finalidades comerciais, pois, inicialmente, não era objetivo das metrópoles fundar um novo império.

 

🔵 >>> Confira todas as nossas questões sobre a História Mundial.

 

Gabarito com as respostas das atividades de História sobre o Absolutismo e o Mercantilismo:

01. B;

02. A;

03. a) Centralização política Perda do poder político da nobreza.

b) Luís XIV reforçou a autoridade real e promoveu a unidade religiosa

04. E;

05. E;

06. B;

07. B;

08. B;

09. D;

10. A;

Deixe um comentário