Exercícios sobre Realismo e Naturalismo

01. Realismo e Naturalismo: UnB-DF

“O Dr. Matos era um velho advogado que, em compensação da ciência do direito, que não sabia, possuía noções muito aproveitáveis de meteorologia e botânica, da arte de comer, do voltarete, do gamão e da política. Era impossível a ninguém queixar-se do calor e do frio, sem ouvir dele a causa e a natureza de um e outro, e logo a divisão das estações, a diferença dos climas, influência destes, as chuvas, os ventos, a neve, as vazantes dos rios e suas enchentes, as marés e a pororoca. (…) Alheio às paixões da política, se abria a boca em tal assunto era para criticar igualmente de liberais e conservadores, os quais todos lhe pareciam abaixo do país.”

ASSIS, Machado de. “Helena”. In: Obras completas de Machado de Assis. São Paulo: Egéria, 1980, p. 33.

Considerando o texto acima, julgue os itens a seguir, a respeito da articulação entre a narrativa literária de Machado de Assis e o contexto em que viviam as classes abastadas do Brasil de sua época.

( ) Mesmo vivendo sob o signo da escravidão, os temas dos textos políticos disponíveis para a classe dominante do Brasil Império versavam acerca de um mundo importado, liberal na sua essência, e cheio de boas maneiras.

( ) O bom comportamento do “velho advogado”, sua cultura cosmopolita e sua vocação ensaísta compunham um mosaico de formas culturais europeizadas, sem adaptação aos trópicos brasileiros.

( ) No seu tempo, Machado de Assis, um crítico sutil e mordaz, não foi acompanhado por ensaístas, poetas e artistas em sua maneira de observar os costumes fúteis de uma elite encantada com a Europa.

( ) O texto escorreito e o estilo inconfundível da escritura de Machado, como no caso da descrição de gostos e habilidades do Dr. Matos, apresentada no texto, levou-o à condição de um inovador na técnica de construção do romance, em comparação com outros romancistas do seu tempo, mantendo-o, ainda hoje, como referência no sentido da afirmação internacional da língua portuguesa.

INSTRUÇÃO: As questões de números 4 e 5 referem-se ao romance O cortiço, de Aluísio Azevedo.

 

 

02. U. Caxias do Sul-RS – A obra apresenta muitos conflitos. O assassinato de Firmo, por exemplo, expressa:

a) a degradação social experimentada por Jerônimo.

b) o ciúme provocado por Zulmira em Bertoleza.

c) a impiedade de João Romão.

d) a prepotência do dono do cortiço.

e) o desespero vivido por Piedade.

 

 

03. Realismo e Naturalismo: UFMS – Assinale a(s) proposição(ões) correta(s).

(01) Aristarco, personagem de O Ateneu, é caracterizado pelo narrador como “duas almas num só corpo”, oscilando entre características positivas e negativas; porém, ainda prevalecem os traços negativos, uma vez que os positivos são apenas uma máscara.

(02) A ambigüidade de Capitu perdura durante toda a história contada por Bentinho. Ao final da leitura de Dom Casmurro, nem o leitor, nem o narrador-personagem estão convencidos da infidelidade de Capitu.

(04) As personagens Capitu e Aristarco, de Dom Casmurro e O Ateneu, respectivamente, apresentam-se ao leitor assemelhadas por um traço: a ambigüidade.

(08) Ao contrário de Aristarco, Capitu, a esposa infiel de Bentinho, passará por um processo de transformação que culminará na vitória dos traços positivos de seu caráter.

Dê, como resposta, a soma das alternativas corretas.

INSTRUÇÃO: Para responder à questão 13, analisar as afirmativas que seguem, sobre os personagens dos romances naturalistas.

I. Tipificam o ambiente social de forma idealizada.

II. Caracterizam-se, geralmente, por um profundo pessimismo.

III. Costumam apresentar traços justificados pela ação do meio.

 

 

04. PUC-RS – Pela análise das afirmativas, conclui-se que está correta a alternativa:

a) somente I. b) somente II. c) I e II. d) II e III. e) I, II e III.

 

 

05. Realismo e Naturalismo: UFSE – Considere os seguintes fragmentos:

I. A mocinha elevou o olhar ao céu, não para contemplar as estrelas, mas para sondar os próprios sentimentos, desgarrados e viajantes. Não logrando reconhecê-los na vastidão infinita, fechou os olhos e cuidou que ia desfalecer à vibração daquele amor.

II. Num repelão, afastou de si a rapariga, para que a força lúbrica não viesse a matar o amorpróprio que lhe restara. Mas foi em vão: no minuto seguinte, o ímpeto do macho o assaltou e o empurrou contra a mulher, em cujos olhos estampava a combustão faminta do desejo.

III. Na fronte calma e lisa como mármore polido, a luz do ocaso esbatia um róseo e suave reflexo, di-la-íeis misteriosa lâmpada de alabastro guardando no seio diáfano o fogo celeste da inspiração.

Em relação a esses fragmentos, é correto afirmar:

a) somente II ilustra o estilo da prosa naturalista.

b) somente I e II ilustram a idealização dos românticos.

c) I e III lembram Machado de Assis; II exemplifica a linguagem de Bernardo Guimarães.

d) I e III lembram Aluísio Azevedo; II exemplifica a linguagem de Machado de Assis.

e) I, II e III ilustram o mesmo estilo de prosa ficcional.

 

Exercícios sobre Parnasianismos e Simbolismo.

 

06. Realismo e Naturalismo: PUC-PR – Identifique as temáticas abordadas em obras representativas do Realismo brasileiro:

I. O cortiço, de Aluísio de Azevedo.

II. Quincas Borba, de Machado de Assis.

III. Bom-Crioulo, de Adolfo Caminha.

IV. O Ateneu, de Raul Pompéia.

( ) Romance de formação, narra as dificuldades do garoto Sérgio no internato.

( ) Narrativa em que o capitalista Rubião dilapida seu patrimônio e enlouquece depois de se ver envolvido com o casal Sofia-Palha.

( ) Narra as dificuldades de um marinheiro forte, levado pela circunstância de seu tempo e de seu meio a praticar um crime de morte.

( ) Em um dos núcleos de ação do romance, o português Jerônimo apaixona-se pela brasileira Rita Baiana.

A sequência correta é:

a) IV, II, III, I.

b) III, II, IV, I.

c) IV, III, I, II.

d) II, IV, III, I.

e) III, IV, I, II.

 

 

07. UFPB

No romance Dom Casmurro, ao lembrar o dia da revelação do amor de Capitu, o narrador escreve:

“Confissão de crianças, tu valias bem duas ou três páginas, mas quero ser poupado. Em verdade, não falamos nada; o muro falou por nós. Não nos movemos, as mãos é que se estenderam pouco a pouco, todas quatro, pegando-se, apertando-se, fundindo-se. Não marquei a hora exata daquele gesto. Devia tê-la marcado; sinto a falta de uma nota escrita naquela mesma noite, e que eu poria aqui com os erros de ortografia que trouxesse, mas não traria nenhum, tal era a diferença entre o estudante e o adolescente. Conhecia as regras do escrever, sem suspeitar as do amar; tinha ‘orgias de latim’ e era virgem de mulheres.”

Nesse trecho do romance verifica-se que:

a) a narrativa é construída a partir dos registros escritos do narrador.

b) a passagem nega o comportamento ingênuo de Bentinho.

c) a frase “sinto a falta de uma nota escrita naquela mesma noite” supõe que o narrador, agora velho, não confia inteiramente naquilo que narra.

d) o registro de detalhes é sinal inequívoco do desprezo do narrador pela personagem Capitu.

e) a passagem aponta para o desnível intelectual existente entre Bentinho e Capitu.

 

 

08. Realismo e Naturalismo: Uneb-BA

“Rita, essa noite, recolhera-se aflita e assustada. Deixara de ir ter com o amante e mais tarde admirava-se como fizera semelhante imprudência; como tivera coragem de pôr em prática justamente no momento mais perigoso, uma coisa que ela, até aí, não se sentira com ânimo de praticar. No íntimo respeitava o capoeira; tinha-lhe medo. Amara-o a princípio por afinidade de temperamento, pela irresistível conexão do instinto luxurioso e canalha que predominava em ambos, depois continuou a estar com ele por hábito, por uma espécie de vício que amaldiçoamos sem poder largá-lo; mas desde que Jerônimo propendeu para ela, fascinando-a com a sua tranqüila seriedade de animal bom e forte, o sangue da mestiça reclamou os seus direitos de apuração, e Rita preferiu no europeu o macho da raça superior. O cavouqueiro, pelo seu lado, cedendo às imposições mesológicas, enfarava a esposa, sua congênere, e queria a mulata, porque a mulata era o prazer, era a volúpia, era o fruto dourado e acre destes sertões americanos, onde a alma de Jerônimo aprendeu lascívias de macaco e onde seu corpo porejou o cheiro sensual dos bodes.”

AZEVEDO, Aluísio. O Cortiço. São Paulo: FTD, 1993. p. 169. (Coleção Grandes Leituras).

Considerando-se o fragmento transcrito no contexto de O Cortiço, de Aluísio de Azevedo, pode-se afirmar:

a) Jerônimo representa, para Rita, a possibilidade de ascensão social.

b) Os personagens do texto são enfatizados em seus traços psicológicos.

c) O relacionamento de Rita Baiana com Firmo fundamenta-se no respeito mútuo.

d) Rita e Jerônimo são personagens que sofrem os efeitos do determinismo socioeconômico.

e) O narrador, ao justificar a atração de Rita por Jerônimo, evidencia uma visão preconceituosa.

 

 

09. PUC-RS No texto:

a) o individual prevalece sobre o coletivo.

b) o tempo não se apresenta em uma seqüência linear.

c) a visão do mundo aparece influenciada pelo determinismo biológico.

d) a análise do comportamento humano marca a condução da narrativa.

e) a descrição do mundo objetivo predomina sobre os elementos narrativos.

 

 

10. Realismo e Naturalismo: Emescam-ES – O Realismo e o Naturalismo, estilos de época contemporâneos na literatura brasileira, têm características que os aproximam e características que os distinguem. Das opções abaixo, há uma que não é verdadeira. Isso ocorre em:

a) Enquanto o Realismo tende para uma visão biológica do homem, o Naturalismo tem uma acentuada tendência e preferência por temas da patologia social.

b) O Naturalismo considera o homem uma máquina guiada pela ação das leis químicas e físicas e pela hereditariedade.

c) Os personagens, tanto das obras realistas, quanto das obras naturalistas, são tipos concretos, vivos, frutos da observação.

d) Os autores realistas e naturalistas privilegiam em suas obras a descrição, em vez da narração.

e) Os autores realistas e naturalistas preferem retratar, em suas obras, a vida contemporânea, a sua época, a retratar o passado.

 

🔵 >>> Acesse todos as nossas atividades sobre Literatura através deste link.

 

Gabarito com as respostas das atividades de Literatura sobre Realismo e Naturalismo:

01. V-F-F-V;

02. A; 03. 07; 04. D; 05. A; 06. A; 07. C; 08. E; 09. E; 10. B