Exercícios sobre o Pré-Modernismo e Modernismo

01. Pré-Modernismo e Modernismo: UFMS – Considerando as proposições abaixo, assinale a(s) correta(s).

(01) Em Fogo Morto, vários temas são abordados, dentre os quais: a falência da sociedade patriarcal nordestina, o surgimento do cangaço e a denúncia da miséria e da exploração de grande parcela da população do Nordeste.

(02) Em Fogo Morto, configuram-se aspectos da realidade social nordestina de uma época: a fragilidade de um seleiro, vítima do autoritarismo do dono das terras onde vive; o desprestígio de um senhor de engenho arruinado pelo surgimento de novas relações de trabalho e produção; a aspiração por justiça numa sociedade oprimida pelas arbitrariedades do cangaço, da polícia e da “politicagem” das elites.

(04) Em algumas passagens do romance Capitães da Areia, percebe-se a intenção de garantir a semelhança com a vida real. Exemplo claro desse tipo de procedimento encontra-se no comportamento da personagem Sem-Pernas. Explorando o próprio defeito físico, o garoto aproxima-se das pessoas para, depois, trair-lhes a confiança.

(08) O desfecho de Capitães da Areia é trágico: além da morte de Dora, a única mulher aceita pelo bando de Pedro Bala, ocorre o assassinato do próprio Pedro Bala, pondo fim aos sonhos dos garotos abandonados.

Dê, como resposta, a soma das alternativas corretas.

 

 

02. UEGO – A respeito de Clarice Lispector, autora de Laços de Família, entre outras obras é correto afirmar que:

( ) Em Laços de Família, com exceção apenas de “O jantar”, todos os doze contos são narrados em 1ª pessoa do singular.

( ) Suas narrativas são centradas em momentos de vivência interior das personagens — fluxo de consciência — que geralmente não seguem ordem cronológica.

( ) Laços de Família está impregnado de intenção crítica, perceptível à medida que a contista arma seu jogo narrativo no interior do seio familiar burguês, cuja insatisfatória rede de relações subjuga o ser humano, condiciona-o e limita sua liberdade, em troca de valores ilusórios.

( ) Laços de Família é um romance composto de treze capítulos independentes que tematizam os dramas cotidianos vividos pela família.

( ) A tônica existencialista alimenta a progressão das personagens em seu drama particular, explorando a fragilidade do ser ante o compromisso inevitável da vida.

 

 

03. Pré-Modernismo e Modernismo: U.Católica-GO

( ) Sobre o Modernismo que produziu Macunaíma, podemos dizer que apresentava nacionalismo exacerbado, constante busca por uma linguagem nacional, parodização de textos do passado, liberdade formal de modo a integrar forma e conteúdo, bem como irreverência irônica e sarcástica.

( ) Em Macunaíma, Mário de Andrade, fiel ao preceito modernista de criar uma língua nacional, evita o uso de arcaísmos e gírias bem como as palavras de origem africana.

( ) Macunaíma é divindade dos indígenas macuxis, acavaés, arecunas, taulipanques e caraíbas que habitam o oeste do planalto de Roraima e o Alto Rio Branco. É o ser que trabalha à noite, espírito grande e bom que criou a terra e as plantas. Mário de Andrade, fiel aos princípios modernistas de ironia, deu esse nome ao seu anti-herói por espírito de contradição e sarcasmo.

“Quando o herói saiu do banho estava branco louro e de olhos azuizinhos, água lavara o pretume dele. E ninguém não seria capaz mais de indicar nele um filho da tribo retinta dos Tapanhumas”.

( ) No passo anterior, o autor descreve o banho tomado por Jiguê, irmão de Macunaíma, na lapa de águas mágicas que o transformaram em branco. Macunaíma e Maanape também foram banhar-se nas águas encantadas, para se tornarem brancos. No trecho em questão, sob o manto da fantasia, o autor faz referência às três raças que constituem a etnia do povo brasileiro: o branco, o índio e o negro.

( ) Macunaíma deve ser considerado o protótipo do anti-herói: feio, maldoso, ardiloso, é capaz de trair o próprio irmão, possuindo-lhe a mulher.

( ) O herói criado por Mário de Andrade devia contrapor-se, como o fez, ao modelo europeu de indivíduo, sem máculas, sem vícios, sem defeitos de caráter. Devia, igualmente, humanizar o homem brasileiro tornando-o real, com todos os seus defeitos e todas as suas virtudes, características de todo o ser humano.

 

 

04. Unifor-CE – Caso se queira encontrar dentro da literatura informações sobre a vida nos engenhos de cana-de-açúcar nordestinos, ou sobre a influência da economia cacaueira na vida das pessoas, ou sobre a atuação política dos velhos coronéis e dos cangaceiros, tais informações podem ser colhidas na fase de nossa literatura reconhecida como a:

a) da geração de 45.

b) do romance de 30.

c) do regionalismo naturalista.

d) do regionalismo romântico.

e) da literatura dos viajantes.

 

 

05. Pré-Modernismo e Modernismo: UFSE – Referindo-se à “geração de 30”; um crítico considera: “A prosa de ficção encaminhada para o ‘realismo bruto’ de Jorge Amado, de José Lins do Rego, de Érico Veríssimo e, em parte, de Graciliano Ramos, beneficiou-se amplamente da ‘descida’ à linguagem oral, aos brasileirismos léxicos, e sintáticos, que a prosa modernista tinha preparado.”

De acordo com essa consideração, é correto afirmar que:

a) Rubem Fonseca e Clarice Lispector são autores diretamente influenciados por Macunaíma e Memórias Sentimentais de João Miramar.

b) os romances do “ciclo da cana-de-açúcar” e do “ciclo do cacau” devem algo de sua linguagem a conquistas do Modernismo.

c) as realidades regionais do país tornaram-se temas literários somente a partir de Menino de Engenho e Gabriela, Cravo e Canela.

d) as obras de Monteiro Lobato e de Lima Barreto refletem as opções estéticas trabalhadas por Mário de Andrade e Oswald de Andrade.

e) os romances que tratam da vida violenta dos marginalizados nas grandes cidades constituíram a principal linha de trabalho dos prosadores modernistas de 22.

 

Exercícios sobre Realismo e Naturalismo.

 

06. Pré-Modernismo e Modernismo: Unifor-CE – Considere as seguintes preocupações de um romancista:

I. Narrar uma história de modo a entrelaçar o destino das personagens com as específicas condições culturais, sociais e econômicas da região em que vivem.

II. Nos diálogos, buscar ser fiel à linguagem oral das personagens, por mais rudes que sejam.

III. Nas descrições, acentuar a importância que têm os elementos da natureza para o modo de vida das personagens.

Nos casos de Fogo Morto e Menino de Engenho, constituíram preocupações de seu autor:

a) II, somente.

b) I e II, somente.

c) I e III, somente.

d) II e III somente.

e) I, II e III.

 

 

07. Unifor-CE

“Em sua obra, um tema praticamente permanente é a crise da subjetividade. Esta crise se manifesta com tamanha gravidade que o próprio ato de narrar ameaça ser impossível. Não admira, pois, que em alguns de seus romances a velha noção de enredo já não é absoluta: às vezes importa mais a metáfora estranha, a entrega aos livres pensamentos, a crise existencial que não está apenas nas personagens, mas no próprio narrador.”

O trecho acima está levantando algumas características que se encontram presentes em:

a) Grande Sertão: Veredas.

b) A Hora da Estrela.

c) Fogo Morto.

d) A Estrela Sobe.

e) O Tempo e o Vento.

 

 

08. Pré-Modernismo e Modernismo: U. Uberaba-MG – Considere as seguintes afirmações sobre a literatura brasileira no século XX:

I. O interesse pela paisagem nacional e pelos temas ligados ao cotidiano, o verso livre e a linguagem coloquial são procedimentos comuns à poesia dos modernistas.

II. A Semana de Arte Moderna foi uma reação aos ataques de poetas parnasianos que consideravam a obra dos primeiros poetas modernistas um tanto incipiente.

III. Definem a poética de João Cabral de Melo Neto: a elaboração de uma linguagem concisa, elíptica, de acentuada economia de meios e a preocupação de fazer da imagem o núcleo do poema.

Está correto o que se afirma:

a) apenas em I.

b) apenas em I e III.

c) apenas em I e II.

d) Em I, II e III.

 

 

09. U. Uberaba-MG – Leia as assertivas que se seguem e faça o que se pede.

I. Lucíola, de José de Alencar, é uma narrativa em que predomina o enredo do amor, apesar de existirem preocupações de ordem social.

II. Dom Casmurro, de Machado de Assis, é uma narrativa voltada para os acontecimentos exteriores, privilegiando, assim, o tempo cronológico.

III. O narrador, em Vidas secas, de Graciliano Ramos, está na terceira pessoa, distante dos fatos narrados por ser aquele que somente organiza a história, apresentando-a ao leitor.

IV. Na obra Libertinagem, Manuel Bandeira alcança, com desenvoltura, o ideal poético preconizado pela poesia moderna: lirismo esfusiante e libertação do verso clássico.

V. Na poesia de Carlos Drummond de Andrade a preocupação social abrange o regional, o nacional e o universal.

Assinale a alternativa que contém as alternativas corretas.

a) I, II, III e V.

b) I, III, IV e V.

c) II, III, IV e V.

d) I, II, III e IV.

 

 

10. Pré-Modernismo e Modernismo: U. Caxias do Sul-RS – Lima Barreto, …………. e ………. apontam para uma renovação da Literatura Brasileira, que se convencionou chamar de ………… , numa época em que os estilos passadistas ainda tentavam se impor.

a) Graça Aranha / Graciliano Ramos / Pré-Modernismo

b) Euclides da Cunha / Monteiro Lobato / Pré-Modernismo

c) Monteiro Lobato / Simões Lopes Neto / Naturalismo

d) Graciliano Ramos / Euclides da Cunha / Naturalismo

e) Simões Lopes Neto / Graça Aranha / Regionalismo

 

🔵 >>> Acesse todos as nossas atividades sobre Literatura através deste link.

 

Gabarito com as respostas das atividades de Literatura sobre Pré-Modernismo e Modernismo:

01. 07;

02. F-V-V-F-V;

03. V-V-F-F-V-F;

04. B; 05. B; 06. E; 07. B; 08. B; 09. B; 10. B;