Focos de Tensão na América Latina Exercícios

01. Focos de Tensão na América Latina: (FUVEST-SP–2006) Na América Latina, no século XX, aconteceram duas grandes revoluções: a Mexicana, de 1910, e a Cubana, de 1959. Em ambas, os:

A) camponeses sem terra lideraram sozinhos os movimentos.

B) EUA enviaram tropas que lutaram e quase derrotaram os rebeldes.

C) grupos socialistas iniciaram a luta armada, tornando hegemônicas suas ideias.

D) revolucionários derrubaram governos autoritários e alcançaram a vitória.

E) programas revolucionários foram cópias de movimentos europeus.

 

 

02. (PUC Minas) Na América Latina, ainda persistem alguns conflitos nacionais, que caracterizam uma relativa instabilidade política em algumas partes do continente.

Alguns desses conflitos são muito conhecidos e divulgados pela mídia, como o do “Sendero Luminoso” e o dos “Chiapas”. Esses dois conflitos internos se relacionam com os seguintes países:

A) Uruguai e Nicarágua. D) Bolívia e Peru.

B) Colômbia e El Salvador. E) Peru e México.

C) Colômbia e Bolívia.

 

 

03. Focos de Tensão na América Latina: (UNESP) Observe o gráfico sobre a participação do açúcar e do turismo na economia cubana e assinale a alternativa que justifca as causas da evolução dos dois produtos representados. Participação do açúcar e do turismo na economia de Cuba (em US$ milhões)

A) Grave crise econômica após a extinção da URSS; parceria com grandes redes hoteleiras europeias; riqueza em recursos paisagísticos.

B) Substituição da cana-de-açúcar por outros produtos agrícolas; parceria com redes hoteleiras asiáticas; riqueza em recursos minerais.

C) Desenvolvimento da pecuária de corte; parceria com redes hoteleiras japonesas; riqueza em recursos marinhos.

D) Grave crise econômica após a extinção da CEI; parceria com redes hoteleiras tailandesas; riqueza em recursos pedológicos.

E) Grave crise econômica após a extinção da Rússia; parceria com redes hoteleiras mexicanas; riqueza em recursos pesqueiros.

 

 

04. Focos de Tensão na América Latina: (PUC-SP–2008) Leia com atenção:

A União das Nações Sul-americanas (Unasul) é uma instância fundamental para efetivar os avanços já alcançados por outros organismos de integração regional, como o Mercosul [por exemplo].

Jornal da USP. Uma vitória da América do Sul, 02 a 08 jun. 2008, p. 3.

Sobre o tratado assinado pelos representantes dos 12 países da América do Sul, podemos afrmar que:

A) a Unasul não conta com a participação da Venezuela e uma das razões de sua existência é para que os outros países sul-americanos se protejam daquele país.

B) a perspectiva dessa União é apenas comercial, não visando a qualquer outro tipo de associação e cooperação, se assemelhando, portanto, à União Europeia.

C) a União contraria interesses dos membros do Mercosul, já que inclui países pobres, com os quais os países do Cone Sul não pretendem formar acordos de cooperação.

 

 

05. Focos de Tensão na América Latina: (UERJ–2009)

VEJA. 12 mar. 2008. (Adaptação).

A capa da revista ilustra mudanças políticas na tradicional relação entre os Estados latino-americanos, antes aliados na busca de maior autonomia. Uma dessas mudanças pode ser exemplificada por:

A) estatização dos recursos naturais da Bolívia.

B) implementação da política livre-cambista da Argentina.

C) ampliação do movimento de privatizações na economia da Venezuela.

D) incorporação do socialismo cubano ao projeto nacionalista da Colômbia.

 

Focos de Tensão na América do Sul Exercícios.

 

06. Focos de Tensão na América Latina: (UFGD-MS–2009) O Brasil tem uma fronteira de aproximadamente dezessete mil quilômetros, com nove países diferentes. Em 2008, vários fatos perpassaram a problemática das fronteiras brasileiras, os quais, mesmo não se constituindo como “questões diplomáticas”, apontam para a necessidade de reflexão sobre esse território (fronteiriço), que ao mesmo tempo separa e une. Sobre alguns desses fatos, assinale a alternativa CORRETA.

A) Na demarcação definitiva do território indígena Raposa Serra do Sol, em Roraima, há setores contrários que têm apontado que a demarcação coloca em cheque a soberania nacional, em função de ser área de fronteira; setores favoráveis, no entanto, entendem a demarcação como a garantidora da soberania sobre o território e citam experiências anteriores como exemplo.

B) A eleição e a posse de Fernando Lugo, atual presidente paraguaio, têm levantado a necessidade e a possibilidade de reforma agrária no Paraguai. Essa questão não envolve brasileiros, pois todos deixaram o Paraguai nos anos de 1980 e 1990, o que ficou conhecido como Movimento dos Brasiguaios.

C) As tensões envolvendo o governo de Evo Morales e a oposição na Bolívia em nada têm afetado as relações com o Brasil, pois a Bolívia, considerado o país mais pobre da América do Sul, não exporta produtos para o Brasil, apenas importa.

D) Parte da economia da fronteira do Paraguai com o Brasil, legal ou ilegalmente, se dá por meio dos “importados”, produtos, sobretudo, de procedência asiática vendidos em cidades paraguaias como Ciudad del Este (próxima a Foz do Iguaçu), Salto del Guairá (próxima a Guaíra) e Pedro Juan Caballero (próxima a Ponta Porã); não há, inversamente, venda de produtos, de nenhuma natureza, do Brasil para o Paraguai.

 

 

07. (UFG–2008) Nos anos de 1990, na América Latina, abandona-se a ideia clássica de revolução, sem que isso signifique o desaparecimento da luta armada, como é o caso do Exército Zapatista de Libertação Nacional (EZLN). Nesse contexto, as novas ações dos movimentos sociais relacionam-se à:

A) deflagração de golpes militares, considerando a necessidade de conciliação nacional.

B) implementação de reformas políticas, visando à modernização do Estado.

C) demanda por um governo central forte, legitiman do as políticas assistencialistas.

D) implantação de um modelo socialista, objetivando a integração continental.

E) utilização de estratégias de desgaste político, dispensando a tomada do poder do Estado.

 

 

08. Focos de Tensão na América Latina: (UFSM-RS–2011) Leia o texto a seguir:

“A elite militar, industrial, do Congresso e do governo lucra com os gastos com a defesa, tanto no plano fnanceiro como no ideológico. O enriquecimento a partir de informações privilegiadas do Pentágono é coisa corrente em Washington. Mas talvez mais importante do que isso é a crença de que essa máquina de guerra global é vista como necessária para a proteção dos interesses corporativos estadunidenses e das classes mais ricas dos EUA num mundo em crescente desestabilização. Existindo essa crença, é pouco provável que Obama venha a alterar as políticas de gastos com a defesa herdada dos governos anteriores, a não ser que haja uma signifcativa pressão em contrário por parte dos ativistas antiguerra e das resistências globais ao império.”

PHILLIPS, Peter. EUA: Governo de Obama prossegue política de hegemonia militar mundial. Disponível em: <http://www.passapalavra.info>.

O anúncio da concessão do Prêmio Nobel da Paz ao presidente dos EUA, Barack Obama, feito em 09/10/2009 pelo Comitê Nobel Norueguês, despertou aplausos e críticas em todo o mundo. Para muitos críticos, o Nobel dado a Obama é uma farsa para seguir impulsionando o desenvolvimento da tecnologia da destruição e a guerra imperialista, a fm de “assegurar a paz em todo o planeta”. E a América é um exemplo disso. A atual política dos EUA, “império das mil bases” e um dos maiores exportadores de armas do mundo, busca aumentar a presença desse país na região e ter sob vigilância e relativo controle o “pulmão da América do Sul”, utilizando para isso o seu grande poderio científico, tecnológico, militar e de inteligência. A continuidade dessa política hegemônica e guerreira pode ser demonstrada pela instalação de novas bases militares:

A) no Equador.

B) na Colômbia.

C) em Honduras.

D) na Bolívia.

E) no Chile.

 

 

09. Focos de Tensão na América Latina: (ESPM-SP–2010) A América Latina andou conturbada em 2009. Sobre o cenário geopolítico da região, está CORRETO afirmar que:

A) a suposta instalação de bases militares norte-americanas nas imediações da Amazônia causou mal estar e fez com que o presidente equatoriano, Álvaro Uribe, realizasse um giro diplomático entre os vizinhos.

B) o golpe militar dado pelo general Manuel Zelaya, em Honduras, reacendeu a sombra dos regimes militares, após um certo período de estabilidade democrática na região.

C) o Equador recusou-se a renovar a concessão da base de Manta aos Estados Unidos.

D) o México manteve os altos índices de crescimento econômico, apesar dos problemas com o narcotráfico em sua fronteira.

 

 

10. Focos de Tensão na América Latina: (Enem) Deve-se considerar que, no processo histórico de evolução política das nações latino-americanas, quase sempre pairou uma sombra: a presença hegemônica dos Estados Unidos afetando os destinos dos países da região. Há cerca de 200 anos, os sucessivos governos norte-americanos têm considerado seus vizinhos do continente como componentes de sua área de influência geopolítica exclusiva.

A história da América Latina foi constantemente marcada por inúmeras turbulências políticas, nas quais, muitas vezes, os EUA estiveram envolvidos, de modo a assegurar sua hegemonia no continente. Sabendo das relações estabelecidas no processo histórico de evolução política das nações latino-americanas e do envolvimento dos EUA nessas relações, é possível concluir que:

A) a estratégia hegemônica dos EUA na América Latina tomou corpo a partir de 1823, com a Doutrina Monroe. Inicialmente, por meio dela, os EUA se colocavam contra qualquer novo projeto colonialista no continente e passavam a incentivar movimentos de independência.

B) a estratégia americana utilizada para evitar a expansão comunista no continente americano consistia em dificultar a instalação de ditaduras militares, pois quando os militares assumiam o poder, geralmente orientavam sua política para o socialismo.

C) durante a Guerra Fria, em 1962, Cuba foi expulsa da OEA. Com isso, a URSS aproveitou-se para enfraquecer as posições dos EUA e instalar uma base de mísseis em Cuba, o que culminou em um dos momentos de maior tensão da Guerra Fria, a crise dos mísseis.

D) em 2009 um acordo assinado pelos EUA e pelo Peru, com o objetivo de ampliar as bases norte-americanas em território peruano, de modo a combater o narcotráfico, acarretou enorme tensão entre os países sul-americanos.

E) o estado de Chiapas, o mais pobre do México, apresenta pequena concentração fundiária, já que a região foi contemplada com uma efciente reforma agrária. O desenvolvimento industrial tem sido responsável pela melhoria de vida da população e pela redução das tensões.

 

🔵 >>> Veja também a nossa lista completa de Questões sobre Geografia.

 

Gabarito com as respostas das atividades de Geografia sobre Focos de Tensão na América Latina:

01. D; 02. E; 03. A; 04. D; 05. A; 06. A; 07. E; 08. B; 09. C; 10. A

Spread the love