Lista de Exercícios sobre os Movimentos Reformistas – Reforma e Contra-reforma

01. Movimentos Reformistas: (Enem) A penetração das ideias de Lutero na Inglaterra teve importantes repercussões, que contribuíram para a criação do anglicanismo. Assim, com o apoio da nobreza e da burguesia, há muito desejosas de livrarem-se do pagamento de tributos à Igreja, o rei Henrique VIII desencadeia a Reforma Religiosa no país. O conflito entre o soberano e o papa, suscitado pela recusa deste em anular o casamento de Henrique VIII com Catarina de Aragão, acabou resultando na criação da Igreja Anglicana.

Entre as teses de Lutero apresentadas a seguir, podemos inferir que a que influiu decisivamente na Reforma Religiosa na Inglaterra foi:

A) “Decaído em razão do pecado original, o homem só poderá ser salvo pelos méritos únicos de Jesus Cristo; por isso as obras são inúteis à salvação”.

B) “Deus concede a salvação por graça àquele que acredita na promessa da graça feita por Cristo, pois a alma iluminada pela fé se torna livre em relação a tudo que não seja Deus”.

C) “O papa não pode redimir culpa alguma senão declarando e confirmando que ela foi perdoada por Deus, ou, sem dúvida, remitindo-a nos casos reservados para si”.

D) “Por antecipação, Deus destina uns à vida eterna e outros à eterna maldição, pois eleição e reprovação são atos de Deus inteiramente livres”.

E) “Os magistrados e os príncipes devem insurgir-se contra a tirania de Roma, que fez dos sacramentos o meio da graça, disso se aproveitando para dominar as almas”.

 

 

02. (Enem) Observe as ideias a seguir.

Sem dúvida você está certo em conferir ao homem algum tipo de livre-arbítrio, mas imputar-lhe um arbítrio que seja livre nas coisas de Deus é demais.

Martinho Lutero a Erasmo de Rotterdam, séc. XVI.

Por decreto de Deus, para manifestação de sua glória, alguns homens são predestinados à vida eterna e outros são predestinados à morte eterna.

João Calvino, séc. XVI.

Há uma lei imanente que dirige o mundo; na verdade, leis que se subordinam à Lei Primeira. Sair da ordem natural, o que o homem pode, devido ao seu livre-arbítrio, é ser mau, e é ele por isso responsável.

Tomás de Aquino, séc. XIII.

 

A análise dessas ideias nos permite concluir que:

A) as posturas adotadas pelos reformadores eram divergentes quanto à salvação.

B) a vontade de Deus é soberana, ainda que o homem tenha sua parcela de autonomia.

C) Tomás de Aquino confirma os propósitos luteranos, divergindo do radicalismo calvinista.

D) a postura menos intransigente de Lutero quanto à salvação lhe permitiu a condução da Reforma.

E) o livre-arbítrio é o caminho mais adequado para a salvação, segundo os pensadores.

 

 

03. Movimentos Reformistas: (UFMG) Leia o texto.

[…] é a vida profissional do homem que lhe dá certo treino moral, uma prova de seu estado de graça para a sua consciência, que se expressa no zelo e no método, fazendo com que ele consiga cumprir a sua vocação. Não é trabalho em si, mas um trabalho racional, uma vocação, que é pedida por Deus.

A concepção sobre o trabalho descrita nessa passagem é a defendida pelo:

A) anglicanismo, religião cristã originada na Inglaterra, na Reforma ocorrida no século XVI.

B) calvinismo, religião cristã originada das concepções de João Calvino, no século XVI.

C) catolicismo, religião cristã, com sede em Roma e obediente à autoridade do papa.

D) islamismo ou religião muçulmana, originada na Arábia Ocidental, no século VII.

 

 

04. (UFES)

Mostra promete entrar para a história

[…] Especializado em organizar mostras em que fique nítida a relação entre arte e história, o espanhol Carlos Martinez Shaw diz que o Brasil está recebendo obras que, além da grande qualidade estética, podem ajudar o brasileiro a entender o que acontecia no país naquele momento. “Nenhum período foi mais importante para a Espanha do que este. Nunca houve uma explosão tão grande de criatividade e de riqueza” – explica ele, dizendo que está na história a explicação para o Barroco do país ter tido predominância dos retratos e imagens religiosas. – “Além da Contrarreforma, a pintura gira em volta da nobreza”.

O GLOBO, 11 jul. 2000.

O texto se refere à exposição de pinturas “Esplendores de Espanha” no Museu Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro. O momento histórico no qual foram produzidas as obras expostas foi marcado pela fase conhecida como Contrarreforma, que visava a:

A) abolir a Inquisição e o Index para flexibilizar a conduta do clero, facilitando a dedicação à arte sacra.

B) reafirmar os princípios fundamentais da Igreja Católica para conter o avanço do protestantismo e exercer maior controle sobre a prática dos fiéis e dos clérigos católicos.

C) extinguir os dogmas e os rituais católicos para atrair fiéis e proporcionar maior liberdade aos artistas.

D) proibir os católicos de seguir as diretrizes do Concílio de Trento, convocado pelos protestantes para divulgar suas crenças e sua produção artística.

E) expulsar da Espanha os jesuítas, que causaram a cisão da Igreja em razão dos abusos que cometiam e das propostas que defendiam.

 

 

05. Movimentos Reformistas: (UFRJ) Os pintores representam às vezes o Cristo sobre um arco-íris com uma espada saindo de sua boca. Mas os pintores não deveriam representar uma vara com flores e sim um bastão. E tanto o bastão quanto a espada deveriam se dirigir para o mesmo lado, para abater os danados: ‘que se quebre o braço do ímpio, que se persiga sua iniquidade e sua maldade não deixará traços’. Essas palavras nos ensinam que é dessa maneira que a autoridade do papa, inspirada pelo anticristo, será destruída. A palavra do Cristo que é o sopro, o bastão e a espada que saem de sua boca, manifestará plenamente para o mundo a tirania e a sedução dessa Igreja.

TRECHO do opúsculo Sincera admoestação a todos os cristãos para que se guardem de toda revolta, escrito em 1522 por Martinho Lutero.

No texto, Lutero ataca duramente a Igreja Católica e o papa, comparado por ele ao anticristo.

APRESENTE duas críticas formuladas pelo luteranismo à Igreja Católica.

 

Lista de exercícios sobre as Características do Renascimento.

 

06. Movimentos Reformistas: (UFJF-MG–2006) No início do século XVI, a Igreja Católica passou por um amplo processo de reformulação doutrinal e administrativa, chamado de Reforma Católica (ou Contrarreforma). Paralelamente, as Coroas de Portugal e Espanha ajudavam no fortalecimento da Igreja Católica, mas também buscavam se transformar em instrumentos para a “salvação da humanidade”, através da conquista e da colonização de novas terras. Qual dos eventos a seguir NÃO faz parte desse contexto?

A) O Concílio de Trento, que reuniu diversos religiosos com o objetivo de posicionar-se frente às críticas protestantes e reafirmar os dogmas católicos.

B) A criação do Index Librorum Proibitorum, que se constituía numa lista de livros proibidos por atacarem os dogmas católicos ou atentarem contra eles.

C) A difusão do projeto colonizador, segundo o qual o lucro era legítimo e o trabalho era uma vocação divina e que possibilitava o acúmulo de riquezas, como sinal de predestinação.

D) O Padroado Real, através do qual os monarcas ibéricos eram autorizados a administrar os assuntos religiosos, tanto no reino como nas terras de Além-Mar.

E) A fundação da Companhia de Jesus, uma vez que os jesuítas atuavam como educadores e catequizavam os povos nativos nas colônias portuguesas e espanholas.

 

 

07. Movimentos Reformistas: (UFMG) A Reforma Religiosa do século XVI teve como desdobramento

A) a consolidação do poder dos príncipes do Império Germânico.

B) a constituição de mais de uma Igreja cristã no ocidente.

C) a divisão da Igreja em ramos: ortodoxo e romano.

D) a subordinação da Igreja Católica ao Estado.

 

 

08. Movimentos Reformistas: (PUC Minas–2006) Na Alemanha, no século XVI, o monge agostiniano Martinho Lutero levantou-se contra os abusos cometidos pelo papado de Roma, desencadeando um movimento que ficou conhecido por Reforma Protestante.

Sobre esse movimento, é INCORRETO afirmar que:

A) teve os seus objetivos defendidos, ampliando o poder da burguesia contra a ideologia senhorial.

B) as ideias veiculadas na Europa, no contexto do século XVI, significaram uma brecha importante na estrutura política feudal.

C) a disseminação dos ideais reformadores no seio da população possibilitou a vitória do nacionalismo contra o poder do papado.

D) a revolta dos camponeses contra a cobiça dos grandes senhores feudais pelos bens da Igreja contou com o apoio de Lutero.

 

 

09. UFPB – As Reformas Religiosas são parte fundamental do nascimento do Mundo Moderno, ocorrido entre os séculos XV e XVI. De fato, a religião esteve na base da organização sócio-política dos Estados absolutistas. Nesse sentido, é incorreto afirmar:

a) A Reforma Protestante iniciou-se a partir da ruptura de Martinho Lutero, monge agostiniano, com a hierarquia da Igreja Romana, apoiada por parte significativa dos príncipes alemães.

b) A Reforma Anglicana está associada à afirmação do absolutismo inglês, mantendo boa parte da liturgia original do catolicismo romano, mas atribuindo à Coroa a chefia da Igreja.

c) A Reforma Calvinista deu origem a duas importantes correntes protestantes conhecidas por puritanismo, na Inglaterra, e huguenote, na França. Ambas perseguidas pelas respectivas monarquias, por não seguirem a religião oficial de seus Estados.

d) A Contra-Reforma deu-se em resposta às mudanças ocorridas na sociedade, resultante da ruptura dos protestantes, tendo-se estruturado a partir do Concílio de Trento (1545) e se apoiado nas monarquias católicas, como a França, a Espanha e Portugal.

e) A Reforma Presbiteriana se deu nos países da Europa do Leste, apoiando-se no absolutismo Russo e influenciando o catolicismo no modelo de catequese propagado pela Companhia de Jesus.

 

 

10. Movimentos Reformistas: UFMS – Os textos a seguir referem-se à divisão entre Católicos e luteranos:

“Católicos e Luteranos se reconciliam. Ramos do cristianismo divididos há mais de quatro séculos assinam no mês que vem um documento que encerra a divergência sobre a salvação.”

Chamada do Caderno Folha do Mundo, Folha de são Paulo, 19 de setembro de 1999, p 1.17.

“O enfoque sobre a Reforma, em estudos mais recentes, procura situá-la em um quadro de referências mais amplo, preocupando-se com a decomposição dos quadros tradicionais, Estado, sociedade, Igreja, fenômeno característico da história européia em fins do século XV e XVI. A Reforma deixa de ser vista exclusivamente como um caso particular de rebeldia de um monge.”

Adaptado de LUIZETTO, Flávio, Reformas religiosas. São Paulo. Contexto, 1989, p. 13.

Considerando-se os dois textos e o processo de Reforma e Contra-Reforma (Reforma Católica), identifique a (s) afirmação (ões) correta (s).

01. A época da Reforma coincidiu com o período da formação dos Estados Nacionais e, em não poucos casos, o êxito dos dois fenômenos esteve associado.

02. Um dos pontos básicos que originou a Reforma, e que permaneceu como divergência entre católicos e protestantes, foi a questão da Salvação: enquanto a Igreja Católica considerava também a importância das obras para obtê-la (daí as indulgências), Lutero definiu a fé como o meio para a obtenção do estado de graça, criando a doutrina da justificação pela fé, fundamentado nas Cartas de São Paulo.

04. O ecumenismo, ao qual se refere o primeiro texto acima citado, é um movimento de iniciativa dos católicos que busca a unidade cristã, isto é, pretende unificar novamente todas as Igrejas Cristãs em torno e sob a autoridade do Papa.

08. As questões de ordem doutrinária tiveram poucas conseqüências na liturgia e nas práticas religiosas das Igrejas reformadas, que mantiveram os mesmos sete sacramentos da Igreja Católica, o dízimo e o culto a Maria.

16. Lutero não apoiava as revoltas camponesas de seu tempo, que lutavam para superar as condições servis, feudais. O apoio que recebeu dos Príncipes alemães não tem qualquer relação com sua atitude.

Dê, como resposta, a soma das alternativas corretas.

 

🔵 >>> Confira todas as nossas questões sobre a História Mundial.

 

Gabarito com as respostas das atividades de História sobre os Movimentos Reformistas:

01. E;

02. B;

03. B;

04. B;

05. O luteranismo criticou várias práticas da Igreja Católica e vários aspectos de sua doutrina, como: a venda de indulgências, o poder temporal da Igreja, a ostentação de luxo e riqueza, o culto aos santos e à Virgem Maria, a adoração de imagens, o dogma da virgindade e da ascenção de Maria, a ideia da infalibilidade do papa, a comunhão de todos os santos, a crença no purgatório, a oração fúnebre, o sacramento da confissão e a ideia da Igreja (e do clero) como intermediários da relação entre os fiéis e Deus; o luteranismo insistia na livre interpretação da Bíblia e na relação direta do indivíduo com Deus.

06. C;

07. B;

08. D;

09. E;

10. 03

Deixe um comentário