A Crise Capitalista e o Nazi-Fascismo Atividades

1) Crise Capitalista e o Nazi-Fascismo: (UERJ/2014) A liberdade política é esta tranquilidade de espírito que provém da opinião que cada um tem sobre a sua segurança; e para que se tenha esta liberdade é preciso que o governo seja tal que um cidadão não possa temer outro cidadão. Quando o poder legislativo está reunido ao poder executivo, não existe liberdade. Tampouco existe liberdade se o poder de julgar não for separado do poder legislativo e do executivo.

(Montesquieu. O espírito das leis, 1748)

O direito eleitoral ampliado, a dominação do parlamento, a debilidade do governo, a insignificância do presidente e a prática do referendo não respondem nem ao caráter, nem à missão que o Estado alemão deve cumprir tanto no presente como no futuro próximo.

(Jornal Kölnishe Zeitung, 04/08/1919. Adaptado de REIS FILHO, Daniel Aarão (org.). História do século XX. Volume 2. Rio de Janeiro: Record, 2002)

Os trechos apresentam aspectos do pensamento político em duas épocas distintas: o liberalismo proposto por Montesquieu no século XVIII e a crise do liberalismo na crítica de um jornal alemão na recém-estabelecida República de Weimar.

Identifique um dos princípios liberais expresso no texto de Montesquieu e a opinião no texto do jornal alemão que contradiz esse princípio. Apresente, também, um fator que explique a crise do liberalismo no período entre as duas grandes guerras.

 

 

2) Crise Capitalista e o Nazi-Fascismo: (UERJ/2014)

A fita branca, que venceu o Festival de Cinema de Cannes em 2009, conta a história de uma comunidade rural na Alemanha, entre 1913 e 1914, onde estranhos e violentos incidentes começam a ocorrer. O diretor do filme comentou: “Não caria feliz se o filme fosse visto apenas como um filme sobre um problema alemão. Ele significa mais que isso. É um filme sobre as raízes do mal. É sobre um grupo de crianças que são doutrinadas com alguns ideais e se tornam juízes dos outros – justamente daqueles que empurraram aquela ideologia goela abaixo delas.”

Maurício Stycer. Adaptado de colunistas.ig.com.br, 24/10/2009.

A Primeira Guerra Mundial (1914-1918) provocou transformações nas vidas de crianças e jovens europeus. Uma dessas transformações é apresentada no filme A fita branca e está associada ao que o diretor denominou de “raízes do mal”.

Nas décadas de 1920 e 1930, os efeitos dessas raízes do mal se manifestaram no seguinte processo histórico:

a) expansão do comunismo

b) difusão do etnocentrismo

c) ascensão do totalitarismo

d) renascimento do liberalismo

 

 

3) Crise Capitalista e o Nazi-Fascismo: (UEL/2014) Observe a figura a seguir. Mapa do Vaticano

(Disponível em:<http://codigodacultura. les.wordpress. com/2010/04/mapa-vaticano.gif>.Acesso em: 6 ago. 2013.)

A bênção Urbi et Orbi, dirigida à cidade de Roma e ao mundo, foi proferida pelo Papa Francisco logo após sua eleição, durante os ofícios da Páscoa cristã, diretamente da Basílica de São Pedro, na cidade do Vaticano. O Vaticano é uma cidade- -estado encravada na urbe romana e conquistou sua autonomia política por meio do Tratado de:

a) Methuen, assinado por Childerico, em 830.

b) Petersburgo, assinado pelo papa Inocêncio I, em 1314.

c) Santo Ildefonso, assinado pelo Duque de Ferrara, em 1754.

d) Latrão, assinado por Benito Mussolini, em 1929.

e) Roma, assinado pelo Papa João XXIII, em 1963.

 

 

4) Crise Capitalista e o Nazi-Fascismo: (UFSC/2014)

Os fascismos

É a terceira linha de força do período compreendido entre as duas guerras, com a crise da democracia clássica e a irradiação da experiência soviética.

O termo que designa essas diversas forças tem origem na experiência política italiana: tomaram o nome de fascio associações compostas essencialmente de antigos combatentes, formadas logo depois da guerra e que senhorearam o poder em 1922.

[…] A palavra fascio, portanto, tem um destino comparável ao da palavra soviete: na origem designa um agrupamento e acaba designando um regime e sua ideologia. Passa-se da estrutura à política.

O uso do termo estende-se, a seguir, a outras experiências feitas em outros países, e qualifica todos os regimes, todos os movimentos e todas as organizações que apresentam algum parentesco com o regime de Mussolini.
(RÉMOND, René. O século XX: de 1914 aos dias atuais.

São Paulo: Cultrix, 1976. p. 91)

 

Sobre os fascismos e o contexto do período entre as duas grandes guerras mundiais, é CORRETO a afirmar que:

(01) entre as características fundamentais do fascismo italiano, estava a valorização do indivíduo como instância política e a defesa de um Estado baseado no liberalismo econômico.

(02) em Portugal e na Espanha, nos governos de Antônio Salazar e de Francisco Franco, respectivamente, a expe-riência fascista possuiu aspectos peculiares ao relacionar as características nacionalistas e centralizadoras com um forte clericalismo de aversão ao liberalismo e a todas as formas de socialismo.

(04) o fascismo alemão, reconhecido como nazismo, pretendia destruir a civilização oriunda do renascimento, do iluminismo e do liberalismo do século XIX. Os nazistas eram identificados como anticomunistas e anti marxistas, militaristas e expansionistas.

(08) durante a Guerra Civil Espanhola (1936-1939), que consolidou o general Francisco Franco no poder, foram testadas novas técnicas de guerra pelas tropas estadunidenses que destruíram a cidade de Guernica, posteriormente imortalizada em obra de Pablo Picasso.

(16) na Itália, Mussolini defendia a força da nação como elemento nacionalista e patriótico para conduzir a Itália ao nível das grandes potências mundiais, com nos expansionistas.

(32) no Brasil, o fascismo ganhou força com as ideias da Aliança Nacional Libertadora (ANL), que apoiava os princípios da centralização política, do autoritarismo e do anticomunismo, nos anos 1930.

(64) o antissemitismo, perseguição aos judeus, estava entre os ideais fundamentais dos diversos regimes fascistas.

 

 

5) Crise Capitalista e o Nazi-Fascismo: (Udesc/2014) Analise as proposições que se referem ao período entre a I e a II Guerra Mundial na Europa, e marque (V) para verdadeira e (F) para falsa.

(  ) As condições do tratado de paz que encerrou a I Guerra Mundial e obrigou a Alemanha a pagar pesadas indenizações de guerra foi um dos fatores que contribuiu para a ascensão do partido de Adolf Hitler ao poder.

(  ) Com a necessidade dos homens irem para o front de guerra, as mulheres foram convocadas a trabalhar em postos de trabalhos, normalmente ocupados pelos homens, como por exemplo, nas indústrias metalúrgicas e de armamentos.

(  ) O período do entre guerras foi marcado por revoltas e greves dos trabalhadores em muitos países europeus, devido às condições de trabalho e à carestia. Em muitos países este foi um fator que levou governos autoritários e nacionalistas ao poder.

(  ) Este período foi marcado pelo surgimento da televisão, meio de comunicação que foi muito utilizado pelos governantes para fazer propaganda de suas políticas sociais durante a II Guerra Mundial.

Assinale a alternativa que contém a sequência correta, de cima para baixo.

a) F – V – V – V.
b)V–V–V–F.

c)V–V–F–V.

d)  V-V-V-V

e)V–F–V–V.

 

A Nova República Brasileira Exercícios.

 

6) Crise Capitalista e o Nazi-Fascismo: (FGV/2013) Quando se processaram as eleições de novembro de 1932, o país estava numa situação pior do que nunca. Todas as “curas” do Sr. Hoover não conseguiram dar vigor ao paciente moribundo. Os trabalhadores eram assolados pelo desemprego; os lavradores eram arrasados pela crise da agricultura; a classe média tinha perdido suas economias nas falências dos bancos e temia pela sua segurança econômica.

Em 8 de novembro de 1932 o povo americano elegeu Franklin D. Roosevelt para presidente dos Estados Unidos.

O “New Deal” do Sr. Roosevelt foi chamado de revolução. Era e não era. Era uma revolução quanto às ideias, mas não na sua parte econômica.

[Leo Huberman, História da riqueza dos EUA (Nós, o povo)] Não era uma revolução econômica, pois,

a) o volume de recursos destinados à recuperação econômica era pequeno e beneficiou apenas as regiões industrializadas.

b) não ocorreu qualquer alteração no direito à propriedade privada, assim como foi mantida a mesma estrutura de classe.

c) os operários e produtores rurais não tiveram nenhum ganho importante, uma vez que os benefícios atingiram exclusivamente as classes médias.
d) os principais causadores da crise – os grandes conglomera- dos oligopolistas – foram os que mais recursos receberam do governo americano.

e) privilegiaram-se os investimentos diretos em agentes econômicos tradicionais, como as grandes casas bancárias e as principais corporações.

 

 

7) Crise Capitalista e o Nazi-Fascismo: (UEPB/2013) Em 1933, Franklin Delano Roosevelt tomou posse para cumprir mandato como o 32° presidente dos Estados Unidos da América. Os EUA experimentavam a mais aguda de todas as suas crises, em consequência do “Crack da Bolsa de Nova York de 1929”. Para se ter ideia da extensão dos danos, um quarto da força de trabalho norte-americana estava desempregado, sem contar os trabalhadores subempregados e os que tinham desistido de procurar emprego.

Assinale a única alternativa INCORRETA.

a) Roosevelt foi eleito uma vez e reeleito mais três vezes seguidas — caso único na história americana. Mas isso só foi possível pelas circunstâncias da época. A grande depressão e a 2a Guerra Mundial criaram as condições para que ele obtivesse até mesmo um quarto mandato, encerrado precocemente devido à sua morte, em abril de 1945.

b) Roosevelt recebeu apoio total para governar. O Congresso americano e o Judiciário foram fundamentais para que o “New Deal” fosse um sucesso. A Suprema Corte dos EUA julgou o plano constitucional e deu plenos e absolutos poderes para que Roosevelt governasse, de tal forma que ele tomava decisões sem ter que consultar os outros poderes.

c) Roosevelt foi eleito presidente dos EUA não aceitando a visão de que crises são movimentos normais da economia. Ele defendia que a economia americana vivia um estado patológico incomum e que nenhuma teoria econômica po-deria justi car o sofrimento da população.

d) Roosevelt teve como marca maior de seus governos o chamado “New Deal” (novo contrato), que não defendia um conjunto de medidas pré-estabelecidas, mas que o governo deveria se comprometer a assumir a responsabilidade de agir pela prosperidade da economia e pela melhoria do bem-estar da população.

e) Roosevelt foi eleito por ter oferecido ao povo americano um projeto pelo qual o governo interviria na economia com os instrumentos necessários para que se pudesse combater a grande depressão. Em sua posse ele pronunciou a frase, que se tornaria o lema de seu governo: “ Não há o que temer, senão o próprio medo.”

 

8) Crise Capitalista e o Nazi-Fascismo: (UEL/2013) O surgimento da bioética coincidiu com o clamor generalizado levantado pelos horrores da Segunda Guerra Mundial, reação que culminou com a Declaração Universal dos Direitos Humanos. O objetivo primordial da bioética se baseia no princípio humanista de a rimar a primazia do ser humano e defender a dignidade e a liberdade inerentes ao mero fato de pertencer à espécie.

(Adaptado de: BERGEL, S. Desa os da bioética.Planeta. ano 40, 472.ed., jan. 2012, p.70.)

O período a que se refere o texto envolve também a ruptura com a democracia pela República de Weimar, a qual foi engendrada pelas conjunturas políticas da Alemanha nos anos 30 do século XX. É nesse quadro democrático que se pode compreender a ascensão do Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores Alemães e a fundação do III Reich, criando um totalitarismo com faces eugênicas.

Com base no texto e nos conhecimentos sobre o totalitarismo eugênico, assinale a alternativa que apresenta, corretamente, os eventos que comprovam essa prática.

a) A capitulação da Alemanha, a independência das nações africanas e a perseguição aos arianos.

b) A nacionalização dos portos, o m do corredor polonês e o Pacto Ribbentrop-Molotov.

c) A ocupação da Áustria, o fortalecimento dos bancos públicos e o antifascismo.

d) A tomada de Paris, a invasão da URSS e a libertação dos Sudetos.

e) As Leis de Nüremberg, a Solução Final e a criação dos campos de extermínio.

 

9) Crise Capitalista e o Nazi-Fascismo: (UNESP/2013) Leia.

A Itália deseja a paz, mas não teme a guerra.
A justiça sem a força é uma palavra sem sentido.

Nós sonhamos com a Itália romana.

Os três lemas acima foram amplamente divulgados durante o governo de Benito Mussolini (1922-1943) e revelam características centrais do fascismo italiano:

a) a perseguição aos judeus, a liberdade de expressão e a valorização do direito romano.

b) o culto ao corpo, o pacismo e a ânsia de voltar ao passado. c) o nacionalismo, a valorização do espírito clássico e o materialismo.
d) a beligerância, o culto à ação e o esforço expansionista.
e) o revanchismo, a socialização da economia industrial e a perseguição aos estrangeiros.

 

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:

Leia o texto a seguir.

A história dos vinte anos após 1973 é a de um mundo que perdeu suas referências e resvalou para a instabilidadee a crise. Só no início da década de 1990 encontramos or econhecimento de que os problemas econômicos eram defato piores que os da década de 1930. Em muitos aspectos, isso era intrigante. Por que deveria a economia mundial ter-se tornado menos estável?

(Eric Hobsbawm. Era dos extremos, 1995. Adaptado.)

 

10) Crise Capitalista e o Nazi-Fascismo: (UNESP/2012) Os problemas econômicos da década de 1930, citados no texto, derivaram, entre outros fatores:

a) dos fortes movimentos sociais e mobilizações revolucionárias na América Latina, em especial no México, que impediram a exportação de produtos industrializados norte-americanos para a região.

b) do conjunto de reformas financeiras e sociais realizadas na União Soviética após a Revolução de 1917, que fechou os mercados do bloco socialista aos países capitalistas do Ocidente.

c) da ascensão do nazismo alemão e dos regimes fascistas na Itália, Espanha e Portugal, que provocaram a Segunda Guerra Mundial e paralisaram a produção industrial europeia.

d) de uma ampla crise do liberalismo, que ganhou contornos mais nítidos após a Primeira Guerra Mundial e desembocou na quebra da Bolsa de Valores de Nova York, em 1929.

e) do forte crescimento econômico da Alemanha na passagem do século XIX para o XX e da acirrada competição comercial e naval deste país com a Grã-Bretanha e a França.

🔵 >>> Confira todas as nossas questões sobre a História Mundial.

Gabarito com as respostas das atividades de História sobre a Crise Capitalista e o Nazi-Fascismo:

1) Um dos princípios liberais: a divisão dos poderes em três, como forma de não concentrar o poder nas mãos de apenas uma pessoa; Opinião do jornal que contradiz o princípio: “a dominação do parlamento, a debilidade do governo, a insignificância do presidente”;

Com a crise econômica que abateu o mundo no período entreguerras, o sistema liberal entrou em colapso, com especial destaque para a Crise de 1929, nos EUA. Em países europeus já debilitados pela Primeira Guerra, como a Alemanha, a crise econômica fortaleceu a formação de regimes de extrema direita, como o Fascismo.

2) c; 3) d ;4) (02 + 04 + 16 = 22)
5) b; 6) b; 7) b; 8) e; 9) d ;10) d

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.