A Crise e o Declínio do Feudalismo Exercícios Respondidos

01. A Crise e o Declínio do Feudalismo: (Mackenzie 2012) A História nos mostra que as concepções acerca do trabalho, suas funções e significações se transformaram ao longo do tempo. A esse respeito, leia o texto que se segue:

“(…) conforme o esquema trifuncional indo-europeu estruturado por Georges Dumézil, a partir do século XI, a sociedade cristã é frequentemente descrita como composta de homens que oram (oratores, os clérigos), de homens que guerreiam (bellatores, os guerreiros) e, enfim, de homens que trabalham (laboratores, na época, essencialmente camponeses). Mesmo que vários textos enfatizem que os laboratores são inferiores aos oratores e bellatores, o surgimento dos trabalhadores no esquema constitutivo da sociedade exprime a promoção do trabalho e daqueles que o praticam”.
Jacques Le Goff. Dicionário Temático do Ocidente Medieval, v.II, pp.568-569.

Pela análise do trecho, é incorreto afirmar que:
a) a crise do feudalismo, a partir do século XI, promoveu alterações na mentalidade medieval acerca do trabalho, uma vez que, mesmo depreciado, reconhecia-se sua importância para a própria existência do mundo feudal.
b) mesmo que a Idade Média seja, tradicionalmente, um período de depreciação do trabalho manual, houve inegáveis mudanças nesse sentido, principalmente a partir do século XI, como apontado no texto.
c) os bellatores, terceira ordem feudal, responsáveis pela defesa dos camponeses, determinavam todas as concepções acerca do trabalho, uma vez que eram os donos das terras e os responsáveis pela produção agrícola.
d) a divisão tradicional da sociedade medieval em três ordens revela a importância que o trabalho adquiria naquele momento, mas também nos mostra a necessidade de se justificar o domínio sobre os camponeses.
e) diferentes civilizações, ao longo da História, necessitam de justificativas e de padrões culturais aceitos pelo conjunto da sociedade, com o intuito de garantir o domínio, de certas parcelas, sobre o conjunto da população.


02. A Crise e o Declínio do Feudalismo: (PUC-SP2011) “A Idade Média não é o período dourado que certos românticos quiseram imaginar, mas também não é, apesar das fraquezas e aspectos dos quais não gostamos, uma época obscurantista e triste,  imagem que os humanistas e os iluministas quiseram propagar.”
Jacques Le Goff. A Idade Média explicada aos meus filhos. Rio de Janeiro: Agir, 2007, p. 18

A ambígua imagem da Idade Média que hoje temos deriva, em parte, de representações
a) negativas do período, que destacam a opressão a que os camponeses eram submetidos, a intolerância da Igreja e as repetidas temporadas de fome.
b) positivas do período, que destacam o papel relevante que as mulheres tinham na vida social, o avanço tecnológico e o desenvolvimento nas artes visuais.
c) negativas do período, que destacam a atuação do Tribunal da Inquisição, a ausência de mobilizações sociais e o direito divino que justificava o absolutismo.
d) positivas do período, que destacam o resgate de valores religiosos oriundos da Antiguidade Clássica, a arquitetura românica e gótica e as festas populares.
e) negativas do período, que destacam a ausência de liberdades políticas, a persistência do politeísmo e de práticas de bruxaria em toda a Europa Ocidental.


03. A Crise e o Declínio do Feudalismo: (FGV 2013) Chegam a Jerusalém a 7 de junho de 1099. Jejuam e fazem procissões em redor da cidade, esperando que as suas orações deitem abaixo as muralhas, do mesmo que as trombetas de Josué tinham derrubado as de Jericó. A chegada a Jafa de navios genoveses, pisanos e venezianos é para eles de um grande auxílio […] A cidade tão cobiçada é tomada a 15 de julho de 1099. Assistimos, então, à pilhagem e ao massacre sistemático de toda a população. Depois do regresso dos cruzados ao Ocidente, a posse de Jerusalém torna-se precária.
(Tate, G. “Dois séculos de confronto entre o Oriente e o Ocidente”. In Arneville, M.-B. D’ e outros, As Cruzadas. Trad. Cascais: Pergaminho, 2001, p. 22)

O texto acima refere-se à:
a) terceira Cruzada e revela os interesses bizantinos nessa expedição.
b) Reconquista Ibérica e apresenta as motivações religiosas dessa empreitada.
c) sétima Cruzada e demonstra a forte presença da monarquia francesa.
d) primeira Cruzada e revela a forte religiosidade da peregrinação armada.
e) quarta Cruzada e revela a participação exclusiva dos féis franceses.


04. A Crise e o Declínio do Feudalismo: (UEPB 2013) O olhar que os europeus tinham sobre o mundo medieval mudou com o advento do chamado mundo moderno, devido à inserção de novos elementos, tais como:

a) A presença dos cavaleiros, a economia autossuficiente, a força dos artesãos e o teocentrismo.
b) A presença dos cavaleiros, o pensamento humanista; a contrarreforma católica e a descentralização do poder político.
c) O teocentrismo, a presença do Estado Moderno e as reformas religiosas, e o tribunal de Inquisição.
d) A imprensa como espaço de divulgação do pensamento teocêntrico, a descentralização do poder político e a Guerra dos Cem Anos.
e) A descoberta do Novo Mundo, a presença de novos atores sociais como a burguesia e a utilização da bússola, da pólvora e da imprensa.


05. A Crise e o Declínio do Feudalismo: (UFRN 2012) Leia com atenção a definição abaixo:

Capitalismo: sistema econômico e social predominante na maioria dos países industrializados ou em industrialização. Neles, a economia baseia-se na separação entre trabalhadores juridicamente livres, que dispõem apenas da força de trabalho e a vendem em troca de salário, e capitalistas, os quais são proprietários dos meios de produção e contratam os trabalhadores para produzir mercadorias (bens dirigidos para o mercado) visando à obtenção de lucro.
(SANDRONI, Paulo (Org. e sup.). Dicionário de economia. São Paulo: Círculo do Livro, 1992. p. 40)

Considerando as características apresentadas acima, o modelo socioeconômico do feudalismo europeu na Idade Média se diferencia do modelo capitalista, pois, entre outros elementos,
a) as demandas do comércio internacional por produtos agrícolas possibilitaram aos camponeses grandes lucros com a venda de excedentes da produção.
b) as revoltas camponesas do século XV aboliram as taxações feudais e favoreceram a adoção do sistema de colonato no regime feudal.
c) a maioria da mão de obra era empregada no campo, dedicando-se a uma produção de subsistência e ligando-se por laços servis à classe aristocrática.
d) a burguesia urbana enriquecida comprava títulos de nobreza e agravava a exploração da classe camponesa, submetida à servidão.


06. (FUVEST 2012) A palavra “feudalismo” carrega consigo vários sentidos. Dentre eles, podem-se apontar aqueles ligados a:

a) sociedades marcadas por dependências mútuas e assimétricas entre senhores e vassalos.
b) relações de parentesco determinadas pelo local de nascimento, sobretudo quando urbano.
c) regimes inteiramente dominados pela fé religiosa, seja ela cristã ou muçulmana.
d) altas concentrações fundiárias e capitalistas.
e) formas de economias de subsistência pré-agrícolas.


07. A Crise e o Declínio do Feudalismo: (UNESP 2012) As feiras foram muito difundidas pela Europa a partir do século XI. Entre os motivos que provocaram tal fenômeno, podemos citar:

a) a unificação da moeda europeia, que facilitou a atividade dos banqueiros e a aquisição de mercadorias.
b) o aumento da produção agrícola, provocado pelos desmatamentos, que ampliavam a quantidade de terras cultiváveis.
c) a eliminação das práticas feudais, que prendiam os camponeses à terra e reduziam a monetarização da economia.
d) o crescimento urbano, provocado pelas doenças e epidemias que grassavam nas áreas rurais e provocavam êxodo em direção às cidades.
e) a regionalização das economias, que limitou significativamente a obtenção de mercadorias provenientes de terras distantes.


08. A Crise e o Declínio do Feudalismo: (FUVEST 2011) Se o Ocidente procurava, através de suas invasões sucessivas, conter o impulso do Islã, o resultado foi exatamente o inverso.
(Amin Maalouf, As Cruzadas vistas pelos árabes. São Paulo: Brasiliense, p.241, 2007)

Um exemplo do “resultado inverso” das Cruzadas foi a:
a) difusão do islamismo no interior dos Reinos Francos e a rápida derrocada do Império fundado por Carlos Magno.
b) maior organização militar dos muçulmanos e seu avanço, nos séculos XV e XVI, sobre o Império Romano do Oriente.
c) imediata reação terrorista islâmica, que colocou em risco o Império britânico na Ásia.
d) resistência ininterrupta que os cruzados enfrentaram nos territórios que passaram a controlar no Irã e Iraque.
e) forte influência árabe que o Ocidente sofreu desde então, expressa na gastronomia, na joalheria e no vestuário.


09. A Crise e o Declínio do Feudalismo: (ESPM 2011) A antiga Flandres situava-se no nordeste da França, ocupando também uma parte da Bélgica e constituía-se num ponto central e de fácil acesso no Ocidente da Europa.
(Raymundo Campos. História Geral)

Sobre a importância da Flandres na Baixa Idade Média é correto assinalar que:
a) era uma região sob domínio dos muçulmanos, desde quando estes invadiram a Europa no século VIII;
b) era uma região banhada pelo Mar Báltico e importante centro de produtos como mel, peixe salgado, cereais, madeiras;
c) foi o berço de uma gigantesca associação de comerciantes denominada Liga Hanseática, conhecida ainda como Hansa Teotônica;
d) era uma região em que se realizavam feiras, que após o século XIII tornaram-se as mais procuradas do continente, famosas por seus tecidos de lã de carneiro;
e) era uma região cortada pelos varegues, comerciantes nórdicos, conhecidos pelo controle sobre o comércio de produtos orientais.


10. A Crise e o Declínio do Feudalismo: (MACK SP/2010) “Enfim, em novembro de 1095, (…) o papa Urbano II (…) dirigiu à aristocracia guerreira francesa uma advertência, divulgada, a seguir, por toda a Europa: aqueles que até então tinham vivido como saqueadores, martirizando seus irmãos cristãos, poderiam ir para o Oriente, onde os cristãos encontravam-se ameaçados pelos muçulmanos, e empregar suas energias contra os infiéis. Assim, com o recurso deste expediente destinado a ‘exportar a violência’, foi assentada a primeira pedra no edifício das futuras Cruzadas”.
(Jacques Le Goff & Jean-Claude Schmitt. Dicionário Temático do Ocidente Medieval)

De acordo com o texto, é correto afirmar que as Cruzadas:
a) foram expedições de caráter essencialmente religioso, conclamando os europeus para um acordo de paz com os “infiéis” no Oriente Médio.
b) tiveram nas ações militares contra os “infiéis” no Oriente sua característica mais marcante, como maneira de solucionar problemas sociais vividos na Europa.
c) tiveram a característica de exportar para a América a ideia fixa de converter os indígenas em seguidores féis do cristianismo.
d) analisaram sistematicamente as civilizações do Oriente, com o intuito de preservar sua cultura após a luta contra os “infiéis”.
e) mesclaram princípios religiosos e militares, buscando, por meio da conversão dos “infiéis” no Oriente, aumentar seguidores do Cristianismo, então ameaçado pela Reforma Religiosa.


11. A Crise e o Declínio do Feudalismo: (UEPB 2013) Considerando o espaço urbano, o mundo citadino, assinale a alternativa correta:

a) Os citadinos da Idade Média, diferentemente dos da contemporaneidade, não se preocupavam com a segurança, nem mesmo no período da noite, porque não havia bandos rurais ou bandos de salteadores urbanos que os atormentassem.
b) As festas medievais eram essencialmente religiosas e tinham apenas a função do regozijo, que era o da glorificação de Deus e de seus santos, não permitindo o repouso dos cristãos por ocasião destas festas.
c) As cidades medievais do século XIII proibiam as peças teatrais, inclusive as Paixões, até mesmo no espaço das catedrais, porque os burgueses não tinham interesse em seu desenvolvimento.

d) O carnaval, que era na Alta Idade Média uma festa rústica, camponesa, com forte conotação pagã, invade a cidade, urbaniza-se, e aí introduz uma contestação ideológica, transformando-se em algo que se opõe à  quaresma e combate a mentalidade penitencial e ascética da religião cristã.
e) A desruralização das cidades é um fenômeno do século XIII. Desde este período, foi abolida do meio urbano qualquer atividade rural, sendo um espaço exclusivo de produção de manufaturas, e tendo, inclusive, proibido a criação de animais pelas famílias citadinas.


🔵 >>> Confira todas as nossas questões sobre a História Mundial.


Gabarito com as repostas das questões da História Mundial sobre A Crise e o Declínio do Feudalismo:

01. c;

02. a;

03. d;

04. e;

05. c;

06. a;

07. b;

08. b;

09. d;

10. b;

11. d

Gostou desta lista de Exercícios? Não esqueça de compartilhar com seus amigos:

Deixe um comentário