Início / História / A Era das Revoluções e Unificações Exercícios

A Era das Revoluções e Unificações Exercícios

1) A Era das Revoluções e Unificações: (Unesp/2011)

(A Liberdade guiando o povo. Museu do Louvre, Paris, 1831.)

A tela de Eugène Delacroix celebra a revolução de julho de 1830 na França, que derrubou o rei Carlos X e encerrou o período da Restauração.

Explique o significado do movimento de 1830 e identifique, através da análise da tela, dois elementos que atestem sua relação com a Revolução de 1789.

 

 

2) A Era das Revoluções e Unificações: (Unicamp/2014)

(A Liberdade guiando o povo. Museu do Louvre, Paris, 1831.)

Observe a obra do pintor Delacroix, intitulada A Liberdade guiando o povo (1830), e assinale a alternativa correta.

a) Os sujeitos envolvidos na ação política representada na tela são homens do campo com seus instrumentos de ofício nas mãos.

b) O quadro evoca temas da Revolução Francesa, como a bandeira tricolor e a figura da Liberdade, mas retrata um ato político assentado na teoria bolchevique.

c) O quadro mostra tanto o ideário da Revolução Francesa reavivado pelas lutas políticas de 1830 na França quanto a posição política do pintor.

d) No quadro, vê-se uma barricada do front militar da guerra entre nobres e servos durante a Revolução Francesa, sendo que a Liberdade encarna os ideais aristocráticos.

 

 

3) A Era das Revoluções e Unificações: (FGV/2014) A nova entrada da pobreza indigente será não mais um fenômeno temporário do desemprego ou como resistência ao trabalho dos pobres não moralizados, mas como Criatura da própria sociedade industrial, como resíduo que, produzido por ela, nela não tem lugar. É em Londres que o sistema de fábrica despeja sua escória humana. Mais uma vez questiona-se o pensamento liberal em um dos seus pressupostos básicos, o laissez-faire. Uns pedem ao governo leis severas de controle da superpopulação e medidas no sentido de se exportar o resíduo para as colônias. (Maria Stella Bresciani, Londres e Paris no século XIX. p. 104-7. Adaptado)

Segundo o texto:

a) a produção do “resíduo” pelo sistema de fábrica torna a pobreza algo crônico, o que leva a propostas intervencionistas que colocam em xeque a própria ação do Estado liberal.

b) soluções para o intervencionismo do Estado absolutista reforçam o laissez-faire, uma vez que a miséria produzida pelo sistema fabril é pontual e não gera tensões sociais.

c) o laissez-faire passa a ser questionado porque o sistema

industrial produz a miséria, ou seja, não acentua as diferenças sociais e garante ao Estado liberal todas as formas de intervenção.

d) a miséria não é produto do sistema de fábrica e sim do desemprego e da vagabundagem, o que torna as propostas do controle do “resíduo” inviáveis para o Estado liberal.

e) a industrialização produz o vagabundo e o desempregado, mas não a miséria, e, portanto, soluções intervencionistas harmonizam-se com o Estado absolutista e não com o Estado liberal.

 

 

4) A Era das Revoluções e Unificações: (UFPR/2013) No Brasil, desde 2011, tem havido diversas comemorações dos 150 anos da Unificação Italiana, relembrando os fortes laços culturais entre os dois países. Sobre a relação entre a Unificação Italiana e a imigração de italianos para as Américas, é correto afirmar:

a) A Unificação Italiana foi o resultado de uma série de revoltas populares, que culminaram em 1861 com a formação de uma república socialista sob a direção de Giuseppe Mazzini. A burguesia, que não concordava com o novo regime, emigrou para as Américas, levando capital suficiente para iniciar a industrialização em países como a Argentina, o Brasil e os Estados Unidos.

b) O processo da Unificação Italiana contou com a intensa participação do Império brasileiro, pois D. Pedro II almejava estabelecer relações comerciais com os italianos. É notória a participação de Giuseppe Garibaldi na política brasileira do período imperial. Após a unificação, contudo, nem o Brasil nem os demais países aliados conseguiram levantar a Itália de uma profunda crise econômica, o que levou a uma grande leva emigratória para as Américas de 1880 a 1930.

c) A Unificação Italiana foi um processo iniciado no início do século XIX, que se concluiu em 1861, com uma monarquia constitucionalista, sob o comando de uma aliança entre burgueses e latifundiários, que afastou os setores populares do poder. Muitos italianos camponeses e trabalhadores saíram empobrecidos após a unifcação, o que estimulou uma intensa emigração para as Américas entre 1880 e 1930, engrossando fileiras de trabalhadores agrícolas e operários.

d) A Unifcação Italiana durou de 1861 a 1870, agregando estados independentes sob a direção do reino de Piemonte-Sardenha. Porém, sua conclusão só foi possível após a Unificação Alemã, que marcou o fim da ingerência de Otto Von Bismark na política europeia. Após esse processo, o monarca instituído perseguiu duramente seus inimigos políticos, que emigraram para as Américas.

e) A emigração italiana para as Américas teve início por conta de uma série de dificuldades financeiras causadas por problemas climáticos, que, por volta de 1850, prejudicaram as colheitas. O volume de emigrantes  intensificou-se após a Unificação em 1861, em decorrência do fato de que o governo anarquista instituído fracassou na tentativa de reerguer o país.

 

 

5) A Era das Revoluções e Unificações: (Unicamp/2013) As exposições universais do século XIX, sobretudo as de Londres e Paris, se caracterizavam:

a) pelo louvor à superioridade europeia e pela apresentação otimista da técnica e da ciência.

b) pela crítica à expansão sobre a África, movimento considerado um freio ao progresso europeu.

c) pela crítica marxista aos princípios burgueses dominantes nos centros urbanos europeus.

d) pelo elogio das sociedades burguesas associadas às vanguardas da época, como o Cubismo, o Dadaísmo e o Surrealismo.

 

Estados Unidos no Século XX: Economia, Política e Relações Internacionais Exercícios.

 

6) A Era das Revoluções e Unificações: (Enem PPL/2013) Sou um partidário da Comuna de Paris, que, por ter sido massacrada, sufocada no sangue pelos carrascos da reação monárquica e clerical, tornou-se ainda mais viva, mais poderosa na imaginação e no coração do proletariado da Europa; sou seu partidário sobretudo porque ela foi uma negação audaciosa, bem pronunciada, do Estado.

(BAKUNIN, M. apud SAMIS, A. Negras tormentas: o federalismo e o internacionalismo na Comuna de Paris. SãoPaulo:Hedra, 2011)

A Comuna de Paris despertou a reação dos setores sociais mencionados no texto, porque:

a) instituiu a participação política direta do povo.

b) consagrou o princípio do sufrágio universal.

c) encerrou o período de estabilidade política europeia.

d) simbolizou a vitória do ideário marxista.

e) representou a retomada dos valores do liberalismo.

 

 

7) A Era das Revoluções e Unificações: (PUCRJ/2013) Ao longo do ano de 1848, o continente europeu passou por uma série de revoluções configurando um momento que muitos historiadores vieram a denominar de “Primavera dos Povos”.

Sobre esses movimentos, é CORRETO afirmar que:

a) as revoluções de 1848 foram movimentos em defesa do retorno dos regimes monárquicos, uma vez que as tentativas de reformas políticas e econômicas de caráter burguês tinham fracassado e produzido uma grave crise econômica e social.

b) este conjunto de revoluções, de caráter liberal e nacionalista, foi iniciado com demandas por governos constitucionais e, ao longo do processo, trabalhadores e camponeses se manifestaram contra os excessos da exploração capitalista.

c) o movimento de 1848 deu prosseguimento às reformas religiosas estendendo o protestantismo para a Europa centro-oriental e enfraquecendo a posição dos regimes autocráticos católicos em países da região como a Áustria e Polônia.

d) a “Primavera dos Povos” está relacionada à publicação do Manifesto Comunista em fevereiro de 1848 e com a organização de ações políticas revolucionárias de cunho anarquista, republicano e secular.

e) essas revoluções estavam associadas às demandas burguesas por maior integração comercial e pelo fim das políticas mercantilistas intervencionistas ainda em vigor em países europeus dominados pela velha classe política aristocrática.

 

 

8) A Era das Revoluções e Unificações: (UFSJ/2012) Analise as afirmativas abaixo.

I. As revoluções liberais do século XIX foram originadas a partir das Revoluções Americana (1776), Inglesa (1688) e Francesa (1789), bem como da Revolução Industrial Inglesa, que vinha acontecendo desde meados do século XVIII.

II. As revoluções liberais do século XIX atingiram seu ápice em 1848, trazendo, além do seu caráter liberal e burguês, um novo elemento: a participação da classe operária vinculada à indústria, com tendências socialistas.

III. As bases do liberalismo defendido pelos revolucionários liberais do século XIX eram: propriedade privada, individualismo econômico e liberdade de comércio, de produção e de contrato de trabalho sem controle do Estado.

IV. As revoluções liberais do século XIX tiveram caráter socialista e anarquista e defendiam uma sociedade livre, sem classes sociais, fm da propriedade privada e da livre concorrência.

Sobre as revoluções liberais do século XIX, estão CORRETAS apenas as afirmações:

a) l, II e lV. c) I, III e IV.

b) I, II e III. d) II, III e lV.

 

 

9) A Era das Revoluções e Unificações: (UFMG/2012) Observe este cartaz comemorativo da Comuna de Paris:

Almanach de la Question Sociale, 1897. In BOITO JR. A Comuna Republicana ou Comuna Operária? Revista Espaço Acadêmico, Brasil, 10 fev. 2011, p. 11. Disponível em:<http://www.periodicos.uem.br/ojs/index.php/EspacoAcademico/article/view/12530/6696>. Acesso em: 1o jun. 2011.

 

A partir da análise desse cartaz e considerando outros conhecimentos sobre o assunto,

a) Descreva o contexto histórico que motivou a revolta que deu origem à Comuna de Paris, em 1871.

b) Cite duas medidas adotadas pelo governo constituído pela Comuna de Paris.

c) Explique como cada um dos dois elementos representados no cartaz – a mulher e os dois homens – se relaciona com o contexto da Comuna de Paris.

 

 

10) A Era das Revoluções e Unificações: (UFG/2012) O ano de 1848 foi marcado por manifestações populares na Europa, conhecidas como “Primavera dos Povos”. Em 2010, um protesto na Tunísia deflagrou um conjunto de manifestações populares em outros países árabes. A imprensa aproximou os eventos de 1848 e 2010, quando cunhou a expressão Primavera dos povos árabes. Essa aproximação advém

a) do interesse árabe em resolver conflitos entre minorias étnicas, as quais, como em 1848, encontram-se esmagadas por governos autoritários.

b) da expectativa ocidental de que os países árabes assimilem a democracia, assim como em 1848 se esperava a ampliação das reformas liberais.

c) do sentimento nacionalista laico das manifestações de 2010, que sustentou também as reivindicações das mobilizações de 1848.

d) do ideal romântico que, em 2010, se expressou no martírio dos rebeldes e, em 1848, na disposição para a luta nas barricadas.

e) da insatisfação com as constituições árabes que, assim como no constitucionalismo europeu de 1848, obstaculizam a participação popular.

 

🔵 >>> Confira todas as nossas questões sobre a História Mundial.

 

Gabarito com as respostas das questões de História Mundial sobre A Era das Revoluções e Unificações:

1) O movimento revolucionário de 1830 contou com ampla participação burguesa sob a influência do liberalismo herdado da Revolução Francesa, bem como do nacionalismo que se intensificara devido às Guerras Napoleônicas. O rei Carlos X foi destronado, instalando-se na França um regime monárquico liberal com a coroação de Luís Filipe de Orleans que pôs fm ao Absolutismo. Na tela de Delacroix, a liberdade personificada em uma mulher carrega a bandeira tricolor idealizada no lema tradicional da Revolução Francesa, além da própria representação dos dois grupos sociais mais destacados daquele mesmo evento: os sans-culottes e a burguesia.

2) c; 3) a; 4) c; 5) a; 6) ;a 7) b; 8) b;

 

9) a) A Comuna de Paris foi uma insurreição operária de março a maio de 1871, quando o novo governo francês, liderado por Adolphe Thiers, subordinou-se às exigências de Bismark, após a vitória prussiana sobre a França. Se, para os alemães o momento representa a conclusão da unificação, para os franceses representou o fm da ditadura de Napoleão III e a perda de territórios.

b) Influenciado por ideias socialistas, o governo da Comuna, instituído em março de 1871, adotou um conjunto de medidas que buscaram favorecer as massas trabalhadoras, destacando-se a abolição do trabalho noturno, a redução da jornada de trabalho, a concessão de pensão a viúvas e órfãos, a substituição dos antigos ministérios por comissões eletivas e a separação entre Igreja e Estado.

c) A figura da mulher popular resgata a imagem tradicional de “Marienne”, associada à liberdade. É verdade que Marienne e a Revolução Francesa são símbolos do liberalismo burguês, enquanto que, na gravura acima, a mulher representa a liberdade, sob ponto de vista popular. Do lado esquerdo há a imagem de um trabalhador urbano e, do direito, de um trabalhador rural, reforçando o caráter popular e socialista do movimento.

10) b

Veja também:

exercícios sobre Revoluções Liberais com gabarito

Revoluções Liberais Questões Respondidas

01. Revoluções Liberais: (Mackenzie-SP) Entre o Congresso de Viena de 1815 e 1848, ocorreram, na …

exercícios com gabarito sobre a Revolução Americana para enem e vestibular

Revolução Americana Questões com Gabarito

01. Revolução Americana: (UFF-RJ) Os processos de ocupação do território americano do norte simbolizam, para …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Por favor desabilite o Bloqueador de anúncios nesta página e nos ajude a manter o site online.