Unificação da Itália e Alemanha e a Comuna de Paris Exercícios

01. Unificação da Itália e Alemanha e a Comuna de Paris: (Cesgranrio) Os movimentos nacionais, na Alemanha e na Itália, na 2ª metade do século XIX, além das diferenças políticas, têm como objetivo a:
A) unidade política e econômica como requisito para o desenvolvimento capitalista através do fortalecimento do Estado e da integração geográfica dos mercados.
B) independência econômica frente à intervenção econômica inglesa com a manutenção de estruturas de produção medievais.
C) valorização do arianismo como instrumento de recuperação do homem germânico e italiano e criador do “espaço vital”.
D) construção de um Estado forte inspirado nos modelos orientais como base política para a recuperação da posição que Itália e Alemanha haviam ocupado no final do século XVIII.
E) manutenção de uma política de proteção territorial contra os interesses franceses, resultantes da expansão napoleônica, assentados numa perspectiva política conservadora.

 


02. (Cesgranrio) Assinale a alternativa que apresenta uma afirmativa CORRETA sobre o processo de unificação da Alemanha (1871) e da Itália (1870).
A) Na Itália, a proclamação da República por Giuseppe Garibaldi, líder do movimento carbonário e republicano, estabilizou economicamente o país, permitindo a fixação das fronteiras internacionais italianas e sua unificação interna.
B) Na Itália, com o apoio do papa Pio IX, o movimento unificador difundiu-se a partir da cidade de Roma, sendo contrário aos interesses econômicos da burguesia do Piemonte e do norte do país.
C) Na Alemanha, Bismarck implementou a unificação com a ajuda econômica e militar do Império Austríaco, opondo-se à política separatista da Prússia de Guilherme I.
D) A criação da União Alfandegária (
Zollverein) entre os estados alemães desenvolveu a industrialização e a economia da Confederação Germânica, culminando na unificação política com a criação do Segundo Reich (Império) Alemão.
E) Ambos os processos unificadores resultaram da derrota dos movimentos nacionalistas locais frente à reação das forças monárquicas reunidas pelo Congresso de Viena.

 


03. Unificação da Itália e Alemanha e a Comuna de Paris: (UFTM-MG–2010) Pode-se apontar como característica comum das unificações da Alemanha e da Itália:
A) a criação de uma república liberal, comandada pela pequena burguesia e ligada às tradições românticas do século XIX, em especial com a música.
B) a participação de todas as classes – em especial do operariado – associada à constituição de uma monarquia que respeitava as culturas regionais.
C) o apoio militar da Áustria para efetivar os interesses nacionais dos povos que lutavam contra as forças reacionárias francesas e do papado.
D) a ação inglesa contra as forças reacionárias que, apoiadas nas decisões do Congresso de Viena, impediam a formação de novos Estados.
E) o fato de esse processo ter sido liderado pelas classes dominantes de regiões de crescente industrialização.

 


04. (PUC-SP) A Itália foi uma nação que se unificou tardiamente, na segunda metade do século XIX. Levando em conta os fatores históricos desse processo, é INCORRETO afirmar que:
A) as determinações do Congresso de Viena (1814-1815) assinalaram a divisão da Itália em sete estados, submetidos parcialmente à ocupação austríaca.
B) o norte da Península Itálica era industrializado, com investimentos nos setores mecânicos e ferroviários, na instalação de companhias de créditos e no estabelecimento de bancos e redes comerciais.
C) após a unificação, a burguesia do sul da Península Itálica promoveu um desenvolvimento capitalista a partir de um intenso surto de industrialização.
D) interessava à burguesia do norte da Península Itálica superar todos os obstáculos que emperravam o crescimento capitalista. A Península Itálica, dividida em vários reinos, apresentava diversas leis e impostos que retardavam a livre-circulação das mercadorias.
E) no norte da Península Itálica evidenciou-se a formação de uma burguesia industrial interessada em fortalecer os empreendimentos capitalistas, combatendo o domínio das forças conservadoras.

 


05. Unificação da Itália e Alemanha e a Comuna de Paris: (CEFET-PR) Sobre a unificação italiana, é CORRETO afirmar que:
I. após o Congresso de Viena, a Itália foi dividida e transformada numa simples “expressão geográfica”, motivando o
Risorgimento.
II. a liderança na luta pela unificação coube ao reino de Piemonte-Sardenha, sob orientação de Benito Mussolini.
III. foi na década de 1870 que os italianos conquistaram Roma e completaram a unificação.
IV. a conquista da unidade deu origem à Questão Romana, monarquia italiana
versus papa, que só foi resolvida com o Tratado de Latrão, em 1929, quando foi criado o Estado do Vaticano.
Das proposições anteriores, são
CORRETAS somente:
A) II, III e IV.
B) I, III e IV.
C) I, II e III.
D) I e IV.
E) I e II.

 

Ideias Políticas e Sociais do Século XIX Questões.

 

06. Unificação da Itália e Alemanha e a Comuna de Paris: (UEL-PR) Sobre a unificação da Itália (1870) e a da Alemanha (1871), analise as afirmativas a seguir:
I. Os movimentos liberais, que nesses países assumiram um aspecto fortemente nacionalista, tiveram importante participação no processo de unificação.
II. A ausência de guerras ou revoltas marcou a unificação italiana e alemã.
III. O processo de unificação acelerou o desenvolvimento do capitalismo na Alemanha e na Itália, o que resultou em disputas que desembocaram na Primeira Guerra Mundial.

Assinale a alternativa CORRETA.
A) Apenas a afirmativa II é verdadeira.
B) Apenas a afirmativa III é verdadeira.
C) Apenas as afirmativas I e II são verdadeiras.
D) Apenas as afirmativas I e III são verdadeiras.
E) Apenas as afirmativas II e III são verdadeiras.

 


07. Unificação da Itália e Alemanha e a Comuna de Paris: (PUC Minas) No processo de unificação da Itália de meados do século XIX, destacam-se, EXCETO
A) a preocupação da burguesia em evitar qualquer aliança com a massa camponesa.
B) a permanência de um sistema oligárquico que garante os interesses dos grandes proprietários da terra.
C) a ação dos liberais moderados, liderado por Cavour, para impedir as tentativas revolucionárias.
D) a obtenção da unidade através do alargamento do estado piemontês e não de um movimento nacional.
E) o papel decisivo dos movimentos populares para a concretização da unidade italiana.

 


08. Unificação da Itália e Alemanha e a Comuna de Paris: (UFRGS–2007) A unificação alemã, habilmente arquitetada por Otto von Bismarck, realizou-se em torno de guerras bem-sucedidas contra potências vizinhas. Assinale a alternativa CORRETA em relação às motivações e aos acontecimentos que desencadearam esse processo de unificação.
A) A fragmentação política obstaculizava o pleno desenvolvimento comercial e industrial da região. A unificação promoveria um mercado ágil e ampliado, com condições de enfrentar a concorrência inglesa através da proteção governamental.
B) A unificação foi liderada pela Áustria, o mais poderoso dos estados germânicos e sucessora do extinto Sacro-Império, capaz de eliminar as pretensões da Prússia. Aliado da França, o país austríaco contou com o seu apoio para vencer as resistências germânicas do sul.
C) A constituição, redigida por Bismarck, inaugurou uma era democrática nos estados alemães, sob influência dos ideais da Revolução Francesa, baseados na soberania e na participação popular.
D) As decisões do Congresso de Viena, ao reconhecerem o direito de independência da Alemanha, foram fundamentais para a consolidação da unificação, pois inibiram as pretensões italianas aos territórios do sul da Alemanha.
E) O processo de unificação alemã contou com o apoio da França, que, acossada pela supremacia britânica, via no novo Estado um importante aliado na corrida imperialista.

 


09. Unificação da Itália e Alemanha e a Comuna de Paris: (UFMG) Sobre a unificação alemã no século XIX, Marionilde Magalhães afirma:
Desde o final do século XVIII, a criação de inúmeras associações resultou num determinado patriotismo cultural e popular, num território dividido em estados feudais dominados por uma aristocracia retrógrada. Tais associações se dirigem à nação teuta, enfatizando o idioma, a cultura e as tradições comunitárias, elementos para a elaboração de uma identidade coletiva, independentemente do critério territorial. E, de fato, esse nacionalismo popular, romântico ilustrado (uma vez que pautado no princípio da cidadania e no direito à  autodeterminação dos povos), inspirará uma boa parcela dos revolucionários de 1848. Mas não serão eles a unificar a Alemanha. Seus herdeiros precisarão aguardar até 1871, quando Bismarck realiza uma revolução de cima, momento em que, em virtude do poderio econômico e da força militar da Prússia, a Alemanha se unifica como Estado forte, consolidando a sua trajetória rumo à modernização.
MAGALHÃES, Marionilde D. B. de. A Reunificação: enfim um país para a Alemanha? Revista Brasileira de História. São Paulo: ANPUH/Marco Zero, v. 14, n. 28. 1994. p. 102. (Adaptação).


Tendo-se como referência essas considerações, pode-se concluir que:
A) o principal fator que possibilitou a unificação alemã foi o desenvolvimento econômico e social dos Estados germânicos, iniciado com o estabelecimento do
Zollverein – liga aduaneira que favoreceu os interesses da burguesia.
B) a unificação alemã atendeu aos interesses de uma aristocracia rural desejosa de formar um amplo mercado nacional para seus produtos, alicerçando-se na ideia do patriotismo cultural e do nacionalismo popular.
C) na Alemanha, a unificação nacional ocorreu, principalmente, em virtude da formação de uma identidade coletiva baseada no idioma, na cultura e nas tradições comuns.
D) na Alemanha, a unificação política pôde ultrapassar as barreiras impostas pela aristocracia territorial, que via no desenvolvimento industrial o caminho da modernização.

 

 

10. Unificação da Itália e Alemanha e a Comuna de Paris: (UFG–2006) A unificação italiana, no final do século XIX, ameaçou a integridade territorial da Igreja. Esse impasse resultou:
A) no reforço dos sentimentos nacionalistas na Itália, provocando a expropriação das terras da Igreja.
B) no envolvimento da Igreja em lutas nacionais, criando congregações para a expansão do catolicismo.
C) na adoção de atitudes liberais pelo papa Pio IX, como forma de deter as forças fascistas.
D) na assinatura do Tratado de Latrão, em 1929, quando Mussolini criou o Estado do Vaticano.
E) no
Risorgimento, processo em que segmentos ligados à Igreja defenderam a Itália independente.

 

🔵 >>> Confira todas as nossas questões sobre a História Mundial.

 

Gabarito com as respostas das atividades de História Mundial sobre Unificação da Itália e Alemanha e a Comuna de Paris:

01. A; 02. D; 03. E; 04. C; 05. B; 06. D; 07. E;  08. A; 09. A; 10. D

Compartilhe com seus amigos