A Crise de 1929 Exercícios Resolvidos para Enem

01. A Crise de 1929: (Unirio) “Um dos deveres do Estado é socorrer aqueles cidadãos que se virem vítimas de circunstâncias a tal ponto adversas que os deixem incapazes de satisfazer mesmo as mais simples necessidades sem amparo de outros. A esses desafortunados cidadãos deve-se estender o amparo do governo, não como caridade, mas como uma face do dever social”.
(Pronunciamento do governador Franklin Roosevelt na Assembleia Legislativa do Estado de Nova Iorque, em 21/08/1931, In: Sherwood Robert E. . Roosevelt e Hopkins. Tradução de Heitor Aquino Ferreira, Rio de Janeiro:Brasília: UNB, 1998, p. 47.)

“A situação do café é a seguinte: a produção é maior do que o consumo. Procuramos iludir a situação, estabelecendo o escoamento de produção por doses fracionadas”. (Carta de Francisco Campos a Getúlio Vargas, 23.12.1930, In: A Revolução de 30: textos e documentos. Brasília: UNB, 1982, p. 220).

A crise econômica que eclodiu nos Estados Unidos a partir da quebra da bolsa de valores de Nova York, em 24 de outubro de 1929, alcançou proporções mundiais, constituindo uma das mais profundas crises cíclicas do Capitalismo. Em sua difusão atingiu as economias capitalistas, provocando uma profunda recessão econômica, superada através de intervenções político-econômicas do governo norte-americano. Explique um fator relacionado com a origem da crise
de 1929.


02. (PUC-Rio) A Grande Depressão, iniciada em 1929, com a crise da Bolsa de Nova York, foi,  possivelmente, o acontecimento do século XX cujas repercussões se fizeram sentir sobre um maior número de homens e mulheres em todo o planeta.

a) Explique por que os efeitos da Grande Depressão afetaram mais a economia da Alemanha do que a economia da União Soviética.
b) Roosevelt, ao assumir a presidência em 1933, deu início à implementação do New Deal, um conjunto de medidas que visava a combater os efeitos recessivos da Grande Depressão sobre a economia norte-americana. Indique uma dessas medidas.


03. A Crise de 1929: (PUC-Rio)

gráfico do desemprego nos estados unidos 1929-1942

(Hilário Franco Jr. e Ruy de Oliveira Andrade Filho. Atlas de História Geral. São Paulo: Scipione, 1993, p. 70.)

O gráfico apresenta a variação do número de desempregados na sociedade norte-americana, entre 1929 e 1942. A partir da leitura do gráfico e de seus conhecimentos, assinale a afirmativa correta.
a) A política do New Deal, estimulando investimentos em obras públicas e na agricultura e regulamentando o mercado de trabalho, teve como um de seus
principais desdobramentos a redução do número de desempregados.
b) A quebra da Bolsa de Valores de Nova York ocasionou, de imediato, o aumento dos investimentos industriais nos Estado Unidos, especialmente no setor bélico, estimulando uma nova guerra mundial.
c) O retorno aos índices de desemprego a níveis inferiores ao da crise de 1929 somente ocorreu por ocasião do início da Segunda Guerra Mundial, em 1939, quando o governo norte-americano enviou tropas para as frentes de combate.
d) Correlacionada ao enorme índice de desempregados, a economia norte-americana viveu, entre 1929 e 1942, uma crise recessiva ininterrupta e sem precedentes nos setores agrícola, industrial e financeiro.
e) O governo Roosevelt, por meio do New Deal, estimulou o livre cambismo internacional durante os anos 30, de uma tal forma, que essa política repercutiu na ampliação da entrada de novos capitais, estimulando a geração de empregos.


04. (UERJ) A Grande Depressão eclodiu num mundo otimista que parecia caminhar na direção de uma prosperidade permanente. Ela iniciou-se com o crack do bolsa de Nova York em outubro de 1929, afetando todas as atividades econômicas dos Estados Unidos e se propagando mediante o mundo.

a) Caracterize a Grande Depressão e indique o motivo pelo qual seus efeitos foram sentidos em diversas regiões do mundo.
b) Indique e analise uma consequência da Grande Depressão para a economia brasileira.


05. A Crise de 1929: (UERJ) “Os estados ocidentais inquietam-se sob os efeitos da metamorfose incipiente. Texas e Oklahoma, Kansas e Arkansas, Novo México, Arizona, Califórnia. Uma família isolada mudava-se de suas terras. O pai pedira dinheiro emprestado ao banco e agora o banco queria as terras. A companhia das terras – que é o banco, quando se ocupa dessas transações – quer tratores, em vez de pequenas famílias nas terras. Um trator é mau? A força que produz os compridos sulcos na terra não presta? Se esse trator fosse nosso, não meu, nosso, prestaria. Se esse trator produzisse os compridos sulcos em nossa própria terra, prestaria, na certa. Não nas minhas terras, nas nossas. Então, aí sim, a gente gostaria do trator, gostaria dele como gostava das terras quando ainda eram da gente. Mas esse trator faz duas coisas diferentes: traça sulcos na terra e expulsa-nos delas (…). Há que pensar sobre isso.”
(STEINBECK, John. As Vinhas da Ira. São Paulo: Círculo do Livro s.d.)

Esse trecho do romance de Steinbeck reflete as dificuldades de famílias de agricultores norte-americanos durante a Grande Depressão de 1929. A crise de 1929 resultou de um fator acentuado após a Primeira Guerra Mundial, a saber:
a) diminuição da produção agrícola norte-americana, devido a problemas climáticos.
b) recuo da produção industrial, devido à falência das instituições de crédito em todo o mundo.
c) falência da democracia-liberal, devido à não-intervenção do Estado nas questões econômicas.
d) desequilíbrio entre produção e consumo, devido ao crescimento não integrado da economia norte americana.


06. A Crise de 1929: (UFPE) Após a Primeira Guerra Mundial, a febre de negócios, baseada na especulação, provocou a Crise de 1929. Identifique, nas alternativas a seguir, os principais fatos que a produziram.

a) Aparecimento de ideologias como o Fascismo e o Nazismo.
b) Superprodução de mercadorias e saturação dos mercados consumidores.
c) Retraimento do crédito e proibição das exportações.
d) Equilíbrio entre a agricultura e o comércio.
e) Má colheita e demanda ilimitada da indústria.


07. A Crise de 1929: PUC-RS. O processo de internacionalização da economia mundial tem-se tornado, desde o final do século XIX, cada vez mais intenso. Nesse sentido, o desempenho econômico de determinadas nações passou a ter influências crescentes sobre as demais, seja em períodos de prosperidade ou de crise, como no caso do “crack” da Bolsa de Valores de Nova Iorque, em 1929. Dentre as causas desta crise, pode-se citar:

a) a moratória decretada pelo governo russo, que prejudicou diretamente os Estados Unidos, principal credor da Rússia.
b) a desvalorização da moeda tailandesa, que deflagrou a crise asiática, afetando rapidamente as indústrias norte-americanas, exportadoras de produtos para o Oriente.
c) a crise econômica mexicana, que gerou o chamado “efeito tequila” sobre a produção industrial norteamericana, levando à desvalorização do dólar em relação ao peso mexicano.
d) o rápido crescimento industrial dos Estados Unidos no período pós-Primeira Guerra, não acompanhado de significativo aumento do mercado consumidor, levando à crise de superprodução.
e) o aumento do preço do petróleo após o primeiro conflito mundial, o que aumentou os custos de produção das indústrias americanas, que tiveram seus lucros reduzidos.


08. PUC-RJ. A Grande Depressão, iniciada em 1929 com a crise da Bolsa de Nova Iorque, foi, possivelmente, o acontecimento do século XX cujas repercussões se fizeram sentir sobre um maior número de homens e mulheres em todo o planeta.

a) Explique por que os efeitos da Grande Depressão afetaram mais a economia da Alemanha do que a economia da União Soviética.
b) Roosevelt, ao assumir a presidência em 1933, deu início à implementação do New Deal, um conjunto de medidas que visava a combater os efeitos recessivos da Grande Depressão sobre a economia norte-americana. Indique 1 (uma) dessas medidas.


09. A Crise de 1929: (Unesp) Em 1929, a Bolsa de Valores de Nova York quebrou. As ações se desvalorizaram drasticamente; os estoques de cereais se acumularam; os preços dos produtos baixaram. Fazendeiros faliram. As grandes indústrias diminuíram fortemente a produção; as médias e pequenas fecharam. Grandes massas de trabalhadores ficaram desempregadas. O Estado, essencialmente liberal, não intervinha na produção e o mercado sozinho não controlava a crise. Para controlar a crise, Franklin Delano Roosevelt, democrata eleito presidente em 1932, lançou um programa de reconstrução nacional, o New Deal, cuja meta era promover reformas profundas na sociedade norte-americana.

Baseando-se no texto, responda.
a) Qual a diferença entre o liberalismo econômico clássico e o liberalismo praticado pelo New Deal?
b) Quais os reflexos da crise de 1929 no Brasil?


10. (Fuvest) A crise de 1929 foi muito mais do que um crash financeiro, do que uma quebra generalizada das bolsas de valores. Foi uma crise profunda do próprio capitalismo.

a) Por que houve a crise?
b) Como repercutiu no Brasil?


11. A Crise de 1929: (Unicamp) “Uma família isolada mudava-se de suas terras. O pai pedira dinheiro emprestado ao banco e agora o banco queria as terras. A companhia das terras quer tratores em vez de pequenas famílias nas terras. Se esse trator produzisse os compridos sulcos em nossa própria terra, a gente gostaria do trator, gostaria dele como gostava das terras quando ainda eram da gente. Mas esse trator faz duas coisas diferentes: traça sulcos nas terras e expulsa-nos dela. Não há quase diferença entre esse trator e um tanque de guerra. Ambos expulsam os homens que lhes barram o caminho, intimidando-os, ferindo-os.”
(STEINBEK, John. As Vinhas da Ira. 1972.)

a) De acordo com o texto, como pode ser caracterizada a situação do camponês norte-americano após a crise de 1929?
b) Cite duas medidas adotadas pelo programa de reformas de Roosevelt (New Deal), para solucionar os problemas sociais criados pela crise de 1929.


🔵 >>> Confira todas as nossas questões sobre a História Mundial.


Gabarito com as respostas dos melhores exercícios sobre A Crise de 1929 para passar no enem e vestibular:

01. a crise do capitalismo liberal, incapaz de absorver a superprodução industrial, através de seus mercados consumidores. A proliferação de ações e empresas, sem lastros econômico-financeiros, provocando uma corrida desenfreada em busca da salvaguarda de investimentos e capitais envolvidos.

02. a) Os efeitos da Grande Depressão se fizeram sentir mais sobre a Alemanha, pois esta não apenas se encontrava inserida na dinâmica das relações capitalistas internacionais, mas também ressentia-se profundamente com o repatriamento dos capitais norte-americanos que vinham sendo vitais para seu reerguimento econômico, após as crises por ela atravessada no início da década de 1920. Já a União Soviética sofria, desde o triunfo da Revolução de Outubro de 1917, os efeitos do isolamento imposto pela maioria dos países ocidentais, ao que se somava o fato de seus dirigentes estarem empreendendo uma política econômica comprometida com a implementação do socialismo.


b) Destacam-se como medidas do
New Deal:
a realização de maciços investimentos estatais em obra públicas de grande porte;
a reorganização do sistema bancário, ampliando o controle do mesmo pela União;
a criação de um sistema federal de seguro desemprego;
a concessão de empréstimos a rendeiros, a fim de que pudessem comprar sua própria terra.


03. A;


04. a) A Grande Depressão foi a crise geral da economia, iniciada em 1929, possibilitada pelos efeitos da euforia e da recuperação econômica artificial dos Estados Unidos após a Primeira Grande Guerra, provocando o desabamento da produção econômica e dos preços, o marasmo na agricultura e o desequilíbrio do comércio mundial. Sua propagação pelo mundo deveu-se ao fato de estarem as economias capitalistas funcionando de forma interdependente, devido à importância da
capital norte-americano no pós-Primeira Guerra Mundial.

b) Crise da economia cafeeira – a Grande Depressão, ao provocar uma crise nos preços internacionais do café, afetou a já combalida economia cafeeira.


05. D;
06. B;
07. D;


08. a) Os efeitos da Grande Depressão se fizeram sentir mais sobre a Alemanha, pois esta não apenas se encontrava inserida na dinâmica das relações capitalistas internacionais, mas também ressentia-se profundamente com o repatriamento dos capitais norte-americanos que vinham sendo vitais para seu reerguimento econômico, após as crises por ela atravessadas no início da década de 1920. Já a União Soviética sofria, desde o triunfo da Revolução d e Outubro de 1917, os efeitos do isolamento imposto pela maioria dos países ocidentais, ao que se somava o fato de seus dirigentes estarem em preendendo uma política econômica comprometida com a implementação do socialismo.

b) Destacam-se como medidas do New Deal:
• a realização de maciços investimentos estatais em obras públicas de grande porte;
• a reorganização do sistema bancário, ampliando o controle do mesmo pela União;
• a criação de um sistema federal de seguro desemprego;
• a concessão de empréstimos a rendeiros, a fim de que pudessem comprar sua própria terra.


09. a) O liberalismo clássico pautado em Adam Smith, fundamenta-se na economia de livre mercado sem qualquer forma de intervencionismo uma vez que a economia se regulamenta por suas leis naturais, sobretudo a da oferta e da procura. Já o liberalismo do New Deal, apóia-se nas teorias de J. M. Keynes
e na defesa do Estado no gerenciamento da economia para assegurar o equilíbrio na produção e o pleno emprego.
b) No Brasil, a crise de 1929 gerou uma acentuada queda nas exportações e a falência de várias empresas, contribuindo para agravar a crise da República das oligarquias que culminou com a Revolução de 1930, levando Getúlio Vargas ao poder.


10. a) A crise de 1929 teve por epicentro a economia dos Estados Unidos, que haviam se transformado no principal centro de expansão do capitalismo mundial. O crash financeiro iniciou-se em outubro de 1929 e decorreu de um conjunto de fatores que marcavam a economia norte-americana nos anos de 1920, especialmente a especulação financeira, a crescente superprodução seguida de estocagem gigante de mercadorias e, não menos importante, da política liberal dos governos republicanos Warren G. Harding, Calvin Coolidge e Herbert Hoover.
b) Para o Brasil, o efeito mais grave da crise foi a queda na cotação da saca de café, que despencou de, aproximadamente 4 libras para 0,80 libras. Os efeitos dessa desvalorização foram vários. No que se refere ao comércio externo, como o café era o principal item de nossa pauta de exportações, as vendas para o exterior reduziram-se à metade, ocasionando uma redução proporcional na capacidade de importação.
Para o mercado interno, as consequências foram também desastrosas, visto que o peso relativo da cafeicultura sobre o conjunto da economia era muito grande. Assim, as falências e o desemprego verificados no setor cafeeiro começaram a se espalhar por outros setores produtivos, ameaçando desestruturar completamente a economia nacional. Simultaneamente, e já que a crise era mundial, os bancos estrangeiros que haviam financiado o plano de reforma monetária posto em prática por Washington Luís, exigiram a devolução dos empréstimos, o que agravou ainda mais a situação econômica. A crise teve também efeitos políticos, na medida em que enfraqueceu os mecanismos oligárquicos de poder e abriu caminho para a Revolução de 1930.

11. a) Os trabalhadores estavam desempregados e as máquinas acentuavam suas condições precárias.

b) Financiamento ao pequeno proprietário, emprego à população para o trabalho em obras públicas.

Gostou desta lista de Exercícios? Não esqueça de compartilhar com seus amigos:

Deixe um comentário