Exercícios sobre Literatura Geral com Gabarito

Texto para as questões 01 e 02 sobre Literatura Geral.

“POÉTICA

1

Que é Poesia?

uma ilha

cercada

de palavras

por todos

os lados.

2

Que é o Poeta?

um homem

que trabalha o poema

com o suor do seu rosto.

Um homem

que tem fome

como qualquer outro

homem.”

RICARDO, Cassiano. Jeremias Sem-Chorar. Rio de Janeiro: José Olympio, 1964.

 

01. UERJ A repetição da palavra “homem” na segunda estrofe exemplifica a seguinte característica:

a) variação semântica; c) reiteração expressiva;

b) vício de linguagem; d) onomatopéia modernista.

 

 

02. UERJ O eu-lírico no texto de Cassiano Ricardo expressa uma definição sobre a elaboração da poesia.

Essa definição é semelhante ao conteúdo do seguinte fragmento:

a) “Como varia o vento – o céu – o dia, / Como estrelas e nuvens e mulheres, / Pela regra geral de todos seres, / Minha lira também seus tons varia, / e sem fazer esforço ou maravilha.” (Álvares de Azevedo).

b) “O artista intelectual sabe que o trabalho é a fonte da criação e que a uma maior quantidade de trabalho corresponderá uma maior densidade de riquezas.” (João Cabral de Melo Neto).

c) “[Minhas poesias] não têm unidade de pensamento entre si, porque foram compostas em épocas diversas – debaixo de céu diverso – e sob a influência de impressões momentâneas.” (Gonçalves Dias).

d) “Um dia (…) tive saudades da casa paterna e chorei. As lágrimas correram e fiz os primeiros versos da minha vida, que intitulei – As Ave-Maria – a saudade havia sido a minha primeira musa.” (Casimiro de Abreu).

 

 

Questões de 03 a 04 sobre Literatura Geral.

Introdução: Para responder a essas questões, associe os fragmentos transcritos em cada uma às afirmativas apresentadas nas alternativas indicadas em destaque. Em seguida, identifique apenas uma única alternativa correta e marque o número correspondente.

a) Sentimento de angústia, por parte do sujeito poético, em face de um mundo conturbado.

b) Personagem-narrador movido por um sentimento que provoca a distorção da realidade.

c) Alusão a uma natureza não convencionada pelo estilo árcade.

d) Acontecimento circunstancial como revelador de estados psicológicos.

e) Personagem consciente da necessidade de igualdade social.

 

 

03. Uneb-BA

“Tu não verás, Marília, cem cativos

tirarem o cascalho e a rica terra,

ou dos cercos dos rios caudalosos,

ou da minada serra.

Não verás separar ao hábil negro

do pesado esmeril a grossa areia,

e já brilharem os granetes de oiro

no fundo da bateia.

Não verás enrolar negros pacotes

das secas folhas do cheiroso fumo;

nem espremer entre as dentadas rodas

da doce cana o sumo.”

GONZAGA, Tomás Antônio. In: Tomás Antônio Gonzaga. Org. por Lúcia Helena. Rio de Janeiro: Agir, 1985. p. 85-6. (Nossos Clássicos, v. 114.)

 

 

04. Uneb-BA

“Preso à minha classe e a algumas roupas,

vou de branco pela rua cinzenta.

Melancolias, mercadorias espreitam-me.

Devo seguir até o enjôo?

Posso, sem armas, revoltar-me?

Olhos sujos no relógio da torre:

Não, o tempo não chegou de completa justiça.

O tempo é ainda de fezes, maus poemas, alucinações e espera.”

ANDRADE, Carlos Drummond de. In: Antologia poética (Org. pelo autor). 36. ed. Rio de Janeiro São Paulo: Record, 1997. p. 24.

 

 

05. Literatura Geral: UERJ O fragmento transcrito expressa uma reflexão do autor-narrador quanto à escrita de seu livro contanto a experiência que viveu como preso político, durante o Estado Novo.

No que diz respeito às relações entre escrita literária e realidade, é possível depreender,

da leitura do texto, a seguinte característica da literatura:

a) revela ao leitor vivências humanas concretas e reais;

b) representa uma conscientização do artista sobre a realidade;

c) dispensa elementos da realidade social exterior à arte literária;

d) constitui uma interpretação de dados da realidade conhecida.

 

Exercícios sobre Concretismo, Tropicália e a Poesia Marginal.

 

06. UERJ Por causa da perda das anotações, relatada pelo narrador, o texto é impregnado

de dúvidas acerca da exatidão do que será levantado no livro.

O trecho que melhor representa um exemplo dessas dúvidas é:

a) “Quase me inclino a supor que foi bom privar-me desse material”

b) “Outras, porém, conservaram-se, cresceram, associaram-se, e é inevitável mencioná-las”

c) “neste esmiuçamento, exponho o que notei, o que julgo ter notado”

d) “Não as contesto, mas espero que não recusem as minhas”

 

 

Texto para as questões 07 e 08 sobre Literatura Geral.

“Namorados

O rapaz chegou-se para junto da moça e disse:

– Antônia, ainda não me acostumei com o seu corpo, com a sua cara.

A moça olhou de lado e esperou.

– Você não sabe quando a gente é criança e de repente vê uma lagarta listada?

A moça se lembrava:

– A gente fica olhando…

A meninice brincou de novo nos olhos dela.

O rapaz prosseguiu com muita doçura:

– Antônia, você parece uma lagarta listada.

A moça arregalou os olhos, fez exclamações.

O rapaz concluiu:

– Antônia, você é engraçada! Você parece louca.”

BANDEIRA, Manuel. Estrela da vida inteira: poesias reunidas. Rio, José Olympio, 1979.

 

07. UFR-RJ Analise as afirmativas a seguir e depois assinale a opção correta.

I. Lançando mão de um procedimento moderno, o poeta torna tênue o limite entre prosa e poesia.

II. A métrica rígida do poema é um procedimento comum do estilo de época ao qual se filia o texto.

III. O título do poema encerra uma ironia, pois não há no texto o lirismo que caracteriza as composições poéticas românticas.

a) I e III são corretas; d) somente I é correta;

b) somente III é correta; e) I e II são corretas.

c) II e III são corretas;

 

 

08. UFR-RJ A pergunta feita pelo rapaz provocou na moça:

a) a constatação da fugacidade do tempo;

b) a lembrança de um certo namorado de infância;

c) um brilho amargo e saudoso no olhar de menina;

d) um retorno ao comportamento infantil diante do inusitado;

e) a descoberta da efemeridade dos namoros da sua infância.

 

 

09. U. Salvador-BA

“Enche de estranhas vibrações sonoras

a tua Estrofe, majestosamente…

põe nela todo o incêndio das auroras

para torná-la emocional e ardente.”

Identifique com V os fragmentos que pertencem à mesma estética da estrofe em evidência e com F os demais.

( ) “Tudo, entre sombras, – o ar e o chão, a fauna e a flora / A erva e o pássaro, a pedra e o tronco, os ninhos e a hera, / A água e o reptil, a folha e o inseto, a flor e a fera, / – Tudo vozeia e estala em estos de pletora.”

( ) “Entre as trêmulas mornas ardentias, / A noite no alto-mar anima as ondas. / Sobem das fundas úmidas Golcondas, / Pérolas vivas, as nereidas frias.”

( ) “Ela vem, (sororal) vibrante como um sino, / Despertar-me no leito: ouro em tudo, – na face / De anjo morto, na voz, no olhar sobredivino. // Nasce a manhã, a luz tem cheiro… Ei-la que assoma / Pelo ar sutil… Tem cheiro a luz, a manhã nasce… / Oh sonora audição colorida do aroma!”

( ) “Foste de branco e vens de branco ainda trajada. / A túnica nupcial que em níveas dobras desce / Pelo teu corpo, tem a brancura sagrada / Dos alvos corporais do altar exposto à prece.”

( ) “O luar, sonora barcarola, / Aroma de argental caçoula, / Azul, azul em fora… // Como lençóis claros de neve, / Que o sol filtrando em luz esteve, / É transparente, é branco, é leve.

 

 

10. Literatura Geral: UFRS Leia os dois fragmentos abaixo:

I. 1 “Todo dia ela faz tudo sempre igual

2 me acorda às seis horas da manhã

3 Me sorri um sorriso pontual

4 E me beija com a boca de hortelã

5 Todo dia ela diz que é pra eu me cuidar

6 E essas coisas que diz toda mulher

7 Diz que está me esperando pro jantar

8 E me beija com a boca de café (…)”

Chico Buarque de Holanda.

II. 1 “quando eu chego em casa nada me consola

2 você está sempre aflita

3 com lágrimas nos olhos de cortar cebola

4 você está tão bonita

5 você traz a coca-cola

6 eu tomo

7 você bota a mesa

8 eu como eu como eu como eu como eu como

9 você

10 não tá entendendo nada do que eu digo

11 eu quero é ir-me embora

12 eu quero é dar o fora (…)”

Caetano Veloso.

 

Considere as seguintes afirmações sobre os fragmentos acima.

I. As duas canções apresentam, em comum, a tematização do cotidiano e dos atos automatizados da existência banal.

II. Nos versos selecionados, há uma preocupação com os procedimentos poéticos, como rimas, repetições e paralelismos.

III. O verbo “como” (v.8 ) e o pronome “você” (v. 9), da canção de Caetano, permitem uma dupla leitura, respectivamente, quanto ao significado e à função sintática.

Quais estão corretas?

a) Apenas I. d) Apenas II e III.

b) Apenas II. e) I, II e III.

c) Apenas I e II.

 

🔵 >>> Acesse todos as nossas atividades sobre Literatura através deste link.

 

Gabarito com as respostas das atividades de Língua Portuguesa sobre Literatura Geral:

01. c; 02. b; 03. a; 04. b; 05. d; 06. c; 07. d; 07. d;

09. V – V – F – V – F – F;

10. a