Exercícios de Língua Portuguesa sobre Carta pessoal, Aberta e de Leitor

01. Carta pessoal, Aberta e de Leitor: Querem cassar e caçar
Texto I
Preconceito anticristão! Esse é o nome da iniciativa do grupo Brasil para Todos e da ação da Procuradoria Regional de São Paulo. Querem proibir e promover a retirada de símbolos religiosos – como crucifixo e bíblias – que forem encontrados em áreas públicas dos órgãos federais, sob a argumentação de que o estado é laico.

Texto II
Gosto muito do seu raciocínio e da forma contundente como escreve, mas permita-me discordar. Prefiro o estado sem símbolos religiosos e patrulhador constante desse tipo de manifestação.

Texto III
Sou ateu e concordo plenamente com seu texto. Retirar os símbolos que, para a maioria, têm significado e expressão cultural é pusilânime.
VEJA, 12 ago. 2009 (Adaptação).

Analisando aspectos semânticos e pragmáticos nos três textos, só é CORRETO concluir que:
A) o texto I coloca em oposição o significado dos verbos “cassar” e “caçar” anunciados no título.
B) os três textos mostram leitores / produtores que comungam as mesmas ideias e opiniões sobre o assunto tratado.
C) o leitor / produtor do texto III demonstra desconhecer o conteúdo expresso no texto I, por se declarar ateu.
D) o termo “patrulhador”, utilizado pelo leitor / produtor do texto II, traz, no contexto apresentado, uma relação semântica com o verbo “caçar”, constante no título.

 

 

02. O princípio da interpretabilidade é fator significativo na relação leitor-texto. Além disso, o conhecimento prévio do assunto e a inserção no contexto em que ocorre a produção textual são, entre outras, condições indispensáveis para que esse leitor atribua sentidos ao texto.

À vista desse comentário, leia o texto:
Tirar a roupa.
Casar com um milionário.
Ter um programa de TV.
Ser descoberta.
Tirar a roupa.
Ter um filho de pai famoso.
Fechar um grande negócio.
Lançar um CD.
Tirar a roupa.
Entrar num reality show.
Sair nas colunas.
Herdar uma fortuna.
Namorar um jogador de futebol.
Tirar a roupa.
Agora tem um jeito muito mais fácil
de você virar celebridade. Aguarde.


VEJA. São Paulo: Abril, ano 36, n. 42, 22 out. 2003.

Agora, considere as seguintes afirmações que são feitas a respeito do texto:
I. A repetição da frase “Tirar a roupa”, ao longo do texto, ocorre somente em sentido denotativo e nos mesmos contextos.
II. A frase “Tirar a roupa”, por sua repetição, constitui uma estratégia do produtor para influenciar e impactar o leitor do texto, trazendo o sentido de apelo ao consumo e ao sucesso.
III. O texto inclui-se no gênero anúncio publicitário, destinando-se, preferencialmente, ao público feminino. IV. O destaque (negrito) e a disposição gráfica da palavra “celebridade”, no texto, apontam para o contexto, ao evocar a questão das desigualdades sociais.
V. O enunciado “Agora tem um jeito mais fácil de você virar celebridade” estabelece um elo de sentido com as demais frases do texto, inclusive com os termos “soltos” celebridade e azaléia.

Só está CORRETO o que se afirmou em:
A) I, III e IV.
B) II, III e V.
C) I, II e III.
D) I, III e V.

 

 

03. (Enem / Modelo–2009)
Concordo plenamente com o artigo “Revolucione a sala de aula”. É preciso que valorizemos o ser humano, seja ele estudante, seja professor. Acredito na importância de aprender a respeitar nossos limites e superá-los, quando possível, o que será mais fácil se pudermos desenvolver a capacidade de relacionamento em sala de aula. Como arquiteta, concordo com a postura de valorização do indivíduo, em qualquer situação: se procurarmos uma relação de respeito e colaboração, seguramente estaremos criando a base sólida de uma vida melhor.
Tania Bertoluci de Souza Porto Alegre, RS. Disponível em: <http://www.kanitz.com.br>. Acesso em: 02 maio 2009 (Adaptação).

Em uma sociedade letrada como a nossa, são construídos textos diversos para dar conta das necessidades cotidianas de comunicação. Assim, para utilizar-se de algum gênero textual, é preciso que conheçamos os seus elementos.
A carta de leitor é um gênero textual que:
A) apresenta sua estrutura por parágrafos, organizado pela tipologia da ordem da injunção (comando) e estilo de linguagem com alto grau de formalidade.
B) se inscreve em uma categoria cujo objetivo é o de descrever os assuntos e temas que circularam nos jornais e revistas do país semanalmente.
C) se organiza por uma estrutura de elementos bastante flexível em que o locutor encaminha a ampliação dos temas tratados para o veículo de comunicação.
D) se constitui por um estilo caracterizado pelo uso da variedade não padrão da língua e tema construído por fatos políticos.
E) se organiza em torno de um tema, de um estilo e em forma de paragrafação, representando, em conjunto, as ideias e opiniões de locutores que interagem diretamente com o veículo de comunicação.

 

 

04. Carta pessoal, Aberta e de Leitor:

Carta aberta ao Presidente da República
Brasília, 04 de junho de 2009.
Exmo. Sr.
Luiz Inácio Lula da Silva
DD Presidente da República
Sr. Presidente,
Vivemos ontem um dia histórico para o país e um marco para a Amazônia, com aprovação final, pelo Senado Federal, da Medida Provisória 458 / 09, que trata sobre a regularização fundiária da região. Os objetivos de estabelecer direitos, promover justiça e inclusão social, aumentar a governança pública e combater a criminalidade, que sei terem sido sua motivação, foram distorcidos e acabaram servindo para reafirmar privilégios e o execrável viés patrimonialista que não perde ocasião de tomar de assalto o bem público, de maneira abusiva e incompatível com as necessidades do País e os interesses da maioria de sua população.
Os especialistas que acompanham a questão fundiária na Amazônia afirmam categoricamente que a MP 458, tal como foi aprovada ontem, configura grave retrocesso, como aponta o Procurador Federal do Estado do Pará, Dr. Felício Pontes.
Sendo assim, Senhor Presidente, está em suas mãos evitar um erro de grandes proporções, não condizente com o resgate social promovido pelo seu governo e com o respeito devido a tantos companheiros que deram a vida pela floresta e pelo povo da Amazônia.
Permita-me também, Senhor Presidente, e com a mesma ênfase, lhe pedir cuidados especiais na regulamentação da Medida Provisória.
Por tudo isso, Sr. Presidente, peço que Vossa Excelência vete os incisos II e IV do artigo 2º; o artigo 7º e o artigo 13.
Com respeito e a fraternidade que tem nos unido, atenciosamente,
Senadora Marina Silva
Disponível em:<http://www.greenpeace.org> (Adaptação).

O texto apresentado é uma carta aberta, gênero textual de extrema importância na vida social contemporânea, sobretudo em sociedades democráticas.
Ao ser amplamente divulgada, a carta aberta tem como meta:
A) informar e conscientizar as pessoas em geral sobre um problema social ou político; assim, a carta aberta instiga o seu leitor a sustentar o apelo que compõe o conteúdo apresentado pelo seu produtor.
B) constituir o seu produtor como representante legítimo da população, tendo em vista ser ele o único credenciado a formalizar os reclames da sociedade perante a autoridade.
C) participar aos órgãos ou às autoridades competentes uma ação coletiva; por isso, a carta aberta é também conhecida e denominada de carta reivindicatória.
D) estimular e induzir o seu leitor a ponderar criticamente sobre diversos aspectos da sociedade onde vive, por meio de uma linguagem acessível a todos.

 

Exercícios de Língua Portuguesa sobre Carta Argumentativa.

 

05. Carta pessoal, Aberta e de Leitor: Leia atentamente os versos a seguir e, depois, faça o que é pedido.
Eu sei que vou te amar
Eu sei que vou te amar
Por toda a minha vida eu vou te amar
Em cada despedida, eu vou te amar
Desesperadamente, eu sei que vou te amar
E cada verso meu será
Pra te dizer
Que eu sei que vou te amar
Por toda a minha vida
Eu sei que vou chorar
A cada ausência tua, eu vou chorar
Mas cada volta tua há de apagar
O que esta tua ausência me causou
Eu sei que vou sofrer
A eterna desventura de viver
À espera de viver ao lado teu
Por toda a minha vida

Viníciuis de Morais e Tom Jobim

No texto dessa letra de música (MPB), observa-se a presença da linguagem coloquial, quando o leitor verifica:
A) o uso da 2ª pessoa do singular, em ocorrências como “a cada ausência tua”, forma de tratamento empregada em situações comunicativas menos formais, sobretudo quando seu produtor utiliza no texto gírias e jargões.
B) o emprego da expressão “há de apagar”, uma vez que, nesse caso específico, o verbo “haver”, por não ser sinônimo de existir, refere-se a uma forma típica do português falado espontaneamente.
C) a ocorrência da expressão “eu sei que vou te amar”, porquanto, na linguagem coloquial, a tendência é não empregar o pronome oblíquo posposto à locução verbal; desse modo, na modalidade padrão, a forma a ser empregada seria: eu sei que vou amar-te.
D) a inversão sintática no verso “A cada ausência tua, eu vou chorar”, pois, como a linguagem coloquial ocorre principalmente em situações comunicativas menos tensas e formais, é natural o uso de inversões linguísticas, como a que se observa no verso citado.

 

06. (UEMG–2010) Leia com atenção os quadrinhos a seguir e, depois, faça o que se pede.


QUINO. Toda Mafalda. São Paulo: Martins Fontes, 1993.
Tendo-se em vista a interação que se percebe entre Mafalda e Filipe, personagens da tira apresentada, e o conteúdo da mesma, considere as seguintes afirmações:
I. O emprego da forma verbal “fala”, no primeiro quadrinho, pode ser entendido como um constrangimento que Mafalda tentou causar em seu amigo Filipe, por ele desconhecer o ambiente em que se achava.
II. No primeiro quadrinho, a última frase dita por Mafalda estabelece uma relação de causa, diante do que ela disse anteriormente, no mesmo quadrinho.
III. O uso do vocábulo “então”, no terceiro quadrinho, deve-se ao fato de Filipe já ter excluído, após a resposta dada por Mafalda no quadrinho anterior, a primeira hipótese que ele havia inicialmente levantado.
IV. A ausência de elementos verbais no último quadrinho confirma as respostas de Mafalda nos dois quadrinhos anteriores, além de destacar o humor presente na tira.
V. O quadrinho final faz uma dura crítica à situação em que o nosso mundo se encontra, pois nem mesmo cuidados especiais, de acordo com visão da personagem Mafalda, resolveriam a maior parte dos problemas atuais do nosso planeta.

Está CORRETO o que se afirmou em:
A) I, II e IV.
B) II, III e IV.
C) I, III e V.
D) II, III e V.

 

 

07. Carta pessoal, Aberta e de Leitor: Como ler bem
O bom repórter deve ser imparcial, diz a lição número 1 do jornalismo. Mas o bom leitor também tem sua regra de ouro. Ele deve sempre, sempre, manter a cabeça aberta. O bom leitor sabe se distanciar das paixões. Está sempre disposto a ouvir uma ideia nova – ainda que:
ela coloque abaixo suas ideias antigas. Posto assim, ler bem parece um desafio fácil. Não é, como também não é simples ser imparcial.
SUPERINTERESSANTE, ed. n. 269, ano 23, nº 9 – Seção ESCUTA – (Adaptação).

Constatando a presença dos elementos de coesão como fatores da construção de sentido no texto, só NÃO está correta a afirmação de que:
A) o articulador mas relaciona-se semanticamente com o articulador também, na mesma linha, introduzindo, respectivamente, ideias de contraste e inclusão, no sentido do texto.
B) o termo posto assim refere-se às atitudes recomendadas ao bom leitor, anteriormente indicadas.
C) a repetição do termo sempre reforça a ideia de contradição entre a “lição número 1” do repórter e a “regra de ouro” do leitor.
D) o articulador representado por ainda que introduz o sentido de concessão, conectando as expressões “ideia nova” e “ideias antigas”.

 

🔵 >>> Confira nossa lista com todos os exercícios de Língua Portuguesa.

Gabarito com as respostas das atividades de Português sobre Carta pessoal, Aberta e de Leitor:

01. D;
02. B;
03. E;
04. A;
05. C;
06. B;
07. C

Deixe um comentário