Exercícios sobre Concretismo, Tropicália e a Poesia Marginal

01. Concretismo, Tropicália e a Poesia Marginal: (Enem–2009) Teatro do Oprimido é um método teatral que sistematiza exercícios, jogos e técnicas teatrais elaboradas pelo teatrólogo brasileiro Augusto Boal, recentemente falecido, que visa à desmecanização física e intelectual de seus praticantes. Partindo do princípio de que a linguagem teatral não deve ser diferenciada da que é usada cotidianamente pelo cidadão comum (oprimido), ele propõe condições práticas para que o oprimido se aproprie dos meios do fazer teatral e, assim, amplie suas possibilidades de expressão. Nesse sentido, todos podem desenvolver essa linguagem e, consequentemente, fazer teatro. Trata-se de um teatro em que o espectador é convidado a substituir o protagonista e mudar a condução ou mesmo o fim da história, conforme o olhar interpretativo e contextualizado do receptor.
Companhia Teatro do Oprimido. Disponível em: <www.ctorio.org.br>. Acesso em: 01 jul. 2009 (Adaptação).

Considerando-se as características do Teatro do Oprimido apresentadas, conclui-se que:
A) esse modelo teatral é um método tradicional de fazer teatro que usa, nas suas ações cênicas, a linguagem rebuscada e hermética falada normalmente pelo cidadão comum.
B) a forma de recepção desse modelo teatral se destaca pela separação entre atores e público, na qual os atores representam seus personagens e a plateia assiste passivamente ao espetáculo.
C) sua linguagem teatral pode ser democratizada e apropriada pelo cidadão comum, no sentido de proporcionar-lhe autonomia crítica para compreensão e interpretação do mundo em que vive.
D) o convite ao espectador para substituir o protagonista e mudar o fm da história evidencia que a proposta de Boal se aproxima das regras do teatro tradicional para a preparação de atores.
E) a metodologia teatral do Teatro do Oprimido segue a concepção do teatro clássico aristotélico, que visa à desautomação física e intelectual de seus praticantes.


02. (Enem–2004) O poema a seguir pertence à poesia concreta brasileira. O termo latino de seu título significa “epitalâmio”, poema ou canto em homenagem aos que se casam.

Considerando que símbolos e sinais são utilizados geralmente para demonstrações objetivas, ao serem incorporados no poema “Epithalamium – II”:
A) adquirem novo potencial de significação.
B) eliminam a subjetividade do poema.
C) opõem-se ao tema principal do poema.
D) invertem seu sentido original.
E) tornam-se confusos e equivocados.


03. Concretismo, Tropicália e a Poesia Marginal: (ITA-SP–2009) Leia o poema seguinte,

“Na contramão”,
de Chacal.
ela ali tão sem
eu aqui sem chão
nós assim ninguém
cada um na mão

Acerca desse poema, considere as seguintes afirmações.
I. Ele possui uma das marcas mais típicas da poesia contemporânea, que é a brevidade.
II. É notória a informalidade da linguagem, que afasta o poema da tradição culta e erudita.
III. Há um sentimentalismo contemporâneo que filtra os excessos da expressão sentimental.
IV. Existe a persistência do tema do desencontro amoroso (tradicional na literatura).

Está(ão) CORRETAS(S):
A) apenas a I.
B) apenas I e II.
C) apenas I, II e III.
D) apenas III e IV.
E) todas.


04. Concretismo, Tropicália e a Poesia Marginal: (UFRGS–2006) Assinale com V (VERDADEIRO) ou F (FALSO) as afirmações a seguir sobre o Movimento Tropicalista.

( ) Constituiu um movimento contracultural do final dos anos 60, liderado pelos músicos Caetano Veloso e Gilberto Gil.
( ) A sua estética compreendia o estilhaçamento da linguagem discursiva, a miscigenação de sons, ritmos e instrumentos diferenciados, a valorização do corpo e o tom parodístico das composições.
( ) Em 1968, a apresentação da canção “É Proibido Proibir”, por Caetano Veloso, no Festival Internacional da Canção, foi a primeira manifestação desse movimento e teve uma recepção calorosa por parte do público e da crítica.
( ) As canções tropicalistas afinavam-se e davam continuidade à chamada “canção de protesto”, da década de 60, por priorizarem o conteúdo sociopolítico.
( ) Além das obras musicais, são consideradas manifestações do tropicalismo no Brasil a encenação da peça O Rei da Vela, de Oswald de Andrade, pelo dramaturgo Celso Martinez Corrêa, e os filmes de Glauber Rocha.

A sequência CORRETA de preenchimento dos parênteses, de cima para baixo, é:
A) V V F F V
B) F V V F F
C) V F V F V
D) F F V V F
E) V F F V V


05. Concretismo, Tropicália e a Poesia Marginal: (UFV-MG–2010) O texto a seguir é a primeira estrofe do poema “ovonovelo”, do poeta concretista Augusto de Campos.

ovo
novelo
novo no velho
o filho em folhos
na jaula dos joelhos
infante em fonte
feto feito
dentro do
centro

CAMPOS, Augusto de. Apud. In: CLÜVER, Claus. Iconicidade e isomorfismo em poemas concretos brasileiros. O eixo e a roda. Revista de literatura brasileira, Belo Horizonte, v. 13, p. 26, jul.- dez. 2006.

É CORRETO afirmar que o poema:
A) enfatiza a subjetividade do poeta moderno.
B) faz uso construtivo dos espaços brancos da página.
C) emprega o verso tradicional.
D) produz um lirismo intimista.


06. Concretismo, Tropicália e a Poesia Marginal: (UFES / Adaptado)
Texto I
ra terra ter
rat erra ter
rate rra ter
rater ra ter
Décio Pignatari

Texto II
Retocai o céu de anil
Bandeirolas no cordão
Grande festa em toda a nação
Despertai com orações
O avanço industrial
Vem trazer nossa redenção
[…]
Pois temos o sorriso engarrafado
Já vem pronto e tabelado
É somente requentar e usar
É somente requentar e usar
O que é made, made, made
Made in Brazil

Texto III
Espero aprender inglês vendo
tv em cores. sou um pinta de
direita com vontade de poder
um baiano faminto baiano é
como papel higiênico: tão
sempre na merda. eficácia da linguagem na linha Pound
Tsé-tung. sou um reaça tento puxar tudo para trás: li retrato do artista quando jovem na tradução brasileira
Waly Salomão

Os poemas anteriores se referem aos movimentos da Poesia Concreta, do Tropicalismo e da Poesia Marginal.
Considere as seguintes afirmativas:
I. No texto I, podemos observar um jogo de palavras produzido através da concentração gráfica, processo bem explorado pelo concretismo, que remete para um bem social importante, concentrado economicamente e causador de conflitos políticos.
II. O texto II apresenta, na 1ª estrofe, uma relação contraditória entre a modernização do país e a concepção de nossa beleza natural e tradição religiosa, ao mesmo tempo que ironiza a industrialização como salvadora da pátria.
III. O texto III, com frases curtas e com a pontuação seguindo a norma gramatical, junta uma pequena nota biográfica do poeta a um olhar mal-humorado sobre a condição de existência do povo, além de seguir e cultivar uma forma inusitada de linguagem poética.
IV. Os três textos são exemplos de que os movimentos descritos podem ser reunidos sob o rótulo, ainda que incômodo para seus realizadores, de vanguardas artísticas, e de que tinham como fundamento político o nacionalismo desenvolvimentista.
V. Os três textos são exemplos de que tais movimentos pautavam-se em modernizar a cultura brasileira, assim como em enfrentar a estagnação das artes, criticar o atraso econômico e recusar a concepção de copiar o exterior como o melhor a ser feito entre nós.

Das afirmativas anteriores:
A) apenas uma é correta.
B) apenas duas são corretas.
C) apenas três são corretas.
D) apenas quatro são corretas.
E) todas são corretas.


07. (FCC-SP) O concretismo brasileiro caracteriza-se por:

A) renovação de temas, privilegiando a revelação expressionista dos estados psíquicos do poeta.
B) exploração poética do som, da letra impressa, da linha, dos espaços brancos da página.
C) preocupação com a correção sintática, desinteresse pela exploração dos campos semânticos novos.
D) descaso pelos aspectos formais do poema.
E) preferência pela linguagem formalmente correta.


08. Concretismo, Tropicália e a Poesia Marginal: (PUC-SP) Leia atentamente a letra da música.

Geléia Geral
Um poeta desfolha a bandeira
e a manhã tropical se inicia
resplandecente candente fagueira
num calor girassol com alegria na geléia geral brasileira
que o jornal do brasil anuncia
ê bumba-iê-iê-boi
ano que vem mês que foi
ê bumba-iê-iê-iê
é a mesma dança meu boi […]
(é a mesma dança na sala
no canecão na tv
e quem não dança não fala
assiste a tudo e se cala
não vê no meio da sala
as relíquias do Brasil:
doce mulata malvada
um LP do Sinatra
maracujá mês de abril
santo barroco baiano
superpoder de paisano
formiplac e céu de anil
três destaques da portela
carne seca na janela
alguém que chora por mim
um carnaval de verdade
hospitaleira amizade
brutalidade jardim) […]
GIL, Gilberto; NETO, Torquato. Geléia Geral. (Fragmento).

Sobre o movimento cultural que teve lugar no Brasil, na década de 60 e que se manifestou sobretudo na música popular com autores como Gilberto Gil, Caetano Veloso, Tom Zé e outros, é CORRETO afirmar que:
A) tinha orientações políticas preciosas, direcionadas ao combate da ditadura militar vigente no país, o que era explícito em suas canções.
B) criticava a influência cultural estrangeira em nosso país, que envolvia cinema, literatura, televisão, rock.
C) afirmava o valor exclusivo da musicalidade intimista, não admitindo, assim, o emprego de instrumentos elétricos em suas apresentações.
D) buscava problematizar a cultura por meio da recombinação do tradicional, do erudito, do moderno, do nacional e do global, numa atitude antropofágica.
E) questionava o papel da mídia como instrumento de alienação, ausentando-se, assim, dos festivais da canção promovidos pelas emissoras de TV brasileiras.


09. (PUCPR–2010) Para responder à questão a seguir, leia o poema de Paulo Leminski, que consta do seu livro

Poemas.
Marginal é quem escreve à margem,
deixando branca a página
para que a paisagem passe
e deixe tudo claro à sua passagem.
Marginal, escrever na entrelinha,
sem nunca saber direito
quem veio primeiro,
o ovo ou a galinha.

I. O poema faz referência à poesia marginal, grupo do qual Leminski fez parte.
II. O humor, uma das marcas da poesia leminskiana, remete o leitor ao fazer poético.
III. É um haicai, nos moldes japoneses.
IV. No poema, Leminski faz uma crítica à marginalização do poeta na sociedade.

A) Apenas as assertivas I e II estão corretas.
B) Apenas as assertivas I, II e III estão corretas.
C) Apenas a assertiva I está correta.
D) Todas as assertivas estão corretas.
E) Apenas a assertiva II está correta.


10. Concretismo, Tropicália e a Poesia Marginal: (UEPG-PR–2007) Considerando o poema concretista de Haroldo dos Campos, assinale o que for CORRETO.

Se
nasce
morre nasce
morre nasce morre
renasce remorre renasce
remorre renasce
remorre
re
CAMPOS, Haroldo de. Teoria da Poesia Concreta. 1987.

01. Respeita-se a distribuição linear do verso como elemento fundamental do poema.
02. A relação com o leitor se dará mais através da comunicação visual do que da verbal.
04. Ocorre exploração estética do som e da letra impressa, com a decomposição e montagem da palavra.
08. Ocorre um desinteresse pela exploração de novos campos semânticos.
16. No poema concreto, ocorre o abandono do discurso tradicional, privilegiando os recursos gráficos das palavras.
Soma ( )

🔵 >>> Confira nossa lista com todos os exercícios de Língua Portuguesa.

Gabarito com as respostas dos exercícios de Literatura sobre Concretismo, Tropicália e a Poesia Marginal:

Resposta do exercício 01. C;

Resposta do exercício 02. A;

Resposta do exercício 03. E;

Resposta do exercício 04. A;

Resposta do exercício 05. B;

Resposta do exercício 06. C;

Resposta do exercício 07. B;

Resposta do exercício 08. D;

Resposta do exercício 09. A;

Resposta do exercício 10. TOTAL = 22

Gostou desta lista de Exercícios? Não esqueça de compartilhar com seus amigos:

Deixe um comentário