Controle da Administração Pública Questões para Concursos

01. (ESAF / MPOG 2015). Controle da Administração Pública:

As opções a seguir correspondem a meios de controle dos atos administrativos previstos na Constituição Federal, exceto:

a) Ação Popular, que objetiva a anulação ou a declaração de nulidade de atos lesivos ao Patrimônio Público, à moralidade Administrativa, ao Meio Ambiente e ao Patrimônio Histórico e Cultural.

b) Ação de Improbidade Administrativa, que visa proteger o patrimônio público, o meio ambiente e outros direitos difusos e coletivos; é ajuizada pelo Ministério Público.

c) Habeas Corpus, que visa proteger o direito de locomoção sempre que alguém ou se achar ameaçado de sofrer violência ou coação em sua liberdade de locomoção, por ilegalidade ou abuso de poder.

d) Habeas Data, que visa proteger o direito a informações relativas à pessoa do impetrante, constante de registro ou banco de dados de entidades governamentais ou de cará ter público.

e) Mandado de Injunção, utilizado sempre que a falta de norma regulamentadora torne inviável o exercício dos direitos e liberdades constitucionais e das prerrogativas inerentes à nacionalidade, à soberania e à cidadania.

 

 

02. (ESAF / PGFN 2015). Controle da Administração Pública:

O Prefeito do Município X decidiu construir, defronte à sede da Prefeitura, um monumento em homenagem a seu avô, fundador da universidade local. A obra teria 20 metros e seria esculpida em mármore e aço. A associação de pais de crianças portadoras de necessidades especiais ajuizou ação civil pública para impedir a construção do monumento, sob a alegação de que os recursos envolvidos na aludida homenagem seriam suficientes para a reforma e adaptação de acessibilidade das escolas municipais, de forma a proporcionar o pleno acesso de pessoas com deficiência. Os procuradores do município argumentaram que a construção do monumento visa a preservar a memória da cidade, bem como que a alocação de recursos seria ato discricionário do Prefeito. Diante do relatado e com base na jurisprudência atual sobre o controle jurisdicional da administração pública, assinale a opção correta.

a) O ato do Prefeito, embora discricionário, é passível de controle pelo Poder Judiciário, a fim de que este avalie a conformidade desse ato com os mandamentos constitucionais.

b) O Poder Judiciário, se entender pela violação a princípio da administração pública, poderá revogar o ato administrativo expedido pelo Prefeito.

c) O ato discricionário não é sindicável pelo Poder Judiciário.

d) Neste caso, o Poder Judiciário poderá decidir pela alteração do projeto e do material a ser utilizado no monumento, de forma a diminuir os custos da obra.

e) A associação de pais de crianças portadoras de necessidades especiais não tem legitimidade para ajuizar ação civil pública.

 

 

03. (ESAF / MPOG 2015). Controle da Administração Pública:

O Tribunal de Contas da União representou ao Congresso Nacional, noventa e cinco dias, irregularidades e abusos apurados em contratos auditados. Considerando unicamente estas informações, pode–se afirmar que:

a) o Congresso Nacional tem prazo ilimitado para deliberar.

b) após 80 (oitenta) dias, o Poder Executivo decidirá o procedimento corretivo aplicável.

c) o Senado Federal passa a ter competência para deliberar em 30 (trinta) dias.

d) o Tribunal de Contas da União decidirá a respeito.

e) a Câmara dos Deputados passa a ter a competência para deliberar em 90 (noventa) dias.

 

 

04. (ESAF / MTUR 2014). Controle da Administração Pública:

Referente ao controle da administração pública, assinale a opção correta.

a) O Senado Federal não tem o poder de convocar Ministro de Estado para prestar pessoalmente informações sobre assunto previamente determinado.

b) Não é possível supervisão ministerial de empresas estatais.

c) O Congresso Nacional não possui a função de julgar anualmente as contas prestadas pelo Presidente da República.

d) O Poder Judiciário não tem sistema de controle interno.

e) Ação popular não pode ser proposta por pessoa jurídica.

 

 

05. (ESAF / RFB 2014). Controle da Administração Pública:

Sobre o controle da administração, o artigo 71 da Constituição Federal especifica as competências dos Tribunais de Contas. Não é competência dos Tribunais de Contas:

a) representar o Poder competente sobre irregularidades ou abusos apurados.

b) realizar inspeções e auditorias de natureza contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial.

c) assinar prazo para que o órgão ou entidade adote as providências necessárias ao exato cumprimento da lei, se verificada ilegalidade.

d) apreciar, para fins de registro, as nomeações para cargos de provimento em comissão, na administração direta e indireta.

e) apreciar as contas prestadas anualmente pelos chefes do Poder Executivo.

 

Tecnologias Gerenciais e Organizacionais na Administração Publica.

 

06. (ESAF / MF 2014). Controle da Administração Pública:

São atribuições principais de uma ouvidoria pública, exceto:

a) Concretização dos preceitos constitucionais que regem a administração pública.

b) Preservação da Administração.

c) Reparação do dano.

d) Indução de mudança.

e) Promoção da democracia.

 

 

07. (ESAF / MTUR 2014). Controle da Administração Pública:

São requisitos básicos da ouvidoria enquanto mecanismo de participação social na gestão pública, exceto:

a) acesso irrestrito a todas as informações

b) autonomia.

c) poder decisório

d) instituição de mandato.

e) estrutura organizativa e orçamento condizente com as necessidades.

 

 

08. (ESAF / MPOG 2013). Controle da Administração Pública:

As competências e as atribuições dos Tribunais de Contas foram ampliadas consideravelmente no que tange à abrangência e ao alcance dos poderes até então conferidos a tais instituições e estão definidas, em linhas gerais, no caso do Tribunal de Contas da União, nos Artigos 70 e 71 da Constituição Federal de 1988, cujas disposições se aplicam, também, no que couber aos Tribunais de Contas dos Estados, do Distrito Federal e aos Conselhos de Contas dos Municípios. Da análise dos referidos artigos, conclui–se que o exercício das atribuições e competências do Controle Externo Técnico visa garantir o estrito respeito aos princípios fundamentais da administração pública, quais sejam: legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência, princípios esses traçados no Artigo 37 da mesma Constituição Federal. Os Tribunais de Contas, amparados por suas competências constitucionais, desempenham, entre outras, as seguintes atividades principais, assinale a opção correta.

a) Auxiliam o Poder Judiciário em suas atribuições de efetuar o julgamento do agente titular de cada poder, emitindo parecer prévio recomendando a aprovação ou rejeição de suas contas.

b) Julgam, por intermédio de analistas de orçamento e finanças do Poder Executivo, as contas dos ordenadores de despesa e demais responsáveis por dinheiros, bens e valores públicos da administração direta e indireta, e as contas daqueles que derem causa à perda, extravio ou outra irregularidade de que resulte prejuízo ao erário. Assim o fazem emitindo decisão reprovando ou aprovando, com ou sem ressalvas, as contas prestadas ou tomadas de tais responsáveis.

c) Procedem, por iniciativa própria ou por solicitação do Poder Judiciário, à fiscalização contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial dos poderes das respectivas esferas de governo e das demais entidades.

d) Apreciam, para fins de registro, mediante a emissão de acórdão, a legalidade dos atos de admissão de pessoal, na administração direta e indireta, bem como a das concessões de aposentadorias, reformas e pensões, ressalvadas as melhorias posteriores que não alterem o fundamento legal do ato concessório.

e) Da atribuição de julgador conferido aos Tribunais de Contas pelas atribuições do Poder Judiciário previstas no texto constitucional, resulta, em consequência, a competência sancionadora de imputar débito ou multa a cuja decisão a Constituição Federal em seu art. 71, § 3°, conferiu a eficácia de título executivo, que é aquele que goza de liquidez e certeza da decisão judicial.

 

 

09. (ESAF / MF 2013). Controle da Administração Pública:

Quanto ao controle da administração pública, é correto afirmar:

a) o controle da esfera federal é denominado de tutela, o qual somente pode ser exercido nos limites estabelecidos em lei.

b) o controle político abrange aspectos ligados somente ao mérito do ato administrativo e não a aspectos de legalidade.

c) o controle financeiro previsto na constituição federal compreende também o controle da legitimidade.

d) não é possível a apreciação judicial dos atos discricionários praticados pela Administração Pública por se tratar de “mérito”, principalmente quanto à “motivação”, visto que abrangido pela oportunidade e conveniência do administrador público.

e) o recurso administrativo próprio é dirigido a órgão ou autoridade estranha à hierarquia da que expediu o ato recorrido e por esse órgão ou autoridade julgado.

 

 

10. (ESAF / MF 2013). Controle da Administração Pública:

É por meio da Administração Pública que o Estado dispõe dos elementos necessários para implementar as prioridades do Governo. Assim, é de extrema relevância o estudo acerca das ações empreendidas pelo gestor da coisa pública, destacando especial atenção ao grau de aderência ao interesse público. O objetivo principal do controle interno é o de possuir ação preventiva antes que ações ilícitas, incorretas ou impróprias possam atentar contra os princípios expostos pela Constituição da República Federativa do Brasil. O controle interno se funda em razões de ordem administrativa, jurídica e mesmo política. Sem controle não nem poderia haver, em termos realistas, responsabilidade pública. A responsabilidade pública depende de uma fiscalização eficaz dos atos do Estado. Neste contexto, o controle interno opera na organização compreendendo o planejamento e a orçamentação dos meios, a execução das atividades planejadas e a avaliação periódica da atuação. O controle é instrumento eficaz de gestão e não é novidade do ordenamento jurídico brasileiro. Assinale, entre as opções abaixo, a opção incorreta acerca do controle público.

a) O Artigo 70 da Constituição Federal afirma que a fiscalização contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial da União e das entidades da administração direta, indireta, quanto à legalidade, legitimidade, economicidade, aplicação de subvenções e renúncia de receitas, será exercida pelo Poder Judiciário, mediante controle externo, e pelo sistema de controle interno de cada poder.

b) O Artigo 71 da Constituição Federal afirma que o controle externo, a cargo do Congresso Nacional, será exercido com o auxílio do Tribunal de Contas da União, instrumento do Poder Legislativo.

c) O Artigo 74 da Constituição Federal afirma que os Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário manterão, de forma integrada, sistema de controle interno.

d) O Artigo 76 da Lei n. 4.320/64 estabelece que o Poder Executivo exercerá os três tipos de controle da execução orçamentária: 1) legalidade dos atos que resultem arrecadação da receita ou a realização da despesa, o nascimento ou a extinção de direitos e obrigações; 2) a fidelidade funcional dos agentes da administração responsáveis por bens e valores públicos; 3) o cumprimento do programa de trabalho

expresso em termos monetários e em termos de realização de obras e prestação de serviços.

e) A Lei n. 4.320/64 inovou ao consagrar os princípios de planejamento, do orçamento e do controle, estabelecendo novas técnicas orçamentárias para a eficácia dos gastos públicos.

 

🔵 >>> Continue na segunda parte desta lista de questões.
 

Confira a nossa lista completa de exercícios sobre Administração.

 

Gabarito com as respostas das questões sobre Controle da Administração Pública:

01. B;
02. A;
03. D;
04. E;
05. D;
06. B;
07. C;
08. D;
09. C;

10. A

Gostou desta lista de Exercícios? Não esqueça de compartilhar com seus amigos:

Deixe um comentário