Sistema Sanguíneo Fator Rh Questões com Gabarito

01. Mackenzie-SP. Fator Rh: Um indivíduo de sangue do tipo B, Rh+, filho de pai O, Rh-, casa-se com uma mulher de sangue do tipo A, Rh+, que teve eritroblastose fetal ao nascer e é filha de pai do tipo 0. A probabili­dade de esse casal ter uma criança que possa doar sangue para o pai é de:

a. 1/2
b. 1/4
c. 3/4 e. 1
d. zero


02. Ufla-MG. O sistema Rh em seres humanos é controlado por um gene com dois alelos, dos quais o alelo dominante R é responsável pela presença do fator Rh nas hemácias e, portanto, fenótipo Rh+. 0 alelo recessivo r é responsável pela au­sência do fator Rh e fenótipo Rh-.

heredograma Rh+ e Rh-

Com base no heredograma, determine os ge­nótipos dos indivíduos 1, 2, 3, 4, 5 e 6, respec­tivamente.
a. RR, Rr, Rr, RR, Rr, RR
b. Rr, Rr, rr, Rr, Rr, rr
c. Rr, Rr, Rr, rr, RR, Rr
d. Rr, Rr, rr, RR, Rr, rr


03. UFSC. Fator Rh: Ao final da gravidez, é comum haver peque-nas rupturas placentárias que permitem a passagem de hemácias fetais para o sangue materno. A mãe, assim, pode ser sensibili­zada e, dependendo de seu tipo sanguíneo e do tipo sanguíneo do feto em relação ao sistema Rh, gerar uma doença denominada eritroblastose fetal.

Com relação ao fenômeno descrito e suas con­sequências, é correto afirmar que:
01. a mãe tem de ser Rh negativo.
02. o pai tem de ser Rh positivo.
04. a criança é, obrigatoriamente, homozigota. 08. a mãe é, obrigatoriamente, homozigota. 16. o pai pode ser heterozigoto.
32. a criança é Rh negativo.
64. o pai pode ser homozigoto.
Dê a soma dos itens corretos.


04. Mackenzie-SP. 0 quadro representa os resultados dos testes de tipagem sanguínea para um homem, para seu pai e para sua mãe. 0 sinal + indica que houve aglutinação e o sinal – indica ausência de aglutinação.

 Anti-AAnti-BAnti-Rh
Homem++
Pai+++
Mãe

Assinale a alternativa correta.
a. Esse homem tem anticorpos contra o sangue de sua mãe.
b. O pai desse homem é doador universal.
c. Esse homem apresenta aglutinogênio A em suas hemácias.
d. Esse homem poderia ter um irmão per­tencente ao tipo O, Rh-.
e. Esse homem poderia ter tido eritro­blastose fetal ao nascer.


05. Australiana muda de grupo sanguíneo após transplante
A australiana Demi-Lee Brennan, 15, mudou de grupo sanguíneo, O Rh-, e ado­tou o tipo sanguíneo de seu doador, O Rh+, após ter sido submetida a um transplante de figado, informou a equipe médica do hospital infantil de Westmead, Sydney. A garota tinha nove anos quando fez o trans­plante. Nove meses depois, os médicos descobriram que havia mudado de grupo sanguíneo, depois que as células-tronco do novo figado migraram para sua medula óssea. O fato contribuiu para que seu orga­nismo não rejeitasse o órgão transplantado.
Folha online, 24/1/2008

Sobre esse fato, pode-se dizer que a garota:
a. não apresentava aglutinogênios anti-A e anti-B em suas hemácias, mas depois do transplante passou a apresentá-los.
b. apresentava aglutininas do sistema ABO em seu plasma sanguíneo, mas depois do transplante deixou de apre­sentá-las.
c. apresentava o fator Rh, mas não apre­sentava aglutininas anti-Rh em seu san­gue, e depois do transplante passou a apresentá-las.
d. quando adulta, se engravidar de um ra­paz de tipo sanguíneo Rh-, poderá ge­rar uma criança de tipo sanguíneo Rh+.
e. quando adulta, se engravidar de um ra­paz de tipo sanguíneo Rh+, não corre o risco de gerar uma criança com eritro­blastose fetal.

 


06. PUC-MG. Fator Rh: Os esquemas mostram as possíveis transfu­sões de sangue tradicionais em relação aos sistemas ABO e Rh.

esquemas com possíveis transfu­sões de sangue do sistemas ABO e Rh.

Pode-se dizer que os tipos sanguíneos mais di­fíceis e mais fáceis para receber sangue são, respectivamente:
a. O Rh+ e O Rh-
b. O Rh- e AB Rh+
c. A Rh+ e AB Rh-
d. B Rh- e AB Rh+
e. AB Rh+ e O Rh-


07. UFPE. No segundo parto de uma mulher, o feto apresentou o quadro de hemólise de hemá­cias, conhecido por doença hemolítica do re­cém-nascido (DHRN) ou eritroblastose fetal. Considerando o fato de que essa mulher não foi submetida a transfusão de sangue em toda a sua vida anterior e teve seu primeiro filho sem qualquer anormalidade, analise os genótipos descritos no quadro apresentado, e assinale a alternativa que indica, respecti­vamente, os fenótipos da mãe, do primeiro filho e do segundo filho.

 

MÃE

1º FILHO

2º FILHO

a

Rh

Rh

Rh+

b

Rh

Rh+

Rh

c

Rh

Rh+

Rh+

d

Rh+

Rh

Rh+

e

Rh+

Rh+

Rh

 

 


08. UERJ. Função do sistema imunológico é a de defen­der o organismo contra invasores. Bactérias, vírus, fungos, tecidos ou órgãos transplantados, e mesmo simples moléculas, podem ser reconhecidos pelo organismo como agentes agressores.

a. Os gráficos a seguir mostram a varia­ção da concentração de anticorpos contra um determinado antígeno no sangue de uma pessoa, em função do tempo, em duas condições: vacinação ou soroterapia.

gráfico varia­ção da concentração de anticorpos contra um determinado antígeno no sangue

Um dos gráficos mostrados corresponde à variação da concentração de anticorpo antio­fídico no sangue de uma pessoa mordida por uma serpente e tratada com uma dose do soro apropriado. Justifique por que esse tratamento deve ser feito logo após a picada do animal e, por que, em casos mais graves, deve ser repetido a intervalos de tempo relativamente curtos.

b. Na eritroblastose fetal, a mãe produz an­ticorpos contra o fator Rh do filho. A doença só se manifesta, porém, a partir da segunda gravidez.

Indique a condição que deve estar presente no feto para o desenvolvimento da eritroblasto­se em filhos de mulheres que não produzem fator Rh. Explique por que, mesmo nessas cir­cunstâncias, o primeiro filho nunca é afetado.


09. Unicamp-SP. Os grupos sanguíneos humanos podem ser classificados em 4 tipos: A, AB, B e O, pelo sistema ABO e, de acordo com o sistema Rh, como Rh+ e Rh-.

a. Explique como o sangue de uma pessoa pode ser identificado em relação aos sistemas ABO e Rh.
b. Explique por que uma pessoa com san­gue tipo 0 é doadora universal, mas só pode receber sangue do tipo O, enquanto uma pessoa com sangue AB é receptora universal, mas não pode doar para os outros tipos.


10. PUC-MG. Interpretando a figura a seguir sobre a doença hemolítica do recém-nascido (DHRN), assinale a afirmativa incorreta.

exercício doença hemolítica do recém-nascido

a. A placenta normalmente funciona como uma barreira que separa as célu­las sanguíneas fetais e maternas.
b. Após a 1á gravidez, os antígenos fe­tais não serão capazes de induzir a produção de anticorpos anti-Rh pela mãe.
c. Em III, após o contato com o antígeno Rh+, a mãe produz anticorpos anti-Rh que podem ser transferidos para a cor-rente sanguínea fetal.
d. Se, logo após o parto da 1á gravidez, a mãe recebesse anticorpos anti-Rh, a DHRN poderia ser evitada.

 

🔵 >>> Confira a lista completa com todos os exercícios sobre Genética.

Não deixe de estudar com a segunda parte desta lista de exercícios sobre o Sistema Sanguíneo Fator Rh:

 

Gabarito com as respostas das questões sobre o Sistema Sanguíneo Fator Rh:

Gabarito do exercício 01.A;

Gabarito do exercício 02. B;

Gabarito do exercício 03. 91 (01+02+08+16+64);

Gabarito do exercício 04. E;

Gabarito do exercício 05.E;

Gabarito do exercício 06. B;

Gabarito do exercício 07. C;

Gabarito do exercício 08. a. Porque o soro antiofídico já apresenta os anticorpos apropriados prontos, produzidos em um animal. Quando administrado logo após a picada, atingem rapidamente níveis elevados no sangue, neutralizando prontamente a toxina da serpente.
No entanto, esses níveis também caem rapidamente, como mostrado no gráfico 1. Por essa razão, nos casos mais graves, a aplicação deve ser repetida até que toda a toxina inoculada seja neutralizada.

b. O feto deve ser capaz de produzir fator Rh, ou seja, ser Rh+.
Como a produção inicial de anticorpos pela mãe Rh- contra o fator Rh fetal é pequena, esses anticorpos não chegarão a transpor com efi­ciência, na primeira gestação, a barreira placentá­ria que separa a circulação materna da fetal.

Gabarito do exercício 09. a. Para identificar o tipo sanguíneo de um determinado indivíduo, colocam-se, sobre gotas de sangue deste indivíduo, diferentes soluções conten­do anticorpos contra os antígenos acima citados.
De acordo com a reação de aglutina­ção que ocorrer no sangue testado, descobre-se o tipo de sangue que o indivíduo apresenta.

aglutinação Anti-A e Anti-B

Da mesma forma que se faz para detec­tar o tipo sanguíneo no sistema ABO, para o sis­tema Rh também coloca-se sobre uma gota de sangue de determinado indivíduo uma solução contendo anticorpos anti-Rh.

b. Uma pessoa com tipo sanguíneo O não apresenta antígenos, por isso pode ser doadora universal. Porém esse indivíduo O possui anti­corpos anti-A e anti-B, portanto não pode re­ceber sangue de qualquer outro indivíduo que não seja do tipo O também.
Já a pessoa com tipo sanguíneo AB não possui anticorpos anti-A nem anti-B, por isso pode ser receptora universal. Mas, como esse indivíduo AB possui antígeno A e antígeno B, só pode doar sangue para indivíduo também AB.

Gabarito do exercício 10. B

Gostou desta lista de Exercícios? Não esqueça de compartilhar com seus amigos:

Deixe um comentário