Exercícios sobre a Agricultura no Brasil

01. Agricultura no Brasil: (UFRN–2010) No Brasil, um dos graves problemas do campo é a distorção da estrutura fundiária, marcada por forte concentração de terras.
O mapa a seguir mostra a distribuição regional dos imóveis rurais.
Brasil: tipos de imóveis rurais – distribuição regional (%)

P – Pequena propriedade
M – Média propriedade
G – Grande propriedade
MOREIRA, Igor. Espaço geográfico: geografia geral e do Brasil. São Paulo: Ática, 2006. p. 287 (Adaptação).

Considerando-se as informações apresentadas, é CORRETO afirmar:
A) A estrutura fundiária da região Sul tem um elevado percentual de grandes propriedades que ocupam a maior parte da área total dos imóveis rurais.
B) A estrutura fundiária da região Norte apresenta um baixo percentual de pequenas propriedades que ocupam a maior parte da área total dos imóveis rurais.
C) A estrutura fundiária da região Sul apresenta elevado percentual de pequenas propriedades que ocupam a menor parte da área total dos imóveis rurais.
D) A estrutura fundiária da região Norte tem um baixo percentual de grandes propriedades que ocupam a maior parte da área total dos imóveis rurais.

 

02. (UNIT-SE–2011)
Distribuição das propriedades agrícolas por região – 2006

Considerando-se o gráfico e os conhecimentos sobre a estrutura fundiária do Brasil, marque V para as afirmativas VERDADEIRAS e F, para as FALSAS.
( ) A região Centro-Oeste apresenta grande concentração fundiária e o maior aumento das áreas de lavoura do país.
( ) O Nordeste possui a mais justa distribuição de terras do país, visto que detém quase a metade dos produtores rurais.
( ) Os estados do Sul, como resultado da colonização europeia, tem a estrutura fundiária mais bem distribuída do país.
( ) A região Norte detém cerca de 15% dos estabelecimentos agropecuários, dos quais a maior parte é utilizada pela agricultura familiar, com produção voltada para o consumo do país.
( ) No Sudeste, cerca de 18% dos estabelecimentos agropecuários ocupam uma complexa rede de áreas de diferentes desigualdades na concentração de terras.
A alternativa que indica a sequência CORRETA, de cima para baixo, é a:
A) V F F V F.
B) V F V F V.
C) F F V V F.
D) F V F V V.
E) V V V F V.

 

 

03. (Enem–2009) A luta pela terra no Brasil é marcada por diversos aspectos que chamam a atenção. Entre os aspectos positivos, destaca-se a perseverança dos movimentos do campesinato e, entre os aspectos negativos, a violência que manchou de sangue essa história.
Os movimentos pela reforma agrária articularam-se por todo o território nacional, principalmente entre 1985 e 1996, e conseguiram de maneira expressiva a inserção desse tema nas discussões pelo acesso à terra. O mapa seguinte apresenta a distribuição dos conflitos agrários em todas as regiões do Brasil nesse período, e o número de mortes ocorridas nessas lutas.

Brasil – Vítimas fatais de conflitos ocorridos no campo 1985-1996

Comissão Pastoral da Terra – CPT. OLIVEIRA, A. U. A longa marcha do campesinato brasileiro: movimentos sociais, conflitos e reforma agrária. Revista Estudos Avançados. vol. 15. n. 43, São Paulo, set. / dez. 2001.
Com base nas informações do mapa acerca dos conflitos pela posse de terra no Brasil, a região:
A) conhecida historicamente como das Missões Jesuíticas é a de maior violência.
B) do Bico do Papagaio apresenta os números mais expressivos.
C) conhecida como oeste baiano tem o maior número de mortes.
D) do norte do Mato Grosso, área de expansão da agricultura mecanizada, é a mais violenta do país.
E) da Zona da Mata mineira teve o maior registro de mortes.

 

Atividades sobre a Região Centro-Oeste do Brasil.

 

04. Agricultura no Brasil: (UFU-MG–2011) Observe as afirmações sobre a produção agropecuária e as novas relações cidade-campo.
I. A grande evolução tecnológica ocorrida com a Revolução Industrial propiciou o aumento da produção, a transição da manufatura para a indústria e a ampliação da divisão do trabalho. A industrialização consolidou a sociedade rural baseada em unidades produtivas autônomas e a subordinação da cidade ao campo, dando lugar a uma sociedade tipicamente rural.
II. Nos países desenvolvidos e industrializados, a produção agrícola foi intensificada por meio da modernização das técnicas empregadas, utilizando cada vez menos mão de obra. Enquanto isso, nos países subdesenvolvidos, as regiões agrícolas, principais responsáveis pelo abastecimento do mercado externo, passam por semelhante processo de modernização das técnicas de cultivo e colheita, mas, aliado a isso, tem-se o êxodo rural acelerado, que promove a expulsão dos trabalhadores agrícolas para as periferias das grandes cidades.
III. De acordo com o grau de capitalização e o índice de produtividade, a produção agropecuária pode ser classificada em intensiva ou extensiva. A agropecuária intensiva ocorre nas propriedades que utilizam técnicas rudimentares, com baixo índice de exploração da terra e, consequentemente, alcançam baixos índices de produtividade. Já as propriedades que adotam modernas técnicas de preparo do solo, cultivo, colheita, apresentam elevados índices de produtividades são classificadas em extensiva.
IV. Atualmente, observa-se a tendência à grande penetração do capital agroindustrial no campo, tanto nos setores voltados ao mercado externo quanto ao mercado interno. Nesse sentido, verifica-se que a produção agrícola tradicional tende a se especializar não para concorrer com o mais forte, mas para produzir a matéria-prima utilizada pela agroindústria.

Assinale a alternativa que apresenta as afirmações CORRETAS:
A) Apenas II e III.
B) Apenas I, II e III.
C) Apenas I, III e IV.
D) Apenas II e IV

 

 

05. Agricultura no Brasil: (PUC-SP–2006) Leia com atenção:
Um novo, desconhecido e próspero Nordeste, uma nova fronteira agrícola que se consolida ano a ano com a produção de grãos no oeste da Bahia, sul do Maranhão e sudeste do Piauí. É esta a nova aposta da Companhia Ferroviária do Nordeste (CFN) para tirar do papel o secular projeto da Transnordestina. Com investimentos de R$ 4,5 bilhões em reforma ou ampliação de 1 860 quilômetros de trilhos, o Governo Federal planeja interligar as áreas produtoras de soja, milho e algodão aos portos de Suape, em Pernambuco, e de Pecém, no Ceará.
JORNAL DO COMÉRCIO. Nova fronteira agrícola aguarda a Transnordestina. 14 mai. 2006

Sobre essa nova realidade nordestina, é CORRETO afirmar que:
A) os grãos mais produzidos nessa área são o milho e o algodão, por serem lavouras que se adaptam melhor ao Cerrado do que a soja.
B) o progresso agrícola na região mencionada é uma demonstração da adaptação das lavouras modernas às regiões de Caatinga e à seca.
C) os investimentos na ferrovia serão bem-vindos, mas não precisarão ser muito grandes em razão da proximidade das áreas de plantio em relação ao litoral.
D) no Cerrado nordestino, as chuvas são regulares, em especial nas chapadas; os terrenos são planos e facilitam a mecanização das lavouras. Essas são virtudes importantes da área.
E) embora a ferrovia seja um bom investimento por garantir um acesso direto a portos marítimos dos produtos agrícolas, a região já está bem assistida por rodovias federais.

 

 

06. (PUC Rio–2007) O Centro-Oeste brasileiro tem registrado, segundo vários estudos, elevada produtividade e rentabilidade nas lavouras agrícolas. Para entender tal dinâmica, os estudos sobre a sojicultura são exemplares, já que esse cultivo é implementado em alguns estados da região, como em Mato Grosso, com base na intensa utilização de insumos como fertilizantes e agrotóxicos, e de máquinas e implementos modernos.
BERNARDES, J.; FILHO, O. (Orgs). Geografias da Soja: BR-163. Fronteiras em mutação. Rio de Janeiro: Arquimedes, 2006 (Adaptação).

Entre as alternativas a seguir, assinale aquela que apresenta CORRETAMENTE os impactos socioeconômicos e ambientais da expansão da sojicultura no Centro-Oeste.
A) Valorização das terras, utilização intensiva de mão de obra migrante nordestina e desconcentração fundiária.
B) Aumento da utilização da mão de obra barata do migrante nordestino e preservação do meio físico-biótico.
C) Ampliação de novas dinâmicas socioeconômicas em todas as cidades regionais, a partir da diversificação das atividades geradas pela agricultura moderna.
D) Alteração no meio físico-biótico, forte presença de agroindústrias e predominância de pequenas e médias propriedades.
E) Valorização das terras favoráveis à mecanização, alterações no meio físico-biótico e (re)concentração fundiária.

 

 

07. (Enem–2009) O gráfico mostra o percentual de áreas ocupadas, segundo o tipo de propriedade rural no Brasil, no ano de 2006.
Área ocupada pelos imóveis rurais

MDA / INCRA (DIEESE, 2006). Disponível em: <http://www.sober.org.br>. Acesso em: 6 ago. 2009.

De acordo com o gráfico e com referência à distribuição das áreas rurais no Brasil, conclui-se que:
A) imóveis improdutivos são predominantes em relação às demais formas de ocupação da terra no âmbito nacional e na maioria das regiões.
B) o índice de 63,8% de imóveis improdutivos demonstra que grande parte do solo brasileiro é de baixa fertilidade, impróprio para a atividade agrícola.
C) o percentual de imóveis improdutivos iguala-se ao de imóveis produtivos somados aos minifúndios, o que justifica a existência de conflitos por terra.
D) a região Norte apresenta o segundo menor percentual de imóveis produtivos, possivelmente em razão da presença de densa cobertura florestal, protegida por legislação ambiental.
E) a região Centro-Oeste apresenta o menor percentual de área ocupada por minifúndios, o que inviabiliza políticas de reforma agrária nesta região.

 

 

08. Agricultura no Brasil: (UFBA) Os problemas referentes à questão agrária estão relacionados, essencialmente, à propriedade da terra, consequentemente à concentração da estrutura fundiária, aos processos de expropriação, expulsão e exclusão dos trabalhadores rurais: camponeses e assalariados; à luta pela terra, pela reforma agrária e pela resistência na terra; à violência extrema contra os trabalhadores, à produção, abastecimento e segurança alimentar; aos modelos de desenvolvimento da agropecuária e seus padrões tecnológicos, às políticas agrícolas e ao mercado, ao campo e à cidade, à qualidade de vida e dignidade humana. Por tudo isso, a questão agrária compreende as dimensões econômica, social e política.
FERNANDES, 2001. p. 23-24.

Com base na ilustração, no texto e nos conhecimentos sobre o espaço agrário, pode-se afirmar:
01. A desigual distribuição das terras, herança do modelo econômico que se implantou recentemente no país, trouxe como consequência os atuais conflitos sociais no campo e a fixação, cada vez maior, do homem nas áreas rurais em função da chegada da modernização agrícola.
02. O movimento das “Ligas Campones as”, originado no início do século passado, deve ser entendido como uma manifestação local dos produtores rurais do agreste pernambucano contra a alta dos impostos.
04. A luta por terra é uma importante dimensão da questão agrária e os movimentos sociais dela resultantes se configuram em ações dos trabalhadores, que envolvem processos de expropriação, expulsão e exclusão social.
08. A modernização da agricultura e da pecuária é bastante equilibrada nas diversas regiões do país, originando grande produtividade de alimentos com farta dieta alimentar da população.
16. O modelo de reforma agrária vigente no país vem assegurando o acesso à terra, proporcionando recursos necessários para ela produzir e atingindo grande número de trabalhadores rurais.
32. O MST representa diferentes expressões de contestação, seja contra a desapropriação de terras pelo Estado, a exemplo da região de Itaipu, seja contra a permanência de latifúndios improdutivos, como áreas no interior do Norte e do Nordeste.
Soma ( )

 

🔵 >>> Confira todos os nossos simulados com exercícios sobre a Geografia do Brasil.

 

Gabarito com as respostas das atividades de Geografia sobre Agricultura no Brasil:

01. D;
02. B;
03. B;
04. D;
05. B;
06. E;
07. A;
08. Soma = 36

Deixe um comentário