Lista de Exercícios sobre os Indicadores Sociais

01. Indicadores Sociais: (Fatec-SP) Sobre o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) é CORRETO afirmar:

A) As três dimensões básicas do desenvolvimento humano representadas no IDH são: uma vida longa e saudável (longevidade); acesso ao conhecimento (educação) e um padrão de vida decente (renda).

B) É utilizado para medir o crescimento econômico mundial em relação ao consumo de calorias; poder de consumo e alfabetização.

C) Esperança de vida ao nascer (longevidade); consumo de calorias (alimentação); número de anos de estudos (alfabetização) e saneamento básico (esgoto) são os elementos básicos para a análise quantitativa do desenvolvimento humano.

D) Atualmente, o maior enfoque na medição do desenvolvimento humano está relacionado ao IPH (Índice de Pobreza Humana), que permite evidenciar os países mais pobres no globo.

E) A análise da qualidade de vida por meio do IDH evidenciou, nos últimos anos, o grande problema da mortalidade infantil mundial (saúde), que é considerado o grande entrave ao crescimento da população mundial.

 

 

02. (Enem)

O Brasil desenvolvido

O PNUD divulgou, em 27 de novembro de 2007, o Relatório do Desenvolvimento Humano do biênio 2007-2008 contendo dados de 177 países e territórios. Pela primeira vez na história do IDH, o Brasil aparece no ranking dos países com alto desenvolvimento humano, com uma pontuação de 0,800 (escala de 0 a 1).

Disponível em: <http://empresasefinancas.hsw.uol.com.br/idh.htm>. Acesso em: 10 ago. 2010.

AnoExpectativa
de vida no
nascimento
(anos)
Taxa de
alfabetização
dos adultos
(% com
mais de 15
anos)
Taxa de
matrícula
combinada
(%)
PIB
per
capita
(2005
PPC
US$)
IDH
1990*66,18267,37 2190,723
1995*68,284,774,47 7980,753
2000*70,386,990,28 0850,789
2004*71,588,687,58 3250,796
200571,788,687,58 4020,80

(*) Estas séries foram ajustadas levando-se em conta as rescisões e atualizações das estatísticas daquele ano, e não necessariamente são iguais às publicadas em RDH. Fonte: PNUD Brasil.

De modo geral, as nações do mundo inteiro objetivam em suas políticas a elevação do IDH. Embora seja um índice bastante conceituado no meio político, estatisticamente o IDH apresenta falhas que o fragilizam como instrumento de análise das características socioeconômicas do espaço, pois:

A) utiliza como um de seus indicadores a renda per capita, atributo que, quando utilizado isoladamente, mostra-se eficaz para medir o desenvolvimento.

B) mede o desenvolvimento humano a partir da combinação de indicadores socioeconômicos que mensuram o bem estar da população.

C) é resultado de técnicas estatísticas que, ao se utilizarem de médias em seus cálculos, mascaram algumas realidades socioeconômicas, ao generalizá-las.

D) diversos países não possuem bancos de dados com informações de qualidade e em quantidade suficiente para o seu cálculo.

E) é formulado a partir da combinação de indicadores de fácil mensuração e baixo custo de obtenção, o que o torna relativamente simples de obter.

 

 

03. (PUC-SP) Abaixo apresentamos três críticas frequentes sobre a globalização. Leia-as atentamente.

1. Tem provocado uma grande homogeneização de hábitos e costumes no mundo, produzindo impactos deterioradores nas culturas locais, ocasionando assim sérios problemas de identidade nos povos.

2. Estaria enfraquecendo as fronteiras nacionais, permitindo que ingressemos na era do livre comércio; no entanto, jamais os fluxos do comércio mundial – em grande escala – estiveram sob controle tão poderoso.

3. Tem ocasionado um aumento da desigualdade social no mundo entre os países e também internamente em cada país, basta ver que há indicações de crescimento da concentração de renda em muitos países.

Noam Chomsky é um intelectual americano muito conhecido, entre outras razões, por sua postura contra a política externa nos EUA e a globalização. No mês de setembro (no dia 10), ele escreveu um artigo na Folha de S. Paulo no qual reitera as posturas mencionadas. A seguir, apresentamos alguns trechos:

“nos EUA […] os salários da maioria dos trabalhadores estagnaram ou caíram, as horas de trabalho aumentaram drasticamente […] os benefícios e o sistema de seguridade foram reduzidos.”

“a maior parte do comércio mundial é […] operada centralmente por meio de contratos entre grandes empresas.”

“durante os ‘anos dourados’ (antes da globalização) os indicadores sociais seguiam o PIB. A partir da metade dos anos 1970, esses indicadores vêm declinando.”

Assinale a alternativa que indica as críticas à globalização que se identificam com as frases de Chomsky.

a) Todas as críticas.

b) Somente a 1 e a 3.

c) Somente a 2 e a 3.

d) Somente a 3.

e) Somente a 1 e a 2.

 

 

04. (UERJ) Transição 1999, relatório do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) divulgado na semana passada, faz um balanço nada bonito dos indicadores sociais registrados na última década em 25 nações do antigo bloco comunista (…).

O holandês Anton Kruiderink, diretor regional do Pnud […], faz uma espécie de mea culpa em nome do Ocidente. “Nós todos lembramos daqueles dias estimulantes quando o Muro de Berlim veio abaixo

[…].Depois nos demos conta de que a redução drástica do papel do Estado na área social criou um vácuo, preenchido pela máfia e o crime.” Para ele, quando o Estado perdeu seus poderes foi como se tirassem as pilastras de uma casa.

(Jornal do Brasil, 8 ago. 1999.)

 

Apesar das situações de miséria, criminalidade, desemprego, estagnação econômica, expostas no relatório, alguns técnicos do Pnud afirmam que dois países daquele bloco continuam figurando entre os mais igualitários.

Esses países e a razão da permanência das condições mais igualitárias estão apresentados na seguinte alternativa:

a) Polônia e Ucrânia – recuperação dos setores industriais modernos pela tecnologia de ponta.

b) Romênia e Geórgia – alcance de índices elevados de combate à criminalidade pela polícia militar.

c) República Tcheca e Hungria – manutenção da concessão de benefícios sociais pela ação do Estado.

d) Letônia e Eslováquia – imposição de uma política

de distribuição de renda pelo planejamento econômico.

 

 

05. Indicadores Sociais: (FGV) – Os indicadores sociais, recentemente divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), apontam algumas alterações no perfil da população brasileira. Destaque a única alternativa que não corresponde a uma dessas alterações:

a) Aumento do tamanho médio das famílias, especial men te nas áreas metropolitanas.

b) Gradual envelhecimento da população, com redução na proporção relativa de crianças e jovens.

c) Redução na proporção da população masculina em relação à feminina.

d) Queda na taxa de analfabetismo entre a população de 15 anos ou mais.

e) Aumento dos domicílios sob a responsabilidade de mulheres.

 

Lista de Exercícios sobre O que é Migrações.

 

06. Indicadores Sociais: (UNESP) – Brasília, a capital do país, gera polêmica desde o início de sua construção, no final dos anos 1950. Localizada no Distrito Federal, que hoje agrega uma população superior a dois milhões de habitantes, apresenta indicadores sociais e econômicos marcantes, tais como:

a) PIB per capita e IDH elevados, importante atividade industrial, comércio de caráter regional e serviços de alcance nacional

b) PIB per capita e IDH elevados, fraca atividade industrial, comércio e serviços de caráter local, exceto os da administração federal.

c) PIB per capita e IDH elevados, fraca atividade industrial, comércio de caráter regional e serviços de expressão local, exceto os da administração federal.

d) PIB per capita baixo e IDH elevado, importante atividade industrial, comércio de caráter regional e serviços de alcance nacional.

e) PIB per capita baixo e IDH elevado, fraca atividade industrial, comércio de caráter local e serviços de alcance regional.

 

 

07. U.F. Uberlândia-MG Com base em indicadores sociais dos seus diversos países-membros, a ONU estabelece e publica, anualmente, o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).

De acordo com a publicação de 1999, é incorreto afirmar que:

a) a elevação do IDH brasileiro, nos últimos anos, foi influenciada, entre outros fatores, pelo aumento do PIB per capita;

b) a média do IDH no Brasil é influenciada positivamente pelo desempenho econômicosocial dos Estados concentrados na metade sul do País;

c) o IDH brasileiro é, segundo os analistas da ONU, o mais elevado do conjunto de países latino-americanos;

d) o IDH exclui o Brasil do grupo de países que destinam grande parte de seus recursos à educação e à saúde.

 

 

08. UFRJ Internamente, o Rio Grande do Sul possui diferenças significativas no que diz respeito aos seus indicadores socioeconômicos. Uma divisão usada pelos economistas reconhece a existência de duas grandes porções de espaço distintas no Estado: um norte “rico” e um sul “pobre”.

Considere as afirmações abaixo.

I. O coeficiente de mortalidade infantil é elevado na porção sul, enquanto os coeficientes mais baixos pertencem aos municípios da porção norte do Estado.

II. Nos municípios da porção norte do Estado, os índices de longevidade são menores do que nos municípios da porção sul.

III. Quanto a renda per capita, grau de urbanização e densidade demográfica, as variações existentes entre as duas porções são insignificantes.

Quais estão corretas?

a) Apenas I.

b) Apenas II.

c) Apenas I e II.

d) Apenas II e III.

e) I, II e III.

 

 

09. PUC-RS A tabela abaixo apresenta dados gerais e alguns indicadores sócio-econômicos de cinco países do mundo.

PaísÁrea (km2)(milhões de
hab.) 1997
Infantil (%)
1995
per capita
(US$) 1995
19.970.61029,9619.380
22.5860,417641.210
3799.38018,311380
41.098.5817,869800
591.9859,879.740

Os países que correspondem aos números 1, 2, 3, 4 e 5 são, respectivamente:

a) Estados Unidos, Luxemburgo, Haiti, Argentina e Islândia.

b) Rússia, Islândia, Argentina, Portugal e Luxemburgo.

c) Austrália, Islândia, Haiti, Argentina e Grécia.

d) Canadá, Luxemburgo, Moçambique, Bolívia e Portugal.

e) China, Mônaco, Moçambique, Bolívia e Grécia.

 

 

10. Indicadores Sociais: UFF-RJ África Subsaariana – Principais indicadores sociais:

PaísRenda
per
capita
(US$)
Expecta
tiva de
vida
Taxa de
analfabetismo
África do Sul3.04065 anos18,0%
Uganda19045 anos50,0%
Angola43046 anos57,5%
Nigéria28056 anos43,0%
Ruanda8046 anos40,0%
República do Congo65048 anos33,0%

Fonte: Banco Mundial, 1996

Considerando as informações do quadro e a realidade que as sociedades da África Subsaariana têm vivido, pode-se assegurar:

a) O longo período das guerras de libertação colonial explica os péssimos indicadores de Uganda, Ruanda e Nigéria em termos da expectativa de vida e dos índices de analfabetismo da população.

b) Embora a África do Sul apresente os melhores indicadores, ainda persistem, no país, fortes desigualdades sociais em função do “recorte racial” econômico, diferenciando as condições de vida entre a minoria branca e a maioria negra.

c) Na África Subsaariana, a maioria dos países que se orientam pelo modelo soviético de socialismo – a exemplo da República do Congo – conseguiram aliviar os mais sérios problemas socioeconômicos da região.

d) A descolonização mais recente da Nigéria e as violentas guerras civis em Angola respondem pelos indicadores sociais que inclusive, são os menos favoráveis de toda a África Subsaariana.

e) A inserção subordinada do continente africano na globalização da economia obrigou os governos de Uganda e do Congo a concentrarem seus investimentos na extração e comercialização do petróleo, deixando de lado o bem-estar da população.

 

🔵 >>> Veja também a nossa lista completa de Questões sobre Geografia.

 

Gabarito com as respostas da lista de atividades de geografia sobre os Indicadores Sociais:

01. A;

02. C;

03. C;

04. C;

05. A;

06. B;

07. c;

08. A;

09. D;

10. B

Deixe um comentário