Exercícios sobre o Período Liberal-democrático e os Conflitos Políticos

01. Período Liberal-democrático e os Conflitos Políticos: (UERJ–2011)
Chiclete com banana
Eu só ponho bip-bop
No meu samba
Quando Tio Sam pegar o tamborim
Quando ele pegar no pandeiro
E no zabumba
Quando ele aprender
Que o samba não é rumba
Aí eu vou misturar
Miami com Copacabana
Chicletes eu misturo com banana
E o meu samba vai ficar assim
[…]
GORDURINHA; CASTILHO, Almira. Coleção Folha-Raízes da MPB, n. 15.
No final da década de 1950, a sociedade brasileira passava por transformações marcantes em diferentes áreas.
A letra da canção “Chiclete com banana” enfoca o seguinte elemento da conjuntura desse momento:
A) Difusão da cultura estrangeira
B) Diversificação da identidade étnica
C) Valorização da pluralidade artística
D) Expansão da dependência econômica

 

 

02. (UFMG) Observe este cartaz, que, em 1963, foi estampado por todo o Brasil:

Esse cartaz fez parte de uma campanha:
A) contra a alteração da Carta Constitucional brasileira pretendida por Jânio Quadros, visando a concretizar sua política externa independente, que propunha a aproximação do Brasil com os países socialistas.
B) contrária à adoção do parlamentarismo defendido por João Goulart, vice-presidente de Jânio Quadros, regime que desagradava os setores conservadores da política e da sociedade brasileiras.
C) favorável à volta do presidencialismo, previsto na Constituição, o que colocaria um ponto final no mecanismo utilizado para viabilizar a posse de João Goulart, após a renúncia de Jânio Quadros.
D) a favor das mudanças constitucionais que possibilitariam a reeleição de João Goulart e a eleição de Leonel Brizola, bem como a concretização de uma república sindicalista no Brasil a partir da aprovação das reformas de base.

 

 

03. (UFMG) Observe a charge.

Político: Você, agora, tem automóvel brasileiro, para correr em estradas pavimentadas com asfalto brasileiro, com gasolina brasileira. Que mais quer?
Jeca: Um prato de feijão brasileiro, seu dotô.
Nessa charge, faz-se referência:
A) à política econômica do Governo Juscelino Kubitschek, responsável pelo ingresso do Brasil em uma nova fase da sua economia industrial e pela presença maciça de capital estrangeiro no país.
B) ao Plano Cruzado, adotado no Governo Sarney, responsável por uma relativa estabilidade de preços e pela escassez de produtos da cesta básica.
C) à política econômica adotada por Getúlio Vargas no contexto do Estado Novo, responsável pela ampliação da oferta de produtos nacionais à população.
D) ao II PND, implementado no Governo Geisel, responsável pela construção de megaestradas, como a Transamazônica, e outras obras faraônicas.

 

 

04. (PUC-SP–2007) O suicídio de Vargas não interrompeu um possível golpe udenista, tanto que Café Filho assumiu a Presidência da República e governou com um ministério conservador. A grande derrota da direita, aí sim, foi em outubro de 1955, quando Juscelino Kubitschek venceu as eleições presidenciais em aliança com João Goulart. A crise de 1961 acabou fortalecendo a democracia como valor fundamental da República.
VILA, Marco Antônio. Jango: Um perfil (1945-1964). São Paulo: Globo, 2004. p. 240.

A partir dos vários episódios políticos relacionados pelo texto e de seus conhecimentos sobre o período 1945-1964, pode-se afirmar que a:
A) disputa entre direita e esquerda se expressava no confronto que opunha militares e políticos da UDN (União Democrática Nacional) a partidários do PSD (Partido Social Democrático), as duas principais forças políticas da época.
B) morte de Getúlio Vargas, ao contrário do que a história oficial conta, foi provocada por uma ação conservadora de políticos ligados ao PTB (Partido Trabalhista Brasileiro).
C) vitória eleitoral de Juscelino Kubitschek e João Goulart, políticos de esquerda, favoreceu a imediata realização do Golpe Militar de direita que impediu a posse de JK e depôs Goulart da Presidência em 1964.
D) renúncia de Jânio Quadros, em 1961, provocou uma profunda crise política e, apesar de tentativas golpistas, negociações políticas asseguraram o respeito à Constituição e a posse do vice-presidente João Goulart.
E) eleição presidencial de 1955 definiu o fim da influência varguista, dado o apoio que os sindicatos e as centrais operárias deram à candidatura de João Goulart à Presidência da República.

 

 

05. Período Liberal-democrático e os Conflitos Políticos: (PUC Minas–2007) Observe o anúncio de uma batedeira de bolos, veiculado nos jornais entre 1950 e 1960.

Quem tem Walita tem tudo.
A propaganda e o slogan na marca de batedeira de bolos Walita expressam:
A) o fim do trabalho assalariado doméstico, que exigiu novas facilidades que atendessem às mulheres.
B) o boom do consumismo durante a Ditadura Militar, que ficou conhecido como milagre brasileiro.
C) a crise de identidade das mulheres ao entrarem na vida pública pela inserção no mercado de trabalho.
D) a influência do modelo de família estabelecido com a influência do estilo de vida norte-americano.

 

História do Brasil Simulado sobre a Nova República.

 

06. Período Liberal-democrático e os Conflitos Políticos: (Unicamp-SP–2011) Em 30 de março de 1964, o presidente João Goulart fez um discurso, no qual declarou: “Acabo de enviar uma mensagem ao Congresso Nacional propondo claramente as reformas que o povo brasileiro deseja. O meu mandato será exercido em toda a sua plenitude, em nome do povo e na defesa dos interesses populares.”
BONAVIDES, Paulo; AMARAL, Roberto. Textos políticos da história do Brasil. vol. 7. Brasília: Senado Federal, 2002. p. 884 (Adaptação).

Sobre o contexto em que esse discurso foi pronunciado, é POSSÍVEL afirmar o seguinte:
A) Enfrentando a oposição de setores conservadores, Jango tentou usar as reformas de base, que deveriam abranger a reforma agrária, a eleitoral, a educacional e a financeira, para garantir apoio popular ao seu mandato.
B) Quando Jango apresentou ao Congresso Nacional as reformas de base, elas já haviam sido alteradas, abrindo mão da reforma agrária, para agradar aos setores conservadores, e não apenas às classes populares.
C) Com as reformas de base, Jango buscou afastar a fama de esquerdista, colocando na ilegalidade os partidos comunistas, mas motivou a oposição de militares e políticos nacionalistas, ao abrir o país ao capital externo.
D) Jango desenvolveu um plano de reformas que deveriam alterar essencialmente as carreiras dos militares, o que desagradava muitos deles, mas também reprimiu várias greves do período, irritando as classes populares.

 

 

07. (UERJ)
Avanço em ciclos
A evolução do PIB brasileiro no século XX (em R$ milhões de 1999)

JORNAL DO BRASIL, 30 set. 2003 (Adaptação).
O gráfico anterior evidencia, apesar da inflação, uma tendência de crescimento da economia brasileira. Esta, contudo, não foi acompanhada por uma significativa melhora na distribuição de renda.
Durante o século XX, políticos e intelectuais brasileiros propuseram inúmeros projetos para promover o desenvolvimento autossustentado e melhorar esta distribuição. O projeto de Juscelino Kubitschek (1956-1961) de fazer o país crescer 50 anos em 5 foi um deles.
A seguinte estratégia fundamentou a política do nacional desenvolvimentismo:
A) Aumento do mercado consumidor, com a valorização do trabalhador rural.
B) União dos setores de esquerda, com ênfase em uma política de aumentos salariais.
C) Fortalecimento do Congresso Nacional, com a participação do empresariado industrial.
D) Atração do capital estrangeiro, com destaque para o setor de bens de consumo duráveis.

 

 

08. (UFPel-RS–2007)

BANDEIRA, Augusto. O Correio da Manhã, 10 jul. 1962.
A charge demonstra que a conjuntura política de 1962 favorecia a João Goulart por:
A) antecipar a implantação do seu projeto parlamentarista.
B) reduzir a força do Poder Executivo, que lhe fazia oposição.
C) promover o retorno do presidencialismo (efetivado com o plebiscito de 1963).
D) derrubar as reformas de base, propostas pelo parlamentarismo.
E) fechar o Congresso Nacional e governar por decretos.

 

 

09. Período Liberal-democrático e os Conflitos Políticos: (UFPel-RS–2007)
Texto 1
Determinados tipos de plantações quebravam a ordem natural. Relação que tendeu a se intensificar à medida que a derrubada das matas deu lugar a produtos que não tinham a ver com a nutrição de seres humanos ou animais. Para os moradores do interior paulista, entre os anos de 1946 a 1958, eucalipto não é árvore, é tão-somente eucalipto, corpo estranho ao resto do mato: nem cobra vive nessa plantação e nem bicho come aquilo ali, passarinho não faz ninho, nem dá fruita, a sombra não cobre e o pau male-mar dá pra se queimar. Para eles, árvore legítima – jacarandá, cabreúva, candeia, guarantã, ipê, saguaraji, peroba, pinho, cedro – não é aquela que, absorvendo toda a energia do solo, impede a diversidade da mata; é a que vive junto com os bichos, com os insetos, com os cipós e com o homem.
SEVCENKO, Nicolau (Org.). História da vida privada no Brasil. Vol. 3. SP: Cia. das Letras, 1998. p. 73 (Adaptação).

Texto 2
Projeto de rodovia foi lançado em 1972, a Perimetral Norte na Amazônia brasileira […] Exemplo concreto do controle que as multinacionais exercem sobre a economia brasileira, o complexo madeireiro e agroindustrial contou com amplos recursos fornecidos pela Superintendência da Amazônia (Sudam).
O projeto cometeu verdadeiro crime ecológico, ao desmatar parte da flora amazônica, que foi substituída por árvore asiática usada na produção de celulose.
AQUINO, Rubim et al. Sociedade Brasileira: uma história através dos movimentos sociais. Rio de Janeiro: Record, 2000.

Os textos demonstram que as plantações de árvores exóticas já provocavam:
A) danos ambientais, respectivamente, nos governos de Dutra a Juscelino e no período da Ditadura Militar.
B) desastres ecológicos, respectivamente, no período do Estado Novo de Vargas e no dos governos militares.
C) crescimento econômico, respectivamente, nos períodos do Governo Vargas e da redemocratização.
D) projetos de proteção ambiental, respectivamente, nos períodos do populismo e da Ditadura Militar.
E) biodiversidade, respectivamente, no governo de Dutra e no de Juscelino Kubitschek.

 

🔵 >>> Veja também a segunda parte desta lista de questões.

 

Confira a nossa lista completa de exercícios sobre a História do Brasil.

 

Gabarito com as respostas das atividades de História sobre o Período Liberal-democrático e os Conflitos Políticos:

01. A;
02. C;
03. A;
04. D;
05. D;
06. A;
07. D;
08. C;
09. A

Deixe um comentário