Exercícios sobre a Política e Sociedade da República Oligárquica

01. Política e Sociedade da República Oligárquica: (Mackenzie-SP–2010) A prática política baseada na troca de favores e em interesses pessoais, destituída de caráter programático-partidário, que deixa de lado até mesmo as concepções ideológicas e os princípios gerais básicos, é caracterizada como fisiologismo.
Elza Nadai e Joana Neves


Desde o período conhecido como República Velha (1889-1930) até hoje, a política brasileira é imensamente marcada pela prática fisiológica. Tal presença é evidenciada, ao longo da nossa história republicana:
A) nas alianças político-eleitorais, quando o objetivo de ganhar as eleições supera o compromisso partidário e ideológico, levando a acordos que privilegiam interesses particulares.
B) nas negociações predominantemente pacíficas, entre o eleitorado brasileiro e os chefes políticos nacionais, estaduais e federais, baseadas no patriarcalismo e no coronelismo.
C) sobretudo após a confirmação, pela Constituição de 1988, do voto censitário, favorecendo o sistema de troca de favores pessoais entre os cidadãos e seus representantes, em todos os níveis de poder.
D) nas negociações violentas que ainda se manifestam nas regiões mais industrializadas do Brasil, durante o período eleitoral, entre os chefes políticos locais e os seus eleitores, constrangidos por jagunços.
E) na predominância de uma política nacional que, ainda hoje, possui bases familiares e rurais, sempre em defesa dos interesses nacionais e visando à autonomia do país.

 


02. (FGV-SP) A década de 1920 foi marcada por uma intensa movimentação político-cultural com desdobramentos decisivos para a história brasileira. Diversos são os exemplos dessa movimentação, EXCETO:
A) A chamada Reação Republicana, que aglutinou representantes das oligarquias do Rio Grande do Sul, da Bahia, de Pernambuco e do Rio de Janeiro e lançou Nilo Peçanha à Presidência em 1922.
B) O chamado Tenentismo, que reuniu militares nacionalistas e reformistas aglutinados na Coluna Prestes-Miguel Costa e que percorreu grande parte do território brasileiro até 1927.
C) A fundação do Partido Comunista do Brasil em 1922 por militantes oriundos do anarquismo, entusiasmados com as notícias sobre o sucesso da Revolução Bolchevique na Rússia.
D) O Movimento Modernista, que teve, na Semana de Arte Moderna de 1922, um dos principais momentos da expressão da chamada “antropofagia cultural” que o caracterizava.
E) A ampliação do eleitorado brasileiro com a concessão do direito de voto às mulheres e aos analfabetos, o que permitiu a emergência de líderes carismáticos nos principais centros urbanos.

 

 

03. Política e Sociedade da República Oligárquica: (PUC Rio–2008) Quando determinou, em 1904, a abertura da Avenida Central – atualmente Avenida Rio Branco –, no Centro, a primeira via pensada para os automóveis, o prefeito Pereira Passos dificilmente teria imaginado que o Rio, em algum momento, abrigaria dois milhões de veículos. Naquela época, a cidade tinha pouco mais de dez carros, todos eles na Zona Sul. Um século depois, a Avenida Rio Branco registra um movimento de mais de 40 500 veículos todos os dias.
O GLOBO, 2 set. 2007.


O texto apresenta uma das transformações ocorridas no Rio de Janeiro ao longo do século XX. Acerca de seus significados e consequências, é CORRETO afirmar que:
I. representou, no setor dos transportes, mudança causadora do progresso e da integração de diversos bairros e regiões da cidade.
II. concretizou, por iniciativa dos dirigentes governamentais, o projeto de equiparar a cidade, capital da República até 1960, aos padrões de desenvolvimento internacional.
III. ocasionou, em função da ausência de planejamento sistemático, desequilíbrios entre a expansão urbana e o atendimento às demandas por transportes coletivos.
IV. associou-se, desde a reforma urbana promovida por Pereira Passos, a um conjunto de intervenções políticas baseadas nos ideais de modernização capitalista.
Estão
CORRETAS:
A) somente as afirmativas I e II.
B) somente as afirmativas I e IV.
C) somente as afirmativas II e III.
D) somente as afirmativas III e IV.
E) todas as afirmativas.

 


04. Política e Sociedade da República Oligárquica: (UFMG) Observe esta charge:

LEMOS, Renato. Uma história do Brasil através da caricatura. Rio de Janeiro: Bom Texto / Letras & Expressões, 2001. p. 34.

Nessa charge, faz-se referência à:
A) Reação Republicana, conflito entre as oligarquias mineira e paulista e os coronéis dos estados do Sul e do Nordeste.
B) Aliança Liberal, formada pelos estados de Minas Gerais, São Paulo e Rio Grande do Sul no contexto da crise da República Velha.
C) Campanha Civilista, articulada por Rui Barbosa com o objetivo de dominar os executivos estaduais.
D) Política do Café com Leite, caracterizada pela alternância de políticos mineiros e paulistas na Presidência da República.

 


05. Política e Sociedade da República Oligárquica: (UFMG) Um dos episódios mais marcantes na história das revoluções brasileiras deu-se com a Coluna Prestes, que, entre 1924 e 1927, percorreu milhares de quilômetros do interior brasileiro na tentativa de manter acesa a luta por seus ideais. Como solução para os problemas brasileiros, os líderes da Coluna Prestes defendiam:
A) o estabelecimento de uma ditadura militar que alinhasse o país às experiências inovadoras do fascismo europeu.
B) a destruição do sistema oligárquico, acompanhada da reformulação dos costumes e práticas políticas vigentes.
C) a distribuição das terras dos latifúndios entre os camponeses, que seriam mobilizados para lutar nas fileiras da própria Coluna.
D) a realização de uma revolução comunista, seguida da estatização das propriedades e da implantação do socialismo.

 

Exercícios sobre a Indústria, Café e os Movimentos Operários na República Oligárquica.

 

06. Política e Sociedade da República Oligárquica: (PUCPR–2008) A charge do gaúcho Alfredo Storni feita em 1927 critica uma prática bastante utilizada no período que fcou conhecido como República Velha (1989-1930).

Sobre a charge e esse período da história brasileira, pode-se afirmar:
I. A charge satiriza o voto imposto e controlado pelos coronéis e que ficou conhecido como voto de cabresto.
II. A mulher que aparece na charge representa a República e está condenando a velha prática do coronelismo de indicar candidatos ao seu “curral eleitoral”.
III. A charge reforça a ideia de que as eleições na República Velha representavam uma farsa, pois eram os chefes locais que determinavam em qual candidato o eleitorado sob seu domínio deveria votar.
IV. Após a instauração da República, o coronelismo foi enfraquecendo e o voto passou a ser secreto, dificultando, assim, a manipulação do eleitorado.
Estão
CORRETAS:
A) I e IV. C) II e IV. E) I e II.
B) I e III. D) III e IV.

 


07.Política e Sociedade da República Oligárquica: (UECE–2007) O exercício da cidadania tornou-se caricatura. O cidadão republicano era o marginal mancomunado com os políticos; os verdadeiros cidadãos mantinham-se afastados da participação no governo. Os representantes do povo não representavam ninguém e os representados não existiam e o ato de votar era uma operação de capangagem.
CARVALHO, José Murilo. Os bestializados: o Rio de Janeiro e a República que não foi. São Paulo: Companhia das Letras, 1987. p. 89-91.


O texto anterior revela a ficção da soberania popular durante a República Velha. Com base no mesmo, assinale a opção VERDADEIRA.
A) A participação eleitoral dos setores populares foi expressa pela criação de vários partidos direcionados aos seus interesses, partidos esses que tiveram longa trajetória na República Velha.
B) Organizações políticas partidárias, como os batalhões patrióticos do período florianista, espalharam-se pelo país, constituindo uma opção política para os setores populares.
C) Ainda durante a Primeira República, os clubes jacobinos foram as únicas organizações partidárias a possuírem vida longa e a constituírem-se em todos os estados.
D) A ausência de participação eleitoral encontrava sua contrapartida na dificuldade de constituição de partidos políticos, apesar do esforço de organização política no segmento operário, principalmente nos grandes centros do país.

 


08. Política e Sociedade da República Oligárquica: (UESPI–2010) O Movimento Modernista, evidenciado na Semana de Arte Moderna de 1922, representou, em termos gerais:
1. o rompimento com o academicismo, o formalismo e o arcaísmo, tão presentes na arte brasileira até então.
2. a confirmação da nacionalidade pela busca e afrmação de expressões e valores próprios da cultura brasileira.
3. a construção de uma ordem social urbana e industrial afastada da oligarquia rural e aristocrática.
4. a retomada dos valores e expressões do Romantismo e do Parnasianismo brasileiros.
5. a chegada ao Brasil da Missão Francesa, responsável, entre outras coisas, pela reconstrução do palácio da Boa Vista no Rio de Janeiro.
Estão
CORRETAS apenas:
A) 1, 2 e 4. D) 2, 4 e 5.
B) 2, 3 e 4. E) 1, 3 e 5.
C) 1, 2 e 3.

 


09. Política e Sociedade da República Oligárquica: (UFSM-RS–2007) Com a desestruturação da ordem escravista em 1888, deixou de existir a instituição que definia o lugar de cada um na sociedade brasileira. A Primeira República, a partir de 1889, adota práticas políticas que provocam reações dos setores sociais populares, que passam a defender seus direitos, utilizando as estratégias a seguir, EXCETO:
A) Movimento operário, que se mobilizava em greves e outras ações contra as longas jornadas de trabalho, habitações precárias e ausência de políticas sociais.
B) Atuação das camadas sociais populares, como na cidade do Rio de Janeiro, que desenvolviam atividades culturais como o futebol e o samba.
C) Oposição de parcela significativa da população carioca à vacinação obrigatória, à nomeação de um interventor estadual e à nacionalização do petróleo.
D) Resistência de populares às reformas urbanas do governo municipal carioca que pretendia expulsar do centro da cidade as “classes perigosas”, constituídas, entre outros, pelos moradores dos cortiços considerados insalubres pelas autoridades públicas.
E) Revolta de marinheiros, que pedia o fim dos castigos físicos, melhoria nos vencimentos e nas condições higiênicas e de alimentação existentes nos navios.

 

 

10. Política e Sociedade da República Oligárquica: (UFPI–2007) Leia o texto a seguir.
A imagem mais corrente do operariado na Primeira República é a do italiano anarquista. Caricata, ela reúne dois componentes fundamentais: por um lado, a associação automática entre trabalhador e imigrante – este, por sua vez, reduzido ao italiano; por outro, a atribuição de um ideário único, o anarquismo, àquele momento histórico.
BATALHA, Cláudio. O movimento operário na Primeira República. Rio de Janeiro: Zahar, 2000. p. 7.


A partir do texto e dos seus conhecimentos, assinale a alternativa CORRETA sobre o movimento operário no Brasil da Primeira República.
A) A cooptação dos trabalhadores pelo Estado, que cedeu a algumas das reivindicações trabalhistas, caracterizou todo o período.
B) As formas de organização dos trabalhadores, bem como as correntes político-ideológicas que os influenciaram, foram marcadas pela heterogeneidade.
C) Os trabalhadores brasileiros não participavam dele por medo da repressão, limitando-se o movimento, portanto, aos ambientes e à ação de imigrantes.
D) A ideologia que inspirava os vários movimentos foi toda baseada no anarquismo, e as reivindicações eram endereçadas aos empresários, mas não ao Estado.
E) As únicas cidades brasileiras que foram palco do movimento foram São Paulo e Rio de Janeiro, porque somente elas apresentavam um desenvolvimento industrial no período.

 

🔵 >>> Confira a nossa lista completa de exercícios sobre a História do Brasil.

 

Gabarito com as respostas das atividades de História do Brasil sobre Política e Sociedade da República Oligárquica:

01. A; 02. E; 03. D; 04. D; 05. B; 06. B; 07. D; 08. C; 09. C; 10. B