Exercícios sobre o Regime Militar: Lutas, Direitos e Conquistas

01. Regime Militar: Lutas, Direitos e Conquistas. (FJP-MG) Leia a carta escrita por Henfil à sua mãe:

Mãe,
O doutor Tancredo herdou de Getúlio Vargas a caneta com que ele escreveu a carta-testamento.
Não sei bem se foi a que escreveu a tal carta ou se foi outra. Sei que na minha memória dos 10 anos de idade ficou assim: Tancredo, herdeiro da caneta de Getúlio.
Bão.
Só vim a prestar atenção de novo, no herdeiro da caneta, quando ele se tornou primeiro-ministro do regime parlamentarista, um superconsenso que militares e políticos arrumaram para impedir a posse do legítimo vice-presidente eleito, João Belchior Marques Goulart. O consensão deu no que deu, o herdeiro sumiu com sua caneta e vinte anos depois acordamos bolivianos.
Sumiu nada. O herdeiro da caneta assinou ficha no PMDB, saiu do MDB, fundou o PP, desfundou o PP, ganhou o governo de Minas Gerais pelo PMDB e o entregou ao ex-PP, e agora, onde estamos? Estamos com o herdeiro da caneta como primeiro-ministro do consenso jumbo que militares e políticos estão arrumando para que cem anos depois acordemos, todos, irremediavelmente porto-riquenhos.
O que Tancredo deveria ter herdado do Getúlio Vargas não era a caneta, era o revólver.
A benção do seu filho das bocaiúvas, Henfil Vilela. HENFIL. Diretas Já. Rio de Janeiro: Record, 1984.

Nessa carta, Henfil:
A) aproxima o contexto político de 1964 ao de 1984, ressaltando a face autoritária de ambos, com os militares utilizando-se dos civis para impor os seus interesses, em especial o de manter a sociedade brasileira sob controle.

B) compara as situações políticas no Brasil em 1961 e 1984 com as dos países latino-americanos, que estavam nas mãos dos militares, os quais haviam estabelecido regimes de exceção, plenos de arbitrariedades.

C) critica a posição política de Tancredo Neves que foi primeiro-ministro, quando da promulgação da emenda constitucional do parlamentarismo após a renúncia de Jânio Quadros, e candidato de consenso do Colégio Eleitoral no contexto final do regime militar.

D) identifica a postura política de Tancredo com a de Getúlio Vargas, do qual herdou a caneta, destacando tanto a indefinição partidária que os aproximava quanto a constante aproximação entre esses dois políticos e os militares.


02. (PUC Minas) “Brasil, ame-o ou deixe-o.”
Esse slogan, amplamente divulgado e propagado no auge do período da Ditadura Militar, criava um clima de ufanismo para:
A) anunciar à população brasileira o firme propósito do governo de promover a distensão política, assim que todos os comunistas deixassem o país.

B) justificar a nova postura dos militares para atrair o apoio da opinião pública contrária ao regime autoritário, abrindo caminho para o processo de abertura política.

C) abrandar os rigores do autoritarismo, permitindo que todos os insatisfeitos com o regime militar abandonassem espontaneamente o país.

D) demonstrar a profunda intolerância do governo com os setores do movimento de oposição, que optaram pela luta armada contra o regime.


03. (PUCPR–2008) Começava a ditadura envergonhada, como a batizou Elio Gaspari. […] Mas, como tudo na vida pode piorar, quem se queixava de 64 não sabia o que nos esperava em 68. Aí sim, com o Ato Institucional n°. 5, o pau comeu. A Ditadura esgotou o manual e criou em cima: implantou a censura, cassou mandatos, fechou o Congresso, suspendeu o habeas corpus, revogou a Constituição, instituiu a pena de banimento, liberou a tortura e tolerou as execuções sumárias – tudo em defesa da segurança nacional.
MARTINS, Oswaldo. Aos nascidos em 1964. Revista Cult, São Paulo, n. 78, março / 2004. p. 54.

Com base nesse contexto, marque a alternativa INCORRETA:
A) O Ato Institucional n°. 5 foi um instrumento que proporcionou amplos poderes ao presidente da República, que podia, inclusive, fechar provisoriamente o Congresso Nacional.

B) A economia brasileira desse período (1969-1973) vai ser marcada pelo chamado milagre brasileiro.

C) Nesse período, o governo ditatorial declara que o país vivia uma guerra subversiva, sob esse pretexto aprova-se inclusive a pena de morte.

D) O slogan BRASIL: “Ame-o ou deixe-o” foi um grande instrumento de propaganda dos grupos da guerrilha de esquerda brasileira nessa fase.

E) A vitória do Brasil na Copa do Mundo de 1970 foi usada, junto aos efeitos do milagre econômico, como instrumento de construção positiva do regime militar.


04. (Fatec-SP–2008) O movimento denominado “Diretas Já!”, que começou reunindo poucos milhares de pessoas nas principais cidades brasileiras, acabou ganhando a simpatia da maior parte da população do país e tomou proporções gigantescas.

Esse movimento exigia:
A) eleições diretas depois da renúncia de Jânio Quadros.
B) o fim do AI-5, a volta dos direitos políticos e o retorno das eleições pelo voto universal.
C) o fim das torturas e a aprovação da Lei de Anistia Política.
D) a anistia política e o retorno dos exilados políticos para o Brasil.
E) o fim da Ditadura Militar e eleições diretas para presidente.


05. Regime Militar: Lutas, Direitos e Conquistas. (FGV-SP–2007 – modificado)

ZIRALDO. O Pasquim.
[…] meu Brasil,
Que sonha com a volta do irmão do Henfil,
com tanta gente que partiu num rabo de foguete:
chora a nossa pátria-mãe gentil
choram marias e clarisses no solo do Brasil.
Mas sei que uma dor assim pungente
não há de ser inutilmente a esperança
dança na corda bamba de sombrinha
e em cada passo dessa linha pode se machucar.
João Bosco e Aldir Blanc. “O bêbado e a equilibrista”.

A referência histórica da música estão relacionadas, respectivamente:
A) à exaltação do nacionalismo e ao movimento das “Diretas Já!”.
B) ao autoritarismo do governo e à campanha a favor da anistia.
C) à propaganda comunista e ao retorno dos exilados políticos.
D) ao fim da censura e à política favorável à redemocratização.
E) à outorga do Ato Institucional n°. 5 e ao milagre econômico.


06. Regime Militar: Lutas, Direitos e Conquistas. (UFMT–2010)
Comparação da distribuição de renda no Brasil 1960, 1970 e 1976

renda no regime militar

ALENCAR, Chico et al. História da sociedade brasileira.

Os dados permitem a conclusão de que, entre 1960 e 1976:
A) a partir do regime autoritário, nascido do Golpe de 1964, o esforço governamental, na legislação de apoio ao trabalho, com aumentos reais de salário, gerou estabilidade na renda dos brasileiros 50% mais pobres.

B) a concentração da riqueza no Brasil foi decorrência direta dos efeitos da crise econômica mundial que eclodiu no início dos anos 1960, que não permitiu que o PIB brasileiro crescesse na medida das suas necessidades.

C) as classes médias urbanas fazem parte do grupo mais prejudicado pela internacionalização da economia brasileira a partir de 1964, pois foram as que mais tiveram a carga tributária aumentada.

D) o chamado milagre econômico, do fim dos anos 1960 aos primeiros anos da década seguinte, permitiu que a parcela mais pobre da população brasileira aumentasse a sua participação na renda nacional.

E) ocorreu um processo de concentração de renda, pois o grupo mais rico da população ampliou a sua participação na renda nacional, em contraposição aos 80% mais pobres, que perderam espaço nessa mesma renda nacional.


🔵 >>> Confira a nossa lista completa de exercícios sobre a História do Brasil.


Gabarito com as respostas das atividades de História do Brasil sobre Regime Militar: Lutas, Direitos e Conquistas:

01. C;
02. D;
03. D;
04. E;
05. B;
06. E;

Gostou desta lista de Exercícios? Não esqueça de compartilhar com seus amigos:

Deixe um comentário