O Golpe Militar de 1964 Questões com Gabarito

01. Mackenzie-SP. Golpe Militar: Naquele comício, passando por cima das decisões do Congresso, João Goulart decretou a nacionaliza ção das refinarias particulares de petróleo e assinou a reforma agrária (…) Jango saiu daquele comício carregado em triunfo nos braços do povo.
Francisco de Assis Silva – História do Brasil

Esses acontecimentos provocaram:
a) o fim do pacto populista e o golpe de 1964, liderado pelos segmentos conservadores que temiam o avan­ço das forças populares e das reformas sociais.
b) a consolidação do governo João Goulart e a exe­cução das reformas de base.
c) a mobilização maciça das Forças Armadas para sustentar militarmente o governo Goulart.
d) a negociação entre governo e setores conserva­dores, adotando-se a solução parlamentarista.
e) o acirramento dos conflitos no campo entre forças populares e conservadoras, forçando o governo Goulart a renunciar à presidência.


02. Mackenzie-SP. A democracia populista durante o governo Goulart apoiou várias reivindicações populares que assustaram os setores conservadores, terminando por acelerar o golpe de 1964. Dentre elas citamos:

a) as reformas de base.
b) a extinção dos partidos políticos.
c) o fim da política externa independente.
d) o monopólio estatal sobre os meios de comuni­cação.
e) a preservação da estrutura fundiária do país.


03. UPF-RS. Golpe Militar: E nós sabíamos, confiávamos na vitória. E houve uma reunião mesmo nossa em que, antes, estávamos todos imaginando o tempo que duraria (… a revolução). A pre­visão era de durar uns seis meses de luta, no mínimo. Eu era considerado um otimista, achava que em um mês se acabava. O único que acertou foi o Golbery, que disse: “Cai como um castelo de cartas”.
General Muricy – líder da Revolução de 1964.

O golpe de 1964, que derrubou o governo Jango e instalou a ditadura militar, pode ser explicado pelos seguintes fatores:
I. A introdução do parlamentarismo em 1961 teve o objetivo de aumentar o poder das massas po­pulares, alienadas da participação política desde 1954.
II. O comício da Central do Brasil, em 13 de março de 1964, no qual Jango abordou a questão da refor­ma agrária, o voto para os analfabetos, soldados, marinheiros, cabos e sargentos e a legalidade para o Partido Comunista Brasileiro (PCB), acirrou de forma definitiva os temores das classes conserva­doras e da alta cúpula do Exército.

III. A criação da Petrobras por Jango criou descon­fianças nas companhias multinacionais.
IV. A movimentação de Leonel Brizola, ex-governador do Rio Grande do Sul, com a criação dos Grupos de Onze, radicalizou o processo de defesa das anunciadas “reformas de base”.

É correto o que se afirma em:
a) I e II apenas.
b) I e III apenas.
c) I, III e IV apenas.
d) II apenas.
e) II e IV apenas.


04. (UFMG 2009). Considerando-se os fatores que contribuíram para a longevidade do regime militar no Brasil, é CORRETO afirmar que foi de grande relevância:

A) a combinação entre a ordem constitucional, amparada pela Constituição de 1967, e a arbitrariedade, expressa em sucessivos Atos Institucionais.
B) a manutenção de um sistema político representativo, com eleições indiretas em todos os níveis, exceto para a Presidência da República.
C) o desenvolvimento econômico-social do País, acompanhado de um constante crescimento do Produto Interno Bruto (PIB).
D) o rodízio de lideranças políticas entre as Forças Armadas, por meio de eleições indiretas no âmbito do Comando Supremo da Revolução.


05. UPF-RS. Golpe Militar: Não há povo amorfo. Não há massa bruta e indiferente. A massa é formada de homens e a natureza de todos os homens é a mesma: dela é a paixão, a gratidão, a cólera, o instinto de luta e o instinto de defesa.
Rachel de Queiroz

Podemos relacionar o texto acima com um fenômeno político latino-americano que consistiu sobretudo na manipulação, pelo Estado, das camadas urbanas e de suas reivindicações. Esse fenômeno é marcante, no Brasil, no período compreendido entre:
a) o período da Independência, 1822, até a Procla­mação da República, 1889.
b) a queda do Estado Novo e a renúncia de Jânio Quadros.
c) a ascensão de Getúlio Vargas em 1930 e o golpe de 1964.
d) o início da presidência de Campos Sales e o final da Repúclica Velha.
e) o fim da era FHC e o início do governo Lula.


06. (FMJ SP). Em 31 de março de 1964, os militares brasileiros, apoiados pelos Estados Unidos e por parcelas da classe política e empresarial do país, assumiram o controle do Estado por meio de um golpe. A justificativa para esse golpe de Estado baseava-se na proteção contra:

a) o comunismo internacional, visto como ameaça às instituições democráticas no panorama de polarização política pós 2ª guerra.
b) as ditaduras fascistas em franco processo de expansão no continente sul-americano, já instaladas na Argentina e no Chile.
c) a tentativa dos partidos de esquerda de implantar um regime parlamentarista, considerado estranho à tradição brasileira.
d) a violação dos direitos individuais garantidos na Constituição que vinha sendo praticada desde a renúncia de Jânio Quadros.
e) a hiperinflação que paralisava a economia do país, e cuja origem estava no endividamento externo do período Vargas.


07. FGV-SP. No fundo, chegamos à conclusão de que fizemos a revolução contra nós mesmos. Essa lamentosa frase de Ademar de Barros sintetizava o ânimo de alguns conspiradores civis com os rumos do governo militar. Após duras críticas ao regime, Ademar chegou a exigir a renúncia do presidente Castelo Branco em um ma­nifesto à nação. Em junho de 1966 teve seus direitos políticos cassados por dez anos.
Flávio Campos, Oficina de História: história do Brasil.

Carlos Lacerda, outro importante civil articulador do golpe de 1964, reagiu contra o regime por meio:
a) da criação, no Rio de Janeiro, do Comitê pela Anistia, em 1968, com o apoio de militares e civis cassados pelo regime de exceção.
b) da defesa de eleições diretas para a presidência da República e governos estaduais e apoiou, em 1968, contraditoriamente, o AI-5.
c) de um mandado de segurança apresentado, em 1969, ao Supremo Tribunal Federal, reivindicando o afastamento de Costa e Silva.
d) de uma representação ao Congresso Nacional, exigindo a imediata reconsideração acerca do AI-2, que criou a ARENA e o MDB.
e) da organização da Frente Ampla, em 1967, que contou com a participação dos ex-presidentes Juscelino Kubitschek e João Goulart.


08. (UDESC) “Organizadas em oposição a João Goulart, as Marchas da Família se transformaram em forte apoio ao governo militar, reunindo uma massa de civis, nas capitais e interior do país.” (REVISTA DE HISTÓRIA DA BIBLIOTECA NACIONAL. Ano 1, n. 8, fev./mar. de 2006. p. 60.)

Relacionando o fragmento acima ao golpe militar no Brasil, é correto afirmar:
a) As torturas e as perseguições políticas são matérias para ficção, pois o Brasil sempre foi um país estável politicamente.
b) Havia receio dos setores mais progressistas do Brasil de que os norte-americanos invadissem o país.
c) O medo, em relação ao comunismo, não existia no meio social, posto que o país, em especial suas elites, sempre foi simpático às ideias comunistas.
d) Por ocasião do golpe houve um movimento civil conservador, inicialmente organizado em oposição ao governo do presidente trabalhista João Goulart, manifestado nas Marchas da Família com Deus pela Liberdade.
e) Não houve exílio de brasileiros, pois a Constituição de 1967 garantia a liberdade de expressão política.


09. Mackenzie-SP. Golpe Militar: Entre os fatores que precipitaram o golpe militar de 1964 esteve o programa de Reformas de Base, do presidente João Goulart.

Não estava entre as reformas:
a) a agrária, que pretendia uma divisão de terras socialmente mais justa.
b) a educacional, que buscava ampliar o ensino público, quer básico quer universitário.
c) a política, substituindo o regime presidencialista pelo parlamentarista.
d) a administrativa, lutando pela desburocratização das instituições públicas.
e) a urbana, que visava o combate aos problemas relacionados à pobreza nas cidades.


10. O regime militar brasileiro (1964-1985) caracterizou-se pela perseguição aos seus opositores e pelo cresci­mento econômico. O golpe também pode ser enten­dido como um momento da Guerra Fria em território brasileiro, já que os militares afirmavam que evitaram que o comunismo chegasse ao poder no Brasil. A partir disso, assinale a alternativa que identifica as reformas pretendidas por João Goulart e o nome pelo qual ficou conhecido o desenvolvimento industrial do Brasil no período dos militares respectivamente.

a) Plano de Metas e Plano Cruzado.
b) Plano Verão e Milagre Econômico.
c) Reformas de Base e Plano Real.
d) Milagre Econômico e Política do Encilhamento.
e) Reformas de Base e Milagre Econômico.


🔵 >>> Confira a nossa lista completa de exercícios sobre a História do Brasil.


Gabarito com as respostas das questões sobre Golpe Militar de 1964:

01. A;

02. A;

03. E;

04. A;

05. O movimento de 1964 não cabe no conceito de “revolução”, pois não promoveu mudanças drásticas nas estruturas da sociedade brasileira. Ao contrário, seu objetivo foi manter o status quo.

06. A;

07. E;

08. D;

09. C;

10. E;

Gostou desta lista de Exercícios? Não esqueça de compartilhar com seus amigos:

Deixe um comentário