O Processo de Emancipação Política do Brasil Exercícios

1. O Processo de Emancipação Política do Brasil: (UERJ) Entre as alterações que favoreceram a emancipação política de 1822, e que foram ocasionadas pela vinda da Família Real para o Brasil, encontra-se:
a) o estabelecimento do Governo Geral em Salvador.
b) a instalação da corte na cidade do Rio de Janeiro.
c) o abandono das colônias no Oriente nas mãos de holandeses e espanhóis.
d) o enriquecimento da sociedade brasileira pela descoberta das Minas Gerais.
e) a implantação de uma constituição liberal no Brasil e em Portugal, por determinação real.

 


2. (UERJ) Em relação ao comércio de importação e exportação, no período de 1796 a 1807, a preponderância coube efetivamente ao Rio de Janeiro, tanto na importação (38,1%), quanto na exportação (34,2%). A Bahia ficou com o segundo lugar na importação (27,1%) e na exportação (26,4%).
(ARRUDA, José Jobson de A. Brasil no Comércio Colonial, 1980. Adaptado.)
O trecho acima evidencia a posição do Rio de Janeiro que, dentro do período determinado, progressivamente se tornou:
a) centro econômico de importância no contexto colonial, sobretudo após 1760, integrando-o ao sistema atlântico português.
b) região privilegiada para o cultivo do café, substituindo a produção açucareira decadente do Nordeste e concentrando escravos provenientes do resto da colônia.
c) grande produtor de manufaturas têxteis voltadas ao mercado externo, enquanto se dedicava à importação de produtos de luxo para as elites fluminenses.
d) principal porto pelo qual ingressavam na colônia as manufaturas provenientes da Inglaterra e de outras regiões com as quais o Brasil mantinha relações comerciais.

 


3. O Processo de Emancipação Política do Brasil: (UERJ) Após a transferência da Corte Portuguesa para o Brasil, o Rio de Janeiro foi inundado de mercadorias inglesas, algumas sem qualquer utilidade, como registrou o viajante inglês J. Mawe em seu livro Viagens ao Interior do Brasil: “Certo especulador, numa maravilhosa previsão, mandou grandes remessas de espartilhos para senhoras, que nunca haviam ouvido falar em tal armadura; outro enviou patins para o uso de pessoas que ignoravam, por completo, poder a água transformar-se em gelo; (…).”
Essa afirmação pode ser explicada pela:
a) crise de superprodução manufatureira europeia.
b) política empreendida pelas Cortes Constituintes de Lisboa.
c) vantagem dada aos britânicos a partir dos tratados de 1810.
d) volta de D. João VI para Portugal após a Revolução do Porto.

 


4. (Alfenas) O Bloqueio Continental, em 1807, a vinda da família real para o Brasil e a abertura dos portos, em 1808, constituíram fatos importantes:
a) na formação do caráter nacional brasileiro.
b) na evolução do desenvolvimento industrial.
c) no processo de independência política.
d) na constituição do ideário federalista.
e) no surgimento das disparidades regionais.

 


5. O Processo de Emancipação Política do Brasil: (UNIBH) “Em 1808, 90 navios, sob bandeiras diversas, entraram no porto do Rio de Janeiro, enquanto, dois anos depois, 422 navios estrangeiros e portugueses fundearam naquele porto. Por volta de 1811, existiam na capital 207 estabelecimentos comerciais portugueses e ingleses, além dos que eram possuídos por nacionais dos países amigos de Portugal”. As modificações descritas no texto estão relacionadas com:
a) o período joanino e o Ato Adicional à Constituição Imperial.
b) a abertura dos portos e a guerra de independência da Cisplatina.
c) o domínio napoleônico em Portugal e a implantação do Estado Novo.
d) a abertura dos portos e os tratados de comércio e amizade com a Inglaterra.

 

A Crise no Período Colonial Questões.


6. O Processo de Emancipação Política do Brasil: (PUC-Minas) A presença da Corte Portuguesa no Brasil (1808-1820) gerou as seguintes grandes transformações na vida econômica, política e sociocultural brasileira, exceto:
a) abertura do Banco do Brasil e da Casa da Moeda.
b) mudança da capital de Salvador para o Rio de Janeiro.
c) revogação do Alvará de 1785, que proibia manufaturas no país.

d) elevação do Brasil a Reino Unido.
e) inauguração de institutos científicos como o Jardim Botânico.

 


7. (Cesgranrio) “As ruas estão, em geral, repletas de mercadorias inglesas. A cada porta, as palavras ‘Superfino de Londres’ saltam aos olhos: algodão estampado, panos largos, louça de barro, mas, acima de tudo, ferragens de Birminghan, podem-se obter um pouco mais caro do que em nossa terra nas lojas do Brasil, além de sedas, crepes e outros artigos da China.”
(GRAHAM, Mary. Diário de Uma Viagem ao Brasil. In: CAMPOS, Raymundo. História do Brasil. 2. ed. São Paulo: Atual, 1991. p. 98.)
Essa descrição das lojas do Rio de Janeiro, feita por uma inglesa que estava no Brasil, em 1821, justifica-se
historicamente pelo(a):
a) Tratado de Maastricht.
b) Tratado de Fontainebleau.
c) Tratado de Comércio e Navegação.
d) Bloqueio Continental.
e) criação do Nafta e da Alca.

 


8. O Processo de Emancipação Política do Brasil: (UERJ) “O Deus da natureza fez a América para ser independente e livre: o Deus da Natureza conservou no Brasil o príncipe regente para ser aquele que firmasse a independência deste vasto continente. Que tardamos?
A época é esta. Portugal nos insulta… a América nos convida… a Europa nos contempla… o príncipe nos defende… Cidadãos! Soltai o grito festivo… Viva o Imperador Constitucional do Brasil, o senhor D. Pedro I.”
(Correio Extraordinário do Rio de Janeiro, 21 set. 1822.)
Apresente duas razões para a independência do Brasil.

 


9. (UERJ)
O Congresso Lisbonense
Por outro lado, a meu ver, comprado
Pensou em fazer com decretos
Este Império desgraçado
…………………………………………..
Se pois Portugal é forte
E como tal se abaliza
O Brasil tem por divisa
Independência ou Morte!
(Trovas para Cantarem os Rapazes do Brasil. 1822.)
O pequeno poema acima faz referência a alguns motivos que levaram ao processo de emancipação brasileira
em 1822.
Identifique, a partir do poema, um fator para a independência brasileira.

 


10. O Processo de Emancipação Política do Brasil: (UFRJ) “A massa popular a tudo ficou indiferente, parecendo perguntar como o burro da fábula: não terei a vida toda de carregar a albarda?”
(Saint Hilaire, August de. A Segunda Viagem do Rio de Janeiro a Minas Gerais e a São Paulo. São Paulo:
Companhia Editora Nacional , 1932. p.171.)


Saint Hilaire era um botânico francês que, entre 1816 e 1822, viajou pelo Brasil, estudando a flora do país.
Estava por aqui quando ocorreu a ruptura política dos laços coloniais entre Brasil e Portugal, ocasião em
que escreveu as palavras acima. Albarda, segundo o dicionário Aurélio, significa sela grosseira, enchumaçada
de palha, para bestas de carga. E também opressão, vexame, humilhação. No contexto da descolonização da
América Latina, a ausência da participação popular no processo de independência política não foi exclusividade brasileira. O processo de independência política do Brasil, contudo, teve peculiaridades notáveis. Indique quatro acontecimentos característicos desse processo, no século XIX.

 

🔵 >>> Confira a nossa lista completa de exercícios sobre a História do Brasil.

 

Gabarito com as respostas dos exercícios de História do Brasil sobre O Processo de Emancipação Política do Brasil:

1. B
2. A
3. C
4. B
5. A
6. B
7. D
8. E
9. A


10. O decreto de abertura dos portos levou ao fim do pacto colonial, permitindo que os latifundiários negociassem com outros mercados.

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.