O Processo de Emancipação Política do Brasil Exercícios

01. O Processo de Emancipação Política do Brasil: (UERJ) Entre as alterações que favoreceram a emancipação política de 1822, e que foram ocasionadas pela vinda da Família Real para o Brasil, encontra-se:

a) o estabelecimento do Governo Geral em Salvador.
b) a instalação da corte na cidade do Rio de Janeiro.
c) o abandono das colônias no Oriente nas mãos de holandeses e espanhóis.
d) o enriquecimento da sociedade brasileira pela descoberta das Minas Gerais.
e) a implantação de uma constituição liberal no Brasil e em Portugal, por determinação real.


02. (UERJ) Em relação ao comércio de importação e exportação, no período de 1796 a 1807, a preponderância coube efetivamente ao Rio de Janeiro, tanto na importação (38,1%), quanto na exportação (34,2%). A Bahia ficou com o segundo lugar na importação (27,1%) e na exportação (26,4%).
(ARRUDA, José Jobson de A. Brasil no Comércio Colonial, 1980. Adaptado.)

O trecho acima evidencia a posição do Rio de Janeiro que, dentro do período determinado, progressivamente se tornou:
a) centro econômico de importância no contexto colonial, sobretudo após 1760, integrando-o ao sistema atlântico português.
b) região privilegiada para o cultivo do café, substituindo a produção açucareira decadente do Nordeste e concentrando escravos provenientes do resto da colônia.
c) grande produtor de manufaturas têxteis voltadas ao mercado externo, enquanto se dedicava à importação de produtos de luxo para as elites fluminenses.
d) principal porto pelo qual ingressavam na colônia as manufaturas provenientes da Inglaterra e de outras regiões com as quais o Brasil mantinha relações comerciais.


03. O Processo de Emancipação Política do Brasil: (UERJ) Após a transferência da Corte Portuguesa para o Brasil, o Rio de Janeiro foi inundado de mercadorias inglesas, algumas sem qualquer utilidade, como registrou o viajante inglês J. Mawe em seu livro Viagens ao Interior do Brasil: “Certo especulador, numa maravilhosa previsão, mandou grandes remessas de espartilhos para senhoras, que nunca haviam ouvido falar em tal armadura; outro enviou patins para o uso de pessoas que ignoravam, por completo, poder a água transformar-se em gelo; (…).”

Essa afirmação pode ser explicada pela:
a) crise de superprodução manufatureira europeia.
b) política empreendida pelas Cortes Constituintes de Lisboa.
c) vantagem dada aos britânicos a partir dos tratados de 1810.
d) volta de D. João VI para Portugal após a Revolução do Porto.


04. (Alfenas) O Bloqueio Continental, em 1807, a vinda da família real para o Brasil e a abertura dos portos, em 1808, constituíram fatos importantes:

a) na formação do caráter nacional brasileiro.
b) na evolução do desenvolvimento industrial.
c) no processo de independência política.
d) na constituição do ideário federalista.
e) no surgimento das disparidades regionais.


05. O Processo de Emancipação Política do Brasil: (UNIBH) “Em 1808, 90 navios, sob bandeiras diversas, entraram no porto do Rio de Janeiro, enquanto, dois anos depois, 422 navios estrangeiros e portugueses fundearam naquele porto. Por volta de 1811, existiam na capital 207 estabelecimentos comerciais portugueses e ingleses, além dos que eram possuídos por nacionais dos países amigos de Portugal”. As modificações descritas no texto estão relacionadas com:

a) o período joanino e o Ato Adicional à Constituição Imperial.
b) a abertura dos portos e a guerra de independência da Cisplatina.
c) o domínio napoleônico em Portugal e a implantação do Estado Novo.
d) a abertura dos portos e os tratados de comércio e amizade com a Inglaterra.


06. O Processo de Emancipação Política do Brasil: (PUC-Minas) A presença da Corte Portuguesa no Brasil (1808-1820) gerou as seguintes grandes transformações na vida econômica, política e sociocultural brasileira, exceto:

a) abertura do Banco do Brasil e da Casa da Moeda.
b) mudança da capital de Salvador para o Rio de Janeiro.
c) revogação do Alvará de 1785, que proibia manufaturas no país.
d) elevação do Brasil a Reino Unido.
e) inauguração de institutos científicos como o Jardim Botânico.


07. (Cesgranrio) “As ruas estão, em geral, repletas de mercadorias inglesas. A cada porta, as palavras ‘Superfino de Londres’ saltam aos olhos: algodão estampado, panos largos, louça de barro, mas, acima de tudo, ferragens de Birminghan, podem-se obter um pouco mais caro do que em nossa terra nas lojas do Brasil, além de sedas, crepes e outros artigos da China.”
(GRAHAM, Mary. Diário de Uma Viagem ao Brasil. In: CAMPOS, Raymundo. História do Brasil. 2. ed. São Paulo: Atual, 1991. p. 98.)

Essa descrição das lojas do Rio de Janeiro, feita por uma inglesa que estava no Brasil, em 1821, justifica-se historicamente pelo(a):
a) Tratado de Maastricht.
b) Tratado de Fontainebleau.
c) Tratado de Comércio e Navegação.
d) Bloqueio Continental.
e) criação do Nafta e da Alca.


08. O Processo de Emancipação Política do Brasil: (UERJ) “O Deus da natureza fez a América para ser independente e livre: o Deus da Natureza conservou no Brasil o príncipe regente para ser aquele que firmasse a independência deste vasto continente. Que tardamos?

A época é esta. Portugal nos insulta… a América nos convida… a Europa nos contempla… o príncipe nos defende… Cidadãos! Soltai o grito festivo… Viva o Imperador Constitucional do Brasil, o senhor D. Pedro I.”
(Correio Extraordinário do Rio de Janeiro, 21 set. 1822.)

Apresente duas razões para a independência do Brasil.


09. (UERJ)
O Congresso Lisbonense
Por outro lado, a meu ver, comprado
Pensou em fazer com decretos
Este Império desgraçado
…………………………………………..
Se pois Portugal é forte
E como tal se abaliza
O Brasil tem por divisa
Independência ou Morte!
(Trovas para Cantarem os Rapazes do Brasil. 1822.)
O pequeno poema acima faz referência a alguns motivos que levaram ao processo de emancipação brasileira
em 1822.
Identifique, a partir do poema, um fator para a independência brasileira.


10. O Processo de Emancipação Política do Brasil: (UFRJ) “A massa popular a tudo ficou indiferente, parecendo perguntar como o burro da fábula: não terei a vida toda de carregar a albarda?”
(Saint Hilaire, August de. A Segunda Viagem do Rio de Janeiro a Minas Gerais e a São Paulo. São Paulo:
Companhia Editora Nacional , 1932. p.171.)

Saint Hilaire era um botânico francês que, entre 1816 e 1822, viajou pelo Brasil, estudando a flora do país.
Estava por aqui quando ocorreu a ruptura política dos laços coloniais entre Brasil e Portugal, ocasião em que escreveu as palavras acima. Albarda, segundo o dicionário Aurélio, significa sela grosseira, enchumaçada de palha, para bestas de carga. E também opressão, vexame, humilhação. No contexto da descolonização da América Latina, a ausência da participação popular no processo de independência política não foi exclusividade brasileira. O processo de independência política do Brasil, contudo, teve peculiaridades notáveis. Indique quatro acontecimentos característicos desse processo, no século XIX.


🔵 >>> Confira a nossa lista completa de exercícios sobre a História do Brasil.


Gabarito com as respostas dos exercícios de História do Brasil sobre O Processo de Emancipação Política do Brasil:

01. B;
02. A;
03. C;
04. B;
05. A;
06. B;
07. D;
08. E;
09. A;


10. O decreto de abertura dos portos levou ao fim do pacto colonial, permitindo que os latifundiários negociassem com outros mercados.

Gostou desta lista de Exercícios? Não esqueça de compartilhar com seus amigos:

Deixe um comentário