Revolução Industrial e Política da Inglaterra Questões Resolvidas

01. Revolução Industrial e Política da Inglaterra: (Unicamp/2014) Um motivo para a melhoria da dieta ao longo do século XIX era que chegavam cada vez mais alimentos do que chamamos de “periferia” da Europa, denominação vaga que engloba a Rússia e a Europa do Leste, como também das zonas de abastecimento do Novo e do Velho Mundo. Grande parte da Europa acabou por beneficiar-se dessas importações, mas os países mais necessitados desses produtos eram aqueles onde a industrialização e o desenvolvimento urbano ocorreram com maior ímpeto, ou seja, Grã-Bretanha, os Países Baixos e a Alemanha. Do Novo Mundo chegavam o açúcar, o café e o cacau, e da China, do Ceilão e da Índia chegavam o chá e o arroz.
(Adaptado de Norman J. G. Pounds, La Vida Cotidiana: historia de la cultura material. Barcelona: Editorial Crítica, 1992, p. 507-509.)

a) Explique a relação entre o processo de industrialização e importação de alimentos na Europa.
b) Por que a dieta europeia melhorou ao longo do século XIX?


02. (UFPR/2014) Leia o excerto de texto escrito pelo anarquista Neno Vasco (1878-1920), na edição de Primeiro de Maio de 1914 do jornal brasileiro “A Voz do Trabalhador”: “Eis a festa do 1° de Maio, isto é, a manifestação proletária que a inconsciência de uns, a astúcia e velhacaria de outros e a cumplicidade de todos reduziram em tantas partes a uma absurda ‘festa do trabalho’, como lhe chamam os burgueses complacentes. (…) Vós, só o podereis festejar quando tiverdes conquistado. E é dessa conquista que se trata, tanto no 1° de Maio como nos outros dias.”
(Neno Vasco. O Significado do 1° de Maio. In: A Voz doTrabalhador, Ano VII, números 53-64, 1° de maio de 1914) http://passapalavra.info/2009/09/11694)

Discorra sobre o sentido original do Primeiro de Maio no final do século XIX e explique as razões da indignação expressa no texto acima.


03. Revolução Industrial e Política da Inglaterra: (UEL/2014) A Revolução Industrial foi acompanhada por profundas transformações na Europa. Os novos meios de transporte, que utilizavam as máquinas térmicas recém-criadas, foram essenciais aos avanços relacionados à industrialização por todo o continente. Naquele período, foi demonstrado teoricamente que uma máquina térmica ideal é aquela que descreve um ciclo especial, denominado ciclo de Carnot. Sobre os princípios físicos da termodinâmica e do ciclo de Carnot, assinale a alternativa correta.

a) As máquinas térmicas, que operam em ciclos, são incapazes de retirar o calor de uma fonte e o transformar integralmente em trabalho.

b) Em uma máquina térmica que opera em ciclos de Carnot, ocorrem duas transformações isobáricas e duas isovolumétricas.

c) No ciclo de Carnot, ocorre uma transformação reversível, enquanto as demais são irreversíveis.

d) O rendimento de uma máquina térmica é nulo quando as etapas do ciclo de Carnot forem transformações reversíveis.

e) Uma máquina térmica é capaz de transferir calor de um ambiente frio para um quente sem a necessidade de consumir energia externa.


04. (FUVEST/2014) As chamadas “revoluções inglesas”, transcorridas entre 1640 e 1688, tiveram como resultados imediatos:

a) a proclamação dos Direitos do Homem e do Cidadão e o fim dos monopólios comerciais.
b) o surgimento da monarquia absoluta e as guerras contra a França napoleônica.
c) o reconhecimento do catolicismo como religião oficial e o fortalecimento da ingerência papal nas questões locais.
d) o fim do anglicanismo e o início das demarcações das terras comuns.
e) o fortalecimento do Parlamento e o aumento, no governo, da influência dos grupos ligados às atividades comerciais.


05. Revolução Industrial e Política da Inglaterra: (UFTM/2011) Leia o texto.

Em 1801, em todo o continente [europeu], não havia mais de 23 cidades com mais de 100 mil habitantes, agrupando menos de 2% da população da Europa. Em meados do século, seu número já se elevava para 42; em 1900 eram 135 e, em 1913, 15% dos europeus moravam em cidades. Quanto às cidades com mais de 500 mil habitantes que, na época, pareciam monstros, só existiam duas no início do século XIX: Londres e Paris. Às vésperas da Primeira Guerra Mundial, elas já eram 149.
(René Rémond. Introdução à história do nosso tempo – O Século XIX, 1976.)

A situação descrita pode ser explicada:
a) pela pressão dos senhores feudais, que substituíram os antigos servos por trabalhadores livres.

b) pela descoberta dos antibióticos, que contribuiu para erradicar doenças e aumentar a expectativa média de vida.

c) pelo crescimento da publicidade, que incentivava o deslocamento de populações por todo o continente.

d) pelo processo de industrialização, que concentrou a produção e a mão de obra nos centros urbanos.

e) pela política armamentista, que incentivava o serviço militar obrigatório e o crescimento do exército nas áreas urbanas.


06. Revolução Industrial e Política da Inglaterra: (Unimontes/2012) Sobre a Revolução Industrial inglesa, é CORRETO afirmar que

a) se caracterizou pela manufatura, assim como os cercamentos caracterizaram o período anterior a ela.
b) se destacam, entre os fatores econômicos da Revolução Industrial, a acumulação de capitais e a retração do comércio inglês.
c) a passagem do poder político para as mãos da burguesia inglesa atrasou em décadas a Revolução Industrial.
d) se caracterizou por grandes mudanças econômico-sociais e avanços tecnológicos importantes.


07. Revolução Industrial e Política da Inglaterra: (Espcex (Aman)/2012) Leia as afirmações abaixo, referentes a fatos ocorridos e ideias desenvolvidas na Europa, e responda ao que se pede.

I. “Representou, na verdade, o momento culminante de um processo que começou no Renascimento, de afirmação da razão como base do conhecimento”. (ARRUDA & PILETTI, 2007)

II. De acordo com Rosseau o “povo (…) é o verdadeiro soberano (…) Sua forma de expressão (…) deveria se manifestar por meio da maioria de votos da população em assembleias nas quais ele exerceria diretamente (…) o poder de decidir sobre os rumos a dar à sociedade”. (AZEVEDO & SERIACOPI, 2007)

III. Provocaram transformações, dentre outras: proletarização definitiva dos produtores diretos; decadência da indústria doméstica rural; crescente divisão internacional do trabalho; aceleração do êxodo rural, antagonismo entre o proletariado nascente e a burguesia proprietária dos meios de produção.

IV. Irromperam movimentos sociais e políticos como o ludismo e o movimento cartista.

V. São algumas de suas ideias: críticas ao Estado absolutista, propondo a limitação do poder real; defesa da não intervenção do Estado no campo econômico; e defesa de um sistema constitucional.

Os números:
a) I, II e V referem-se ao pensamento socialista; e os números III e IV são consequências e ideias positivistas.

b) I e III referem-se ao Macartismo, e os números II, IV e V referem-se ao Comunismo.

c) I, III e IV são ideias e consequências do Iluminismo; os números II e V são ideias e consequências das ideias bulionistas.

d) III e V são ideias e consequências dos ideais anarquistas; os números I, II e IV são ideias positivistas e algumas de suas consequências.

e) I, II e V referem-se a ideias e ao pensamento iluminista; os números III e IV ocorreram como consequência da Revolução Industrial.


08. Revolução Industrial e Política da Inglaterra: (UFU/2012) Entre os eventos que merecem destaque na consolidação do absolutismo inglês estão o embate entre os York e os Lancaster, na Guerra das Duas Rosas, o controle dos nobres por Henrique VII e, finalmente, as ações de Henrique VIII, que rompeu com o papa e fundou a Igreja Anglicana, mantida sob sua tutela. Com a morte de Henrique VIII e a ascensão de Elizabeth I, o absolutismo inglês conheceu seu período de maturidade. As ações de Elizabeth I e de seus sucessores, adotando medidas mercantilistas, criando companhias de comércio, dissolvendo o Parlamento, exigindo pensão vitalícia e criando taxas, marcaram  acontecimentos que culminaram, décadas mais tarde, numa página da história da sociedade inglesa conhecida como Revolução Gloriosa.

Neste cenário:
a) a economia inglesa, diante da instabilidade política, teve um desenvolvimento irregular no século XIX, atrasando sua industrialização frente a outros países.

b) a monarquia absolutista inglesa, reconhecendo suas limitações, tomou a iniciativa na criação do Bill of Rights, evitando novas guerras civis no país.

c) as medidas absolutistas insuflaram questionamentos na sociedade inglesa, favorecendo mudanças e rupturas na estrutura política do país.

d) as características absolutistas da monarquia inglesa a afastavam do modelo constitucional que, desde o final da Idade Média, predominava na Europa.


09. Revolução Industrial e Política da Inglaterra: (UNESP/2013) No final do século XVIII, a Inglaterra mantinha relações comerciais regulares com várias regiões do continente africano. O interesse de ingleses nesse comércio derivava, entre outras coisas, da necessidade de:

a) mercado consumidor para os tecidos, produzidos em escala industrial nas fábricas inglesas e francesas.

b) especiarias e sal, utilizados na conservação de alimentos consumidos nas grandes cidades europeias.

c) petróleo, utilizado como fonte principal de energia nas fábricas instaladas em torno das grandes cidades inglesas.

d) matérias-primas, como o algodão e os óleos vegetais, que eram utilizadas pelas fábricas inglesas.

e) mão de obra a ser empregada nas manufaturas e fábricas que proliferavam na Inglaterra e na França.


10. Revolução Industrial e Política da Inglaterra: (UNESP/2013) Leia.
Todo processo de industrialização é necessariamente doloroso, porque envolve a erosão de padrões de vida tradicionais. Contudo, na Grã-Bretanha, ele ocorreu com uma violência excepcional, e nunca foi acompanhado por um sentimento de participação nacional num esforço comum. Sua única ideologia foi a dos patrões. O que ocorreu, na realidade, foi uma violência contra a natureza humana. De acordo com uma certa perspectiva, esta violência pode ser considerada como o resultado da ânsia pelo lucro, numa época em que a cobiça dos proprietários dos meios de produção estava livre das antigas restrições e não tinha ainda sido limitada pelos novos instrumentos de controle social. Não foram nem a pobreza, nem a doença os responsáveis pelas mais negras sombras que cobriram os anos da Revolução Industrial, mas sim o próprio trabalho.
(Edward P. Thompson. A formação da classe operária inglesa, vol. 2, 1987. Adaptado.)

O texto afirma que a Revolução Industrial:
a) aumentou os lucros dos capitalistas e gerou a convicção de que era desnecessário criar mecanismos de defesa e proteção dos trabalhadores.

b) provocou forte crescimento da economia britânica e, devido a isso, contou com esforço e apoio plenos de todos os segmentos da população.

c) representou mudanças radicais nas condições de vida e trabalho dos operários e envolveu-os num duro processo de produção.

d) piorou as condições de vida e de trabalho dos operários, mas trouxe o benefício de consolidar a ideia de que o trabalho enobrece o homem.

e) preservou as formas tradicionais de sociabilidade operária, mas aprofundou a miséria e facilitou o alastramento de epidemias.


🔵 >>> Confira a nossa lista completa de exercícios sobre a História do Brasil.


Gabarito com as respostas das questões de história sobre a Revolução Industrial e Política da Inglaterra:

01. a) O processo de industrialização dos países europeus contou com um fator comum: o êxodo dos trabalhadores do campo para as cidades. Nesse sentido, a mão de obra que anteriormente lavrava os campos e produzia os alimentos que abasteciam os países passou a trabalhar nas recém-criadas fábricas, criando a necessidade de importação de alimentos.

b) Como o próprio texto deixa claro, a dieta melhorou porque a Europa passou a importar alimentos de “novos” lugares, ampliando a quantidade e a variedade de produtos. Nesse contexto, o neocolonialismo promovido na África e na Ásia contribuiu para essa melhora, porque os países europeus passaram a importar novos alimentos de localidades como a Índia e a China.

02. O Primeiro de Maio surgiu como resultado da indignação e das manifestações em busca de melhores condições de trabalho dos operários após a Primeira Revolução Industrial. O autor do artigo demonstra indignação porque, segundo ele, a comemoração do Primeiro de Maio foi transformada em algo festivo, não condizente com a originalidade da comemoração do dia.

03. a;

04. e;

05. d;

06. d;

07. e;

08. b;

09. d;

10. c

Gostou desta lista de Exercícios? Não esqueça de compartilhar com seus amigos:

Deixe um comentário