Exercícios sobre O Processo de Independência do Brasil

1) O Processo de Independência do Brasil: (Unesp/2013) Com a vinda da Corte, pela primeira vez, desde o início da colonização, configuravam-se nos trópicos portugueses preocupações próprias de uma colônia de povoamento e não apenas de exploração ou feitoria comercial, pois que o Rio teriam que viver e, para sobreviver, explorar “os enormes recursos naturais” e as potencialidades do império nascente, tendo em vista o formento do bem-estar da própria população local.

(Maria Odila Leite da Silva Dias. A interiorização da metrópole e outros estudos, 2005.)

A vinda da Corte portuguesa para o Brasil, ocorrida em 1808 e citada no texto, foi provocada, sobretudo,

a) pelo fim da ocupação francesa em Portugal e pelo projeto, defendido pelos liberais portugueses, de iniciar a gradual descolonização do Brasil.

b) pela pressão comercial espanhola e ela disposição, do príncipe regente, de impedir a expansão e o sucesso dos  movimentos emancipacionistas na colônia.

c) pelo interesse de expandir as fronteiras da colônia, avançando sobre terras da América Espanhola, para assegurar o pleno domínio continental do Brasil.

d) pela invasão francesa em Portugal e pela proximidade e aliança do governo português com a política da Inglaterra.

e) pela intenção de expandir, para a Amértica, o projeto de união ibérica, reunindo, sob a mesma administração colonial, as colônias espanholas e o Brasil.

 

 

2) (Fuvest) A invasão da Península Ibérica pelas forças de Napoleão Bonaparte levou a Coroa portuguesa, apoiada pela Inglaterra, a deixar Lisboa e instalar-se no Rio de Janeiro. Tal decisão teve desdobramentos notáveis para o Brasil. Entre eles:

a) a chegada ao Brasil do futuro líder da independência, a extinção do tráfico negreiro e a criação das primeiras escolas primárias.

b) o surgimento das primeiras indústrias, muitas transformações arquitetônicas no Rio de Janeiro e a primeira constituição do Brasil.

c) o fm dos privilégios mercantilistas portugueses, o nascimento das universidades e algumas mudanças nas relações entre senhores e escravos.

d) a abertura dos portos brasileiros a outras nações, a assinatura de acordos comerciais favoráveis aos ingleses e a instalação da Imprensa Régia.

e) a elevação do Brasil à categoria de Reino Unido, a abertura de estradas de ferro, ligando o litoral fluminense ao porto do Rio, e a introdução do plantio do café.

 

 

3) O Processo de Independência do Brasil: (UFPR/2011) Em janeiro de 1808, D. João, Príncipe Regente do Império Português, expediu a seguinte Carta Régia:

“Eu, o Príncipe-Regente […] atendendo à representação que fizestes subir à minha Real presença, […] sou servido ordenar […] o seguinte:

Primeiro – Que sejam admissíveis nos portos do Brasil todos e quaisquer gêneros, fazendas e mercadorias, transportadas em navios estrangeiros das potências que se conservam em paz e harmonia com a minha Real Coroa […]. Segundo – Que não só os meus vassalos, mas também os sobreditos estrangeiros possam exportar para os portos que bem lhes parecer, a benefício do comércio e agricultura, que tanto desejo promover, todos e quaisquer gêneros e produções coloniais […]. O que tudo assim fareis executar com o zelo e atividade que de vós espero.”

(Adaptado de Coleção das Leis do Brasil – 1808.)

Com base nesse documento e nos conhecimentos históricos, escreva um texto abordando as consequências dessas determinações de D. João sobre o pacto colonial.

 

 

4) (Fuvest) Durante o período em que a Corte esteve instalada no Rio de Janeiro, a Coroa Portuguesa concentrou sua política externa na região do Prata, daí resultando:

a) A constituição da Tríplice Aliança que levaria à Guerra do Paraguai.

b) a incorporação da Banda Oriental ao Brasil, com o nome de Província Cisplatina.

c) a formação das Províncias Unidas do Rio da Prata, com destaque para a Argentina.

d) o fortalecimento das tendências republicanas no Rio Grande do Sul, dando origem à Guerra dos Farrapos.

e) a coalizão contra Juan Manuel de Rosas que foi obrigado a abdicar de pretensões sobre Uruguai.

 

 

5) O Processo de Independência do Brasil: (Fuvest-SP/2010) “Eis que uma revolução, proclamando um governo absolutamente independente da sujeição à corte do Rio de Janeiro, rebentou em Pernambuco, em março de 1817. É um assunto para o nosso ânimo tão pouco simpático que, se nos fora permitido [colocar] sobre ele um véu, o deixaríamos fora do quadro que nos propusemos tratar.” F. A. Varnhagen.

História Geral do Brasil, 1854.

O texto trata da Revolução pernambucana de 1817. Com relação a esse acontecimento, é possível afirmar que os insurgentes:

a) pretendiam a separação de Pernambuco do restante do reino, impondo a expulsão dos portugueses desse território.

b) contaram com a ativa participação de homens negros, pondo em risco a manutenção da escravidão na região.

c) dominaram Pernambuco e o norte da colônia, decretando o fm dos privilégios da Companhia do Grão-Pará e Maranhão.

d) propuseram a independência e a república, congregando proprietários, comerciantes e pessoas das camadas populares.

e) implantaram um governo de terror, ameaçando o direito dos pequenos proprietários à livre exploração da terra.

 

A Crise do Antigo Sistema Colonial Exercícios Respondidos.

 

6) O Processo de Independência do Brasil: (UFF) Nas primeiras décadas do século XIX, ocorreu uma verdadeira “redescoberta do Brasil”, como identificou Mary Pratt, graças à ação de inúmeros viajantes europeus, bem como às Missões Artísticas e Científicas que percorreram o território, colhendo diversas informações sobre o que aqui existia. Foram registrados os diversos grupos humanos encontrados, legando-nos um retrato de diversos tipos sociais. Rica e fundamental foi a descrição que fizeram da Natureza, revelando ao mundo diferenciadas flora e fauna. Entretanto, até o início dos oitocentos, os estrangeiros foram proibidos de percorrer as terras brasileiras, e eram quase sempre vistos como espiões e agentes de outros países.

O grande afluxo de artistas e cientistas estrangeiros ao Brasil está ligado:

a) à política joanina, no sentido de modernizar o Rio de Janeiro, inclusive com o projeto de criar uma escola de ciências, artes e ofícios.

b) à pressão exercida pela Inglaterra, para que o governo de D. João permitisse a entrada de cientistas e artistas no Brasil.

c) à transferência da capital do Império Português, de Salvador para o Rio de Janeiro, modificando o eixo econômico da Colônia.

d) à reafirmação do pacto colonial, em função das proposições liberais da Revolução do Porto.

e) à política de vários países europeus, que buscavam ampliar o conhecimento geral sobre o mundo, na esteira do humanismo platônico.

 

 

7) O Processo de Independência do Brasil: (PUC-MG) “Pedro, se o Brasil, se separar, antes seja para ti, que me hás de respeitar, do que para algum desses aventureiros.” A recomendação feita por D. João VI ao flho D. Pedro, que permaneceria como Regente do Brasil, logo após a partida de seu pai para Portugal em 1821, está diretamente relacionada com:

a) a vitória do movimento liberal da cidade do Porto, em 1820, que estabeleceu a monarquia constitucional em Portugal, limitando os poderes absolutistas do Rei.

b) a divergência entre os representantes políticos brasileiros na Maçonaria e D. Pedro, que queria preservar os direitos da dinastia de Bragança.

c) a revolta das tropas aquarteladas no Rio de Janeiro, contrárias à decisão do Príncipe regente, que pretendia permanecer no país.

d) a adesão imediata do “Partido Brasileiro” à política defendida pelas “Cortes de Lisboa”, favoráveis à manutenção do Reino Unido a Portugal e Algarves.

 

 

8) O Processo de Independência do Brasil: (UFC) “Houve muita confusão no embarque, e a viagem não foi fácil. Uma tempestade dividiu a frota; os navios estavam superlotados, daí resultando falta de comida e água; a troca de roupa foi improvisada com cobertas e lençóis fornecidos pela marinha inglesa; para completar, o ataque dos piolhos obrigou as mulheres a raspar o cabelo. Mas esses aspectos novelescos não podem ocultar o fato de que, a partir da vinda da família real para

(FAUSTO, Boris. História do Brasil. 2 ed. São Paulo, Edusp, 1995. p. 120)

a) Cite três medidas adotadas pelo governo português no Brasil e que podem ser associados à “reviravolta” assinalada pelo autor.

b) Relacione a presença da família real portuguesa no Brasil com o processo de emancipação política brasileira.

 

 

9) (Unesp-SP/2010) A Independência do Brasil do domínio português significou o rompimento com:

a) a economia europeia, sustentada pela exploração econômica dos países periféricos.

b) o padrão da economia colonial, baseado na exportação de produtos primários.

c) a exploração do trabalho escravo e compulsório de índios e povos africanos.

d) o liberalismo econômico e a adoção da política metalista ou mercantilista.

e) o sistema de exclusivo metropolitano, orientado pela política mercantilista.

 

 

10) O Processo de Independência do Brasil: (Unicamp) “A Independência do Brasil, proclamada por Pedro I, foi, para Portugal, um fato gravíssimo porque destruía os alicerces da economia nacional. Ou voltava o Brasil a ser colônia, alimentando a metrópole com suas riquezas, ou tinha-se de organizar a metrópole para a sua auto-suficiência.”

O texto acima, do historiador português Antonio Sérgio, trata do aspecto econômico da independência brasileira que representou, para a metrópole, o fim definitivo do Pacto Colonial.

a) Quais eram as bases do Pacto Colonial?

b) Por que, segundo o texto citado, a Independência do Brasil foi um “fato gravíssimo” para a economia portuguesa.

 

🔵 >>> Veja também a primeira parte desta lista de atividades.


Confira a nossa lista completa de exercícios sobre a História do Brasil.

 

Gabarito com as respostas das questões de História do Brasil sobre O Processo de Independência do Brasil:

1) d; 2) d;

3) As novas normas aprovadas por D. João VI após sua chegada ao Brasil determinaram a “abertura dos portos às nações amigas” que, na prática, representou a ruptura do pacto colonial, uma vez que a essência deste era o monopólio metropolitano, que havia vigorado praticamente por trezentos anos. Essa medida favoreceu a burguesia industrial e mercantil da Inglaterra, único país industrializado e com capacidade para exportar para o Brasil e prejudicou a burguesia mercantil lusitana, que perdeu o controle absoluto sobre o mercado brasileiro.

 

4) b; 5) d; 6) a; 7) a

 

8)

a) A “abertura dos portos brasileiros às nações amigas” que representou o fim do Pacto Colonial português; a elevação do Brasil a “Reino Unido de Portugal e Algarves” e a criação do Banco do Brasil.

b) As medidas tomadas por D. João VI contribuíram para estabelecer considerável autonomia do Brasil em relação a Portugal, colaborando significativamente para a ruptura que se concretizou em 7 de setembro de 1822.

9) e;

10)

a) Direito exclusivo da metrópole de explorar a colônia.

b) Porque Portugal necessitava da exploração colonial para recuperar suas finanças, abalados com os domínios Francês e Inglês.

1 comentário em “Exercícios sobre O Processo de Independência do Brasil”

  1. Excelente ! Tem algum sugestõеs para aspirantes a escritores?

    Eu sou planejamento ρara iniciar mеu próprio site еm breve mаs estou
    um pouco perdido еm tudo. Você aconselhar comеçando ⅽom uma plataforma
    livre como o WordPress οu ir рara uma opção paga? Ꮋá tantos opçõеs lá fora ԛue еu sou completamente
    oprimido… Ԛualquer recomendaçõеs ? Parabéns !

    Responder

Deixe um comentário