Exercícios sobre a Segunda Etapa do Período Colonial

01. Segunda Etapa do Período Colonial: U. Salvador-BA Identifique as afirmativas verdadeiras e as falsas sobre a estrutura dos Impérios Coloniais europeus, entre os séculos XVI e XVII.

( ) Os Impérios Coloniais europeus apoiavam-se politicamente na oficialização da divisão de trabalho estabelecida pelas corporações de ofício.

( ) O Estado Absolutista tem como uma de suas bases de sustentação a aplicação da política econômica mercantilista.

( ) O exclusivo comercial viabilizava o enriquecimento das burguesias metropolitanas.

( ) O tráfico negreiro assegurou a rentabilidade financeira dos Impérios.

( ) Os princípios do liberalismo econômico garantiam o êxito das conquistas territoriais.

( ) As práticas da Igreja eram restritas à cristianização dos pagãos.


02. F.M. Itajubá-MG Dentre as rebeliões ocorridas nos séculos XVII e XVIII, a que mais repercutiu foi a Inconfidência Mineira, quer pela amplitude, quer, pelo caráter de contestação ao sistema. Entre outros fatores, as seguintes medidas do governo de Portugal provocaram a rebelião, com exceção de uma. Assinale a que não se enquadra no contexto histórico.

a) Proibição de engenhos na região.
b) Monopólio do sal nas mãos de alguns comerciantes.
c) Proibição do uso de estradas para o litoral.
d) Fechamento de fábricas de tecidos.
e) Redução do número de trabalhadores nas minas.


03. Segunda Etapa do Período Colonial: U. Santa Ursula-RJ A “corrida do ouro” às minas brasileiras (século XVIII) proporcionou significativas mudanças na Economia e na sociedade colonial. Assinale as mais importantes transformações:

a) O grande desenvolvimento urbano, crescente aumento populacional, aumento do mercado interno e as grandes obras do período barroco.

b) Foi considerado o “século das luzes” pois a educação foi extensiva a toda a população, sem distinção de classe.

c) Houve uma grande resistência indígena e uma intensificação do tráfico negreiro.

d) Os olhos do colonizador estavam mais voltados para os grandes senhores dos engenhos açucareiros que proporcionavam maiores lucros.

e) A resistência indígena à exploração do ouro e a situação de Portugal tendo que pagar sua dívida com a Inglaterra.


04. Univali-SC As expedições chamadas de Entradas e Bandeiras tinham como objetivo a procura de riquezas minerais e/ou a caça ao índio, para escravizá-lo e vendê-lo no litoral.
O papel histórico das Entradas e Bandeiras, pode ser assim resumido:

a) Determinaram a ocupação efetiva do interior do Brasil e deram ao nosso país sua atual configuração geográfica.

b) Contribuíram para a implantação de uma nova política colonizadora, aproximando índios e colonos.

c) Iniciaram aproveitamento verdadeiro das terras agrícolas do oeste mudando a situação econômica da Colônia.

d) Por razões políticas e econômicas, contribuíram para a mudança da capital do ViceReino, do Rio de Janeiro para a Bahia.

e) Respeitaram o Meridiano de Tordesilhas, evitando, assim, conflitos armados entre portugueses e espanhóis.


05. Segunda Etapa do Período Colonial: FGV-SP Leia as afirmações sobre a Sedição Baiana de 1798 e assinale a alternativa correta.

I. Conhecida como Conjuração Baiana ou dos Alfaiates, a Sedição de 1798 foi um movimento social de caráter republicano e abolicionista.

II. Diferentemente da Conjuração Mineira, o movimento de 1798 teve apoio dos setores mais explorados da sociedade colonial.

III. Entre as reivindicações dos sediciosos estavam o fim do domínio colonial, a separação Igreja-Estado e a igualdade de direitos, sem distinção de cor ou de riqueza.

IV. Dos muitos processados, quatro foram enforcados. Entre eles, Manuel Faustino dos Santos, de apenas 23 anos.

V. O movimento caracterizou-se pela distribuição de panfletos manuscritos na cidade de Salvador.

a) apenas I, II e IV estão corretas.
b) apenas II, III e V estão corretas.
c) apenas III e V estão corretas.
d) apenas I e IV estão corretas.
e) todas estão corretas.


06. Segunda Etapa do Período Colonial: UFPR Sobre as rebeliões ocorridas no Brasil, durante o período colonial, coloque V para as questões verdadeiras e F para as falsas:

( ) A Revolta de Beckmann (1684), no Maranhão, pode ser considerada a primeira rebelião de cunho social no país, pois, com o apoio dos jesuítas, uniu brancos, escravos negros e índios contra os desmandos da Coroa Lusitana.

( ) A Guerra dos Emboabas (1707 – 1709), em Minas Gerais, é considerada precursora dos ideais da Inconfidência Mineira, pois sua liderança tentava unir mineradores paulistas e portugueses na luta contra a expoliação da riqueza aurífera pela Metrópole.

( ) A Guerra dos Mascates (1710 – 1712), ocorrida em Pernambuco, não pode ser entendida como uma revolta contra o jugo colonial, pois ela foi motivada, principalmente, por causa da disputa pelo controle econômico e político local entre comerciantes do Recife e senhores de engenho de Olinda.

( ) A Inconfidência Mineira (1789) teve maior conotação colonial do que social, porque foi movimento de reação dos colonos contra as pressões, exercidas pela Metrópole, e porque o objetivo principal de sua liderança era obter a separação política do Brasil de Portugal.

( ) A Conjuração Baiana (1798) teve maior conotação social do que colonial, porque sua liderança não propunha a separação política, além de defender a Monarquia Portuguesa.


07. UFRS Associe as afirmações apresentadas na coluna da direita com as contestações setecentistas referidas na coluna da esquerda.

1. Revolta de Vila Rica (1720)
2. Conjuração Mineira (1789)
3. Conjuração Carioca (1794)
4. Conjuração Baiana (1798)

( ) Foi um movimento inspirado nas idéias revolucionárias francesas, com expressiva participação popular, principalmente de soldados e alfaiates.

( ) O principal motivo de sua eclosão foi o anúncio da criação das Casas de Fundição na região mineradora, visando coibir o contrabando do ouro.

( ) Foi um movimento independentista de reação aos excessos do colonialismo português, tendo como principais articuladores os padres, os militares e os intelectuais.

A sequência correta de preenchimento dos parênteses de cima para baixo é:
a) 1 – 2 – 4
b) 1 – 3 – 4
c) 4 – 2 – 3
d) 4 – 1 – 2
e) 2 – 1 – 4


08. Segunda Etapa do Período Colonial: UFPB – No final do século XVIII, dois movimentos sociais, a Inconfidência Mineira (1789) e a Inconfidência Baiana (1798), tiveram como motivação romper com o domínio colonial português. Sobre essas rebeliões, afirma-se:

I. As duas Inconfidências tinham como objetivo criar uma república e abolir a escravidão. A Inconfidência Mineira foi um movimento de elite e a Baiana, mais popular, contava com a participação de pessoas de origem humilde, como alfaiates, soldados e escravos.

II. A Inconfidência Mineira tinha um caráter mais econômico, prevalecendo em seus projetos medidas mais anti-coloniais do que sociais. Já a Inconfidência Baiana, além de anti-colonial, foi mais voltada para reformas sociais, pois defendia uma sociedade em que os menos favorecidos tivessem melhores condições de vida.

III. A repressão imposta pela metrópole portuguesa atingiu principalmente os mais humildes. Entre os mineiros, o único condenado foi Tiradentes. Entre os baianos, foram condenados dois soldados, um aprendiz de alfaiate e um alfaiate. Para os condenados, foi aplicada a pena máxima: enforcamento e esquartejamento.

Está(ão) correta(s):
a) apenas I e II;
b) apenas I e III;
c) apenas II e III;
d) apenas III;
e) todas.


09. U.E. Maringá-PR A incerta linha de Tordesilhas foi suplantada pela expansão das bandeiras paulistas, pelos criadores de gado, pelas forças militares e pela mineração. A partir do século XVIII a configuração territorial do Brasil passou a se aproximar bastante da atual, com exceção das fronteiras do Sul. Sobre as questões territoriais no sul do Brasil, assinale o que for correto.

01. No século XVIII, Portugal e Espanha disputaram os territórios das Sete Missões, ocupados por índios e jesuítas, e a Colônia do Sacramento, fundada no Rio da Prata, hoje território uruguaio.

02. A Colônia do Sacramento, base estratégica para o contrabando da prata oriunda da Bolívia e do Peru, foi incorporada ao Brasil em 1821, com a denominação Província Cisplatina.

04. A Província Cisplatina jamais se integrou ao Brasil em virtude da origem espanhola de seus habitantes e os conflitos de interesses na região do Prata.

08. Em 1827, a Província Cisplatina tornou-se a República do Uruguai. Duas forças políticas disputavam o poder: o Partido Blanco, dos pecuaristas, que se apoiava na Argentina, e o Partido dos Colorados, dos comerciantes de Montevidéu, que era simpático ao Brasil.

16. A Inglaterra, favorável à formação de uma grande república no Rio da Prata, colocou-se sempre contra a intervenção do Brasil nessa região.

Dê, como resposta, a soma das alternativas corretas.


10. Segunda Etapa do Período Colonial: UFRS O mapa apresenta a demarcação dos limites territoriais do Rio Grande do Sul na época colonial. Com base nos dados do mapa e levando em conta o processo histórico platino, analise as afirmações abaixo.

I. Pelo Tratado de Madrid (1750), as Coroas ibéricas tentaram efetuar a troca da região missioneira pela Colônia de Sacramento, o que acabou não acontecendo devido à eclosão da Guerra Guaranítica.

II. Como decorrência do Tratado de Santo Ildefonso (1777), o Rio Grande do Sul colonial passou a ter uma dimensão territorial maior do que o Rio Grande atual.

III. A região missioneira permaneceu sob controle hispânico depois de 1777, embora sob administração laica, devido à expulsão dos jesuítas.

Quais estão corretas?
a) Apenas II.
b) Apenas I e II
c) Apenas I e III.
d) Apenas II e III.
e) I, II e III.


🔵 >>> Confira a nossa lista completa de exercícios sobre a História do Brasil.


Gabarito com as respostas das atividades de História do Brasil sobre Segunda Etapa do Período Colonial:

01. F – V – V – V – F – F;
02. e;
03. a;
04. a;
05. e;

06. F – F – V – V – F;
07. d;
08. c;
09. 01 + 02 + 04 = 07;
10. c

Gostou desta lista de Exercícios? Não esqueça de compartilhar com seus amigos:

Deixe um comentário