Imperialismo Exercícios com Gabarito – 02

01. imperialismo Exercícios: (FMCMG–2010) Leia a seguir um trecho da ata da Conferência de Berlim de 1885.
Capítulo 1. – Declaração referente à liberdade de comércio na Bacia do Congo, suas embocaduras e regiões circunvizinhas, e disposições conexas.
Artigo 1. O comércio de todas as nações gozará de completa liberdade
[…]
Artigo 5. Qualquer potência que exerça ou venha a exercer direitos de soberania nos territórios acima indicados não poderá conceder nem monopólio nem privilégio de nenhuma espécie em matéria comercial. Os estrangeiros gozarão indistintamente, quanto à proteção de suas pessoas e de seus bens, da aquisição e da transmissão de suas propriedades mobiliárias e imobiliárias, e quanto ao exercício das profissões, do mesmo tratamento e dos mesmos direitos que os nacionais.
Disponível em: <http://newton-miranda.blogspot.com/ 2008/09/ata-daconferncia-de-berlim-1885.html.> Acesso em: 25 set. 2009.


O trecho citado contraria uma versão corrente de que os territórios africanos foram divididos entre os signatários da Conferência com fronteiras já pré-definidas pelos interesses em questão.
A partir de seus conhecimentos históricos e da atenta observação do trecho anterior citado da ata, assinale a alternativa
CORRETA.
A) O mais importante objeto de interesse europeu na África era a região congolesa, em função de sua importância estratégica na área setentrional do continente.
B) A garantia da liberdade comercial europeia sobre o território africano somente respeitaria os interesses das grandes corporações já instaladas no continente.
C) A criação de monopólios estaria proibida, evitando, assim, que as áreas ocupadas sofressem restrições ao comércio interno das nações africanas.
D) A ocupação da África dependeu mais das condições de intervenção de cada país europeu, considerando-se as diversas reações das populações locais, do que de uma prévia delimitação territorial.

 


02. Imperialismo Exercícios: (UFU-MG) […] no capitalismo, em sua fase imperialista, a produção torna-se social, mas a apropriação continua privada. Os meios de produção sociais permanecem propriedade privada de um pequeno número de indivíduos. O quadro geral da livre-concorrência, que se reconhece  nominalmente, subsiste e o jugo exercido por um punhado de monopolistas sobre o restante da população torna-se cem vezes mais pesado, mais sensível, mais intolerável.
LENIN, V. O imperialismo: fase superior do capitalismo. São Paulo: Global, 1979.


Com relação às questões políticas internacionais predominantes no final do século XIX e na primeira metade do século XX, podemos afirmar que:
I. a política imperialista apresentava razões filantrópicas e humanitárias para se auto justificar. Entre elas, podemos destacar a noção de progresso das civilizações e a superioridade racial, em que as “nações adiantadas” possuíam como missão civilizadora livrar os “nativos” de concepções religiosas equivocadas e instituições políticas “ultrapassadas”.
II. na fúria imperialista por novos mercados extraeuropeus, muitas vezes, a política colonizadora fundia-se ao imperialismo econômico, submetendo os territórios conquistados sob a forma política, ideológica e militar. Nesse sentido, é comum a utilização do termo neocolonialismo como sinônimo de imperialismo.
III. uma das práticas econômicas características da Era Imperialista é a concentração da produção e do capital  em torno de grandes empresas, o que rapidamente gerou os monopólios industriais, eliminando a concorrência e controlando os preços dos produtos monopolizados.
IV. assim como o imperialismo capitalista, os revolucionários soviéticos buscaram sua expansão, marchando rumo à Ásia, apoiando militar e financeiramente aqueles que abraçavam o regime socialista. A diferença fundamental é que os socialistas eram contra o desenvolvimento científico, optando por preservar as tradições milenares da cultura oriental.

Assinale a alternativa CORRETA:
A) Apenas II e III são corretas.
B) Apenas I, II e III são corretas.
C) Apenas II, III e IV são corretas.
D) Todas são corretas.

 

 

03. Imperialismo Exercícios: (UFTM-MG–2010) Assinale a alternativa que apresenta fatores que explicam as práticas imperialistas, a partir da segunda metade do século XIX, pelas potências capitalistas.
A) Buscava-se controlar as regiões fornecedoras de mão de obra escrava e ampliava-se a exploração de regiões mais afastadas com o objetivo de descobrir novas fontes energéticas e comprar metais preciosos.
B) Precisava-se de mão de obra da África e da Ásia para trabalhar como colonos na zona rural das potências europeias e realizar investimentos em áreas de urbanização, como transporte, saneamento e ferrovias.
C) Diante da existência de capitais excedentes na Europa, procuravam-se novos mercados consumidores, buscava-se controlar regiões produtoras de matérias-primas e direcionar para as áreas coloniais excedentes populacionais europeus.
D) Em função de um crescimento econômico sem precedentes na Europa, os capitais excedentes precisavam ser aplicados em áreas que necessitavam de investimentos humanitários, daí a escolha da África e da Ásia.
E) A Europa necessitava com urgência de metais preciosos,abundantes na África, e conflitos religiosos obrigaram os  governos da França e da Inglaterra a mandarem para a Ásia parte dos religiosos mais radicais.

 

 

04. Imperialismo Exercícios: (UFOP-MG–2008) Das duas últimas décadas do século XIX até os anos que antecederam à Primeira Guerra Mundial, ocorreu a expansão das economias capitalistas. A respeito das consequências do imperialismo nos continentes asiático e africano, no período indicado, assinale a afirmativa INCORRETA.
A) Os povos asiáticos e africanos aceitaram pacificamente as políticas implementadas pelas potências europeias em seus países.
B) Ocorreu a desorganização das atividades econômicas  tradicionais, como a agricultura de subsistência,o artesanato coletivista e a pecuária itinerante.
C) Na Índia, houve a decadência da indústria têxtil artesanal, pois essa foi obrigada a comprar produtos industrializados da Inglaterra.
D) Ocorreu a divisão territorial da China em várias zonas de influência europeia e norte-americana.

 


05. Imperialismo Exercícios: (PUC Rio–2007) […] Nós conquistamos a África pelas armas […] temos direito de nos glorificarmos, pois após ter destruído a pirataria no Mediterrâneo, cuja existência no século XIX é uma vergonha para a Europa inteira, agora temos outra missão não menos meritória, de fazer penetrar a civilização num continente que ficou para trás […] DA INFLUÊNCIA civilizadora das ciências aplicadas às artes e às indústrias. Revue Scientifique, 1889.

A partir da citação anterior e de seus conhecimentos acerca do tema, examine as afirmativas a seguir:

I. A ideia de levar a civilização aos povos considerados bárbaros estava presente no discurso dos que defendiam a política imperialista.

II. Aquela não era a primeira vez que o continente africano era alvo dos interesses europeus.

III. Uma das preocupações dos países, como a França, que participavam da expansão imperialista, era justificar a ocupação dos territórios apresentando os melhoramentos materiais que beneficiariam as populações nativas.

IV. Para os editores da Revue Scientifique (Revista  Científca), civilizar consistia em retirar o continente africano da condição de atraso em relação à Europa.

Assinale a alternativa CORRETA:

A) Somente a afirmativa IV está correta.

B) Somente as afirmativas II e IV estão corretas.

C) Somente as afirmativas I e III estão corretas.

D) Somente as afirmativas I, II e III estão corretas.

E) Todas as afirmativas estão corretas.

 

Estados Unidos no Século XIX Questões.

 

06. Imperialismo Exercícios: (FUVEST-SP–2011) África vive […] prisioneira de um passado inventado por outros.
COUTO, Mia. Um retrato sem moldura. In: HERNANDEZ, Leila. A África na sala de aula. São Paulo: Selo Negro, 2005. p.11.


A frase anterior se justifica porque:
A) os movimentos de independência na África foram patrocinados pelos países imperialistas, com o objetivo de garantir a exploração econômica do continente.
B) os distintos povos da África preferem negar suas  origens étnicas e culturais, pois não há espaço,no mundo de hoje, para a defesa da identidade cultural africana.
C) a colonização britânica do litoral atlântico da África provocou a definitiva associação do continente à escravidão e sua submissão aos projetos de hegemonia europeia no Ocidente.
D) os atuais conflitos dentro do continente são comandados por potências estrangeiras, interessadas em dividir  a África para explorar mais facilmente suas riquezas.
E) a maioria das divisões políticas da África definidas pelos colonizadores se manteve, em linhas gerais, mesmo após os movimentos de independência.

 


07. Imperialismo Exercícios: (UFF-RJ) A Revolução Meiji é um evento da história do Japão que determinou:
A) o processo de avanço do capitalismo internacional na área da Ásia e o movimento de defesa de um Japão socialista, próximo da experiência da China.
B) o movimento de defesa das tradições orientais que  propunha a união com a China a fim de fortaleceras áreas orientais contra o imperialismo ocidental.
C) divisões internas das elites dirigentes decorrentes das  diferentes visões com relação à cultura ocidental –os progressistas, aliados da China, e os conservadores, aliados dos países ocidentais reconheciam que a manutenção de uma estrutura fragmentada das ilhas limitava o desenvolvimento da agricultura e que a saída era a industrialização.
D) a modernização da estrutura econômica japonesa facilitou a entrada de capital estrangeiro, o processo de urbanização e a alteração de valores, desencadeando a “ocidentalização” do Japão.
E) a defesa da propriedade privada com a eliminação das formas feudais de organização da terra e o incentivo  às reformas agrárias vinculadas ao socialismo,bem como a manutenção das tradições, mediante  o fechamento das relações com os países ocidentaise o avanço militar sobre o Império Russo.

 

 

08. Imperialismo Exercícios: (UFES)
Pedra Assassina
O diamante é o combustível que alimenta três das mais violentas guerras africanas. […] Nestes lugares, companhias mineradoras ou seus intermediários estimulam o prosseguimento dos combates fornecendo armas e mercenários. Em alguns casos, apoiam governos, em outros dão suporte a grupos guerrilheiros.
VEJA, 31 maio 2000.


Os conflitos, aos quais se refere a matéria, estão localizados em Angola, no Congo e em Serra Leoa. Esses conflitos:
A) resultaram da partilha colonial europeia, que criou Estados, segundo seus interesses, sem respeitar as especificidades africanas.
B) estabeleceram-se após a Primeira Guerra Mundial, quando os países africanos se aliaram aos europeus.
C) não preocupam os organismos internacionais, pois prejudicam áreas restritas do continente, sem importância econômica.
D) diminuíram após a Segunda Guerra Mundial, quando os norte-americanos se retiraram do espaço geográfico africano.
E) não representam ameaça à população civil, pois atingem apenas os governos e os revolucionários.

 

 

09. Imperialismo Exercícios: (Enem–2002) O continente africano em seu conjunto apresenta 44% de suas fronteiras apoiadas em meridianos e paralelos; 30% por linhas retas e arqueadas, e apenas 26% se referem a limites naturais que geralmente coincidem com os de locais de habitação dos grupos étnicos.
MARTIN, A. R. Fronteiras e Nações. São Paulo: Contexto, 1998.

Diferentemente do continente americano, onde quase que a totalidade das fronteiras obedece a limites naturais, a África apresenta as características citadas em virtude, principalmente:
A) da sua recente demarcação, que contou com técnicas cartográficas antes desconhecidas.
B) dos interesses de países europeus preocupados com a partilha dos seus recursos naturais.

C) das extensas áreas desérticas que dificultam a demarcação dos limites naturais.
D) da natureza nômade das populações africanas, especialmente aquelas oriundas da África Subsaariana.
E) da grande extensão longitudinal, o que demandaria enormes gastos para demarcação.

 


10. Imperialismo Exercícios: (Enem–2005) Um professor apresentou os mapas a seguir numa aula sobre as implicações da formação das fronteiras no continente africano. Com base na aula e na observação dos mapas, os alunos fizeram três afirmativas:
I. A brutal diferença entre as fronteiras políticas e as fronteiras étnicas no continente africano aponta para a artificialidade em uma divisão com objetivo de atender apenas aos interesses da maior potência capitalista na época da descolonização.
II. As fronteiras políticas jogaram a África em uma situação de constante tensão ao desprezar a diversidade étnica e cultural, acirrando conflitos entre tribos rivais.
III. As fronteiras artificiais criadas no contexto do  colonialismo, após os processos de Independência, fizeram da África um continente marcado por guerras civis, golpes de Estado e conflitos étnicos e religiosos.

As fronteiras étnicas e políticas da África

imperialismo exercícios

Atualidades / Vestibular 2005, 1º sem, Abril, p. 68.

É verdadeiro apenas o que se afirma em:
A) I.
B) II.
C) III.
D) I e II.
E) II e III.

 

<<< Veja também a primeira parte desta lista de atividades.

 

🔵 >>> Confira todas as nossas questões sobre a História Mundial.

 

Gabarito com as respostas das atividades de História sobre o Imperialismo Exercícios:

01. D; 02. B; 03. C; 04. A; 05. E; 06. E; 07. D; 08. A; 09. B; 10. E