Simulado sobre Economia Açucareira com Gabarito

01. Simulado sobre Economia Açucareira: (PUCPR–2009) O açúcar – que se fez acompanhar sempre do negro – adoçou tantos aspectos da vida brasileira que não se pode separar dele a civilização nacional. Deu-nos as sinhás de engenho. As mulatas dengosas. Os diplomatas maneirosos, tipo barão de Penedo, barão de Itamaracá, Sérgio Teixeira. Os políticos baianos – os mais melífluos e finos do Brasil. As toadas dos cambiteiros. Os cantos das almajarras. As variações brasileiras da arte do papel rendilhado de tabuleiro de bolo e do doce de dia de festa. Os poetas de madrigais mais suaves. Alguns pregões brasileiríssimos: ‘Sorvete, iaiá! É de maracujá’.

FREYRE, Gilberto. Açúcar. São Paulo: Companhia das Letras, 1997. p. 55.

Sobre a economia e a sociedade do Brasil Colonial, marque a alternativa CORRETA.

A) Do ponto de vista econômico e social, o cultivo e a exportação do fumo ultrapassava em importância e quantidade a produção do açúcar brasileiro.

B) A instalação de um engenho era um empreendimento caro. Eram necessários vários itens: propriedade, gado, pastagens, escravos, equipamentos, entre outros.

C) A atividade de maior prestígio e importância nessa época era o comércio, deixando em segundo plano o desejo de ser senhor de engenho.

D) A maior parte da população nesse período estava nas cidades, em especial nas regiões Sul e Sudeste.

E) Desde o início da produção de açúcar – décadas de 1530-1540 –, o Brasil sofreu a concorrência do cultivo do açúcar nas Antilhas. Essas lavouras eram dominadas especialmente pelos espanhóis.

 

 

02. (UFSCar-SP) O principal porto da capital [de Pernambuco], que é o mais nomeado e freqüentado de navios que todos os mais do Brasil, […] está ali uma povoação de 200 vizinhos, com uma freguesia do Corpo Santo, de quem são os mareantes mui devotos, e muitas vendas e tabernas, e os passos do açúcar, que são umas lojas grandes, onde se recolhem os caixões até se embarcarem nos navios.

SALVADOR, Frei Vicente do. História do Brasil – 1500-1627.

O texto refere-se ao povoado de Recife. A partir do texto, é CORRETO afirmar que um aspecto histórico que explica a condição do povoado na época foi:

A) o investimento feito pelos franceses na sua urbanização.

B) a concorrência econômica com São Vicente, o que justifica seu baixo índice de população.

C) a relação que mantinha com o interior do país, sendo o principal entreposto do comércio interno da produção de subsistência.

D) o fato de ser próspero economicamente por conta da produção de açúcar para exportação.

E) a presença da Igreja Católica, estimulando romarias e peregrinações de devotos.

 

 

03. Simulado sobre Economia Açucareira: (Fatec-SP) O engenho foi um marco dentro do Brasil Colonial.

Podemos dizer que ele era o símbolo:

A) do poderio dos senhores de terras e erguia-se como modelo de organização da colônia.

B) da resistência negra, pois lá os negros se organizavam e realizavam seus constantes levantes contra os brancos.

C) da luta contra a monarquia, uma vez que os senhores de terras desejavam o livre-comércio, proibido pelos imperadores.

D) do movimento republicano, já que os senhores há muito tempo buscavam liberdades, como o fim da escravidão e da monarquia.

E) do capitalismo colonial, uma vez que valorizava a mão de obra assalariada, captada da corrente imigratória do século XIX.

 

 

04. (FUVEST-SP–2011) É assim extremamente simples a estrutura social da colônia no primeiro século e meio de colonização. Reduz-se em suma a duas classes: de um lado os proprietários rurais, a classe abastada dos senhores de engenho e fazenda; doutro, a massa da população espúria dos trabalhadores do campo, escravos e semilivres. Da simplicidade da infraestrutura econômica – a terra, única força produtiva, absorvida pela grande exploração agrícola – deriva a da estrutura social: a reduzida classe de proprietários e a grande massa, explorada e oprimida. Há naturalmente no seio desta massa gradações, que assinalamos. Mas, elas não são contudo bastante profundas para se caracterizarem em situações radicalmente distintas.

PRADO JR., Caio. Evolução política do Brasil. 20. ed. São Paulo: Brasiliense, 1993 [1942]. p. 28-29.

Neste trecho, o autor observa que, na sociedade colonial:

A) só havia duas classes conhecidas, e que nada é sabido sobre indivíduos que porventura fizessem parte de outras.

B) havia muitas classes diferentes, mas só duas estavam diretamente ligadas a critérios econômicos.

C) todos os membros das classes existentes queriam se transformar em proprietários rurais, exceto os pequenos trabalhadores livres, semilivres ou escravos.

D) diversas classes radicalmente distintas umas das outras compunham um cenário complexo, marcado por conflitos sociais.

E) a população se organizava em duas classes, cujas gradações internas não alteravam a simplicidade da estrutura social.

 

 

05. Simulado sobre Economia Açucareira: (UNIFESP) De acordo com um estudo recente, na Bahia, entre 1680 e 1797, de 160 filhas nascidas em 53 famílias de destaque, mais de 77% foram enviadas a conventos, 5% permaneceram solteiras e apenas 14 se casaram.

Tendo em vista que, no Período Colonial, mesmo entre pessoas livres, a população masculina era maior que a feminina, esses dados sugerem que:

A) os senhores de engenho não deixavam suas filhas casarem com pessoas de nível social e econômico inferior.

B) entre as mulheres ricas, a devoção religiosa era mais intensa e fervorosa do que entre as mulheres pobres.

C) os homens brancos preferiam manter sua liberdade sexual a se submeterem ao despotismo dos senhores de engenho.

D) a vida na colônia era tão insuportável para as mulheres que elas preferiam vestir o hábito de freiras na metrópole.

E) a sociedade colonial se pautava por padrões morais que privilegiavam o sexo e a beleza e não o status e a riqueza.

 

Exercícios sobre Estrutura Geológica do Brasil e do Mundo.

 

06. Simulado sobre Economia Açucareira: (Fatec-SP) As colônias eram uma das mais importantes fontes de riquezas das quais as monarquias nacionais europeias lançavam mão para se consolidar como Estados fortes e centralizados.

Sobre o Brasil Colônia, é CORRETO afirmar:

A) Na sociedade colonial brasileira, existiram relações feudais de produção, especialmente na submissão das populações nativas.

B) Entre as atividades voltadas para exportação, estava a pecuária, que abastecia as diferentes regiões brasileiras e a metrópole.

C) A administração colonial era descentralizada, cabendo às Câmaras Municipais governar o país.

D) No séc. XVIII, a região das Minas Gerais iria sofrer um declínio populacional devido às restrições feitas por Portugal, que temia perder o controle da lavra e da fundição do ouro.

E) Com a cana-de-açúcar ocorreu efetivamente o processo de povoamento e de instalação da estrutura político-administrativa portuguesa, no Brasil.

 

 

07.

Texto 1

O plantio da cana-de-açúcar foi realizado em grandes propriedades rurais denominadas de latifúndio monocultor ou plantation. Essas propriedades também ficaram conhecidas como engenhos, porque, além das plantações, abrigavam as instalações apropriadas e os equipamentos necessários para o refino do açúcar: a moenda, a caldeira e a casa de purgar.

Para o processo de produção e comercialização do açúcar ser lucrativo ao empreendimento colonial, os engenhos introduziram a forma mais aviltante de exploração do trabalho humano: a escravidão. A introdução do trabalho escravo nas grandes lavouras baixava os custos da produção.

Disponível em: http://educacao.uol.com.br/historiabrasil/ult1689u14.jhtm

 

Texto 2

[…] Se na última safra – 2006/07 – os brasileiros cortaram e moeram mais de 425 milhões de toneladas de cana-de-açúcar, este ano as estimativas prevêem uma produção 10% maior. […].

Relatório do Ministério do Trabalho […], divulgado no início do mês de março [2007], mostra que só no ano passado 450 trabalhadores do setor sucroalcooleiro morreram nas usinas. Alguns foram assassinados, mas muitos morreram em conseqüência de banais acidentes de transporte. Outros foram carbonizados durante as queimadas. Vários perderam a vida simplesmente por excesso de trabalho. […]

ISTOÉ. A morte por trás do etanol. Disponível em: <www.terra.com.br/istoe/>. Acesso em: mar. 2007.

Os textos anteriores apresentam a economia agrícola brasileira em momentos históricos distintos. Pode-se perceber nas duas situações que:

A) o Brasil não rompeu com o modelo agrícola, negligenciando alternativas econômicas nos séculos que seguiram sua descoberta.

B) a agricultura de exportação foi um caminho histórico e seguro para a colocação do Brasil no cenário econômico internacional.

C) a riqueza associada ao projeto agrícola mostrouse tradicionalmente vinculada a um quadro de exploração e miséria do trabalhador.

D) o consumo de açúcar continua movendo a economia brasileira apesar dos séculos que nos separam do Período Colonial.

E) a justiça social brasileira está distante daquilo que ONGs e forças públicas desejam para o país.

 

 

08. Simulado sobre Economia Açucareira: (UFRN) No Período Colonial, a vida socioeconômica do Brasil agrário baseava-se na grande propriedade rural.

Pode-se afirmar que essa propriedade:

A) proporcionava, a qualquer investidor, rápido enriquecimento e ascensão, garantidos pela fácil mobilidade social.

B) era herdada pelo filho primogênito, que, obrigado pelo Foral e pela Carta de Doação, deveria responsabilizar-se pelo sustento dos familiares.

C) gerava riquezas e prestígio social, garantindo, também, ao proprietário, condições de angariar os votos dos seus familiares e dependentes.

D) fornecia alimentação, moradia e proteção à família senhorial, que incluía aparentados e agregados, todos sob a autoridade do proprietário.

 

 

09. (UFRN) O texto a seguir analisa as relações entre o homem e a mulher no Brasil, no período da colônia e do império.

Muitas mulheres foram enclausuradas, desprezadas, vigiadas, espancadas, perseguidas. Em contrapartida, várias reagiram às violências que sofriam. Parte da população feminina livre esteve sob o poder dos homens, outra parte rompeu uniões indesejáveis e tornou-se senhora do próprio destino. As práticas consideradas “mágicas” foram uma das maneiras pelas quais as mulheres enfrentaram as contrariedades do cotidiano. Chegaram até mesmo a causar temor entre os homens. Acreditava-se que as “feiticeiras” tinham o poder de “cura” ou o poder sobre o amor e a fertilidade masculina e feminina, através de “poções mágicas”.

MOTA, Myriam Becho; BRAICK, Patrícia Ramos. História: das cavernas ao terceiro milênio. São Paulo: Moderna, 1997. p. 239 (Adaptação).

A partir do texto, é POSSÍVEL concluir que, na sociedade brasileira colonial e imperial:

A) as mulheres ocupavam o centro decisório das famílias, mesmo que homens praticassem atos violentos contra elas, ferindo o estabelecido pela lei.

B) o modelo de família patriarcal, apesar de dominante, era subvertido por vários procedimentos adotados pelas mulheres.

C) o rompimento de uma relação matrimonial por parte da mulher era considerado um ato de feitiçaria, passível de punição pela Inquisição católica.

D) as mulheres tinham poder de decisão quanto ao número de filhos, satisfazendo, assim, o modelo feminino característico da sociedade patriarcal.

 

 

10. Simulado sobre Economia Açucareira: (UFMG) Leia este trecho de documento:

[…] pois o Brasil, e não todo ele, senão três capitanias que são a de Pernambuco, a de Tamaracá e a da Paraíba, que ocupam pouco mais ou menos, no que delas está povoado, cinquenta ou sessenta léguas de costa, as quais habitam seus moradores, com se não alargarem para o sertão dez léguas, e somente neste espaço de terra, sem adjutório de nação estrangeira, nem de outra parte, lavram e tiram os portugueses das entranhas dela, à custa de seu trabalho e indústria, tanto açúcar que basta para carregar, todos os anos, cento e trinta ou cento e quarenta naus […]

DIÁLOGOS das grandezas do Brasil. Texto anônimo escrito por volta de 1613-1618.

Com base na leitura desse trecho, é CORRETO afirmar que o sistema de exploração econômica implantado no Brasil nos primeiros séculos de colonização caracterizou-se por:

A) concentrar, nos incipientes meios urbanos, toda a estrutura de controle e comercialização da cana-de-açúcar, produto, em geral, comercializado em estado bruto.

B) distribuir contingentes populacionais ao longo de toda a costa brasileira e desenvolver, sobretudo, o extrativismo vegetal da espécie conhecida como pau-brasil.

C) favorecer o desenvolvimento da agricultura baseada na exploração da cana-de-açúcar, estimulando a fixação populacional, inicialmente, na faixa da mata nordestina.

D) incrementar o processo de colonização a partir do estímulo à vinda e fixação de contingentes populacionais, que aqui se estabeleciam em pequenas propriedades agrícolas.

 

🔵 >>> Confira todos os nossos simulados com exercícios sobre a Geografia do Brasil.

 

Gabarito com as respostas do Simulado sobre Economia Açucareira:

01. B;

02. D;

03. A;

04. E;

05. A;

06. E;

07. C;

08. D;

09. B;

10. C

Deixe um comentário