A Crise do Antigo Sistema Colonial Exercícios Respondidos

1) A Crise do Antigo Sistema Colonial: (Fuvest-SP) As primeiras rebeliões contra a Coroa portuguesa visavam:

a) conseguir a independência do Brasil.

b) suprimir entraves econômicos.

c) abolir o pacto colonial.

d) garantir a autonomia dos poderes municipais.

e) emancipar as capitanias do Sul da colônia.

 

 

2) A Crise do Antigo Sistema Colonial: (Unifesp-SP) Não resta outra coisa senão cada um defender-se por si mesmo; duas coisas são necessárias a fm de se recuperar a mão livre no que diz respeito ao comércio e aos índios.

(Manuel Beckman, 1684).

As duas principais reivindicações do líder da Revolta que leva seu nome são:

a) a revogação do monopólio da Companhia de Comércio do Estado do Maranhão e a expulsão dos jesuítas que se opunham à escravidão indígena.

b) a saída dos portugueses do Grão-Pará e Maranhão e a supressão dos aldeamentos indígenas, que monopolizavam as chamadas “drogas do sertão”.

c) a repressão ao contrabando estrangeiro, que prejudicava os negócios dos atacadistas portugueses, e a liberdade para importar escravos negros.

d) a expulsão dos holandeses do Nordeste, que monopolizavam o comércio do açúcar, e a reedição da guerra justa, que proibia a escravidão indígena.

e) a revogação do monopólio comercial da metrópole sobre o Norte e Nordeste da colônia e a proibição para importar escravos negros.

 

 

3) (FGV-SP) A Guerra dos Mascates opôs, como contendores, em Olinda e Recife, respectivamente:

a) comerciantes e senhores de engenho.

b) pecuaristas e senhores de engenho.

c) comerciantes e pecuaristas.

d) senhores de engenho e comerciantes.

e) senhores de engenho e pecuaristas.

 

 

4) A Crise do Antigo Sistema Colonial: (FGV/2013) Dom Pedro Miguel de Almeida Portugal – conde de Assumar – se casou em 1715 com D. Maria José de Lencastre. Daí a dois anos partiria para o Brasil como governador da capitania de São Paulo e Minas Gerais. Nas Minas, não teria sossego, dividido entre o cuidado ante virtuais levantes escravos e efetivos levantes de poderosos; o mais sério destes o celebrizaria como algoz: foi o conde de Assumar que, em 1720, mandou executar Felipe dos Santos sem julgamento, sendo a seguir chamado a Lisboa e amargurado um longo ostracismo.

(Laura de Mello e Souza, Norma e conflito: aspectos da história de Minas no século XVIII).

 

A morte de Felipe dos Santos esteve vinculada a:

a) uma sublevação em Vila Rica, que envolveu vários grupos sociais, descontentes com a decisão de levar todo ouro extraído para ser quintado nas Casas de Fundição.

b) um movimento popular que exigia a autonomia das Minas Gerais da capitania do Rio de Janeiro e o imediato cancelamento das atividades da Companhia de Comércio do Brasil.

c) uma revolta denominada Guerra do Sertão, comandada por potentados locais, que não aceitavam as imposições colonialistas portuguesas, como a proibição do comércio com a Bahia.

d) uma insurreição comandada pela elite colonial, inspirada no sebastianismo, que defendia a emancipação da região das Minas do restante da América portuguesa, com a criação de uma nova monarquia.

e) uma rebelião, que contrapôs os paulistas – descobridores das minas e primeiros exploradores – e os chamados emboabas ou forasteiros – pessoas de outras regiões do Brasil, que vieram atrás das riquezas de Minas.

 

 

5) A Crise do Antigo Sistema Colonial: (UDESC-SC/2010) No final do século XVIII, rebeliões e conflitos coloniais contribuíram para colocar em xeque o sistema colonial brasileiro. Em relação aos acontecimentos e às conjunturas que contribuíram para o entendimento dessa chamada crise do período colonial no país, assinale a afirmativa incorreta:

a) Havia grande descontentamento no país em razão da concentração de poderes nas mãos de Dom Pedro I e, mais ainda, por ele atribuir a si o direito de nomear os presidentes das províncias; essa oposição contribuiu para o fim do regime colonial.

b) No Brasil, os pesados impostos, as restrições ao livre comércio e as proibições às atividades industriais acirraram os conflitos entre as elites locais e o poder da metrópole.

c) No final do século XVIII eclodem, no Brasil, as primeiras rebeliões de cunho emancipatório: a Inconfidência Mineira e a Conjuração Baiana.

d) A crise do sistema colonial brasileiro ligava-se à crise geral do sistema colonial da América Latina, que, por sua vez, era parte integrante da decadência do Antigo Regime europeu, debilitado pela Revolução Industrial na Inglaterra e, principalmente, pela circulação de ideias liberais e iluministas.

e) As Revoluções Industrial, Americana e Francesa, de certa forma, constituíram sinais importantes da crise geral do antigo sistema colonial, pois foram importantes movimentos de transição na História, assinalados pela passagem da Idade Moderna para a Contemporânea.

 

Exercícios de História do Brasil sobre A Era Pombalina.

 

6) A Crise do Antigo Sistema Colonial: (UFRRJ/2008) “Em 21 de abril de 1792, no Campo de São Domingos, Rio de Janeiro, a justiça de Sua Majestade Dona Maria I mandava executar o réu Joaquim José da Silva Xavier pelo horroroso crime de rebelião e alta traição de que foi considerado chefe, já que, na distante capitania de Minas Gerais, atentara com a mais escandalosa temeridade contra a Real Soberania, e Suprema autoridade da mesma senhora”.

Mandado para execução da pena imposta a Joaquim José da Silva Xavier. In: Autos de devassa da Inconfidência Mineira, 1938.

O texto se refere à punição imposta a Tiradentes, preso, no Rio de Janeiro em 10 de maio de 1789, por ter participado da Conjuração Mineira. Aponte o movimento de ideias e um evento político que influenciaram o movimento do qual Tiradentes participou.

 

 

7) A Crise do Antigo Sistema Colonial: (Fuvest/2007)

(…)

E ninguém percebe

como é necessário

que terra tão fértil,

tão bela e tão rica

por si se governe!

(…)

A terra tão rica

e ó almas inertes!

o povo tão pobre…

Ninguém que proteste!

Esses versos de Cecília Meirelles, em “Romanceiro da Inconfidência”, evocam, de forma poética, os acontecimentos de 1789 em Minas Gerais. A partir deles, responda:

a) Que razões motivaram os Inconfidentes, tendo em vista as condições das Minas Gerais?

b) Que mudanças eles propuseram?

 

 

8) (UNIR-RO/2009) “Está para chegar o tempo feliz da nossa liberdade, o tempo em que todos seremos irmãos, o tempo em que todos seremos iguais”.

Essa frase apareceu escrita nas paredes das igrejas de Salvador, marcando o início da chamada Revolta dos Alfaiates, da qual participaram artesãos, soldados, trabalhadores negros e mulatos livres, e mesmo alguns escravos. Entre outros objetivos, esse movimento, de marcado caráter anticlerical, pretendia abolir a escravidão, instaurar a liberdade de comércio e proclamar a República. A partir das características e propósitos desse movimento, pode-se afirmar que foi influenciado principalmente pelos ideais:

a) do Socialismo.

b) da Inconfidência Mineira.

c) do Liberalismo.

d) da Revolução Francesa.

e) do Bolivarismo.

 

 

9) A Crise do Antigo Sistema Colonial: (UESC-BA) Dentre as tentativas de emancipação política, ao fnal do período colonial, a Inconfdência Mineira e a Baiana – A Revolta dos Alfaiates – merecem especial destaque. Quando se estabelece uma comparação entre ambas, percebe-se que…

a) com efeito, dizer que alguém à época pensasse exatamente em independência, não passa de um erro da historiografia oficial.

b) em função de João de Deus, a Baiana em mais aceita pelo clero, sempre apoiando movimentos urbanos.

c) baianos e mineiros tinham exatamente as mesmas opiniões sobre o destino que pretendiam para o futuro do País.

d) apensar de Tiradentes, a Mineira possuía um caráter mais elitista e intelectual que a Baiana, mais popular e com participação de alforriados e indivíduos de origem humilde.

e) o preparo militar foi conjunto e apenas não conseguiram sucesso porque um grupo delatou o outro.

 

 

10) A Crise do Antigo Sistema Colonial: (UEPB/2014) Tanto na Conjuração Mineira, quanto na Baiana, com graus e níveis diferenciados de envolvimento dos grupos mais pobres da população, estão presentes os seguintes aspectos do pensamento iluminista.

(João A. de Freitas Neto e Célio Ricardo Tasinafo. História Geral e do Brasil. SP. Editora Habra).

Assinale a alternativa que aponta aspectos desta influência iluminista:

a) A Conjuração Baiana defendia o regime monárquico e não teve a participação popular como o da Mineira, embora adotasse as ideias liberais.

b) O movimento rebelde que teria sido deflagrado na Capitania de Minas Gerais em 1789 defendia o centralismo lusitano, porque sua principal preocupação era com a libertação dos escravos.

c) As noções de que os governos deveriam existir para garantir direitos naturais dos homens, como a liberdade e a ideia de que a soberania residia no povo e não em monarca.

d) Compreendiam que as Leis deveriam expressar a vontade da nobreza e do clero e não a dos escravos.

e) A experiência de independência dos Estados Unidos da América em 1776 não influenciou as Conjurações Baiana e Mineira, apesar de ambas defenderem ideias liberais.

 

🔵 >>> Confira a nossa lista completa de exercícios sobre a História do Brasil.

 

Gabarito com as respostas das atividades sobre A Crise do Antigo Sistema Colonial:

1) b; 2) a; 3) d; 4) a; 5) a;

6) Foi um movimento que tinha uma grande influência das ideias iluministas e do processo de independência dos EUA.

7)

a) Do ponto de vista econômico Minas Gerais era, apesar do declínio à época da Inconfidência, em decorrência da riqueza gerada pela mineração, o principal centro dinâmico do Brasil. Isso contribui para identificar a Inconfidência Mineira como uma reação da elite social e intelectual local contra o opressivo fiscalismo da Estado Português.

b) A emancipação do Brasil em relação a Portugal e a implantação de uma república.

8) d; 9) d; 10) c

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.