A Vinda da Família Real Portuguesa ao Brasil Exercícios

01. UPF-RS. A Vinda da Família Real Portuguesa ao Brasil:
O filme Carlota Joaquina – Princesa do Brasil, dirigido por Carla Camurati, retrata um período da história do Brasil sobre o qual podem ser feitas as seguintes afirmações:

I. A vinda da Família Real Portuguesa para o Brasil, em 1808, foi determinada pelo contexto da inva­sões napoleônicas na Europa.
II. A partir da instalação da Corte Portuguesa no Brasil houve um processo de inversão político-econômica: a colônia brasileira passava a ser a sede política do Império português e Portugal tornava-se “colônia de uma colônia sua”.
III. Uma das primeiras medidas práticas que ocorrem a partir da chegada da Corte é a queda do exclusivo comercial português.
IV. A princesa Carlota Joaquina, uma vez instalada no Brasil, passou a ambicionar tornar-se “la reina del Plata”, plano imediatamente abortado por D. João.
V. Com a permanência da Corte no Brasil, Portugal desenvolveu suas indústrias, tornando-se um dos mais poderosos países da Europa.

Está correto o que se afirma em:
a) I apenas.
b) I, II, III e IV apenas.
c) II, III, VI apenas.
d) III, IV e V apenas.
e) I e II apenas.


02. FGV-SP. A Vinda da Família Real Portuguesa ao Brasil:
O estabelecimento da fam ília real portuguesa no Brasil, a partir de 1808:

a) significou apenas o deslocamento do imenso aparelho burocrático português sem nenhum des­dobramento no processo de emancipação política brasileira.
b) interrompeu os vínculos entre os grupos estabeleci-dos em torno da Coroa portuguesa e aqueles dedica-dos às diversas atividades econômicas coloniais.
c) deu início à campanha abolicionista, devido à atua­ção dos letrados portugueses junto aos integrantes da aristocracia escravista colonial.
d) criou vínculos estreitos entre os grupos dominantes da América espanhola e da América portuguesa, unidos contra as agressões e usurpações patro­cinadas por Napoleão Bonaparte.
e) deu início à chamada “interiorização da metrópole” e permitiu uma aproximação entre os membros da bu­rocracia imperial e grupos dominantes coloniais.


03. Fatec-SP. A Vinda da Família Real Portuguesa ao Brasil:
Incapaz de se defender contra o invasor e na iminência de vir a perder a soberania, o regente D. João acaba por aceitar a sugestão insistente de seus conselheiros, entre eles o Conde de Linhares, um elo com Lorde Strangford, plenipotenciário inglês em Lisboa e prin­cipal patrocinador da idéia de transferência da família real para o Brasil.
O autor se refere à vinda da Corte portuguesa, que, na realidade, beneficiou principalmente:

a) a Portugal, pois o controle direto do governo da colônia possibilitou uma política econômica que favoreceu as finanças portuguesas.
b) à Inglaterra, que passou a ter, no mercado da colônia, privilégios especiais, fato que colocou o Brasil na sua total dependência econômica.
c) ao Brasil, porque, após o profícuo período da administração de D. João e sua volta a Portugal, a economia brasileira estava estabilizada.
d) a todas as nações, pois o decreto de abertura dos portos possibilitou a colocação de seus produtos no mercado brasileiro a taxas mínimas.
e) a todas as nações européias que, beneficiando-se da abertura de novos mercados na América, puderam reorganizar-se para destruir o exército de Napoleão.


04. Fuvest-SP. A Vinda da Família Real Portuguesa ao Brasil:
…quando o príncipe regente português, D. João, che­gou de malas e bagagens para residir no Brasil, houve um grande alvoroço na cidade do Rio de Janeiro. Afinal era a própria encarnação do rei […] que aqui desem­barcava. D. João não precisou, porém, caminhar muito para alojar-se. Logo em frente ao cais estava localizado o Palácio dos Vice-Reis.
Lilia Schwarcz. As barbas do imperador.

O significado da chegada de D. João ao Rio de Janeiro pode ser resumido como:
a) decorrência da loucura da rainha Dona Maria I, que não conseguia se impor no contexto político europeu.
b) fruto das derrotas militares sofridas pelos portu­gueses ante os exércitos britânicos e de Napoleão Bonaparte.
c) inversão da relação entre metrópole e colônia, já que a sede política do Império passava do centro para a periferia.
d) alteração da relação política entre monarcas e vice-reis, pois estes passaram a controlar o mando a partir das colônias.
e) imposição do comércio britânico, que precisava do deslocamento do eixo político para conseguir isenções alfandegárias.


05. Fuvest-SP. A Vinda da Família Real Portuguesa ao Brasil:
A invasão da península Ibérica pelas forças de Napo­leão Bonaparte levou a Coroa portuguesa, apoiada pela Inglaterra, a deixar Lisboa e instalar-se no Rio de Janeiro. Tal decisão teve desdobramentos notáveis para o Brasil. Entre eles:

a) a chegada ao Brasil do futuro líder da independên­cia, a extinção do tráfico negreiro e a criação das primeiras escolas primárias.
b) o surgimento das primeiras indústrias, muitas transformações arquitetônicas no Rio de Janeiro e a primeira Constituição do Brasil.
c) o fim dos privilégios mercantilistas portugueses, o nascimento das universidades e algumas mudanças nas relações entre senhores e es-cravos.
d) a abertura dos portos brasileiros a outras nações, a assinatura de acordos comerciais favoráveis aos ingleses e a instalação da Imprensa Ré­gia.
e) a elevação do Brasil à categoria de Reino Unido, a abertura de estradas de ferro ligando o litoral fluminense ao porto do Rio e a introdução do plantio do café.


06. PUC-SP. A Vinda da Família Real Portuguesa ao Brasil:
Entre os eventos que antecederam a independência política do Brasil e propuseram ou criaram condições para a autonomia, podem-se mencionar:

a) as iniciativas da Coroa portuguesa no Brasil, no início do século XIX, como a permissão do comér­cio internacional sem mediação da metrópole e a criação de sistema bancário oficial.
b) as revoltas ocorridas na região das Minas Gerais, no decorrer do século XVIII, com características e projetos, em todos os casos, emancipacionistas e propositores de um Estado brasileiro autônomo.
c) as mudanças ocorridas no cenário europeu, entre o final do século XVIII e o início do XIX, com a ascen­são de Napoleão ao trono francês e a conquista, por suas tropas, de toda a Europa Ocidental e de suas possessões coloniais.
d) as ações de grupos de comerciantes da Colônia, desde o início do século XIX, desejosos de ampliar sua independência comercial e de estabelecer vínculos diretos com países do Ocidente europeu e do Extremo Oriente.
e) as vitórias, no século XVIII, das lutas pela inde­pendência nas regiões de colonização espanhola, francesa e inglesa das Américas, gerando um con­junto de impérios autônomos, possíveis parceiros comerciais para o Brasil.


07. UFRGS-RS. A Vinda da Família Real Portuguesa ao Brasil:
Embora a independência política do Brasil tenha sido declarada somente em 1822, o início do pro­cesso de emancipação pode ser relacionado com uma conjuntura anterior, na qual um acontecimento de grande impacto desencadeou as mudanças que levaram à separação entre o Brasil e Portugal. Esse fato, que assinalou o final efetivo da situação colonial, foi:

a) a Inconfidência Mineira, ocorrida em 1789, que introduziu no Brasil as idéias iluministas e repu­blicanas, minando a monarquia portuguesa.
b) a Inconfidência Baiana, ocorrida em 1798, que introduziu no Brasil as idéias jacobinas e revolu­cionárias, levando ao fim do domínio lusitano.
c) a transferência da Corte para o Brasil em 1808, que significou a presença do aparato estatal me­tropolitano na Colônia, a qual passou a ser a sede da monarquia portuguesa.
d) a Revolução Pernambucana de 1817, que trouxe para o cenário político brasileiro o ideário maçônico e republicano.
e) a convocação das Cortes de Lisboa em 1820, que exigiram o retorno de Dom João para Portugal e a recolonização do Brasil.


08. PUC-MG. A Vinda da Família Real Portuguesa ao Brasil:
O mapa a seguir mostra a Europa Ocidental nos anos iniciais do século XIX. A situação assinalada resultou na vinda da Corte portuguesa para o Brasil, em 1808.

mapa da Europa Ocidental no inicio do século XIX

 Portanto, o mapa retrata:
a) o Tratado de Comércio e Navegação, assinado por D. João e Lorde Strangford, que garantia liberdade comercial para ingleses e portugue­ses.
b) o Tratado de Fontainebleau, assinado pela França e Espanha, que supunha a invasão de Portugal e a divisão de suas colônias.
c) a Convenção Secreta, acordo entre Inglaterra e Portugal, que determinava a defesa marítima dos lusitanos pelos ingleses.
d) o Bloqueio Continental determinado por Napoleão Bonaparte, que proibia os países europeus de comercializarem com os ingleses.


09. PUCCamp-SP. A Vinda da Família Real Portuguesa ao Brasil:
Foram os dois principais movimentos a refletir a di­mensão da crise do sistema colonial. Contudo, seus objetivos não se assemelhavam em tudo. Os dois apregoavam o fim do pacto colonial; mas somente um deles propunha o fim do escravismo e continha dentre seus participantes pessoas pertencentes às camadas mais humildes da população, como artesãos e solda-dos. O enunciado refere-se à Inconfidência:

a) Mineira e à Inconfidência Baiana.
b) Baiana e à Revolução Pernambucana.
c) Mineira e à Revolução Praieira.
d) Baiana e à Confederação do Equador.
e) Mineira e à Confederação do Equador.


10. Cesgranrio-RJ. A Vinda da Família Real Portuguesa ao Brasil:
Entre as alterações que favoreceram a emancipação política de 1822, e que foram ocasionadas pela vinda da família real para o Brasil, encontra-se:

a) o estabelecimento do governo-geral em Salvador.
b) a instalação da Corte na cidade do Rio de Janeiro.
c) o abandono das colônias no Oriente nas mãos de holandeses e espanhóis.
d) o enriquecimento da sociedade brasileira pela descoberta das Minas Gerais.
e) a implantação de uma Constituição liberal no Brasil e em Portugal, por determinação real.


 🔵 >>> Confira a nossa lista completa de exercícios sobre a História do Brasil.


Gabarito com as respostas das questões sobre A Vinda da Família Real Portuguesa ao Brasil:

01. B;
02. B;
03. B;
04. C;
05. D;

06. A;
07. C;
08. D;
09. A;
10. B

Gostou desta lista de Exercícios? Não esqueça de compartilhar com seus amigos:

Deixe um comentário