Exercícios de Língua Portuguesa sobre Carta Argumentativa

01. Carta Argumentativa: (Enem–2010) Venho solicitar a clarividente atenção de Vossa Excelência para que seja conjurada uma calamidade que está prestes a desabar em cima da juventude feminina do Brasil. Refiro-me, senhor presidente, ao movimento entusiasta que está empolgando centenas de moças, atraindo-as para se transformarem em jogadoras de futebol, sem se levar em conta que a mulher não poderá praticar este esporte violento sem afetar, seriamente, o equilíbrio fisiológico das suas funções orgânicas, devido à natureza que dispôs a ser mãe. Ao que dizem os jornais, no Rio de Janeiro, já estão formados nada menos de dez quadros femininos. Em São Paulo e Belo Horizonte também já estão se constituindo outros. E, neste crescendo, dentro de um ano, é provável que em todo o Brasil estejam organizados uns 200 clubes femininos de futebol: ou seja: 200 núcleos destroçados da saúde de 2,2 mil futuras mães, que, além do mais, ficarão presas a uma mentalidade depressiva e propensa aos exibicionismos rudes e extravagantes.
CARTA CAPITAL. Coluna Pênalti. 28 abr. 2010.

O trecho é parte de uma carta de um cidadão brasileiro, José Fuzeira, encaminhada, em abril de 1940, ao então presidente da República Getúlio Vargas. As opções linguísticas de Fuzeira mostram que seu texto foi elaborado em linguagem:
A) regional, adequada à troca de informações na situação apresentada.
B) jurídica, exigida pelo tema relacionado ao domínio do futebol.
C) coloquial, considerando-se que ele era um cidadão brasileiro comum.
D) culta, adequando-se ao seu interlocutor e à situação de comunicação.
E) informal, pressupondo o grau de escolaridade de seu interlocutor.

 

 

02. (Enem–2009) A escrita é uma das formas de expressão que as pessoas utilizam para comunicar algo e tem várias finalidades: informar, entreter, convencer, divulgar, descrever. Assim, o conhecimento acerca das variedades linguísticas sociais, regionais e de registro torna-se necessário para que se use a língua nas mais diversas situações comunicativas.
Considerando as informações anteriores, imagine que você está à procura de um emprego e encontrou duas empresas que precisam de novos funcionários. Uma delas exige uma carta de solicitação de emprego.
Ao redigi-la, você:
A) fará uso da linguagem metafórica.
B) apresentará elementos não verbais.
C) utilizará o registro informal.
D) evidenciará a norma padrão.
E) fará uso de gírias.

 

 

(AFA-SP–2008) Instrução: Responda às questões de 03 a 09 de acordo com o texto.

Carta do Índio Chefe Seattle,
“Manifesto da Terra-Mãe”

Como podeis comprar ou vender o céu, o calor da terra? A idéia não tem sentido para nós. Se não somos donos da frescura do ar ou do brilho das águas, como podeis querer comprá-los? Qualquer parte desta terra é sagrada para meu povo. Qualquer folha de pinheiro, cada grão de areia nas praias, a neblina nos bosques sombrios, cada monte e até o zumbido do inseto, tudo é sagrado na memória e no passado do meu povo. A seiva que percorre o interior das árvores leva em si as memórias do homem vermelho. […]
Nós sabemos que o homem branco não entende o nosso modo de ser. Ele não sabe distinguir um pedaço de terra de outro qualquer, pois é um estranho que vem de noite e rouba da terra tudo de que precisa. A terra não é sua irmã, mas sua inimiga, depois de vencida e conquistada, ele vai embora, à procura de outro lugar. […]
O ar é inestimável para o homem vermelho, pois dele todos se alimentam. Os animais, as árvores, o homem, todos respiram o mesmo ar. O homem branco parece não se importar com o ar que respira. Como um cadáver em decomposição, ele é insensível ao mau cheiro. Mas se vós venderdes nossa terra, deveis recordar que o ar é precioso para nós, que o ar insufla seu espírito em todas as coisas que dele vivem. O vento que deu aos nossos avós o primeiro sopro de vida é o mesmo que lhes recebe o último suspiro. […]
Sou um selvagem e não compreendo como o fumegante cavalo de ferro possa ser mais importante que o bisonte, que nós caçamos apenas para sobreviver. Que será dos homens sem os animais? Se todos os animais desaparecem, o homem morrerá de solidão espiritual. Porque o que suceder aos animais afetará os homens. Tudo está ligado.
Deveis ensinar a vossos filhos que o solo que pisam são as cinzas de nossos avós. Para que eles respeitem a terra, ensina-lhes que ela é rica pela vida dos seres de todas as espécies. Ensinai aos vossos filhos o que nós ensinamos aos nossos: que a terra é a nossa mãe. Quando o homem cospe sobre a terra, cospe sobre si mesmo. De uma coisa nós temos certeza: a terra não pertence ao homem branco; o homem branco é que pertence à terra. Disso nós temos a certeza. Todas as coisas estão relacionadas como o sangue que une uma família. Tudo está associado. O que fere a terra fere também aos filhos da terra.
O homem não tece a teia da vida; é antes um dos seus fios. O que quer que faça a essa teia, faz a si próprio. […]
Esta terra tem um valor inestimável para Ele, e ofender a terra é insultar o Criador. Também os brancos acabarão um dia, talvez mais cedo do que todas as outras tribos. Contaminai os vossos rios e uma noite morrerão afogados nos vossos resíduos. Contudo, caminhareis para a vossa destruição, iluminados pela força do Deus que vos trouxe a esta terra e que por algum desígnio especial vos deu o domínio sobre ela e sobre o homem vermelho.
Este destino é um mistério para nós, pois não compreendemos como será no dia em que o último bisonte for dizimado, os cavalos selvagens domesticados, os secretos recantos das florestas invadidos pelo odor do suor de muitos homens e a visão das brilhantes colinas bloqueada por fios falantes. Onde está o matagal? Desapareceu. Onde está a águia? Desapareceu. Termina a vida, começa a sobrevivência.
Disponível em: <http://mnemosyne.blog-city.com>.

 

03. Carta Argumentativa: Pode-se inferir do texto que:
A) tudo o que existe faz parte do patrimônio humano, logo os homens têm o direito de dispor dele como desejarem.
B) o índio ensina seus descendentes a sugar e a retirar da terra tudo aquilo que ela pode lhes proporcionar.
C) mais importante é a preservação dos animais, pois são eles que alimentarão as gerações futuras.
D) a terra é sagrada, devemos preservá-la e respeitá-la como meio de subsistência humana.

 

 

04. O homem branco só NÃO é comparado a um:
A) solitário espiritual.
B) estranho que vem da noite.
C) cadáver em decomposição.
D) fio da teia que tece a vida.

 

 

05. Carta Argumentativa: Assinale a alternativa em que a reescritura dos trechos, retirados do texto, provocou alteração sintática e / ou semântica.
A) Vender o céu, o calor da terra é atitude inconcebível para os índios.
B) O bisonte é mais importante que o cavalo de ferro fumegante, e um índio, por sua natureza, não entende que isso seja visto de outra forma.
C) As cinzas dos antepassados estão impregnadas no solo, e as gerações mais novas devem compreender isso.
D) O homem vermelho se alimenta do ar, portanto este tem valor incomensurável.

 

Simulado com Gabarito sobre Análise Sintático Semântico.

 

06. Carta Argumentativa: Pode-se afirmar que em:
A) “cinzas de nossos avós”, fica clara a desobrigação que o homem tem para com seus antepassados.
B) “O que fere a terra fere também aos filhos da terra.”, mostra o respeito que se deve ter pelo homem, tudo é menor diante da sua supremacia.
C) “fumegante cavalo de ferro”, observa-se a presença da metáfora que enfatiza a inversão de valores percebida pelo índio.
D) “Contaminai os vossos rios e uma noite morrerão afogados nos vossos resíduos.”, depreende-se que o homem polui seus rios e possui capacidade para evitar que isso ocorra.

 

 

07. O texto é concluído com interrogações e afirmações. Pode-se dizer, com isso, que o locutor:
A) não interfere na argumentação por se tratarem de perguntas e de respostas que não conduzem ao questionamento.
B) responsabiliza o Criador por tudo que ocorre na Terra, fazendo-nos crer que só Ele pode fazer algo.
C) nos revela que devemos cuidar do nosso ecossistema para que a raça humana seja preservada.
D) apregoa que o grande responsável é o destino, pois já estava planejado que o homem é um grande predador.

 

 

08. Carta Argumentativa: Considere o excerto seguinte.

Contudo, caminhareis para a vossa destruição, iluminados pela força do Deus que vos trouxe a esta terra e que por algum desígnio especial […]

Assinale a alternativa em que a substituição do conectivo NÃO interfere semanticamente na ideia proposta.
A) “Pois, caminhareis para a vossa destruição, iluminados pela força do Deus que vos trouxe a esta terra e por algum desígnio especial […]”
B) “Posto que, caminhareis para a vossa destruição, iluminados pela força do Deus que vos trouxe a esta terra e por algum desígnio especial […]”
C) “De sorte que, caminhareis para a vossa destruição, iluminados pela força do Deus que vos trouxe a esta terra e por algum desígnio especial […]”
D) “Todavia, caminhareis para a vossa destruição, iluminados pela força do Deus que vos trouxe a esta terra e por algum desígnio especial […]”

 

 

09. Carta Argumentativa: No trecho “Nós sabemos que o homem branco não entende o nosso modo de ser”, o índio Chefe Seattle emite um juízo de valor que mostra o quão distinta é a cultura do homem branco da cultura indígena.
Entre as passagens, assinale aquela que NÃO ilustra esse choque cultural.
A) “Sou um selvagem e não compreendo como o fumegante cavalo de ferro possa ser mais importante que o bisonte, que nós caçamos apenas para sobreviver.”
B) “O ar é inestimável para o homem vermelho, pois dele todos se alimentam.” / “O homem branco parece não se importar com o ar que respira.”
C) “O homem não tece a teia da vida; é antes um dos seus fios. O que quer que faça a essa teia, faz a si próprio. Esta terra tem um valor inestimável para Ele, e ofender a terra é insultar o Criador.”
D) “Deveis ensinar a vossos filhos que o solo que pisam são as cinzas de nossos avós […] Ensinai aos vossos filhos o que nós ensinamos aos nossos […]”

 

🔵 >>> Confira nossa lista com todos os exercícios de Língua Portuguesa.

 

Gabarito com as respostas do simulado de Português sobre Carta Argumentativa:

01. D;
02. D;
03. D;
04. A;
05. D;
06. C;
07. D;
08. C;
09. C

Deixe um comentário