Lista de Atividades de Discurso Direto e Indireto com Resposta

01. Discurso direto e Indireto: U. Alfenas-MG – “Brito, em seu depoimento, disse que recebeu autorização de Pitta para responder às reportagens que tratavam da não aplicação dos 30% em Educação, mas apontou o então chefe da Assessoria de Imprensa da Prefeitura, Henrique Nunes, como autor da nota. Nunes teria ditado o texto para Brito que, apesar de subscrevê-lo, não interessou-se em saber onde seria publicado, nem quanto custaria. ’Eu não sabia de que maneira isso seria feito‘, disse Brito ao juiz. ’E desconhecia que a resposta implicaria gastos públicos.‘”
O Estado de S. Paulo, 30/1/98, C1.

Para dar-nos a conhecer os pensamentos e as palavras de personagens reais ou fictícios, dispõe o narrador de três moldes linguísticos diversos conhecidos pelos nomes de discurso direto, discurso indireto e discurso indireto livre.’ No texto, o repórter fez uso do discurso direto nos períodos:
a) 1 e 4.
b) 2 e 3.
c) 1 e 2.
d) 3 e 4.
e) 2 e 4.


02. IBMEC – A incapacidade de ser verdadeiro Paulo tinha fama de mentiroso. Um dia chegou em casa dizendo que vira no campo dois dragões da independência cuspindo fogo e lendo fotonovelas.

A mãe botou-o de castigo, mas na semana seguinte ele veio contando que caíra no pátio um pedaço de lua, todo cheio de buraquinhos, feito queijo, e ele provou e tinha gosto de queijo. Desta vez Paulo não só ficou sem a sobremesa como foi proibido de jogar futebol durante quinze dias.
Quando o menino voltou falando que todas as borboletas da Terra passaram pela chácara de Siá Elpídia e queriam formar um tapete voador para transportá-lo ao sétimo céu, a mãe decidiu levá-lo ao médico. Após o exame, o Dr. Epaminondas abanou a cabeça:
— Não há o que fazer, Dona Coló.
Este menino é mesmo um caso de poesia.
ANDRADE, Carlos Drummond de. O sorvete e outras histórias. São Paulo: Ática, 1993.

No texto ocorre o discurso direto. Transposto adequadamente para o discurso indireto, teríamos:
a. Após o exame, o Dr. Epaminondas abanou a cabeça e disse a Dona Coló que não havia o que fazer, pois aquele menino era mesmo um caso de poesia.
b. Após o exame, o Dr. Epaminondas abanou a cabeça dizendo que Dona Coló não há o que fazer, sendo o menino um caso mesmo de poesia.
c. Como não haveria o que fazer, após o exame, o Dr. Epaminondas abanou a cabeça olhando para Dona Coló. Esse menino é mesmo um caso de poesia.
d. Disse o Dr. Epaminondas, após o exame, que Dona Coló não há o que fazer e que este menino é mesmo um caso de poesia.
e. Após o exame, o Dr. Epaminondas lamentou que o menino fosse mesmo um caso de poesia. Dona Coló nada poderia fazer.


03. UFMA – — A caridade, Sr. Soares, entra decerto no meu procedimento, mas entra como tempero, como o sal das coisas, que é assim que interpreto o dito de S. Paulo aos Coríntios:

“Se eu conhecer quanto se pode saber, e não tiver caridade, não sou nada.”
O principal nesta minha obra da Casa Verde é estudar profundamente a loucura, os seus diversos graus, classificar-lhe os caos, descobrir enfim a causa do fenômeno e o remédio universal. Este é o mistério do meu coração. Creio que com isto presto um bom serviço à humanidade.
Fonte: MACHADODE ASSIS, In: O alienista. Capítulo II.

No enunciado, o emprego das aspas configura:
a. discurso indireto livre e contextualidade.
b. discurso indireto e textualidade.
c. discurso semi-indireto e intertextualidade.
d. discurso direto e indireto e textualidade.
e. discurso direto e intertextualidade.


04. UFT-TO
— Boa tarde!
— Tarde, vai se apronchegando, seu Maneco. Vou servir um cafezinho ao senhor — saudou a esposa do amigo.
— Carece não. Demora é pouca. Só precisava falar com o Zeca.
Trago um positivo do professor para ele.
— Tá não, seu Maneco. Foi levá uma boiada erada no refrigério do baixadão. Demora não, amanhã cedo arrebenta no comércio.
(…)
Odir Rocha, Auscultando a vida.

Ao passarmos a última fala do texto para o discurso indireto, temos:
a. À esposa disse que o marido não estava. Tinha ido levar uma boiada erada no refrigério do baixadão. Ela disse que ele não demorava, e que amanhã cedo arrebentava no comércio.
b. A esposa disse que o marido não estava. Foi levar uma boiada erada no refrigério do baixadão. Ela disse que ele não demoraria, e que amanhã cedo arrebentará no comércio.
c. À esposa disse que o marido não estava. Foi levar uma boiada erada no refrigério do baixadão. Ela disse que ele não demora, e que amanhã cedo arrebentará no comércio.
d. A esposa disse que o marido não estava. Tinha ido levar uma boiada erada no refrigério do baixadão. Ela disse que ele não demoraria, e que amanhã cedo arrebentaria no comércio.


05. Discurso direto e Indireto: Ita-SP – Assinale a alternativa que melhor complete o seguinte trecho:
No plano expressivo, a força da em provém essencialmente de sua capacidade de o episódio, fazendo da situação a personagem, tornando-a viva para o ouvinte, à maneira de uma cena de teatro o narrador desempenha a mera função de indicador de falas.

a. narração — discurso indireto — enfatizar — ressurgir — onde;
b. narração — discurso onisciente — vivificar — demonstrar-se — donde;
c. narração — discurso direto — atualizar – emergir — em que;
d. narração — discurso indireto livre — humanizar — imergir — na qual;
e. dissertação — discurso direto e indireto — dinamizar — protagonizar — em que.


06. Discurso direto e Indireto: (Simulado ENEM) – Os dois últimos parágrafos do texto apresentam uma série de citações em discurso direto. Os itens abaixo apresentam, em (a), trechos com citações diretas e, em (b), sua reformulação em discurso indireto.

1. a) “A industrialização e a urbanização da capital paulista sempre atraíram os brasileiros do Nordeste”, observa a socióloga Dulce Maria Tourinho Baptista.
b) A socióloga Dulce Maria Tourinho Baptista observa a industrialização e a urbanização da capital paulista, que sempre atraíram os brasileiros do Nordeste.

2. a) “Dadas as precárias condições de vida no lugar de origem, eles continuam correndo atrás de uma vida melhor, alimentados pela ilusão de que São Paulo é a resposta a seus desafios”, diz Dulce Baptista.
b) Segundo Dulce Baptista, as precárias condições de vida no lugar de origem levam-nos a procurar uma vida melhor, alimentados pela ilusão de que São Paulo é a resposta a seus desafios.

3. a) “Há duas ou três décadas, o tempo consumido pelo migrante para conseguir um emprego não era mais que uma semana ou um mês, na pior das hipóteses”, explica Luiz Bassegio. “Agora, não só é mais demorado como quase não se encontra trabalho.”
b) Bassegio compara o tempo para o migrante conseguir emprego há duas ou três décadas com a atualidade: antes ia de uma semana a, no máximo, um mês; atualmente não só é mais demorado como quase não se encontra trabalho.

A reformulação mantém as informações da citação direta correspondente em:
a) 2 e 3 apenas.
b) 1 apenas.
c) 2 apenas.
d) 3 apenas.
e) 1 e 2 apenas.


Texto para as questões 07 e 08.
A palavra da velha conduzia o filho como se empurrasse um cego na estrada. O Santo gritava, gritava com um vozeirão de roqueira. Aparício e os cabras chegavam para ele. E ele que tinha aos seus pés milhares de criaturas parecia não enxergar os cangaceiros de chapéu na cabeça. De repente, porém, como se os seus olhos se abrissem, olhou fixamente para Aparício e os seus homens. E manso, tal uma ventania que se abrandasse numa brisa mansinha, fixou no terror das caatingas a sua atenção. Com a voz de homem para homem, não mais de santo para impuros, foi dizendo:
— Deus do céu e o meu santo mártir S. Sebastião te mandou para perto de mim.
E marchou para o meio dos cangaceiros, rompendo por entre os romeiros que caíam a seus pés, com a cabeça erguida e as barbas açoitadas pelo vento. Aparício, quando viu-o de perto,  ajoelhou-se. O rifle caiu-lhe das mãos, enquanto o Santo punha-lhe na cabeça os dedos magros. Podia-se escutar os rumores dos bichos da terra naquele silêncio de mundo parado. E  soturno, com a voz que saía de uma furna, o Santo ergueu para o céu o seu canto. E as ladainhas irromperam de todos os recantos do arraial. Muitos cangaceiros começaram a chorar. Aparício, porém, possuiu-se de fúria, e era uma fera acuada, com milhares de cachorros na boca da toca. E ergueu-se. E já com o rifle na mão esquerda fitou o Santo, cara a cara, e com a mão direita cheia de anéis puxou o punhal da bainha e disse aos berros:
— Povo, eu não tenho medo.
(REGO, José Lins do. Cangaceiros. 6. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1976, p. 8.)


07. (VUNESP-SP) – José Lins do Rego faz parte de uma geração de romancistas engajados na realidade cultural de nosso país. Sua prosa de ficção caracteriza-se pelo forte tom de oralidade,  e regionalismos léxicos e sintáticos que aproximam seu discurso da fala popular. Localize, na primeira frase em discurso direto, um desses “erros gramaticais” tão frequentes na espontaneidade da expressão popular oral.


08. (VUNESP-SP) – Que formulação o discurso direto teria sem esse “erro”?


CERVEJA
A versão nacional de sexo, drogas e rock and roll é samba, suor e cerveja. A famosa loura gelada se configurou como a bebida número 1 quando as indústrias perceberam que era necessário associar um conceito que estimulasse as vendas. Como as marcas que patrocinam esportes, as campanhas publicitárias de cerveja agregaram ao ato de beber a ideia de lazer em grupo. Ao contrário da pinga, ela é uma bebida para ser compartilhada e, com isso, se traduziu como um instrumento de alegria coletiva, uma espécie de combustível que faz aflorar a característica da festividade do caráter nacional. “Cerveja é amizade, confraternização e descontração, enfim, valores muito próximos de nós brasileiros”, define Marcos Mesquita, superintendente do Sindicerv, Sindicato das Indústrias Cervejeiras. Da década de 80 para a de 90, os fabricantes enterraram de vez o  caráter artesanal da cerveja. Pequenas produtoras foram compradas e as marcas tradicionais investiram em sistemas de produção mais eficientes, o que ajudou a baratear o custo do produto e aumentar o volume de vendas. Colocá-la como patrocinadora das festas de carnaval foi a estratégia definitiva para alçá-la de vez a paixão nacional. A cerveja é hoje o produto nacional que mais contribui para as receitas públicas, cerca de R$ 5,5 bilhões por ano, superando os carros e o cigarro.
(Veja, Edição Especial, n.° 1.578, 29/12/99.)

09. (UEL-PR) – As aspas usadas no texto têm a função de:

a) enfatizar ideias importantes.
b) isolar informações intercaladas.
c) insinuar que as palavras estão sendo usadas em outro sentido.
d) delimitar expressões de origem estrangeira.
e) marcar discurso direto.

🔵 >>> Confira nossa lista com todos os exercícios de Língua Portuguesa.

Gabarito com as respostas do simulado com atividades de Língua portuguesa sobre Discurso direto e Indireto:

Resposta da atividade 01. b;

Resposta da atividade 02. a;

Resposta da atividade 03. e;

Resposta da atividade 04. a;

Resposta da atividade 05. c;

Resposta da atividade 06. a;

Resposta da atividade 07. Há “erro” de concordância verbal, pois, como o sujeito é composto e está anteposto ao verbo, este obrigatoriamente deve ir para o plural.

Resposta da atividade 08. O discurso direto, sem o “erro”, ficaria: “— Deus do céu e o meu santo mártir S. Sebastião te mandaram para perto de mim.”

Resposta da atividade 09. e

Gostou desta lista de Exercícios? Não esqueça de compartilhar com seus amigos:

Deixe um comentário