Exercícios sobre a América Latina no Século XX

01. América Latina no Século XX: (UERJ)

tabela investimentos América Latina no Século XX

(Fonte: Historical Statistics of the United States, 1789-1945.)
(NIVEAU, Maurice. História dos Fatos Econômicos Contemporâneos. São Paulo: Difel, 1969. Adaptado.)

De acordo com as informações contidas na tabela, indique o fato histórico que motivou a alteração radical na posição econômica dos Estados Unidos e explique a
consequência econômica resultante dessa alteração.


02. América Latina no Século XX: (Cesgranrio)

expansões do EUA

Os Estados Unidos se expandiram para o oeste também às custas do México, a quem pertenciam os territórios assinalados no mapa acima. Após perder a guerra em 1848, pelo Tratado de Guadalupe-Hidalgo, o México cedeu aos EUA, entre outros, o território:
a) da Califórnia, cuja ocupação efetiva se acelerou com a descoberta de ouro na região.
b) do Alasca, cujo real povoamento se deu a partir da descoberta de petróleo.
c) do Alabama, que o México havia comprado da Espanha em 1819.
d) de Missouri, que foi anexado como Estado abolicionista, já que no México não mais havia escravidão.
e) de Seattle, cuja importância na atualidade se deve ao desenvolvimento tecnológico na área das comunicações.


03. (Unirio) “Nas massas temos os que pensam e os que sustentam a união que provém dessa mística comum a todos, que há de abranger tanto ao que pensa, pela
persuasão, como ao que sente, pelo coração.”
(Pronunciamento de Juan D. Perón aos delegados no Congresso Geral Constituinte do Partido Peronista, 01/12/1947. In: Doutrina Peronista. Buenos Aires, s./ed., 1952, p. 13.)

No contexto do Estado Populista na América Latina identificamos, na Argentina, o fenômeno do peronismo, cujas características político-ideológicas se relacionam corretamente com:
a) o nacionalismo desenvolvimentista e instrumentalizante vinculado às políticas de intervenção do Estado na economia.
b) a semelhança ideológica com o comunismo decorrente de sua valorização política do sindicalismo operário.
c) o confronto com o ideário liberal e capitalista expresso na extinção da propriedade privada da terra e dos latifúndios.
d) o antimilitarismo da doutrina populista que excluiu politicamente as forças armadas dos governos populistas.
e) a ampliação da democracia por meio da criação de partidos políticos camponeses e da instituição de eleições regulares e livres.


04. América Latina no Século XX: (UFF) O historiador Pierre Vilar, referindo-se ao fenômeno do Nacionalismo – um dos mais importantes temas do mundo contemporâneo – afirmou:

“(…) toda consciência de comunidade implica a consciência de um ‘lado de dentro’ e de ‘um lado de fora’, de um ‘nós’ e de um ‘eles’; (…) E imediatamente, a desconfiança dos grupos vizinhos chega à superfície, podendo variar do desdém ao ciúme, do escárnio à briga, e se completar com momentos de auge, como “fêtes”, demonstrações ou competições. Em que momento, com que amplitude, com que grau de intensidade e permanência, com que mínimo de vontade política uma psicologia de comunidade manifesta apreço a uma entidade que pode ser chamada de nação? Este é o problema do historiador, pois o fenômeno realmente existe e, perante nossos olhos, tem desempenhado um papel inestimável. É impossível lhe tribuir um juízo de valor, uma vez que foi sempre positivo e negativo,
revolucionário e conservador, cheio de ações admiráveis e de horrores sangrentos.”

Considerando o fragmento acima e sabendo que o Nacionalismo adotou formas diversas na América e na Europa:
a) estabeleça, no caso do México, a relação entre a questão agrária e a Revolução Mexicana do século XIX.
b) comente a expressão “socialismo num só país” utilizada para definir a política da URSS no período stalinista.


05. América Latina no Século XX: (UFRJ) JC -”E as relações internacionais: tem se repetido muito, a nosso ver demais, que a Nicarágua não será uma nova Cuba…
FSLN – insisto que não seremos uma nova Cuba. Estamos atentos às manobras do imperialismo que visam justificar uma intervenção militar, já que estaríamos sofrendo uma intervenção castrista. A Nicarágua não será uma nova Cuba. Dizer isto não significa que sejamos anti castristas ou que sejamos contra a revolução cubana. Muito pelo contrário.
JC – A experiência do Chile, onde a reação conseguiu se reorganizar e fazer vingar a contra-revolução não lhes preocupa?
FSLN – Diferentemente do Chile, na Nicarágua não se deu apenas um povo unido, mas se deu também um povo armado. E se nos armamos para lutar contra a
ditadura, com maior motivo nos defenderemos agora.”
(Entrevista de Angel Barajon, representante da Frente Sandinista de Libertação Nacional (FSLN ) na Europa ao Jornal Companheiro (JC) – 8 ago. 1979.)

A chamada Revolução Sandinista vitoriosa há 20 anos na Nicarágua representou (junto com a Revolução Islâmica no Irã, na mesma época) um momento de fraqueza da política norte-americana em defesa de partes de “sua” área de influência, como, no caso, a América Latina, conforme a divisão do mundo estabelecida pela Guerra Fria. Isso a aproxima, ao menos parcialmente, da Revolução Cubana (1958/59) e do período do governo de Salvador Allende no Chile (1970/1973).

A partir da entrevista acima:
a) apresente uma semelhança entre os processos revolucionários nicaraguense e cubano.
b) explique a diferença explicitada por Angel Barajon entre os casos chileno e nicaraguense.


06. América Latina no Século XX: (UFES) “Tal como o candidato tinha previsto, os socialistas, aliados ao resto dos partidos da esquerda, ganharam as eleições presidenciais. O dia da votação decorreu sem incidentes numa luminosa manhã de setembro (…). Das povoações vizinhas e dos bairros operários saíram para a rua famílias inteiras, pais, filhos, avós, com sua roupa domingueira, caminhando alegremente na direção do centro (…). O alarido das vozes e o baile da rua transformou-se numa alegre e disciplinada comitiva que começou a avançar até as belas avenidas da burguesia. E, então, viu-se o espetáculo inédito da gente do povo, homens com os sapatões da fábrica, mulheres com os filhos nos braços, estudantes em mangas de camisa, passeando tranquilamente pela zona reservada e preciosa onde muito poucas vezes se tinham aventurado e onde eram estrangeiros”.
(Allende, I. A Casa dos Espíritos. São Paulo: Difel, 1984, p. 367-368.)

A passagem anterior, extraída do romance da escritora chilena Isabel Allende, adaptado para o cinema, nos informa sobre as comemorações populares que
cercaram a vitória do candidato da Unidade Popular, Salvador Allende, nas eleições presidenciais de 1970. A respeito do assunto em questão, explique o significado de uma medida adotada por Salvador Allende na execução do seu projeto de governo.


07. América Latina no Século XX: (FGV-SP) A crise norte-americana de 1929 repercutiu na América Latina, com graves consequências sociais políticas e econômicas, provocando, entre outros acontecimentos:

a) a privatização das empresas petrolíferas no México, por Lázaro Cárdenas, para recuperar a economia.
b) o surgimento de governos autoritários e repressivos, como ocorreu na Guatemala e em El Salvador.
c) a ascensão de Anastásio Somoza ao poder em Honduras, com vistas a garantir a consolidação da democracia.
d) a invasão do Panamá, pela importância vital do canal para a economia da América do Norte.
e) o aumento do comércio exterior de Cuba, com o crescimento da exportação de açúcar.


08. América Latina no Século XX: (FGV-SP)

I. Fulgêncio Batista, apesar de sair do Governo em 1959, permanece em Cuba até a tentativa de invasão norte-americana, por meio da baía dos Porcos, em janeiro de 1966.
II. O processo insurrecional que culminou com a vitória de Fidel Castro e seus companheiros, no final dos anos 50, tem início em julho de 1953, com a tentativa de assalto ao quartel Moncada.
III. Em janeiro de 1962, a Conferência da Organização dos Estados Americanos (OEA) decide o bloqueio econômico e político a Cuba, por proposta dos Estados Unidos da América.
IV. Cuba e Porto Rico, a exemplo da maioria dos países latino-americanos, conseguiram suas independências no final do século passado por meio de lutas sangrentas comandadas por líderes oriundos das classes populares.

Acerca da história política cubana é correto apenas o afirmado em:
a) I e II
b) I e III
c) I e IV
d) II e III
e) II e IV


09. (UFPE) A história dos países latino-americanos, apesar de distinta, tem muito em comum.

Assinale a alternativa que confirma este enunciado.
a) O atraso na industrialização tornou essa região dependente do fornecedores externos de bens de produção, o que conduziu a um crescente endividamento externo.
b) A industrialização da América Latina deu-se de forma homogênea, acompanhando as conjunturas de crescimento econômico dos Estados Unidos.
c) As migrações internas entre países da América Latina têm contribuído para uma história comum de desenvolvimento tecnológico.
d) As guerras de independência na América Latina foram simultâneas contra as metrópoles e, na metade do século XIX, todas as nações haviam se transformado em repúblicas livres da escravidão.
e) A economia dos países da América Latina está voltada ao seu próprio mercado interno.


10. América Latina no Século XX: (UEL) “Em 1910 um grupo de agricultores mexicanos rebelou-se contra os rumos que o governo impunha a seu país. A revolta seguiu por nove anos com guerrilhas,  sabotagens e cercos continuados aos revoltoso.” Um dos líderes do movimento a que

o texto se refere foi:
a) Virgilio Piñera.
b) Emiliano Zapata.
c) Simón Bolívar.
d) José Artigas.
e) Pablo Escobar.


🔵 >>> Confira todas as nossas questões sobre a História Mundial.


Gabarito com as respostas dos exercícios sobre a América Latina no Século XX:

01. Primeira Grande Guerra Mundial. Modificaram-se os equilíbrios entre as nações vitoriosas. A Inglaterra perdeu a hegemonia sobre a economia mundial, e os EUA, por meio de investimentos maciços na América Central, no Caribe e na América do Sul, transformaram essas áreas em economias dependentes. O mesmo ocorreu com relação à Europa, onde a economia americana, por meio do seu setor financeiro, tomou o lugar da Inglaterra.


02. A;
03. A;


04. a) A Revolução Mexicana foi resultado da luta contra a ditadura de Porfírio Diaz, cujo modelo de desenvolvimento fundamentava-se no domínio do capital estrangeiro. A força política do nacionalismo no México expressou-se pela luta camponesa em defesa da reforma agrária e de um desenvolvimento econômico em bases nacionais. Zapata e Villa tornaram-se símbolos do nacionalismo mexicano.
b) A expressão “socialismo num só país” significou a vitória da tendência nacionalista, liderada por Stalin, segundo a qual a revolução só se manteria com o
isolamento da URSS, contrariando a ideia da “Revolução Permanente”, defendida por Leon Trotsky, que expressava os ideais do socialismo internacionalista.


05. a) As Revoluções em Cuba e na Nicarágua tiveram início com as guerrilhas contrárias às oligarquias locais (Fulgêncio Batista e Anastácio Somoza, respectivamente) aliados ao imperialismo norte-americano.
b) A ascensão do socialismo no Chile se deu pela via eleitoral, enquanto na Nicarágua. a FSLN usou da luta armada para chegar ao poder.

06. A nacionalização das empresas norte-americanas que atuavam na extração do cobre provocou a imediata reação dos setores conservadores da sociedade e dos
Estados Unidos, culminando com o Golpe de 11 de Setembro que depôs e assassinou o presidente Salvador Allende, instalando a ditadura comandada por Augusto Pinochet. As propostas da Unidade Popular de transformações radicais nas estruturas socioeconômicas, contrariavam a  minoria privilegiada e ligada ao capital norte-americano, bem como as imposições imperialistas dos Estados Unidos sobre a América Latina.


07. B;
08. D;
09. A;
10. B

Gostou desta lista de Exercícios? Não esqueça de compartilhar com seus amigos:

Deixe um comentário